2 de janeiro de 2011

Montevidéu - Feira de Tristán Narvaja, o Bazar "del Oriente"

Banca de livros usados na Feira de Tristan Narvajas, Montevidéu, Uruguai
Banca de livros usados 
em frente à sede do MLN-Tupamaros

Esqueça a Benedito Calixto, Waterlooplein e a Feira de San Telmo. Para garimpar antiguidades e quinquilharias divertidas, o paraíso é a Feira de Tristán Narvaja, realizada todos os domingos, a partir das 9 da manhã, no Centro de Montevidéu.

Entre legumes, verduras, animais vivos e roupas populares, livros usados, discos e objetos antigos são vendidos sobre uma sucessão de tabuleiros, a preços inacreditáveis.

Um autêntico Bazar del Oriente  —  da República Oriental de Uruguay, bem entendido.

Animais à venda na Feira de Tristan Narvajas, em Montevidéu, Uruguai
Na Feira de Tristán Narvaja se vende até gato por lebre...
A Feira de Tristán Narvaja é um programa divertidíssimo. Vale a pena organizar seu roteiro no Uruguai para estar em Montevidéu num domingo e dar um pulo neste mercado de pulgas super autêntico.

Muito mais do que compras, você vai se esbaldar observando os frequentadores e vendedores. Veja o que você vai encontrar na Feira de Tristán Narvaja:



Feira de Tristán Narvaja, mercado de pulgas em Montevidéu, Uruguai
Livros, hortaliças, antiguidades: tem de tudo na Feira de Tristán Narvaja

Montevidéu - Feira de Tristán Narvaja

A muvuca, o calor (no verão, claro) e a quantidade de ofertas da Feira de Tristán Narvaja deixam qualquer um tonto — taças de cristal Bacarat pelo equivalente a R$ 20 mexem mesmo com o equilíbrio da gente.

Porcelana, prataria, cristais e boas peças de vestuário precisam ser peneirados no meio da bugiganga, com destaque especial para os recuerdos da vitória uruguaia na Copa de 1950. Fiquei tentada, mas não sou tão masoquista...

Cartazes à venda na Feira de Tristán Narvaja, Montevidéu, Uruguai
Pepe Mujica, Chê, Fidel, Tabaré e a Seleção campeã do mundo de 1950

Carros antigos na Feira de Tristán Narvaja, Montevidéu, Uruguai
As mercadorias da Feira de Tristán Narvaja chegam em caminhões que combinam direitinho com as bancas de antiquários 😊

Depois de meia hora olhando os tabuleiros, a vista fica saturada: o amontoado de pequenas tentações começa a dar uma certa angústia.

E é aí que a gente descobre o melhor da feira: observar os montevideanos atracados às suas garrafas térmicas e cuias de chimarrão, comprando hortaliças, papeando com os vizinhos e cuidando da vida cotidiana.

Feira de Tristán Narvaja, Montevidéu, Uruguai

Feira de Tristán Narvaja, Montevidéu, Uruguai


A feira começa na esquina da Calle Tristán Narvaja com a Avenida 18 de Julio.

O melhor trecho para ver antiguidades são as cercanias da Calle Paysandu, onde há bons antiquários, livrarias e sebos concorrendo com as ofertas dos tabuleiros.

É neste trecho, também, que uma série de botecos — lotados — permitem uma pausa para molhar a garganta e descansar os pés.

Barraca de livros usados na Feira de Tristán Narvaja, Montevidéu, Uruguai
O estoque de livros parece infinito na Feira de Tristán Narvaja

Em dias de semana, a Calle Tristán Narvaja, no Barrio Cordón, já pode render um passeio interessante, pela concentração de livrarias e antiquários funcionando por lá. Mas é aos domingos que ela se transforma na atração que mais curti em Montevidéu, pulsando no seu imenso mercado de rua.

Quando chamo de Bazar del Oriente, não estou apenas brincando com as palavras. Este autêntico souk montevideano tem a mesma vibe. A muvuca começa cedinho. Cheguei lá um pouco depois das 10h da manhã e a coisa já estava fervendo.

Feira de Tristán Narvaja, Montevidéu, Uruguai

Feira de Tristán Narvaja, Montevidéu, Uruguai

A tradição da Feira de Tristán Narvaja é antiga, iniciada em 1909. Sua origem é um mercado de rua iniciado por camponeses que, aos domingos, traziam sua produção para vender no Centro de Montevidéu, na Praça da Independência.

Talvez para não tumultuar um endereço tão (à época) aristocrático, as autoridades foram tangendo a feira para o coração do Barrio Cordón, onde ela fincou raízes e vicejou até ganhar as dimensões — e a diversidade — que tem hoje.

Feira de Tristán Narvaja, Montevidéu, Uruguai

O Barrio Cordón, onde se realiza a Feira de Tristán Narvaja, tem tradição boêmia. Também é sede da Universidade da República (instituição pública) e diversas faculdades e institutos (a Escola Nacional de Belas Artes, por exemplo), o que torna o bairro um centro de atividades culturais e movimentação política.

Essa atmosfera, claro, também está muito presente na feira, seja no repertório das bancas de livros usados, seja no perfil de muitos de seus frequentadores.
Eu me diverti muito e me senti muito em casa na Feira de Trsitán Narvaja.

Feira de Tristán Narvaja, Montevidéu, Uruguai

Não caí matando nas compras para não estorvar o resto da viagem com bagagem frágil. Mas juro que, da próxima vez, desembarcarei em Montevidéu com um rolo imenso de plástico-bolha na mala.

Curte feiras e mercados? Dá uma olhada no monte de lugares legais mundo afora já comentados na Fragata: 



Mais sobre Montevidéu
Atrações


O Uruguai na Fragata Surprise
Colónia del Sacramento
Punta del Este


Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter | Instagram | Facebook

2 comentários:

  1. Oi, Cyntia!
    Queria saber se andar pelo Uruguai sozinha tudo bem.
    É seguro, lá?
    Obrigada por qq informação nesse sentido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Uruguai é um pais bastante seguro, segundo todas as estatísticas. Acredito que se você tomar aqueles cuidadinhos básicos (não der bobeira com seus pertences, evitar ruas desertas à noite, etc), vai correr tudo bem. A taxa de criminalidade de Montevidéu é a mais baixa entre as grandes cidades sul-americanas, mas evite a região do Porto e do Mercado à noite.

      Excluir