terça-feira, 26 de julho de 2016

Onde me hospedei em Portugal

No sentido horário: Aveiro, Lisboa, Porto e Évora, quatro destinos da Fragata em Portugal, agora em junho
Boa notícia: Portugal continua sendo um país barato, por mais que a cotação do euro ande assustando os brasileiros. Na minha viagem mais recente pra lá, agora em junho, deu pra sentir isso em diversos itens e o que mais me chamou a atenção foi a hospedagem.

A diária mais cara que pagamos foi em um ótimo quatro estrelas, reservado de véspera (nós decidimos chegar mais cedo em Lisboa), cujas diárias dos apartamentos duplos custaram  € 108 cada, com café da manhã. Considerando todos os demais hotéis, reservados com antecedência de cerca de 40 dias, a diária mais cara, por cabeça, ficou em  € 40 e a nossa média de gasto com hospedagem por pessoa ficou abaixo dos  €30 ao longo de 20 dias de viagem.

Quer saber por onde andei por lá? Olha o post aqui:
20 dias em Portugal - roteiro de carro

Escolher hospedagem quando viajo sozinha é muito mais fácil: alterno lugares mais simples com opções mais confortáveis, de acordo com o custo de cada cidade, não faço questão de elevador e até curto pousadinhas mais alternativas. Desta vez, porém, viajei com a família (minha mãe, minha sobrinha Carolina, meu sobrinho Bruno e Mila, namorada dele) e, por isso, elevei o padrão de exigência em relação aos hotéis. Ainda assim, o gasto com hospedagem em Portugal ficou mais em conta do que estou acostumada a pagar em outros países da Europa.

Dá uma olhada nos hotéis dessa viagem:

domingo, 24 de julho de 2016

Portugal: Castelo de Montemor-o-Novo

A Torre do Relógio do Castelo de Montemor-o-Novo
Quem resiste a um castelo? Eu sou fã desses senhores com séculos de vida, longo currículo de aventuras e recantos misteriosos. Visitar um castelo é sempre um mergulho na história, com o bônus da paisagem: por razões estratégicas, a maioria deles tem localizações espetaculares, de onde se vê o mundo de cima.

Um desses mirantes fica pertinho de Évora, o Castelo de Montemor-o-Novo, da época da Reconquista cristã (séculos 11 e 12). Lá no alto, pairando sobre a paisagem, suas muralhas oferecem uma vista deslumbrante para os campos ao redor e para a pequena cidade que cresceu a seus pés. Um passeio imperdível para quando você for ao Alentejo, uma região pródiga em castelos.

A paisagem do Alentejo é a grande moldura para as histórias contadas pelo castelo. Essa é a Torre da Má-Hora, de origem moura, por onde teriam entrado as tropas de D. Afonso Henriques para conquistar Montemor

domingo, 17 de julho de 2016

Portugal: o que ver no Mosteiro da Batalha

O Mosteiro da Batalha é o terceiro monumento mais visitado de Portugal
Quando uma construção consegue colocar uma vila de apenas 2 mil habitantes no mapa de viajantes de todos os quadrantes do mundo, a gente já desconfia que ela deve ser mesmo espetacular. Terceiro monumento mais visitado de Portugal, o Mosteiro de Santa Maria da Vitória, ou Mosteiro da Batalha, está a 120 quilômetros de Lisboa e vale cada pedacinho de estrada que você vai percorrer até lá.

Eu visitei o Mosteiro da Batalha na minha passagem mais recente por Portugal, agora em junho, e anotei todas as dicas para facilitar a sua visita a esse lugar lindo, que conta uma episódio fundamental da história portuguesa. Bora até lá comigo?

sábado, 16 de julho de 2016

A fantástica fábrica de pastéis de Belém

Nada tem mais "gosto de Portugal"
A casquinha firme, que se desmancha em mil camadinhas crocantes na mordida, o creminho feito de leite e gemas na consistência exata... Portugal é uma terra de infinitos sabores sedutores, mas nada tem mais gosto de Portugal do que um pastel de nata recém-saído do forno, cheiroso e quentinho. Acho que nem o Velho do Restelo resistiria.

O personagem de Os Lusíadas entrou para a história como a epítome do pessimismo e do mau humor, uma espécie de antepassado humano de Hardy, a Hiena — “Num vai dar certo, Lippy”, lembram?— ao assistir à partida da frota de Vasco da Gama declamando os piores augúrios. Pois é ali mesmo no Restelo (o antigo nome de Belém) que desde 1837 está instalado o templo do pastel de nata, a legendária Fábrica de Pastéis de Belém.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Mosteiro de Alcobaça,
um capítulo da História de Portugal

O Claustro de D. Dinis, no Mosteiro de Alcobaça
Como pode a pedra ser tão leve? O Mosteiro de Alcobaça, a 120 km de Lisboa, parece feito de outra matéria, tal a graça com que pousa sobre a esplanada convertida em praça principal da cidade que cresceu a seu redor. É a combinação exata de delicadeza e imponência.

A primeira vez que eu vi esse mosteiro, com o sol de inverno se esparramando sobre ele, eu quase levitei.

Perto de Lisboa (120 km) e fácil de chegar, o Mosteiro de Alcobaça tem muito mais que beleza para oferecer ao visitante. Ele é uma crônica eloquente — e de deliciosa leitura — de um capítulo decisivo da História de Portugal, a “primeira independência do país”, quando Afonso Henriques decidiu transformar sua herança, o Condado Portucalense, em uma nação independente.

E tem, claro, a memória de uma legendária história de amor, o trágico romance entre o rei Pedro I e Inês de Castro, sepultados na igreja do mosteiro.

Não se engane com os elementos barrocos na fachada da igreja: Mosteiro de Alcobaça é gótico da gema, primeiro exemplar neste estilo construído em Portugal

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Hospedagem em Alcobaça:
Solar Cerca do Mosteiro

A vista do jardim do Solar Cerca do Mosteiro, em Alcobaça, um hotel lindo, confortável e com preços muito pagáveis

Se você curte hotéis bonitos, históricos, românticos e aconchegantes, vai adorar essa dica. O Solar Cerca do Mosteiro, em Alcobaça, tem todas as qualidades para ser uma atração a mais no roteiro e não apenas aquele lugar onde a gente deixa a bagagem e pernoita. Foi lá que passei a minha primeira noite, na recente viagem a Portugal, e super recomendo esse hotel lindinho e com preços muito acessíveis.

sábado, 9 de julho de 2016

De carro em Portugal:
Como organizar sua viagem

Paisagem alentejana nos arredores de Évora: 
de carro é mais fácil explorar cenários como esse
Na primeira vez, eu já tinha ficado fã. Mas, depois de concluir essa segunda road trip pela terrinha, posso atestar com toda convicção: viajar de carro em Portugal é mais do que fácil e seguro. É um prazer, mesmo. Estradas bem conservadas, boa sinalização, distâncias confortáveis, serviços de ótima qualidade...

E, mesmo com os pedágios, onipresentes nas autoestradas, optar pelo carro para rodar o país não vai quebrar seu orçamento.

Em 16 dias com o carro, rodei 1.560 km em Portugal. Trafeguei tanto pelas autoestradas quanto por estradinhas cabeludas, cheias de curvas e sobe e desce. Tirando um trechinho entre Piódão (na Serra do Açor) e Coimbra, não vi buracos no asfalto.

Neste post, organizei todas as dicas práticas que anotei ao longo dessa viagem, pra você poder organizar a sua. Garanto que você vai adorar.