24 de setembro de 2016

Museu de Arqueologia de Lisboa - bom passeio em Belém

Guerreiros lusitanos da Idade do Ferro (ano 1.000 a.C.) acompanhados de javalis, animais que tinham importância ritual para essa cultura
Se você vai a Lisboa, tenho certeza que vai visitar o maravilhoso Mosteiro dos Jerónimos, em Belém e aproveitar para comer pastéis de nata no “berço” da iguaria, que fica ali do lado.

O bairro tem tantas encantos famosos — não vamos esquecer da Torre de Belém e do Padrão dos Descobrimentos — que a gente acaba deixando passar batida uma atração que faria sucesso em qualquer lugar do mundo: o Museu Nacional de Arqueologia (MNA), que funciona no antigo dormitório do mosteiro.

Estou falando por experiência própria: Belém é um dos meus passeios obrigatórios na capital portuguesa e somente agora, na viagem de junho, conheci esse museu tão interessante.

Eu não sabia o que estava perdendo. Então, não cometa o mesmo vacilo: quando for a Belém e ao Mosteiro dos Jerónimos, reserve um par de horas para ver o Museu Nacional de Arqueologia.

Veja as dicas:

Lápides e marcos da Coleção Romana
Coleção Romana. No primeiro plano, escultura que, acredita-se, retrata a imperatriz Júlia
➡️Essa visita combina com:
Contemplar Lisboa do alto do Padrão dos Descobrimentos
Torre de Belém/Mosteiro dos Jerónimos
Uma farrinha com pastéis de Belém (os pastéis de nata mais famosos de Portugal)


➡️ O que ver no Museu de Arqueologia de Lisboa
O Museu Nacional de Arqueologia conta a história do povoamento do território de Portugal desde as primeiras marcas da presença humana por lá, na pré-história.

No dia em que visitei o museu, estava em cartaz uma exposição bem legal, chamada "Lusitânia Romana, origem de dois povos" reunindo peças do acervo da casa e de diversas outras instituições. 

Por conta dessa exposição, a maioria das fotos desse post mostram objetos do período romano.

A coleção permanente do Museu Nacional de Arqueologia de Lisboa, porém, é bem variada e  compreende objetos desde o Período Paleolítico até a Idade Média, traçando um painel  dos povos que passaram por aquele pedaço de mundo até a consolidação da Nação Portuguesa.

Cabeça romana em mármore e um pequeno altar doméstico, do mesmo período
Mosaicos da mostra Lusitânia Romana

Mosaico das Musas, do Século 6, encontrado na Torre de Palma, em Monforte. Esta peça faz parte do acervo permanente do MNA
Peças da mostra Lusitânia Romana
O Museu Nacional de Arqueologia de Lisboa foi fundado no final do Século 19 pelo arqueólogo e etnógrafo José Leite de Vasconcelos, que sonhava em montar um “Museu do Homem Português”. O forte do acervo, portanto, é de peças encontradas no território que hoje é Portugal.

A coleção do museu tem desde pontas de flechas pré-históricas, passando por cerâmicas, utensílios de diversas épocas, joias, moedas, adornos e objetos usados em rituais religiosos. Os períodos romano e árabe estão muito bem representados.

Para além do atual território português, o museu tem uma interessante Coleção de Arte Egípcia (com sarcófagos e tudo).
 
Objetos escavados numa antiga vila romana em Quinta das Longas, em Elvas, no Alentejo
Urna funerária romana

➡️ A Civilização Lusitana
O que eu mais gostei no Museu de Arqueologia de Lisboa foram os testemunhos da civilização lusitana.

Acredita-se que esses antepassados dos atuais portugueses eram de origem celta e habitaram o território que hoje é Portugal desde a Idade do Ferro.

Os Lusitanos eram um povo guerreiro, como mostram as estátuas de pedra logo na entrada do museu, acompanhadas de seus javalis, animais que, acredita-se, estivesse associado por essa cultura à força e ao combate.

Os guerreiros Lusitanos do Museu de Arqueologia guardam a memória de Viriato, o grande chefe militar que, por cerca de uma década, enfrentou a invasão romana e combateu por toda a Península Ibérica, até ser traído e assassinado, em 139 a.C.

Da Coleção Egípcia: esfinge com cabeça de carneiro, do período do Império Novo (séculos 15 a 11 a.C) e fragmento de um alto relevo em terracota
Máscara funerária egípcia, em madeira, do Terceiro Período Intermediário (Séculos 11 a 8 a.C.). À direita, joias da Idade do Ferro encontradas em território português
⭐Museu Nacional de Arqueologia de Lisboa
🏠 Praça do Império (Mosteiro dos Jeónimos), Belém
🕒 De terça a domingo, das 10h às 18h
💲 O ingresso custa € 5. A entrada no museu é grátis no primeiro domingo de cada mês. 
Maiores de 65 anos e estudantes pagam meia.
Se for visitar também o Mosteiro dos Jerónimos, há uma entrada combinada que custa €12.
Para ver o Mosteiro + Museu + Torre de Belém o bilhete combinado custa € 16.

Como chegar a Belém e ao Museu de Arqueologia de Lisboa
Tome o electrico 15E (bonde) no Terreiro do Paço (Praça do Comércio) ou no Cais da Ribeira. A passagem custa €2,85. 

Os ônibus 727 (passam na Praça Marques de Pombal), 728 (passam na Estação Oriente, Parque da Nações e Praça do Comércio), 729 e 751 têm paradas no bairro de Belém. A passagem custa €1,40.



Mais sobre Lisboa


A Europa na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário