8 de abril de 2018

12 horas no Panamá – como aproveitar a conexão

O casco Antiguo do Panamá está lindo,
 com a florada dos ipês
Seis meses depois de um stopover de três dias (bem redondinho), lá estava eu, em nova conexão na Cidade do Panamá. Desta vez, a parada foi de 12 horas, na rota entre Brasília e Nova York, onde passei os feriados de Páscoa.

Os passeios clássicos — visitas ao Canal do Panamá, ao Casco Antiguo (Centro Histórico) e a Panamá Viejo — eu já tinha feito em setembro, quando fiz conexão na cidade, a caminho da Guatemala.

Mas é claro que eu não ia perder a oportunidade de dar mais uma voltinha pela Cidade do Panamá. Essas novas 12 horas me permitiram ver ângulos diferentes da capital panamenha e valeu muito a pena sair do aeroporto para aproveitar o tempo.

A Cidade do Panamá vista da Calçada de Amador
Com base nessa nova experiência e nos passeios que fiz em setembro, montei um roteirinho que você pode aproveitar em uma conexão no Panamá. Afinal, como hub da Copa Airlines, a cidade está entrando cada vez mais na rota dos brasileiros a caminho de diversos destinos nas Américas. 

Também organizei as informações práticas (quando vale a pena sair do aeroporto, a documentação necessária para passar pela Imigração, onde deixar a bagagem de mão...). Dá uma olhada nas dicas e programe-se 😊.

Leia também: Panamá - dicas práticas

A saída do Aeroporto de Tocumen
O Aeroporto de Tocumen está a cerca de 20 km da Cidade do Panamá. Apesar da via expressa que o liga à capital (o Corredor Sur), esse é um trajeto que pode durar cerca de uma hora, dependendo do trânsito.

Pra evitar sustos, procure estar de volta ao aeroporto duas horas antes do seu voo.

Quando vale a pena sair do aeroporto do Panamá
Se sua parada no Panamá for curta, não recomendo que você a saia do aeroporto. O trânsito da capital é verdadeiramente insano e não vale arriscar o estresse de um engarrafamento na hora de retornar para pegar o próximo voo.

Pouco depois da sete da manhã, o trânsito já estava bem pesado
Se seu intervalo entre voos for de até seis horas, é melhor ficar no aeroporto, mesmo. Não tem muito conforto nem grandes atrações no Aeroporto de Tocumen, mas dá para dar uma olhada nas lojas do free shop e ler um livrinho, matando o tempo.

O aeroporto oferece apenas 30 minutos de WiFi gratuito aos passageiros. A partir daí, é preciso pagar para ter conexão com a internet (um pacote de 4 horas custa US$ 10). Se quiser comprar um chip internacional (válido para o Panamá e para o país que seja seu destino final nas Américas), os pacotes começam em US$ 60.

O Canal do Panamá visto da Ponte das Américas
Se o seu tempo for curto
Caso você faça muita questão de sair do terminal, mesmo com um intervalo curto entre voos, uma alternativa é ir dar uma volta no Metromall Panama, um shopping que está a 8 km do Aeroporto de Tocumen, um trajeto de cerca de 30 minutos. Era o que eu pretendia fazer na volta de Nova York, quando tive uma conexão de quase 9h horas por lá.

O Metromall oferece transporte gratuito de ida e volta, em vans que partem da área de desembarque, no térreo do aeroporto (no canto esquerdo de quem sai do portão). Em dias de semana, as partidas são prometidas para cada 30 minutos (mas pode atrasar um pouquinho). O serviço funciona das 10h às 17 horas (a partir das 11h aos domingos).

Aeroporto de Tocumen
Segundo depoimentos de quem já esteve no Metromall, ele não chega a ser assim uma Brastemp, mas dá para garimpar umas comprinhas a bons preços em lojas de marcas famosas e almoçar na praça de alimentação.

Só saiba que o shopping abre às 10h da manhã, de segunda a sábado, e às 11h, no domingo. Como a maioria dos voos que chegam do Brasil pousam cedinho, por volta das 6h da manhã, essa alternativa pode não funcionar. Foi meu caso: cheguei de Nova York às 6:40h e meu voo para Brasília partia às 15:40h. Achei que não valeria a pena sair do aeroporto às 10h para começar a me preocupar com a volta lá pelo meio-dia.

Ruas seguras e bem cuidadas e lojinhas bacanas no Casco Antiguo do Panamá
Documentos necessários para sair do aeroporto do Panamá
Para passar pela Imigração panamenha, você terá que apresentar o passaporte e o Certificado Internacional de Vacinação, comprovando que está imunizada contra febre amarela. Tenha em mãos, também, o cartão de embarque para o próximo voo, caso seja solicitado.

Também é preciso reencher um formulário para ser apresentado à Aduana, onde sua bagagem de mão será examinada em um scanner (sempre tem uma filazinha).


Onde deixar a bagagem de mão
O Aeroporto de Tocumen oferece serviço de guarda-volumes, administrado por uma cooperativa de trabalhadores aeroportuários. Fica em uma sala logo à direita de quem sai do portão de desembarque (procure a placa Baggage Storage_Consignee).

Para guardar uma mala ou mochila, o preço é de US$ 5, para períodos de até 24 horas.

As muralhas do Casco Antiguo
O que fazer em uma conexão no Panamá

Canal do Panamá
O passeio mais procurado por quem tem um tempinho entre voos no Panamá é a visita ao Canal, nas Eclusas de Miraflores. Elas estão a 33 km do Aeroporto de Tocumen e, como a maioria dos voos chega cedinho, dá para fazer esse percurso em cerca de 40 minutos, se você sair antes dos grandes engarrafamentos.

Para chegar lá com o uber, o custo vai ficar entre US$ 20 e US$ 25.

A Ponte das Américas sobre o Canal do Panamá
As Eclusas de Miraflores são a parte do canal onde está a infraestrutura turística, com centro de visitantes, mirante, museu, restaurantes e lanchonetes. A entrada para estrangeiros custa US$ 15.

Estive nas eclusas em setembro do ano passado, quando fiz stopover na Cidade do Panamá e gostei muito do passeio. Saí direto do aeroporto para lá, no tour que contratei na agência Guia Panamá, do brasileiro Roque Freitas.

Veja os detalhes da visita neste post
Canal do Panamá: o que você precisa saber antes de ir


Marina na Calçada de Amador

Calçada de Amador
Esse quebra-mar construído para estabilizar o movimento das ondas na entrada do Canal do Panamá ganhou urbanização e virou uma área de lazer bem simpática, com ciclovia e pista de caminhada. A área também conta com restaurantes, marina, hotéis e um shopping duty-free.

O que acho mais bacana na Calçada de Amador (Calzada, em espanhol) é a vista para a moderna cidade do Panamá, com seus arranha-céus vertiginosos em contraste com o mar.

A Calçada de Amador é um quebra-mar que virou área de lazer

Uma passada por lá combina bastante com a visita às eclusas—e se você contratar um tour, pode contar com uma parada na área. A Calçada está a 33 km do aeroporto.

A atração que mais me interessa na Calzada de Amador é o Biomuseu — ainda não consegui visitar. Na primeira vez, não deu tempo. Nesta passagem de agora, porque o museu não abre às segundas-feiras, que foi quando fiz conexão em Tocumen, na ida e na volta.

O melhor da Calçada de Amador é a vista para o mar
Além de ter sempre exposições temporárias muito elogiadas, o Biomuseu narra, de forma interativa e interessante, a origem geológica do Istmo do Panamá, uma ponte entre oceanos e as porções norte e sul das Américas, e seu papel na biodiversidade do planeta.

O Biomuseu funciona de terça a sexta, das 10h às 16h, e aos sábados e domingos, das 10h às 17h. A entrada custa US$ 18 para não residentes no país.

Casco Antiguo
O Centro Histórico da Cidade do Panamá ainda está passando por um frenético processo de restauração, mas já é o lugar mais interessante da capital. O antigo bairro de San Felipe é um autêntico catálogo arquitetônico de todos os estilos que estiveram em voga desde o início da ocupação da área, no final do Século 18.

O ecletismo arquitetônico é uma marca do Casco Antiguo

A Praça da Catedral, no Casco Antiguo
Do colonial ao neoclássico, do art-déco ao eclético, tem de tudo margeando as ruas estreitas e bem cuidadas onde hotéis de charme, restaurantes descolados e boas lojas de artesanato convidam a um bom passeio.

Para chegar ao Casco Antiguo de uber, desde o aeroporto, você deve gastar cerca de US$ 15. A distância é de 26 km do Aeroporto de Tocumen. Esse passeio também pode ser incluído no roteiro oferecido pelas agências.

Para saber mais:
Panamá: o que ver no Casco Antiguo (Centro Histórico)


Panamá Viejo
Panamá Viejo
Esse foi outro passeio que amei fazer — e só deu certo porque meu voo overbucou e eu passei um dia extra na Cidade do Panamá, voltando da Guatemala.

Panamá Viejo é a primeira Cidade do Panamá, a povoação espanhola pioneira na Costa do Pacífico, fundada em 1519. O lugar foi abandonado na segunda metade do Século 17, após um devastador ataque do pirata inglês Henry Morgan—a capital foi transferida para o atual Casco Antiguo, onde uma barreira de recifes facilitava a defesa contra invasões.

As ruínas de Panamá Viejo estão bem preservadas e podem ser percorridas a bordo de um trenzinho. Não deixe de visitar o bom museu Museu da Plaza Mayor e, se o calor deixar, suba ao Mirante da Catedral.

O sítio arqueológico está a 18 km do Aeroporto de Tocumen (a corrida de uber fica em cerca de US$ 8). Está aberto a visitação de terça a domingo, das 8:30h às 16:30h. Estrangeiros pagam US$ 15 pelo ingresso.

Para saber mais:
Panamá Viejo: um passeio pela história colonial das Américas


Ponte das Américas
Como foi meu passeio no Panamá
Nesta parada mais recente no Panamá, voltei a contratar os serviços da agência Guia Panamá. Como eu já tinha estado nas Eclusas de Miraflores, Roque montou um roteirinho alternativo para o meu passeio.

Fui ver o Canal do Panamá por outros ângulos, cruzando-o pela Ponte das Américas — na extremidade Sudoeste tem um mirante bem bacana —, fazendo uma em uma parada nas Eclusas de Pedro Miguel e retornando pela Ponte Centenário.

O Mirante das Américas (esq) e as Eclusas de Pedro Miguel

O Canal visto do Mirante das Américas
Depois disso, passamos pelo Cerro Ancón, hoje uma reserva ambiental que já foi território americano, quando os EUA controlavam o Canal, seguindo para a Calçada de Amador para ver o mar da Baía do Panamá.

De lá, seguimos pela Cinta Costera 3, uma avenida sobre as águas que contorna o Centro Histórico. Dei umas voltas pelas ruas do Casco Antiguo, que estavam lindas com a florada dos ipês — no Panamá, eles se chamam robles (os brancos, roxos e brancos) e guayacán (o amarelo).

A Ponte Centenário, que liga as duas metades do Panamá cortadas pelo canal

Cinta Costera 3. Ao fundo, à esquerda, o Casco Antiguo
Almocei muito bem no Casco Antiguo, no restaurante Laboratorio Madrigal e depois segui, com tempo e calma, de volta ao aeroporto.

Saiba mais sobre este restaurante e outras dicas de lugares legais onde comer:
Comer no Panamá: 3 dicas de restaurantes

A agência Guia Panamá cobra US$ 120 por um tour de até 8 horas pela cidade, começando e terminando no Aeroporto de Tocumen.

Laboratorio Madrigal: ótimo almoço


O Panamá na Fragata Surprise
Roteiro
Panamá e Guatemala: 2 semanas na América Central
Informações gerais
Panamá - dicas práticas
Comer no Panamá: 3 dicas de restaurantes
Panamá - dicas de hospedagem
Copa Airlines: vale a pena ser voluntária em caso de overbooking?
Passeios
San Blas, o Caribe panamenhoPanamá: o que ver no Casco Antiguo (Centro Histórico)
Panamá Viejo: um passeio pela história colonial das Américas
Canal do Panamá: o que você precisa saber antes de ir

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter    Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário