20 de janeiro de 2019

Transporte em Nashville - como chegar e como circular na capital da Country Music

Nashville, ponte de pedestres John Seigenthaler
A ponte de pedestres John Seigentahler é muito mais do que um caminho entre as margens do Rio Cumberland. É quase um parque suspenso e um grande mirante. No cantinho esquerdo da foto está o Nissan Stadium, que recebe jogos da Liga Nacional de Futebol Americano 
É claro que não tive a experiência de moradora, mas para fazer turismo, o quesito transporte em Nashville me pareceu muito bem resolvido.

Embora não seja pequena — tem quase 700 mil habitantes — Nashville concentra suas principais atrações em Downtown (o Centro)e The Gulch (bairro mais “alternativo”). Resultado: caminhar é o melhor meio de explorar a cidade.

Neste post, organizei todas as informações sobre transporte em Nashville. Como chegar à cidade, como ir do aeroporto para o Centro e como circular entre as principais atrações usando transporte público, táxis e aplicativos, como o Uber e o ônibus gratuito do Music City Circuit.
Veja todas as dicas de transporte em Nashville:

17 de janeiro de 2019

Hospedagem em Nashville - hostel muito confortável e com localização imbatível

Nashville Downtown Hostel
O monumento que marca a fundação de Nashville (o encontro de um indígena com um europeu caçador de peles nunca foi tão cordial 😀) e o Nashville Downtown Hostel, ao fundo
Minha estadia na capital da Country Music foi muito, muito bacana. E a escolha da hospedagem em Nashville contribuiu muito pra isso.

A grande atração da cidade, naturalmente, é a música — as muitas opções de apresentações ao vivo, especialmente nos honky tonks da Lower Broadway. Ficar hospedada pertinho dessa passarela musical facilita muito a vida de quem quer curtir o melhor de Nashville.

Fiquei três noites (mo-vi-men-ta-dís-si-mas 😉) na cidade, hospedada no Nashville Downtown Hostel, a apenas 300 metros da Broadway, coração da muvuca musical da capital do Country.

Embora eu seja mais chegada a um hotel que a um albergue, tive uma experiência muito bacana e recomendo o Nashville Downtow Hostel pela qualidade das instalações, localização e atendimento.

Veja como foi minha experiência de hospedagem em Nashville:

13 de janeiro de 2019

Dicas de verão: onde beber e petiscar em Salvador

Verão em Salvador

Vocês sabem que é de lei eu passar o Natal com a família, né? Um bar aqui, um passeio ali, um restaurante acolá, sempre reúno dicas de onde beber e petiscar em Salvador, que é o que a gente mais faz nas temporadas de verão na Bahia.

Adoro o verão de Salvador. Todo mundo entra na vibe da estação solar e festeira, corre para a beira-mar, fica mais disponível para reencontrar os amigos e botar a conversa em dia, geralmente em volta de uma mesa onde desfilam as gostosuras da terra.

Praia do Farol da Barra
Praia do Farol da Barra
Em 2019, a temporada de verão em Salvador vai ser mais comprida. Com o Carnaval em março, pode contar que o clima de relax e festa vai se esticar até o domingo depois da Quarta-Feira de Cinzas. Bom pra você, que está planejando dar um pulo na cidade mais interessante do Brasil.

Pra contribuir, fique com minhas dicas de onde aproveitar essa vibe única. Tem mapa no final do post com as novas dicas de onde beber e petiscar em Salvador e todas as outras dicas da cidade  já publicadas na Fragata.

9 de janeiro de 2019

Dicas de verão: praias de Salvador

Praias de Salvador
Verão em Salvador: sombra, acarjé e água na temperatura perfeita, logo ali na maré
Pra entrar no clima: 🎵🎵 Quem vem pra beira do mar - Dorival Caymmi

O verão na minha terra é uma estação especial. Aquele céu azul e a luminosidade que banha a cidade nessa época, concordam os cientistas, são privilégios de pouquíssimos pedacinhos do planeta. E não há lugar melhor pra celebrar e aproveitar essa beleza do que as praias de Salvador.

Ir à praia em Salvador é a opção de lazer mais democrática que há. Pobres e ricos, sarados e gorduchos, jovens e maduros, todo mundo vai. E ninguém fica reparando nas dobrinhas da cintura alheia.

A praia pode ser uma diversão barata ou cara. Pra quem estende a canga em qualquer canto da areia e leva a nota de  R$ 5 para a água de coco presa no elástico do biquini, é uma pechincha.

Pra quem se refestela nas barracas e chiques do Flamengo em diante, pode ser um investimento. O que não pode é ficar de fora desse prazer.

Praia do Flamengo
Quer praia sem muvuca — e com pocinhas 🧡🧡 — sem sair da cidade? Dê um pulo na Praia do Flamengo quando a maré estiver baixa
Entre o Subúrbio e a Praia do Flamengo, Salvador tem mais de 50 quilômetros de orla marítima, cerca de metade deles banhados pela Baía de Todos os Santos. Do Farol da Barra em diante (na direção de Itapuã), vêm as praias oceânicas, banhadas pelo Atlântico, onde o mar costuma ser mais agitado.

Infelizmente, nem todos os 50 km de praias de Salvador são próprios para o banho de mar. A contaminação é mais frequente no interior da baía, mas também chega à orla oceânica.

Antes de escolher seu pedacinho de beira-mar na cidade, convém consultar o boletim de balneabilidade das praias.

Quando estou em Salvador, costumo estender minha canga e dar meus mergulhos em três praias ótimas: o Porto da Barra, Piatã e em algum canto do complexo Stella Maris/Flamengo.

A avaliação e dicas sobre elas estão aqui neste post, assim como várias informações práticas pra você aproveitar o lazer mais refrescante de Salvador.

6 de janeiro de 2019

Trilha sonora para Nashville - playlist pra embalar seus passeios na capital do Country


Seleção de músicas Country
Era para ser uma playlist de Country pra quem não gosta de Country - mas me convenci de que eu gosto 😁
Quando eu comecei a montar minhas playlists para embalar o roteiro musical nos Estados Unidos, achei que ia penar para reunir uma trilha sonora para Nashville. A grande marca musical da cidade é a Country Music, estilo que  —  já falei em outros posts  —  não é muito a minha praia.

Bastou um pouquinho de esforço, porém, para listar uma quantidade enorme de canções que adoro e, tecnicamente, podem ser catalogadas como Country Music.

No fim, o que deu trabalho não foi achar músicas para a playlist, mas fazer uma seleção entre elas —para este post não ficar excessivamente quilométrico 😃.

É verdade que minha trilha sonora para Nashville está longe de contemplar o mainstream do Country atual. Prefiro clássicos alternativos, como Willie Nelson, Patsy Cline e o maior de todos, Johnny Cash.

Elvis Presley no Hall da Fama da Música Country
Elvis no Hall da Fama do Country: a imagem pode até não estar muito fiel, mas o cara fez por merecer a homenagem
A playlist também tem pérolas do Rockabilly — um filhote musical do Country também muito associado a Nashville — como Carl PerkinsGene Vincent e Buddy Holly.

Minha trilha sonora para Nashville tem presenças inesperadas, como Carla Bruni. E tem amores que me acalentam em qualquer compasso (Ray Charles, Bob Dylan, Rolling Stones, Beatles, Van Morrison, Paul Simon, James Taylor e Art Garfunkel) que também arrasam no universo dos banjos e rabecas.

A moral da história é essa mesma: o estilo musical germinado nos campos do Sul dos EUA, típico de agricultores brancos e pobres, consegue transcender seu papel de trilha sonora do universo conservador e saudosista que ainda hoje se enrola em bandeiras Confederadas e cultua armas de fogo.

Cadillac de Elvis Presley no museu do Country Music Hall of Fame
O Cadillac de ouro de Elvis no museu do Country Music Hall of Fame. Presley é apenas um dos grandes roqueiros homenageados lá 
A Country Music é também uma influência fundamental na música do Século 20 e continua a fazer escola — não bastasse ser um dos gametas do Rock’n’Roll. Vida longa pra ela, portanto.

O que começou como uma playlist Country para quem não gosta de Country acabou virando meu testemunho de carinho e respeito pelo estilo que ajudou a formar gente essencial na minha vida, como Elvis Presley, Dylan e aqueles quatro meninos de Liverpool que me acompanham desde que me entendo por gente.

Siga o link para acessar minha playlist Nashville completa, no spotify, ou os links de cada canção (no spotify ou youtube). Divirta-se e inspire-se com minha trilha sonora para Nashville.

2 de janeiro de 2019

O que fazer em Nashville, EUA

A cidade vista da John Seigenthaler Pedestrian Bridge
Nashville vista da Ponte de pedestres John Seigenthaler: no cantinho esquerdo, o começo da Broadway. Ao centro, o finzinho do Riverfront Park
A capital da Country Music foi minha segunda etapa no roteiro musical pelos Estados Unidos. E que surpresa boa! Cheguei sem grandes expectativas para descobrir que tem muito o que fazer em Nashville — e que não é preciso gostar de botas de cowboy e de gente cantando pelo nariz pra curtir muito a cidade.

Alegre, movimentada e respirando música 24 horas por dia, Nashville me ganhou desde a chegada.

Mal deixei a bagagem no hostel e já estava pulando de bar em bar na Lower Broadway, me encharcando de Rock’n’Roll, Rockabilly, Southern Rock e, claro, música Country — que que pode não ser minha praia, mas apreciada no contexto adequado, pode ser bem legal.

