2 de março de 2021

Todas as dicas dos Estados Unidos - post índice

French Quarter, Nova Orleans, Estados Unidos
A deliciosa Nova Orleans, que visitei em um roteiro musical pelos EUA, em 2018

O cinema de Hollywood, o charme de Nova York, o Jazz, o Blues e o Rock'n'Roll estão no topo da minha lista de paixões. Foram eles que me levaram pela mão em quase uma dezena de viagens aos Estados Unidos — a primeira delas em 1972, para ver a recém-inaugurada Disneyworld, em Orlando.

Neste post, você vai encontrar todas as dicas dos Estados Unidos publicadas aqui na Fragata. Grande parte do conteúdo refere-se a duas viagens recentes (de 2018): meu retorno a Nova York e o roteiro musical por Nova Orleans, Nashville e Memphis.

Arquitetura art-déco em Miami Beach, Estados Unidos
Sou fã da arquitetura art-déco de Miami Beach


São dicas bem detalhadas sobre onde comer, o que fazer, onde se hospedar e como se virar nessas cidades imperdíveis.

Tem também as dicas sobre o que fazer em um dia em Miami — cidade que revisitei brevemente em uma conexão da viagem ao México.

Espero que você aproveite as dicas dos Estado Unidos para organizar sua viagem.

25 de fevereiro de 2021

Hagar Qim e Mnajdra, templos megalíticos de Malta mais antigos que as pirâmides do Egito

Templo de Hagar Qim, Malta
Portal principal do Templo de Hagar Qim: vale muito a pena cabular algumas horas de praia pra ver essa maravilha maltesa


Hagar Qim e Mnajdra são dois templos megalíticos de Malta que podem olhar para as pirâmides do Egito e para Stonehenge, na Inglaterra, como a gente olha para primos caçulas que ainda não tiraram as rodinhas de apoio da bicicleta.

São quase 6 mil anos de idade e muita beleza feita de imensos blocos de pedra — o maior deles pesa 57 toneladas —, atestado do engenho construtivo dos povos ancestrais de Malta.

Monólito de 57 toneladas no templo megalítico de Hagar Qim, Malta
Monólito de 57 toneladas no Templo de Hagar Qim, o maior já encontrado em Malta

Templo megalítico de Mnajdra, Malta
Templo de Mnajdra

Cerca de 600 metros separam os templos de Hagar Qim e Mnajdra. O complexo arqueológico fica na Costa Sul da Ilha de Malta, a cerca de 2 km da vila de Qrendi.

É bem fácil organizar a visita: dá pra ir de transporte público, partindo de cidades como Valeta ou Sliema, ou com o ônibus hop on - hop off, combinando o passeio com outras atrações, como a Golden Bay e a vila de Marsaxxlok.

Parque Arqueológico de Hagar Qim, Malta
O Parque Arqueológico de Hagar Qim é bem organizado para as visitas turísticas

O Parque Arqueológico de Hagar Qim e Mnajdra é bem preparado para receber turistas, tem um centro de informações bacaninha e todo o percurso é sinalizado, com placas explicativas, pra a gente entender o que está vendo.

OK, Malta é mesmo um convite irrecusável ao hedonismo. A tentação de submergir no triângulo praias-farras-comilança é imensa. Mas recomendo que você reserve parte do seu tempo para explorar esses dois tesouros pré-históricos do país. Você vai ver que vale muito a pena.

Veja as dicas para visitar os templos megalíticos de Malta:

9 de fevereiro de 2021

O que comer e onde comer em Malta

Pratos típicos de Malta
Ensopado de coelho, pasta com frutos do mar, peixe lampuki... Comer em Malta é uma farra

Quando eu penso nas lindas paisagens, no mar irresistível e na história movimentada e empolgante de Malta, já me vem o adjetivo “delicioso” à cabeça. Mas esta palavra inunda mesmo os meus sentidos é quando eu penso na culinária maltesa.

