2 de julho de 2024

O que fazer em Madri

 
Edifício Metrópolis de Madri visto do Terraço do Círculo de Belas Artes
Edifício Metrópolis e a Gran Via vistos do Terraço do Círculo de Belas Artes

Madri não tem um Big Bem ou uma Torre Eiffel — aquele ponto turístico óbvio, imediatamente reconhecível e desejado por gente do mundo inteiro. Mas não se iluda: a capital espanhola é uma cidade simplesmente espetacular e você vai encontrar muito o que fazer em Madri.

Atrações de primeiríssima linha — basta lembrar o Museu do Prado e o Museu Reina Sofia —, uma história riquíssima, imortalizada em um patrimônio lindo, um verdadeiro mosaico arquitetônico de diversas épocas e, claro, um astral apaixonante.

Neste post, listei muitas dessas atrações, várias delas gratuitas. Tem roteiros pra fazer a pé pela Madri dos Áustrias e por outras belezas da cidade, como a bela arquitetura da Gran Vía, tem mirantes pra admirar a capital espanhola (linda!), tem a Feira do Rastro, o Parque do Retiro... 

Veja todas essas sugestões de passeios e você vai concordar comigo: tem muito o que fazer em Madri — e só coisa muito boa.

O que fazer em Madri


Madri grátis e ao ar livre


Edifício do Banco Bilbao na Calle de Alcalá em Madri
Uma famosa quadriga de bronze enfeita o topo do edifício do Banco de Bilbao (à esquerda), no nº 16 da Calle de Alcalá. À direita, o edifício do Hotel Four Seasons

Arquitetura da Gran Vía e Calle de Alcalá

Um passeio que eu adoro fazer em Madri é esquadrinhar a belíssima arquitetura da Gran Vía e do trecho da Calle de Alcalá vizinho a ela.

A Gran Vía é o grande bulevar madrilenho, um símbolo do alvorecer do Século 20 que se mantém como uma das principais avenidas de Madri.

Da Calle de Alcalá até a Plaza de España, o 1,3 km da Gran Vía é um tremendo desfile arquitetônico, com exemplares art nouveau, art déco, ecléticos e beaux arts de cair o queixo.

Edifício Metrópolis na Gran Via em Madri
Esta maquete da Gran Vía está em exposição bem no comecinho da rua, na confluência com a Calle e Alcalá. Em destaque, o Edifício Metrópolis, com o Edifício Grassy ao fundo
Edifício de la Adriática na Gran Vía em Madri
Edifício de la Adriática na Gran Vía em Madri
Edifício de la Adriática, no nº 39 da Gran Vía

Entre os famosíssimos (e muito fotogênicos) edifícios da Gran Vía, estão o famoso Edifício Metrópolis, de 1911, que marca exatamente o início da avenida, no encontro com a Calle de Alcalá.

Também vale a pena prestar atenção ao Edifício da Telefónica (1929), ao Edificio Grassy (1917), em estilo eclético e decoração modernista, ao Edificio de La Gran Peña (1917), ao Edifício de La Adriática (1928), ao antigo Cine Avenida (1928), hoje sede da loja Uniqlo, e ao Hotel Hyatt Centric Gran Via Madrid, entre um monte de outros belos exemplares.

O meu edifício favorito na Gran Vía, sem dúvida é o escândalo de lindo Cine Callao (1926), na Plaza de Callao, em estilo art déco.

Igreja dos Calatravas em Madri
A Igreja dos Calatravas, do Século 17, na Calle de Alcalá
Hotel Besaya em Madri
Hotel Besaya, na Esquina da Gran Vía com Calle San Bernardo
Hotel Senator na Gran Vía em Madri
Hotel Senator, no nº 70 da Gran Vía
Loja da Uniqlo em Madri

O antigo Cine Avenida agora abriga a loja da cadeia japonesa Uniqlo

Hotel Hyatt Centric Gran Via Madrid
Hotel Hyatt Centric Gran Via Madrid
Hotel NH Collection Madri Gran Vía
Inaugurado em 1921 como edifício residencial, este prédio agora é o um hotel da rede NH Collection

Na Calle de Alcalá, os grandes destaques são o Círculo de Belas Artes e o Edifício do Banco Bilbao Vizcaya.