Veja onde fiquei: Hospedagem em Nashville - hostel muito confortável e com localização imbatível

Ponte de pedestres John Seigenthaler
Ponte John Seigenthaler é o grande cartão postal de Nashville

Pra começo de conversa, Nashville é bonita e muito bem cuidada.

A orla do Rio Cumberland é pontilhada por parques agradáveis e emoldurada por paisagens bem fotogênicas.

Nashville também tem bons museus e gastronomia interessante.

Mas a alma dessa viagem estava muito mais pra Spotify do que pra Instagram. Meu barato era mesmo ouvir música. E isso Nashville tem de sobra.

 Experimente entrar em qualquer botequinho, daqueles que mal tem letreiro na porta, e você está seriamente arriscada a assistir a um show de primeira.

O Country Music Hall of Fame e uma loja de botas de cowboy na Broadway
O Country Music Hall of Fame e uma loja de botas de cowboy na Broadway
É que Nashville é mesmo uma espécie de “Hollywood da Country Music”, lotada de artistas de todos os cantos dos Estados Unidos — e de além fronteiras — buscando seu lugar ao sol.

Aquela pessoa dedilhando a guitarra em um palquinho mambembe pode ser o próximo Willie Nelson ou a próxima Patsy Cline.

A onipresença da música ao vivo contribui muito para criar uma atmosfera de festa permanente nas áreas turísticas de Nashville. É quase uma micareta, mas no bom sentido 😀. 

Show em um Honky Tonk da Broadway
Um ótimo show que assisti em um honky-tonk da Broadway. O nome da cantora é Shayna Gee e ela arrebenta
Nashville entrou no meu roteiro meio por inércia – já que ia a Nova Orleans e a Memphis, resolvi incluí-la. Tinha bastante desconfiança de sua fama de conservadora, religiosa e provinciana. 

O conservadorismo, realmente, está lá. Nashville se apresenta orgulhosamente como “a fivela do Cinturão Bíblico (Bible Belt)”, região que compreende os estados do Sudeste até o Meio Oeste dos EUA.

Nada disso, porém, interferiu na minha experiência como turista — muito prazerosa, diga-se.

 Mesmo para quem não é tão ligada em música, como eu, Nashville pode ser uma excelente escala em um roteiro pelo Sul dos Estados Unidos.

Veja o que fazer em Nashville e aproveite a capital da Country Music (tem mapa no final do post).

Pra entrar no clima: liga o post e aumenta o som: Trilha sonora para Nashville - playlist pra embalar seus passeios na capital do Country

26 de dezembro de 2018

Restaurantes em Nova Orleans - onde comer e o que comer no berço do Jazz

Pratos típicos de Nova Orleans
Gumbo, blackened fish, po'boy, bread pudding e beignets: comer em Nova Orleans é bom demais
A terra do Jazz também é afinadíssima no quesito panelas e temperos. Sim, come-se divinamente em Nova Orleans, onde as tradições creole, cajun e africana se encontram em uma harmonia tão vibrante e condimentada como a sonoridade que fez a fama da cidade.

Nesse concerto culinário irresistível, os naipes das águas (peixes e frutos do mar) e da terra (carne de porco e frango) se encontram sob a regência de molhos densos e sensuais que fazem nosso paladar sair dançando pelas ruas, como nas second lines de uma parada de Mardi Gras.

A sedução da culinária de Nova Orleans é uma teia requintada à qual vale a pena se entregar. Veja essas dicas de restaurantes em Nova Orleans e alguns pratos que você não pode deixar de provar:

18 de dezembro de 2018

Dicas de Nova Orleans - informações práticas para seu planejamento de viagem

Jackson Square
Jackson Square, o centro da Nova Orleans colonial
É muito fácil se apaixonar por Nova Orleans. A cidade, que ganhou o apelido de The Big Easy (algo como “o grande relax”), retribui na mesma intensidade. NOla é cordial, acolhedora e fácil de decifrar.

Informações práticas, porém, nunca são demais. Por isso, organizei essas dicas de Nova Orleans pra facilitar ainda mais seu encontro com a cidade e seu planejamento de viagem.

Arquitetura de Nova Orleans
As famosas galerias do French Quarter
Aquelas perguntinhas básicas estão respondidas aqui neste post — como é a segurança? E os preços? Qual a melhor região para hospedagem em Nova Orleans? Como é o clima e o que eu levo na mala?

As informações sobre transporte em Nova Orleans  — como chegar, como ir do aeroporto ao centro e como circular pela cidade — estão no post anterior.

Com essas dicas de Nova Orleans, aposto que sua viagem vai ser um big easy em The Big Easy. Se jogue, porque a cidade é uma maravilha!