25 de novembro de 2022

Comer e beber em Buenos Aires

restaurante La Carnicería, Buenos Aires
Do hipnótico braseiro de La Carnicería saltam cortes de parrilla que valem a viagem

Comer e beber em Buenos Aires é uma das principais atrações de qualquer viagem à capital argentina. Primeiro, porque a cidade leva a sério sua tradição gastronômica, oferecendo culinárias variadas, parrillas inenarráveis e uma bela mescla entre opções clássicas e contemporâneas.

Segundo, porque o câmbio quase sempre favorável à nossa moeda torna a maioria das aventuras gourmet em Buenos Aires muito mais acessíveis do que as similares em território nacional.

Mercat de Villa Crespo, Buenos Aires
O Mercat de Villa Crespo está cheio de lugares muito interessantes para vários tipos de refeições

A cidade parece ter embarcado de vez na onda dos mercados gastronômicos, como atesta o ótimo Mercat de Villa Crespo, que eu experimentei e amei, e prometem o Patio de los Lecheros (no bairro de Caballito) e o Mercado de los Carruajes (em Retiro).

Cocu Boulangerie, Buenos Aires
Em Palermo Soho, experimente as delicinhas francesas da Cocu Boulangerie e as gostosuras com ares nova-iorquinos da Ninina Bakery (abaixo)

Ninina Bakery, Buenos Aires

As casas de parrilla clássicas ganharam a companhia de casas mais moderninhas, como La Carnicería, em Palermo, onde jantei divinamente. Os bodegóns (equivalentes portenhos às cantinas italianas) continuam em plena vitalidade, que o digam as empanadas de El Sanjuanino (Posadas nº 1515, Recoleta) e o locro que me fez levitar em La Aguada.

Se a tradição vai bem, a contemporaneidade também está animada, como provam a Cocu Boulangerie e a Ninina Bakery, em Palermo Soho, e o Café Farinelli, em Retiro.

El Sanjuanino Buenos Aires
El Sanjuanino é uma espécie de catedral da empanada em Buenos Aires

Só é importante um alerta: sem pesquisa e em seguir as referências de outros viajantes, talvez eu não tivesse tantas boas histórias para contar sobre comer e beber em Buenos Aires. A cidade, assim como São Paulo, já teve fama de ser um lugar onde seria impossível comer mal, mas isso é lenda. 

Felizmente, a oferta gastronômica portenha continua vasta e cheia de lugares legais. O saldo da minha semana na cidade, agora em setembro/22 foi muito favorável. Comi e bebi muito bem em Buenos Aires e trouxe as dicas pra você. Veja os lugares que experimentei e aprovei:

 

Onde comer e beber em Buenos Aires


Restaurante La Aguada, Buenos Aires
Diego de la gente certamente aprovaria a cozinha criolla de La Aguada

⭐La Aguada
Billinghurst nº 1862, Palermo (entre Avenida Santa Fé e Arenales)

🕒 Diariamente, almoço das 11h às 16h. Jantar das 19h à meia-noite.

Peço licença à parrilla pra proclamar: a melhor refeição que fiz em Buenos Aires resultou da alquimia de feijão branco, milho, carnes salgadas e uns leguminhos. Sim, a alentada tigela de locro fumegante de La Aguada esquentou minha alma e encantou meu paladar.

Locro, prato típico da Argentina
Locro é um espetáculo. É prato obrigatório nas celebrações familiares do 25 de Maio, a primeira Independência da Argentina

La Aguada é um restaurante caseirão, onde as lembranças de Maradona fazem companhia a velhas máquinas de escrever, rádios e outros adereços nostálgicos na decoração — o craque, que gostava de ser chamado de Diego de la gente (Diego do povo), certamente se sentiria em casa com o clima e a cozinha do lugar. 

O restaurante fica em uma travessa da Avenida Santa Fé, a menos de 300 metros da Estação Bulnes do metrô (Linha D), o que praticamente deixa você sem desculpas para deixá-lo fora de seu roteiro.

Empanada argentina
Olha só a carinha apetitosa desta empanada. Abaixo, zapallos en almíbar, ou abóbora em calda


Abóbora em calda, doce argentino

O cardápio da casa é francamente criollo, estrelado por pratos como mondongo (a dobradinha argentina), pastel de papas (meio que um escondidinho de carne moída coberto com purê de batata), matambre (enrolado de carne com recheio, geralmente de legumes) e tamales tucumanos (pamonha salgada, com carne e vegetais). E, é claro, o locro, essa maravilha.

Restaurante La Aguada, Buenos Aires
Bilhetinhos deixados pelos clientes foram incorporados à decoração nostálgica de La Aguada

O atendimento de La Aguada é simpaticíssimo. As empanadas feitas na brasa ($ 240 pesos) que pedi de entrada estavam excelentes. A porção de locro ($ 1.500) é grande — achei que não ia dar conta, mas estava tão gostosa que não sobrou nem traço dela na tigela. E a sobremesa, uma compota de abóbora ($ 950 pesos) estava muito boa, também.

No fim, gastei cerca de R$ 60 no meu lauto almoço em La Aguada e saí cantarolando pela Avenida Santa Fé, feliz da vida. Recomendo demais!

Restaurante La Carnicería, Buenos Aires
La Carnicería justifica a fama que tem

⭐La Carnicería
Thames nº 2317, Palermo (entre Güemes e Charcas)

🕒Diariamente, jantar das 20h à meia-noite. Aos sábados e domingos também abre para o almoço, das 13h às 16h. Faça reserva.

La Carnicería ocupa lugar de destaque no Olimpo das casas de parrilla de Buenos Aires, aparecendo em todas as listas de melhores restaurantes da cidade. A casa combina o astral moderninho com a tradição das carnes argentinas e realmente entrega o que promete. Jantei muito bem lá.

Restaurante La Carnicería Buenos Aires
Bem que eu queria uma mesinha na calçada, mas tive que me conformar com um camarote para o braseiro, sentadinha no balcão
 
Restaurante La Carnicería Buenos Aires
Entradinha de ossobuco (esq). Assistir aos cortes de parrilla assando no braseiro é uma antecipação tão prazerosa quanto a espera pela fritura do acarajé no tabuleiro da baiana

O restaurante anuncia como seu maior trunfo a produção própria, oriunda de gado criado em seu Campo Los Abuelos, em Rivera (Província de Buenos Aires). Os cortes que chegam ao prato dos comensais — assados na cara do freguês, caso você ocupe um espacinho no balcão — são nada menos do que pantagruélicos e perfeitos para dividir com mais alguém, como aconselha o cardápio de La Carnicería.

Como fui jantar sozinha, tive que dar conta da minha porção de mais de 600 gramas de legítima carne argentina, acompanhada de uma inenarrável batata rosti coberta por gema de ovo bem molinha e trufas (procure as papas suizas no menu).

Restaurante La Carnicería, Buenos Aires
Os cortes de parrilla são para duas pessoas e vêm
acompanhados de purê de abóbora

Restaurante La Carnicería, Buenos Aires
Esta batata rosti já teria valido o jantar

É imprescindível fazer reserva para garantir seu lugarzinho em La Carnicería — eu consegui para a mesma noite, ligando para o restaurante por volta das 17 horas. 

Comensais solo, sem choro nem vela, são acomodados no balcão, o que compromete um pouquinho o conforto (mas acho que têm mais facilidade em conseguir reserva). A vantagem do balcão é ficar de cara para o balé do assado que se desenrola no braseiro, uma antecipação tão gostosa quanto a espera diante do tabuleiro da baiana, esperando a fritura do acarajé.

Quando for a La Carnicería, vá com muita fome e orçamento mais folgado: gastei cerca de R$ 200, com vinho e acompanhamentos.

Cocu Boulangerie, Buenos Aires
A ótima sopa de cebola da Cocu Boulangerie ficou a milímetros de matar minha saudade de Paris

⭐Cocu Boulangerie
Malabia nº 1510 (esquina com Gorriti), Palermo Soho

🕒 Diariamente, a partir das 9h. Às segundas e domingos, fecha às 21h. Terças e quintas, fecha às 22h. Às quartas, sextas e domingos, funciona até a meia-noite.

Casamento de padaria, confeitaria e café, a Cocu Boulangerie é um bom lugar pra matar as saudades de uma refeição parisiense despretensiosa.

Cocu Boulangerie, Buenos Aires
A Cocu está sempre muito movimentada. Abaixo, meu drinque delicioso
Cocu Boulangerie, Buenos Aires

Na minha primeira tarde de passeios em Buenos Aires, desfrutei de um ótimo almocinho tardio nessa casa sempre muito movimentada, a pouco mais de 400 metros do agito da Feira Honduras (antiga Feira da Plaza Serrano).

Comecei com um drinque à base de vermute e refrigerante de pomelo (grapefruit) que estava delicioso. A sopa de cebola ($ 690 pesos/ R$ 14) chegou pertinho de matar minhas saudades de Paris.

A Cocu Boulangerie é bem famosa por suas quiches (na casa dos $ 1.300/ R$ 26), croissants ($ 360/ R$ 7), pain au chocolat ($ 400/ R$ 8) e sanduíches (entre $ 600/ R$ 12 e $ 2.000/ R$ 40).

Torta Lola Mora da Ninina Bakery de Buenos Aires
Fiquei viciada na torta Lola Mora da Ninina Bakery

⭐Ninina Bakery
Gorriti nº 4738 (entre Malabia e Armenia), Palermo Soho

🕒Diariamente, das 8h às 21.

Se eu já acho que Palermo Soho tem um certo sotaque nova-iorquino, quando entrei na Ninina Bakery eu tive certeza. O café da manhã de domingo neste café/padaria instalado em um dos trechos mais animados do bairro parecia cena de Sex an the city — se vocês me perdoam a referência com duas décadas de idade 😁.

Ninina Bakery Buenos Aires
Escolha suas guloseimas no balcão, acomode-se em uma das mesas coletivas e seja feliz

Ninina Bakery de Buenos Aires

O longo balcão com vitrines da Ninina Bakery não chega a exibir aqueeeeela variedade de guloseimas, mas o que tem, seduz. Croissants, budin de limón (não é pudim, é tipo um bolo), cookies, tortas, pãezinhos vários...

Como eu estava hospedada a apenas 500 metros da Ninina, virei freguesa — café com docinho no final de tarde, depois de muito camelar por Buenos Aires, é bom demais. Tudo que eu provei lá estava ótimo, mas recomendo especialmente a torta Lola Mora ($ 1750 pesos/ R$ 35), folhada, com creme de chocolate, amoras e framboesas.

As tortas da Ninina Bakery custam a partir de $ 1300 pesos. O café espresso custa $ 380 pesos.

Mercat de Villa Crespo, Buenos Aires
Comi muito bem e gastei muito pouco no Mercat de Villa Crespo

⭐Mercat de Villa Crespo
Thames nº 747, Villa Crespo

🕒De terça a domingo, das 11h às 20h.

Aberto no começo de 2021, o Mercat, como é chamado nas redondezas, assume que sua referência é clássico Mercado da Boquería deBarcelona, como um lugar para comprar gêneros alimentícios ou fazer uma boa refeição nos boxes com oferta variada de culinárias — mas eu o achei mais parecido com o Mercado de San Antón de Madri, dado seu suave sotaque hipster.

Remo, Mercat de Villa Crespo, Buenos Aires
Os queijos e frios de Remo são badaladíssimos

Mercat de Villa Crespo, Buenos Aires
Na hora de apreciar as gostosuras do Mercat, dá para escolher as mesas internas ou ao ar livre (ao fundo)

Mas isso não tem importância. O que vale é que nos 2.700 m² do Mercat a gente encontra ótimas opções para fomes de variados tamanhos. Tem os cafés gourmet de Grano Santo, chocolates de grife, sorvetes artesanais, comida italiana, cervejaria, wine bar...

Moisha padaria judaica, Mercat de Villa Crespo, Buenos Aires
Bureka, kniche e lajmayin: que maravilhas!
Moisha padaria judaica, Mercat Villa Crespo, Buenos Aires

Tente resistir ao balcão de queijos, presuntos e salames de Remo Valenti ou às delícias inenarráveis da padaria judaica Moisha, com precinhos a partir de $ 200 pesos (R$ 4).

De Moisha, recomendo vivamente a bureka (o equivalente a um pastel assado, $ 280 pesos), o kniche de batata (quase uma empanada, com recheio de purê e cebolas fritas, $ 250 pesos) e o lajmayin (similar a uma esfiha, $ 290 pesos), salgado que minha amiga Mary Weinstein lembra ser também chamado de “chapéu do mordechai” e é típico das festas de Chanuka. 

La Fábrica del Taco, restaurante mexicano em Buenos Aires
Amei meu esquenta mexicano no Mercado de San Telmo

⭐La Fábrica del Taco
Carlos Calvo nº 491, no Mercado de San Telmo. Também tem um endereço em Palermo Soho (na Gorriti nº 5062, quase esquina com Thames, a rua da minha pousada).

🕒Abre todos os dias, do meio-dia às 2h da manhã.

Minha passagem por La Fábrica del Taco foi só um esquenta para o passeio por San Telmo no domingão — com a Feira de Antiguidades pegando fogo na Plaza Dorrego e o Mercado de San Telmo literalmente até a tampa de gente. Mas deu vontade de esticar a permanência. Além de matar a saudade da Cidade do México, a comida estava ótima.

La Fábrica del Taco, Buenos Aires
La Fábrica del Taco: com R$ 30, você faz uma farra de glutão

Apesar do movimento à beira do demencial, a equipe do atendimento não deixou a peteca cair. Em fração de segundos eu já estava acomodada em uma mesinha (é sempre muito fácil encontrar lugar pra sentar quando se está sozinha) e, pouco depois, já estava devorando as deliciosas carnitas (tacos com carne desfiada, preparada na chapa).

La Fábrica del Taco é uma rede com casas em Buenos Aires, Barcelona e na California. Um lugar para pagar muito pouco por comidinhas gostosas. Por um pouquinho mais do que $300 pesos (R$ 6), você já come um taco al pastor. E duvido que consiga gastar mais do que $ 1.500 (R$ 30) em uma refeição.

Sorveteria Luciano's, Buenos Aires
Luciano's aposta na produção artesanal e nas porções generosas

⭐Luciano’s Soho
Honduras nº 4881 (entre Amenia e Gurruchaga), Palermo Soho

A menos de 200 metros da Plaza Serrano, a sorveteria Luciano’s tem visual elegante, menu de sorvetes interessante e mesinhas na calçada, pra a gente não parar de observar o movimento do bairro enquanto refresca a garganta (mesmo no frio que estava fazendo em Buenos Aires, em setembro, aloka do sorvete aqui sempre usa essa desculpa). 

A casa é muito bem falada e aposta na produção artesanal de seus gelatos. Eu gostei muito do sorvete super sambayon, um dos meus sabores preferidos e no qual os argentinos são craques, à base de creme de gemas e vinho marsala. Paguei $400 pesos (R$ 8) na generosa casquinha média  que você vê na foto.

Restaurante japonês Nemuri, Buenos Aires
Nemuri: o "japonês da esquina" foi uma boa aposta 

⭐Nemuri Tera
José A. Cabrera nº 5102 (esquina com Thames), Palermo Soho

🕒Diariamente, do meio-dia às 23:30h.

O restaurante japonês Nemuri Tera é super elegante, tem atendimento cordialíssimo e comidinha muito da gostosa. Fica na esquina bem em frente à pousada onde eu estava hospedada — de tanto olhar pra ele do meu balcão, resolvi experimentá-lo, sem maiores referências. O resultado foi um jantar agradabilíssimo.

Nemuri Tera, restaurante japonês em Buenos Aires
Camarões com molho de maracujá e (abaixo), o tonkotsu ramen, um macarrãozinho cheio de personalidade

Nemuri Tera, restaurante japonês em Buenos Aires

Comecei como os camarões empanados no panko com molho de maracujá ($ 2.000) e emendei com o substancioso tonkotsu ramen (macarrão, barriga de porco e cogumelos em um caldo de porco que é cozido por oito horas).

Não anotei os valores exatos da conta, mas gastei algo como R$ 100, sem bebida alcoólica. 

⭐Il Materello Palermo
Gorriti nº 5110, Palermo Soho

🕒 Diariamente, das 12h às 16:30h e das 19:30h à meia-noite

Restaurante italiano Il Materello, Buenos Aires
Il Materello foi outra aposta de vizinhança que deu certo

Esse italianinho simpático foi outra aposta de vizinhança — mais um “restaurante da esquina”, a 100 metros da pousada. Ele é filial de uma casa tradicional de La Boca.  

Instalado em um casarão antiguinho e bem restaurado, Il Materello Palermo é bonito e aconchegante e sua clientela — pelo jeito que as pessoas se cumprimentavam — parece ser composta de muitos moradores das redondezas.

Restaurante Il Materello Buenos Aires
Achei o preço dos vinhos bem moderados neste restaurante

O forte de Il Materello são as massas caseiras e a carta de vinhos tem preços bem razoáveis. Lamentei estar jantando sozinha, o que desaconselhava pedir uma garrafa de algum medalhão, tipo El Enemigo, que custava na casa dos $ 8.000/ $ 9.000 pesos (R$ 160/ R$ 180) — não é barato, mas é bem menos do que estava sendo cobrado em outros lugares onde jantei.

Jantei pappardelle al ragù ($ 2.300 pesos), acompanhadas de uma taça de merlot ($ 700 pesos) e aproveitei a refeição saborosa no maior relax. Em reais, a conta ficou em R$ 60.

Café Farinelli, Buenos Aires
No frio que estava fazendo em Buenos Aires, foi um prazer tomar um solzinho em uma mesa de Farinelli

⭐Farinelli

Arroyo nº 900, Retiro (tem outro endereço, a matriz, na Bulnes nº 2707, Palermo Chico)

🕒 De segunda a sexta, das 8:30h às 20h. Sábados, das 10h às 18h

Farinelli é um café muito simpático, na parte chique do bairro de Retiro, onde parei para uma xícara de chocolate com scones depois da visita ao lindo Museu de Arte Hispano-Americana, a 100 metros da casa. Fui fisgada pela carinha parisiense do lugar (e da arquitetura do entorno) e aproveitei o calorzinho do sol em uma mesinha da calçada — as cadeiras têm mantas para amenizar o frio.

O café aposta em uma cozinha sustentável, usando exclusivamente ingredientes da estação fornecidos por pequenos produtores dos arredores de Buenos Aires.

Café Farinelli, Buenos Aires
Submario e scone: si, me gusta!
 
Pena que eu não estava com fome para experimentar o cardápio (tem gaspacho, pípôl!!), mas os scones estavam muito bons e o submarino (chocolate derretido no leite quente) estava de primeira.

O Farinelli da Calle Arroyo serve brunch aos sábados, das 11h às 17h. 

Os preços são bem razoáveis. O café expresso custa $ 410 (R$ 8), o submarino, $520 (R$ 10), o scone acompanhado por geleia e cream cheese custa $ 650 (R$ 13) e o gaspacho, $ 1200 (R$ 24).

Croque Madame Buenos Aires
Croque Madame: ouvi muitos elogios ao jantar na unidade do Palácio Paz

⭐Croque Madame
Pierina Dealessi nº 140, Puerto Madero (no Museu Fortabat)

🕒Diariamente, das 9h às 20h

Já falei aqui na Fragata desta rede de cafés/restaurantes que tem diversas unidades em Buenos Aires, algumas em museus (como o Museu Nacional de Artes Decorativas) e edifícios históricos (como o Palácio Paz).

Restaurante Croque Madame Buenos Aires
Depois de voltar para o forno, o sanduba ficou bem bom. Aprovei o créme brulée

Minha amiga Gabi recomenda entusiasmadamente o jantar na unidade do Palácio Paz. Eu fui ao Croque Madame do Museu Fortabat, em Puerto Madero, e tive uma experiência que deixou impressões divididas: o croque monsieur ($ 2.150 pesos/ R$ 43) que pedi chegou à mesa gelado por dentro. Depois que mandei esquentar, até que ficou bem bom. O créme brulée também estava gostoso. 

El Gran Bar Danzón, Buenos Aires
Gran Bar Danzón: considero muito qualquer lugar onde se saiba preparar um dry martini

⭐Gran Bar Danzón
Libertad nº 1161, Recoleta

🕒De segunda a sexta, das 19h às 3h da manhã. Sábados, das 20h às 3h. Domingos, das 20h à 1h.

Vou tomar a liberdade de listar El Gran Bar Danzón entre os lugares para beber em Buenos Aires porque foi só isso mesmo que eu fiz na casa. Mas minha amiga Cynthia Valente e seus companheiros de viagem, a quem fui encontrar, tinham jantado muito bem lá, antes de começarmos a maratona etílica.

Gran Bar Danzón Buenos Aires
A farra com minha amiga e xará foi ótima

Gran Bar Danzón, Buenos Aires

O bar/restaurante fica naquele pedacinho de Buenos Aires onde a Recoleta começa a desembocar no Microcentro, a menos de uma quadra da Avenida Santa Fé.

El Gran Bar Danzón é bem elegante, achei o preço das bebidas muito gentis (mas não peça que eu lembre do valor) e meus dry martinis estavam irretocáveis — sempre digo que lugares que sabem preparar esse drinque são sempre dignos de crédito. 

Bar Calixto, Buenos Aires
Não vai ser por falta de um bar animado que você vai ficar sem aquela loooooonga saideira

⭐Bar Calixto
Marcelo Torcuato de Alvear nº 930, Centro

🕒Diariamente, das 18h às 4:30h da manhã

Simples, confortável, com preços modestos, o Bar Calixto é o tipo de lugar que dá gosto a qualquer boêmio que honre esse título.

Bar calixto, Buenos Aires
Eu sei que a foto está torta. Mas eu também estava 😁

Eu adoro a tradição portenha de manter vivos lugares onde se pode entrar pela madrugada farreando com amigos em qualquer dia da semana — um bálsamo para quem vive em cidades onde os bares adotam horários de Cinderela, como Brasília. Na madrugada de uma terça para quarta-feira, o Bar Calixto estava animadíssimo.

Esse simpaticíssimo boteco fica a uma quadra da Avenida 9 de Julio e é um ótimo lugar para emendar qualquer farra. Ah, a empanada do bar Calixto ($ 100 pesos) é muito gostosa. Só tome cuidado para que o recheio de carne, muito suculento, não aterrisse na sua camisa.


Mais sobre Buenos Aires 


Dicas práticas



Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook 

Um comentário:

  1. E as minhas lombrigas só se remexendo por aqui. Tais postagens deveriam vir acompanhadas de um bilhete da Aerolineas e alguns vouchers

    ResponderExcluir