Domingão em Bogotá: a feira de Usaquén

Quase trago uma dessas máquinas fotográficas pra casa. A maquininha de costura também...
Se você gosta de garimpar artesanato e quinquilharias divertidas, vai curtir a ferira dominical de Usaquén, uma antiga vila incorporada à metrópole com o crescimento de Bogotá.

O mercado começou a funcionar no início dos anos 2000 e rapidinho entrou para o roteiro de atrações da cidade. São cerca de 120 expositores cadastrados que vendem petiscos colombianos, antiguidades, roupas, artesanato e badulaques em um clima festivo que lembra quermesse, animado por artistas de rua.

Frida Kahlo em Brasília - se ainda faltava motivo pra você visitar a cidade

Frida Kahlo: Autorretrato com Vestido Vermelho e Dourado
Brasília está a mil por hora — e nem estou falando de política. É que, não bastasse a florada ter começado mais cedo este ano, com a exuberância das barrigudas (paineiras), a cidade está recebendo ao mesmo tempo três exposições imperdíveis. A primeira, Frida Kahlo: Conexões entre Mulheres Surrealistas no México, eu fui ver ontem e só posso dizer uma coisa: se você precisava de um motivo para visitar a Capital Federal, já achou. A mostra é linda, imperdível e fica até 5 de junho, o que lhe garante mais de um mês para se programar.

As outras das mostras (que vão ganhar post aqui na Fragata, também) são Mondrian e o Movimento De Stijl, no Centro Cultural Banco do Brasil (até 4 de julho), e A Arte Monumental de Marianne Peretti (autora dos magníficos vitrais da Catedral de Brasília), no Museu Nacional da República (até 5 de junho). Por enquanto, dá só uma olhadinha na exposição de Frida e diga se essa não é uma grande época para vir a Brasília. Ah, e as três exposições têm entrada gratuita, viu?


Onde comer - e o que comer - em Bogotá

Doces típicos bogotanos no bairro de La Candelaria
Arepa, oblea, patacones, ajiaco... Os nomes podem soar estranhos, mas garanto que essas porções de inteligência culinária vão entrar para sua lista de grandes memórias de uma viagem a Bogotá. A culinária colombiana expressa a diversidade do país, com elementos da tradição andina, heranças ibéricas influências africanas (especialmente no litoral caribenho).

Neste post eu listei alguns petiscos e pratos imperdíveis e os restaurantes, bares e cafés que experimentei por lá. Bora viajar nos sabores da Colômbia?

Arte e história: 6 igrejas de Bogotá

Igrejas de Bogotá:
visitas gratuitas e a beleza da arte sacra colonial 
Pra quem gosta de ver obras de arte e peças históricas, visitar igrejas e outros locais de culto é quase tão bom quanto ir a um museu. A devoção, ao longo da história, sempre levou as diversas civilizações a adornar seus espaços religiosos com belezas muito especiais — se você prestar atenção, aliás, vai lembrar que uma parte considerável dos objetos expostos em museus vieram exatamente de igrejas e templos dos mais diversos credos.

Bogotá, a antiga capital do vasto e poderoso Vice-Reino de Nova Granada, não foge à regra observada nas mais importantes coloniais das Américas. A cidade tem um belíssimo acervo de igrejas coloniais que são uma festa para quem gosta de arquitetura, arte e história. Na minha temporadinha colombiana, aproveitei para visitar seis dessas igrejas. Elas ficam bem próximas umas das outras e rendem um ótimo roteiro que você pode fazer a pé.

Dá só uma olhada nessas lindezas e comece a se programar. No final do post, tem um mapinha para ajudar a organizar seu passeio.

Bogotá - hospedagem em Chapinero:
Best Western Plus 93 Park Hotel

Parque La 93, meu simpático vizinho no bairro de Chapinero
Minha visita a Bogotá foi dividida em duas etapas, antes e depois da escapada a Villa de Leyva. Como contei no post anterior, as primeiras três noites na cidade eu fiquei no Centro Histórico, no bairro de La Candelaria, no lindão Hotel de la Ópera. Na volta à capital, porém, eu quis sentir o gostinho da Bogotá moderna. Pra isso, nada melhor do que ficar hospedada no bonito e bem cuidado bairro de Chapinero, na parte Norte da cidade.

Com um pouquinho de pesquisa, escolhi o Best Western Plus 93 Park Hotel (a linha Plus é a categoria intermediária da rede americana, que tem ainda os hotéis básicos e a linha Premier, mais luxuosa). O hotel é muito bem localizado, bonito, novinho em folha e tem um atendimento caloroso e impecável. E o melhor: os preços são tremendamente compensadores. Pra resumir, adorei!

Candelaria ou Chapinero:
Onde é melhor ficar em Bogotá?



Mesinhas da biblioteca volante do Parque de la 93, em Chapinero (esq) e uma fachada de La Candelaria
Uma dúvida que sempre surge na hora de planejar uma visita a Bogotá é na hora de escolher o bairro da hospedagem. É melhor ficar no Centro Histórico, onde está a maioria das atrações, ou na parte moderna da cidade, com seus restaurantes e hotéis bacanas? No post anterior, eu já contei pra vocês que um ponto inegociável pra mim era ficar em La Candelaria, no núcleo antigo. Mas o melhor é que eu pude vivenciar as duas experiências, pois na volta da escapada à Villa de Leyva eu me hospedei em Chapinero, região moderna e elegante.

Gostei muito das duas alternativas. São experiências bem diferentes, cada qual com suas vantagens. Neste post eu conto pra vocês o que achei dessas duas opções de hospedagem em Bogotá.

Bogotá - hospedagem em La Candelaria:
Hotel de la Ópera

A vista do balcão do meu quarto. Bom demais acordar assim
Uma coisa era inegociável nesse meu retorno a Bogotá: a hospedagem seria no bairro histórico da Candelaria. Tinha gostado muito do astral da região, na primeira passagem pela capital colombiana e, além disso, a maioria das atrações que me interessam na cidade ficam por lá. A chance de fazer grande parte dos deslocamentos a pé é sempre tentadora pra mim. Em uma metrópole famosa pelo trânsito enroscado, isso vira item básico de sobrevivência.

Escolhi o Hotel de La Ópera a partir da indicação de uma colega. Ele é o único cinco estrelas da Candelária — pra ser rigorosa, é o único hotel, hotel meeesmo, do bairro. Os demais que aparecem na internet ou não ficam exatamente na Candelária ou são hospedagens mais alternativas.

Fiquei três noites no Ópera e conto o seguinte: se você quer um hotel bonito, confortável, com excelente localização e preços atraentes, acho que vai gostar da minha escolha tanto quanto eu.

Na dúvida sobre o melhor bairro para se hospedar? Leia este post:
Candelaria ou Chapinero: Onde é melhor ficar em Bogotá?

E a minha experiência na parte moderna na cidade está aqui:
Hospedagem em Chapinero: Best Western Plus 93 Park Hotel