sábado, 4 de dezembro de 2010

Meu roteiro para Montevidéu, Punta, Colonia e Buenos Aires

Casa de colono do Século 18, na Calle de los Suspiros,
Colonia del Sacramento
Música deste post: Un Vestido y un Amor, Fito Paez

Como você planeja as suas viagens? Daqui a menos de 30 dias, embarco para MontevidéuColonia del Sacramento e Buenos Aires. As três cidades são minhas velhas conhecidas, mas nem por isso eu abro mão de fazer um planejamento cuidadoso. Porque pra mim, organizar a viagem é parte do prazer da jornada.

A antiga muralha de Colonia del Sacramento e um carrinho de golfe, meio de transporte muito usado pelos turistas para explorar a cidade, que proíbe a circulação de automóveis no bairro histórico
Tem a parte prática: comprar as passagens, reservar hotéis e pesquisar novidades em restaurantes. Quando já conheço a cidade para onde estou indo, gosto de escolher um bairro novo para converter em minha vizinhança durante a nova visita — o que também rende horas de pesquisas, passeios com o street-view do Google e consultas a guias e à internet.

Eu começo a viajar muito antes do embarque. Vou entrando no clima com uma trilha sonora que remeta ao lugar que vou visitar. Atualmente, um CD de Pablo Ziegler — brilhante pianista que tocou com Piazzolla — roda sem parar, eventualmente interrompido pela uruguaia Malena Mulaya (que me foi "apresentada" por minha amiga querida Maristela Debenest). Leio jornais locais na internet, escolho livros que ajudem a compor o clima.

Veja o que já planejei para essa viagem:

Montevidéu
O Teatro Solís e o monumento a Artigas, na Praça da Independência, em Montevidéu
Conheço pouco a capital uruguaia. Estive lá duas vezes, a última há quase seis anos, numa adorável viagem inventada de última hora com amigos bacanas. Era o Carnaval de 2005 e fizemos pouco mais que rodar à toa pela cidade, terminando sempre na Rambla Sur, em torno de garrafas de vinho e pãezinhos deliciosos, devorados com azeite.

Mas ficamos devendo a Montevidéu, desconfiados de que talvez não a tenhamos apreciado devidamente — embora muito gratos a ela por ter emprestado as locações para a nossa reconfortante farrinha particular. Não fiz uma foto sequer da cidade (!).

Tudo pronto para a feira de Tristan Narvajas, no Centro de Montevidéu
Desta vez eu pretendo explorar com calma o Centro Histórico de Montevidéu, a Ciudad Vieja, comer muito bem no Mercado do Porto e caçar antiguidades e quinquilharias na Feira de Tristan Narvajas, o famoso mercado de pulgas que se realiza aos domingos e ocupa inúmeros quarteirões de uma área central da cidade. Quero voltar a ver o pôr do sol no Parque Rodó, caminhar pela Orla do Prata, as sossegadas Ramblas da cidade e experimentar a ótima carne uruguaia em restaurantes bem recomendados.

Colonia del Sacramento

O melhor de Colonia: garimpar imagens de suas fachadas antigas
Essa perolazinha uruguaia eu conheço melhor. Além de uma bela tarde daquele mesmo Carnaval de 2005, passei um fim de semana lá, há quatro anos, driblando a chuva e fotografando essa que com certeza é uma das mais belas cidades coloniais das Américas.



Colonia é tão encantadora e tão doce, que, só de chegar, a gente já sente que o coração se aquieta. Como foi bom andar à toa, saboreando os pequenos detalhes, as janelas sempre impecáveis, com suas cortinas de crochê e seus vasos de flores.

Uma das marcas de Colonia: arros antigos "adornam" as ruas da cidade
Foi em Colonia que aconteceu uma das coisas mais malucas que já vivi numa viagem: eu ia pela rua, dirigindo meu carrinho de golfe, quando um cachorro vira-lata “me reconheceu” — sério: ele me viu de longe, levantou as orelhas e começou a balançar o rabo, pulando, eufórico. Saltou para dentro do carrinho e passou a me acompanhar para todo canto.