Comer em Malta é um enorme prazer — tão grande que o país nem precisava ter todas aquelas outras delícias que eu listei no parágrafo anterior para ser um baita destino de viagem.

Como todo pedacinho de Mediterrâneo, Malta é um vasto e colorido mosaico de civilizações —contando as que dominaram efetivamente o arquipélago e as muitas outras que tentaram tirar uma casquinha de sua privilegiadíssima posição estratégica entre Oriente, Ocidente e África. 

Doces típicos de Malta no mercado de Marsaxlokk
Doces típicos de Malta no mercado de Marsaxlokk

Conquistadores dificilmente estão preocupados com as consequências culinárias e culturais que traçam ao longo de suas marchas, mas é inevitável que um rastro de temperos e aromas fique pelo caminho das tropas.

Em Malta, o resultado desse movimento é uma fusão de sotaques culinários que lembram a Grécia, a Sicília, o Oriente Médio e até os britânicos — que jamais serão acusados de inventividade na cozinha. Carne de coelho, pastizzi, frutos do mar (com destaque para o peixe lampuki) e as mil formas de rechear o pão ftira são algumas das estrelas do cardápio maltês.

Durante uma adorável semana, comi muito bem em Malta. Veja as dicas de pratos e alguns restaurantes que testei e aprovei:

 

17 de setembro de 2020

Dicas práticas de Malta – como organizar sua viagem

Barco típico de Malta no porto de Marsaxlokk e uma rua de Valeta
Malta é bonita até os mínimos detalhes. Nas fotos, um luzzu, barco pesqueiro típico do país, e uma rua do Centro Histórico de Valeta

Um destino de viagem com belezas até dizer chega, preços moderados, clima convidativo e muita, muita história. Malta é um espetáculo que está entrando cada vez mais na rota dos brasileiros. E esse país pequeno em território e gigante em atrações merece mesmo nossa atenção.

Destino popular entre os intercambistas que querem aprender inglês, Malta também tem todo o combo para férias perfeitas. Tem paisagens hipnóticas, mais de 7 mil anos de história e praias de sonho. Uma Grécia compacta, que fala maltês e inglês e escreve no alfabeto latino.

Balcão típico de Malta em Victoria, na Ilha de Gozo
Os balcões são uma característica da arquitetura de Malta. Este foi clicado em Victoria, na Ilha de Gozo

Passei uma semana inesquecível em Malta, nas últimas férias e recomendo entusiasticamente que você experimente essa delícia de destino.

Neste post, listei as dicas práticas de Malta pra você organizar sua viagem. Tem informações sobre como chegar, documentos necessários para entrar no país, como circular pelas inúmeras atrações e cidades, segurança, clima, melhor época para visitar e preços. O basicão pra você começar a sonhar e planejar.

Uma coisa eu garanto: você vai amar Malta. Veja as dicas:

10 de setembro de 2020

Transporte em Malta — ah, como é fácil!

Lagoa Azul, Malta
O transporte público leva o viajante a todos os cantos de Malta, como a deliciosa Lagoa Azul, na Ilha de Comino

Ah, se fosse sempre tão descomplicado explorar um paraíso. Facilidade nos deslocamentos é um conforto que eu amo encontrar em viagens — e na vida. O transporte em Malta até me deixou meio mimada.

É verdade que o país é pequeno, o que já facilita muito expandir o raio dos passeios. Mas o transporte público maltês leva o viajante a todos os cantinhos que o coração pedir — e não são poucas as atrações de Malta que merecem atenção. 

Malta: Mdina e Marsaxlokk
Belezas como Mdina, primeira capital de Malta (esq) e a fofíssima cidade pesqueira de Marsaxlokk estão na rota regular do transporte público do país

Em sete dias nessa delícia mediterrânea, usei e abusei do bom transporte em Malta para ir muito além da bela capital, Valeta, e da agradabilíssima Sliema, onde me hospedei. Fiz todos os passeios usando os ônibus comuns, partilhados por turistas e malteses.

De ônibus, cheguei à belíssima cidade de Mdina, fundada pelos fenícios, explorei Victoria e a Cittadella, na Ilha de Gozo, cheguei ao Porto de Ċirkewwa para pegar a lanchinha para a Lagoa Azul...

Muralhas da Cittadella, na Ilha de Gozo
Muralhas da Cittadella, na Ilha de Gozo

O serviço de transporte em Malta é pontual, confortável e barato. Um super aliado na hora de ver as belezas de um país apaixonante.

Veja minhas dicas pra virar Malta do avesso usando transporte público:

7 de setembro de 2020

Hospedagem em Malta - Sliema

Sliema, Malta
Sliema vista da minha varanda, no 19º andar do hotel, em Tigné Point

Quando o assunto é hospedagem em Malta, Sliema desponta como a opção mais atraente. A cidade ocupa a ponta de terra que está imediatamente ao Norte da capital, Valeta, tem algumas das praias mais movimentadas da ilha e reúne uma vasta gama de opções em hotéis, restaurantes, comércio e vida noturna.

Apontada como a cidade mais “cosmopolita” de Malta — ao lado de sua vizinha Saint Julian's —, Sliema mistura bem suas porções de balneário turístico e área residencial. Além disso, a cidade é muito bem servida pelo transporte público, o que facilita bastante os passeios pelas diversas atrações do país.

Centro Histórico de Valeta visto de Tigné Point, Sliema, Malta
A Promenade de Sliema tem cada vista de deixar a gente boba

É, eu disse país, mesmo. É que Malta é tão pequenininha que suas cidades parecem bairros de uma cidade de porte médio. Tem um território de 316 km² no total. A Ilha de Malta, a maior do arquipélago, tem 276 km². Para dar uma ideia: o Distrito Federal, menor das unidades federativas brasileiras, tem 5.780 km².

Quem se hospeda em Sliema, portanto, tem a comodidade de chegar a praticamente todo canto usando o bom sistema de ônibus e ferries de Malta.

Praia de Tigné Point, Sliema, Malta
Minha praia em Malta: era só atravessar a rua e tchibum no mar

Eu passei sete maravilhosos dias em Malta hospedada em Tigné Point, a pontinha da península de Sliema, e super aprovei a minha escolha.

Meu hotel, o The Seafront Tower Suites fica de cara para a melhor praia do pedaço — era só atravessar a rua e tchibum no mar — com uma vista espetacular para o porto turístico e o azul das águas maltesas.

Veja as dicas para escolher seu alojamento na deliciosa Malta:

18 de agosto de 2020

O dia que eu falei mal de Elvis Presley

Discos de Elvis Presley
Houve um tempo em que eu não gostava de Elvis — azar o meu

Ah os arroubos juvenis... Eu mal tinha acabado de escutar o Never Mind the Bollocks, em uma tarde do longínquo 1975, e já estava possuída pelo pelo espírito de Francis Fukuyama (antes de Fukuyama, por sinal). Decretei o fim da história.

"O Rock parou aqui", sentenciou a Eu-aos-14-aninhos, convicta de que nada mais suplantaria o viço transgressor, visceral e inovador contido no álbum da banda punk Sex Pistols. Se você está rindo da minha prepotência, ainda não viu nada: muito pior foi o dia que eu falei mal de Elvis Presley.

Disco Never Mind the Bollocks, dos Sex Pistols
Juventude é um perigo: eu escutei os Pistols e já saí decretando o fim da História do Rock 😁

Sim, porque a profecia adolescente ficou no ouvido de duas ou três testemunhas. Mas meu ataque a Elvis foi público, impresso em um jornal de respeitável tiragem, texto de página inteira na capa de uma caderno B que todo mundo lia (todo mundo em Salvador, pelo menos). E eu já estava mais crescidinha, tinha 26 anos.

Pra piorar, falei mal de The Pelvis na véspera da data em que ele completava 10 anos de morto (16 de agosto de 1987). E foi na véspera porque, na época, a Tribuna da Bahia não circulava aos domingos.

