25 de maio de 2019

Nova York do alto: Top of the Rock e outros mirantes

O Empire State Building e o One World Observatory vistos do Top of the Rock, Nova York
Vista do Top of the Rock, de cara para outros dois mirantes famosos: o Empire State Building (em primeiro plano) e, ao fundo (no centro da foto), o One World Observatory, no novo World Trade Center. De bônus, no cantinho direito, a Estátua da Liberdade, ao longe
Ver Nova York do alto é uma experiência poderosa. Vista de cima, aquela floresta de arranha-céus, que a gente se acostuma a esticar o pescoço para admirar, finalmente parece domada, quando se enrosca aos nossos pés e se oferece à contemplação de um ângulo menos desafiador. 

Um item inegociável nos meus roteiros pela cidade é encontrar um lugarzinho pra ver Nova York do alto.

Vista do Top of the Rock
A floresta de arranha-céus, de repente, parece mansinha
O mirante que escolhi pra namorar Nova York nesta visita mais recente (depois de 23 anos sem pisar na Big Apple!) foi o Top of the Rock, no terraço da torre mais alta do Rockefeller Center. 

Eu sou meio ortodoxa (risos) e, portanto, ferrenha partidária do Empire State Building, quando se trata de ver Nova York do alto (ninguém assiste Tarde Demais pra Esquecer impunemente 😊).

Chrisler Building e MetLife Building (ex-edifício PanAm) vistos do Top of the Rock, Nova York
Meu favorito Chrisler Building fica tentando se esconder atras do antiga sede da Panam hoje MetLife Building). Ao fundo, o East River
Só que desta vez eu decidi fazer diferente e adorei a experiência, A vista do 70º andar do Top of the Rock é verdadeiramente um arraso. 

E um dos motivos pra isso é exatamente poder ver o Empire State Building, o segundo prédio mais bonito de Nova York — o primeiro, é claro, é o Chrisler Building, que também aparece, lindão, para meu deleite (ele é meio tímido e fica tentando se esconder).

Neste post eu conto como foi a minha subida ao Top of the Rock e dou as dicas de outros mirantes famosos para você suspirar de paixão vendo Nova York do alto.

Estátua da Liberdade vista do Top of the Rock, Nova York
Se sua câmera tiver um zoo melhor que o da minha, dá pra fazer uma fotinha legal da Estátua da Liberdade 

Top of the Rock - dicas práticas
70º andar do Rockefeller Center (30 Rockefeller Plaza)

Horários: diariamente, das 8h à meia-noite (o último elevador sobe às 23h).

Ingressos: US$38. Crianças de 6 a 12 anos pagam US$32, maiores de 62 pagam US$36.

➡️No horário do pôr do sol, o preço das entradas tem um adicional de US$ 10.

Por um valor adicional, há um ingresso especial que dá direito a uma visita diurna e outra noturna ao Top of the Rock. O total dessa modalidade custa US$ 56.

O que ver no Top of the Rock
Apesar de ser mais baixinho que o Empire State, o Top of the Rock tem a vantagem da localização, bem no coração de Manhattan, o que deixa o visitante de cara para o gol de praticamente tudo que a gente quer ver em Nova York.

O Central Park visto do Top of the Rock, Nova York

O Central Park fica quase aos pés do mirante do Top of the Rock. 

Onde quer que a vista alcance, lá está aquele emaranhado de arranha-céus que é o maior ícone de Nova York.

O Rio Hudson visto do Top of the Rock, Nova York
O Rio Hudson visto do Top of the Rock. Na outra margem Nova Jersey
Espichando um pouco a vista, na direção Sul, dá para ver a Estátua da Liberdade, de um lado, e a Ponte do Brooklyn, do outro. 

E ainda tem o Rio Hudson e o East River, New Jersey, o distrito do Queens.

Haja suspiros e acordes de Rhapsody in Blue (o meu hino de Nova York), tocando em loop nos fones de ouvido.

Rockefeller Plaza, no Rockefeller Center, Nova York
A Rockefeller Plaza e seu célebre rinque de patinação. O edifício onde fica o observatório é esse ao fundo
Rinque de patinação no gelo do Rockefeller Center

Como é a visita ao Top of Rock
Se você vai a Nova York na alta estação, é bom comprar seu ingresso para o Top of the Rock com antecedência, porque essa é uma atração muito concorrida.

Como a minha temporada na cidade foi num finalzinho de março de tempo mal encarado, deixei para comprar o meu ingresso na véspera da subida ao mirante, quando o sol finalmente deu as caras e a previsão do tempo prometia que eu iria enxergar alguma coisa lá de cima.

Acesso aos elevadores do Top of the Rock, Nova York
Rampa de acesso aos elevadores que levam ao Top of the Rock
Comprei o ingresso na bilheteria do Rockefeller Center mesmo — mas dá para comprar as entradas pela internet (aqui), pra ganhar tempo.

As subidas ao Top of the Rock são com hora marcada e o sistema é rígido: não adianta chegar mais cedo, porque o acesso só é liberado no horário estipulado no bilhete. Uma antecedência de 15 minutos já é mais do que suficiente.

Uma vez dentro do prédio, o acesso ao elevador é bem rápido. O tempo de subida também é curto — não tenho claustrofobia em elevador, mas acho que mesmo quem tem não chegará a sofrer.

Exposição sobre a história do Rockefeller Center, Top of the Rock, Nova York
Exposição sobre a história do Rockefeller Center: a famosa imagem dos operários sentados em uma viga nas alturas, durante a construção do complexo, é uma das estrelas

Terraço de observação no Top of the Rock
Por via das dúvidas, leve uma bateria extra para sua câmera fotográfica, porque a tentação dos cliques é incontrolável
Lá no alto, o tempo é todo seu: não há horário determinado para a descida. 

Você pode circular à vontade pela exposição que conta a história da construção do Rockefeller Center e, principalmente, explorar com calma os três terraços de observação do Top of the Rock — afinal, foi pra ver a vista que a gente subiu até lá, né?

Os terraços são conectados por escadarias convencionais e escadas rolantes.

Radio City Music Hall, no Rockefeller Center, Nova York
O famoso Radio City Music Hall integra o complexo do Rockefeller Center

Terraço de observação no Top of the Rock, Nova York
Mais uma vantagem do Top of the Rock: as proteções de vidro estragam menos a contemplação do que as grades do terraço do Empire State
O Top of the Rock oferece ao visitante 360 graus de visão para Nova York. Repare nos parapeitos dos terraços (os trechos mais cheios de gente) que há mapas identificando as construções mais importantes e outros marcos que estão visíveis no horizonte.

➡️ Leve moedas para usar os binóculos e poder esquadrinhar a vista com mais detalhes.

Rockefeller Center vistoda 5ª Avenida, Nova York
O Rockefeller Center clicado da 5ª Avenida

Rockefeller Center
O Rockefeller Center é um imenso complexo comercial e de entretenimento que ocupa nada menos de seis quadras bem no meio de Manhattan. Fica entre a 5ª e a 6ª avenidas e se esparrama entre as ruas 51 e 48.

São 19 prédios, ocupando uma área de quase 90 mil metros quadrados — um dos espaços mais fotografados de Nova York e cenário recorrente de filmes rodados na cidade. 

Torre do Rockefeller Center e a escultura "Atlas"
A torre mais alta do Rockefeller Center, onde ficam os terraços Top of the Rock. À direita, a famosa escultura "Atlas", em uma das entradas do complexo

Detalhes da ornamentação art déco do Rockefeller Center, Nova York
O Rockefeller Center está cheinho de detalhes art déco em sua ornamentação
➡️ O Radio City Music Hall, famoso por seus espetáculos natalinos, integra o complexo do Rockefeller Center, assim como estúdios da rede de TV NBC, uma montanha de lojas, cafés e restaurantes.

E se eu sou apaixonada pelo Chrisler Building e pelo Empire State pelo design art déco dos dois edifícios (os leitores mais fiéis da Fragata já sabem que eu me derreto por esse estilo arquitetônico e decorativo), não tenho muito o que reclamar do Rockefeller Center, também.

Detalhes da ornamentação art déco do Rockefeller Center, Nova York
Detalhes da ornamentação art déco do Rockefeller Center

Rockefeller Center, Nova York
Até as proteções dos canteiros na calçada do Rockefeller Center são art déco. À direita, a fonte da Rockefeller Plaza
Os 14 edifícios originais do complexo, inaugurados na década de 30, seguem as linhas desse estilo e são adornados por elementos de castiça art déco, como a famosa escultura de Atlas que adorna uma das entradas do Rockefeller Center.

Outros mirantes de Nova York

Empire State Building, Nova York
Já subi quatro vezes aos terraços do Empire State Building, mas gosto mesmo é de vê-lo aparecendo na paisagem de Nova York. No sentido horário, o bonitão visto do Bryant Park, da 5ª Avenida, do Madison Square Park e da High Line 
Empire State Building
Entrada pela 5ª Avenida, entre as ruas 33 e 34


Horários: Diariamente, das 8h às 2h da manhã (a última subida do elevador é à 1h15).

Preço: há várias modalidades de ingresso para o Empire State Building (veja no site). O mais barato custa US$ 36 (com acesso apenas ao 86º andar). Para ir até o 102º andar, o bilhete custa a partir de US$ 56. No valor das entradas está incluído um audioguia.

Atenção: é proibido entrar com qualquer objeto de vidro, bebidas alcoólicas, tripés para câmeras fotográficas e mochilas grandes. Não há lockers para guardar esse material.

Empire State Building visto do Top of the Rock, Nova York
O Empire State (à direita) clicado do Top of the Rock
Antes de King Kong escalar o Empire State Building (no filme original, de 1933), este edifício em estilo art déco já era um sucesso de público e de crítica.

Inaugurado em 1931, ele foi o arranha-céu mais alto do mundo (102 andares) até a inauguração do World Trade Center, em 1993 — hoje ele ocupa um discreto 28º lugar.

Já subi quatro vezes aos terraços dessa verdadeira lenda de Nova York e recomendo muito. Achei a vista do Top of the Rock melhor, mas nada supera a mística do Empire State.

One World Trade Center, Nova York
A torre mais alta do novo World Trade Center tem 417 metros de altura. No topo, fica o One World Observatory
⭐One World Observatory
One World Trade Center, na esquina de West Street com Vesey Street

Horários: aberto diariamente. De 1/5 a 4/9, das 8h às 21h. De 5/9 a 20/12, das 9h às 21h. De 21/12 a 3/1, das 8h às 20h. De 4/1 a 30/4, das 9h às 21h.

Preço: US$ 35

One World Trade Center, Nova York
One World Trade Center, em Lower Manhattan
No prédio mais alto do One World Trade Center (complexo que substitui as torres gêmeas destruídas no ataque terrorista de 11 de setembro de 2001) está o One World Observatory.

O edifício também conhecido como Freedom Tower é agora o mais alto de Nova York, com 417 metros (545 metros, se a gente contar a antena) e tem um mirante de três andares (100º, 101º e 102º pavimentos), com vista de 360 para a cidade.

One World Trade Center, Nova York
Esta fonte (esq) fotografadíssima pelos visitantes fica na praça do One World Trade Center
Fui só até a praça que fica aos pés desse mirante, pois o dia estava muito nublado para justificar a subida. O complexo fica em Lower Manhattan (Sul da ilha), a dois passos da estação de metrô de Fulton Street.

O One World Trade Center foi inaugurado em 2014. O complexo tem cinco arranha-céus, um museu sobre o 11 de setembro, uma fonte monumental e um centro comercial.

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook 

Nenhum comentário:

Postar um comentário