Um passeio gostoso em Colonia: o antigo porto, hoje convertido em área de lazer. À direita, o doido do cachorro fofo que me adotou
O doido do cachorro dormiu na porta da minha pousada. Rosnou para todo mundo que passou muito perto de mim. Esperou pacientemente que eu almoçasse, numa mesa de calçada da  Pulperia los Faroles — não pediu comida.

Quando foi chegando a hora de meu buque partir, de volta a Buenos Aires, ele simplesmente se desinteressou de mim e foi embora...

Buenos Aires
O Obelisco da Independência e a sede do Cabildo, na Praça de Maio
Minha terceira escala da viagem, a capital argentina é uma paixão. É a melhor cidade do planeta para ler o jornal, um dos melhores lugares do mundo para se andar na rua. É perfeita para quem vai sozinha, inesquecível quando se vai acompanhada. Ideal para o circuito café-livraria-museu, indescritível no quesito pé-na-jaca.

O Parque Lezama, onde gosto de caminhar, e o Bar Britanico, que tem empanadas inacreditáveis de boas
Estou cheia de planos: ir visitar o Abaporu no Malba (essa é atividade obrigatória), comer pelo menos 18 empanadas do Bar Britanico, comprar os bloquinhos de anotação inimitáveis da Papelera Palermo — sem falar naqueles álbuns de fotografia com cantoneiras e folhas de papel fino, para proteger as fotos...

Sobre Buenos Aires, já escrevi muito, aqui. Mas a cidade é tão maravilhosa que, certamente, vou ter outras milhares de histórias para contar, quando estiver de volta.

O Museu Fortabat foi inaugurado em 2008, em Puerto Madero, e estou curiosa para visitá-lo
Endereços e horários

Malba- Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires 
Avenida Figueroa Alcorta 3415
Abre às 12h, fecha às 20h (quartas, às 21h). Fecha às terças-feiras. Ingresso, 30 pesos.
Faço questão de ir ao Malba toda vez que vou a Buenos Aires
O acervo é simplesmente um espetáculo. Além do Abaporu, de Tarcila do Amaral, tem Di Cavalcanti, Diego Rivera, Antonio Dias, Nelson Leirner, Torres-Garcia, Portinari, Frida Kahlo, Hélio Oiticica, Botero, Leon Ferrari... Deve ser disparado o melhor lugar do mundo para ver a pintura latino-americana do Século 20.

Papelera Palermo 
Calle Honduras, 4945, Palermo
Se você gosta de papel, vá. Se não gosta, vai passar a amar, depois que passar por aqui. Os papéis de cartas são tão maravilhosos que dá vontade de aposentar o Facebook e voltar a escrever longas missivas para os amigos-- devidadamente arrematadas com os lacres chiquérrimos que eles vendem lá. Os "bloquinhos de repórter" são irresistíveis... (Atualização: a papelaria mudou de endereço. Confira neste post).

Os meus favoritos em Buenos Aires também podem ser consultados no post "Mi Buenos Aires Querido", aqui no blog.

Coisa mais fofa: o entregador de flores de Colonia del Sacramento
Pulperia Los Faroles 
Calle Misiones de los Tapes 101, esquina da Calle Comércio, Colonia del Sacramento
Numa casa de colono do Século XVII, serve pratos mediterrâneos, com um atendimento que é a cara da cidade: eficiente e sem estresse.

Veja como foi essa viagem clicando aqui. Ou siga os links com todos os posts de Colonia del SacramentoMontevidéu, Punta del Este e Buenos Aires

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Um comentário:

  1. Amei o texto, que ao fluir se torna dicas de viagem. Se divirta no próximo passeio e fotografe bastante. Beijso

    ResponderExcluir