Meu texto (que eu transcrevo na íntegra, mais abaixo) provocou um deus nos acuda. O telefone da redação da Tribuna não parava de tocar — nunca imaginei que o fã clube de Elvis fosse tão grande na Bahia.

Tag de mala com Elvis Presley
Hoje, Elvis até viaja comigo

Era gente me xingando de tudo que é nome, alguns ameaçando me dar um corretivo. Teve até ameaça de morte — naquele tempo, achei pitoresco. Fosse no Brasil de hoje, ia ficar verdadeiramente preocupada.

O fuzuê durou uma semana — tempo pelo qual fui orientada pela chefia da redação a entrar no jornal pela rua de trás, pela porta da gráfica, para evitar o piquete. Sim, teve piquete de protesto. Magrinho, mas teve.

O que demorou muito mais foi meu desencontro com Elvis Presley. Eu ainda ia levar mais de uma década pra enxergar o artista (e que gigantesco artista!) que a soberba dos meus 26 anos sequer intuía. Com todas as contradições que eu cito no artigo, Elvis entrou pra o meu panteão — e John Lennon, fã de carteirinha de The Pelvis, teve uma participação fundamental na minha conversão.

Estátua de Elvis Presley em Memphis
Estátua de Elvis em uma esquina da legendária Beale Street, a rua do Blues, em Memphis

Mas pra alguma coisa a passagem do tempo tem que servir, né? Hoje, eu puxo as minhas orelhas pela petulância juvenil e cumpro a deliciosa penitência de ouvir, cantar e dançar com Elvis.

Em novembro de 2018, tive a imensa alegria de visitar Memphis, uma baita cidade, que pode bater no peito e se orgulhar de ser o lar do Blues e o berço do Rock'n'Roll. Memphis também é a terra adotiva de Elvis (nascido em Tupelo, Mississípi, em 8 de janeiro de 1935), a quem prestei as devidas homenagens.

Elvis Presley


Que bom que eu consegui descobrir Elvis Presley em uma encruzilhada desse meu caminho pela vida.

Aproveitando que a Fragata está no estaleiro por conta da pandemia, resolvi compartilhar essa história e o texto sacrílego que escrevi em 1987.

A morte de Elvis completou 43 anos há dois dias (16/08/2020).

2 de março de 2020

Roteiro em Malta - 7 dias


Valeta, capital de Malta, vista do mar
Valeta, a capital construída pelos Cruzados, a orla de Sliema, onde me hospedei, e os barquinhos no porto de Marsaxlokk. É impressionante como cabe beleza em um país tão pequeno como Malta

Porto de Marsaxlokk e a orla de Sliema, em Malta


Nas minhas últimas férias, passei uma deliciosa semana em Malta, país/arquipélago banhado pelas águas do Sul do Mediterrâneo.

O país até pode ser pequenininho — apenas 316 km², somadas as ilhas de Malta, Gozo e Comino, que são habitadas, e mais cerca de 18 ilhotas do arquipélago maltês. Mas um roteiro em Malta será sempre muito movimentado, pela diversidade de atrações.

Centro Histórico de Valeta, capital de Malta
Reserve um tempo para se perder pelas ruas de Valeta. A capital de Malta é linda

Situada a 93 km da Costa da África e a pouco mais de 100 km ao Sul da Sicília, Malta é um privilegiado destino de praia: em pleno outubro, quando a maior parte da Europa já estava tirando os casacos do armário, eu me esbaldei no banho de mar em suas águas deliciosas, como as da famosíssima Lagoa Azul.

A tentação de limitar meu roteiro em Malta à preguiça a beira-mar foi grande, mas teria sido um sacrilégio ignorar os outros encantos do país, que tem muita história, paisagens deslumbrantes e uma gastronomia tremendamente sedutora.

Lagoa Azul, Malta (Ilha de Comino)
Em pleno outubro, quando a maior parte da Europa já estava tirando os casacos do armário, eu estava mergulhando na Lagoa Azul de Malta

Veja como ficou o meu roteiro de sete dias em Malta: