domingo, 15 de janeiro de 2017

Cataratas do Iguaçu: o lado argentino

O lado argentino das cataratas: de cara para a Garganta do Diabo
Na eterna e estéril disputa que alguns querem estimular entre brasileiros e argentinos, sobra até para as Cataratas do Iguaçu (ou del Iguazú). Qual o lado mais bonito? Onde vale mais a pena ver as colossais quedas d’água? Responder a essas perguntas é absolutamente desnecessário: entre o lado argentino e o lado brasileiro das cataratas, fique com os dois.

O Parque Nacional Iguazú é tão imperdível quanto o nosso. Mas, ao contrário do lado brasileiro — onde a gente vê as cataratas com quase zero de esforço físico —, a porção argentina dessa maravilha é bem mais rústica e exige um pouquinho mais de disposição, especialmente se a visita for feita nos meses de verão, quando o calor em toda a região beira a insanidade.

No lado argentino das cataratas você vai andar mais, suar mais, esperar mais nas filas. E tudo isso vai valer muito a pena.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Cataratas do Iguaçu: a natureza confortável

Um espetáculo sem sacrifícios
Tem trilha, tem cachoeira — tem até mosquito. Mas o turismo ecológico nunca foi tão confortável como no Parque Nacional das Cataratas, em Foz do Iguaçu.

Ficar cara a cara com aquele colosso — e bote colosso nisso — é um deleite que não discrimina idade nem preparo físico. A estrutura do parque é tão bem planejada que dá quase para pensar em “mordomia”, com ônibus que nos deixa na cara do gol, trilha pavimentada e subidas e descidas que não alteram o fôlego nem de fumantes cinquentonas como eu.


Eu sempre desconfio que a dificuldade de acesso e os perrengues do caminho contribuem para aumentar o arrebatamento que a gente sente ao contemplar uma paisagem. Mas as Cataratas são tão espetaculares que a absoluta ausência de sofrimento para chegar até elas não diminui em nada a sua maravilha — nem o fato de vê-las pela terceira vez, como foi o meu caso, no feriadão do Carnaval 2016.

É mais ou menos como ir para o céu sem precisar morrer — muito menos encher o pé de bolhas. Nem o mais preguiçoso se queixa. Veja como foi a minha confortabilíssima aventura por lá.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Ideias para viagens - que venha 2017!
(parte 1 - janeiro a junho)

Ilha de Páscoa: perfeita para fevereiro
2017 chegou com a promessa de mais 30 dias de férias e 10 feriadões — ou nove, se você emendar a folga da Páscoa com o dia de Tiradentes, um break de 10 dias que valem por umas férias. Quem gosta de viajar já está cheio de planos para aproveitar pelo menos algumas dessas datas, desconectar do dia a dia e ver lugares maravilhosos.

Com um bom planejamento, reservas feitas com antecedência e roteiros racionais sempre é possível encontrar uma viagem gostosa e que cabe no orçamento.

Pra ajudar na tarefa, reuni alguns destinos que visitei e amei em um calendário de sugestões, mês a mês, pra você aproveitar ao máximo as possibilidades de 2017. Neste post estão as ideias para o primeiro semestres. No próximo, você vai ver as dicas de julho a dezembro. Tem viagens mais caras, outras que são (comparativamente) uma pechincha.

Leia, inspire-se e siga os links para ver as dicas em detalhes. Feliz 2017, com muitas viagens pra você 😊.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Ideias de viagem - o que fiz de bom de 2016

2016 começou assim...
(Elevador Lacerda, Salvador-Ba)
... e está terminando assim
(Castel Sant'Angelo, Roma)

2016 dificilmente ganhará um concurso de popularidade — eita ano complicado! Mas, como tudo na vida (exceto certos LPs de certos “artistas”), o bichinho até que teve seu lado bom. Viagens, por exemplo. Pra mim, um ano que começa em Salvador e termina em Roma (com show dos Rolling Stones no Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu, Colômbia e Portugal de “recheio”) sempre tem salvação 😎.

Então, pessoal, vamos planejar 2017. Neste post, fiz uma pequena retrospectiva das minhas de 2016 para inspirar seus planos para o Ano Novo. Que sejamos todos muito felizes nessa nova volta em torno do sol!

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Amarante: um lugar para encontrar
o coração de Portugal

Pequena, bonita e sossegada: Amarante vai conquistar seu coração
Bem no meio do caminho entre o Porto e Peso da Régua, a pequenina Amarante é um encanto português que tem tudo pra conquistar seu coração. Com apenas 11 mil habitantes e um centrinho histórico debruçado sobre o Rio Tâmega, a cidade tem o ritmo, a cordialidade e as feições de outros tempos.

Passei quatro sossegados e deliciosos dias em Amarante em junho, para ver sua famosíssima Festa de São Gonçalo, uma tradição que remonta ao Século 13 e faz a pequena cidade ferver de gente, celebrações religiosas e profanas e uma comilança que talvez seja até pecado. Oportunidade única de ver de perto um Portugal castiço, simples e encantador.

A Ponte de São Gonçalo enfeitada para a festa. À direita, uma Pietá na fachada da igreja do padroeiro
Fora do período de festas, Amarante pode ser curtida em um dia de visita — boa opção de bate e volta do Porto, 60 km a Oeste, ou Peso da Régua, que está à mesma distância, na direção Leste.

 Mas se você quiser descansar e mergulhar no gostoso clima rural da região, faça como eu e reserve alguns dias para se hospedar em uma quinta nos arredores da cidade. Eu fiquei na adorável Casa São Faustino de Fridão (que ganhou um post exclusivo, siga o link pra ver) e adorei a temporada.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Belo Horizonte:
hospedagem na Pampulha - Quality Hotel

Quality: um hotel confortável na Pampulha
Recém-inscrita na lista de Patrimônios da Humanidade da Unesco, a Pampulha, em Belo Horizonte, está atraindo cada vez mais congressos e eventos similares, aproveitando a nova leva de hotéis inaugurados ou reformados para a Copa do Mundo de 2014 — o Mineirão, estádio de futebol, também fica lá.

Em minha passagem por BH, no final de novembro, experimentei ficar baseada no bairro, já que o Encontro da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem (RBBV) 2016, motivo da minha visita, foi realizado no Museu de Arte da Pampulha (o antigo cassino) e no Hotel Quality Pampulha, onde também fiquei hospedada.

A Lagoa da Pampulha. Ao fundo, o Iate Clube
A experiência foi boa. O Quality Pampulha é um hotel confortável, muito bem conservado e tem boa estrutura para eventos. Veja os detalhes:

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Florianópolis:
Pra passear e petiscar, melhor não há

Praia dos Ingleses, meu pedacinho de beira-mar em Floripa
Qualquer atividade em Florianópolis, pra mim, está associada a algum tipo de farra gastronômica. A Ilha de Santa Catarina é um paraíso pra quem gosta de frutos do mar e qualquer rolezinho básico acaba em torno de travessas de ostras, camarões, polvos e lulas. Melhor impossível.

Eu fui só tomar banho de mar, mas olha o resultado 😋
(Camarões ao alho e óleo devorados em uma barraca na Paia dos Ingleses)
Além da mesa farta, tem muita coisa legal pra fazer em Florianópolis. Quer praia bonita? Tem. Aldeias bucólicas pé na areia, a poucos quilômetros do centro? O fato de essas coisas legais geralmente desembocarem em algum tipo de comilança é só uma feliz coincidência. Se você gosta de combinar paisagens e sabores, vai adorar Floripa. Bora passear comigo?