Além de um show de Arquitetura, Gran Vía também é uma rua de comércio bem reputado, com uma grande concentração de cinemas, teatros, cafés, restaurantes e outros espaços de lazer.

Projetada no final do Século 19 para desafogar a circulação no Centro de Madri, a Gran Vía é considerada a grande intervenção urbanística na capital espanhola no início do Século 20, com toda uma simbologia modernizante, como haviam sido os grandes bulevares de Paris e Viena cerca de 50 anos antes.

Edifício Grassy na Gran Vía em Madri
O Edifício Grassy agora abriga um museu de relógios antigos
Arquitetura eclética na Gran Vía em Madri
Preste atenção aos detalhes dos edifícios da Gran Vía
Cine Callao em Madri
Adoro o Cine Callao

Para a implantação da Gran Vía, foram demolidas ruas inteiras e residências antigas, igrejas e outras construções históricas. Como a aconteceu na construção da Avenida de Mayo, em Buenos Aires, essas demolições geraram muitos protestos e atrasaram o andamento das obras.

Já a Calle de Alcalá, apesar das feições Belle Époque que assume na vizinhança da Gran Vía, é uma das ruas mais antigas de Madri. E uma das mais extensas, com 11 km.

Gran Vía e Calle de Alcalá em Madri
A Gran Vía (marcada em cor de vinho no mapa) e o trecho da Calle de Alcalá desde a esquina da Gran Vía até a Porta do Sol contam com muitas estações de metrô

Como chegar à Gran Via ou à Calle de Alcalá

Várias estações de metrô levam à Gran Vía e ao trecho da Calle de Alcalá que eu recomendo neste passeio. Banco de EspañaSevilha (ambas na Linha 2) e Sol (linhas 1, 2 e 3) deixam você na Calle de Alcalá. Gran Vía (linhas 1 e 5), Callao (linhas 3 e 5), Santo Domingo (Linha 2) e Plaza de España (linhas 3 e 10) são estações com saídas para a Gran Vía.

⭐Parque do Retiro

Palácio de Cristal no Parque do Retiro em Madri
O Palácio de Cristal, de 1887, é uma das imagens mais famosas do Parque do Retiro

Aos 400 aninhos de idade, o Parque do Retiro é um caso de monumento histórico onde a gente pode deitar e rolar. Literalmente, porque aquela graminha (nada menos do que 118 hectares dela), bem no Cento de Madri, realmente convida à preguiça.

Parque do Retiro em Madri
Parque do Retiro em Madri
Palácio de Cristal no Parque do Retiro em Madri
Faça como os madrilenhos e aproveite o Parque do Retiro. É lindo, seguro e grátis

Bonito e cheio de atrações, o Parque do Retiro é perfeito para uma pausa depois de um passeio pelo Centro Histórico de Madri — ou uma visita ao Museu do Prado, ou antes da farra no Bairro de las Letras, ou para emendar o safari arquitetônico na Gran Vía... — ou para um programa mais longo. Que tal um piquenique? Ou uma corrida para exorcizar as calorias da comilança madrilenha?

Preste atenção à programação de exposições do Pavilhão Velázquez e do Palácio de Cristal, que são administrados pelo vizinho Museu Reina Sofia e costumam ter mostras temporárias interessantes e sempre gratuitas.

Saiba mais: O que fazer em Madri em um domingo - Feira do Rastro e Parque do Retiro

Como chegar ao Parque do Retiro: melhor estação de metrô é Retiro (Linha 2). Mas Banco de Espanha (Linha 2), Estación del Arte (Linha 1) e Ibiza (Linha 9) também fica pertinho do parque.

Horário: abre todos os dias. De maio a outubro, das 6h às 24h. De novembro a abril, fecha às 22 horas.

⭐Feira do Rastro

Feira do Rastro em Madri
Dá até pra comprar um bocado de coisas, mas o barato da Feira do Rastro é ver Madri

Eu até já comprei coisas na Feira do Rastro, mas nem é por isso que eu gosto de ir lá, se calhar de estar em Madri em um domingo. Ainda que tremendamente atraente para os turistas, El Rastro me mostra uma Madri quase baiana — irreverente, diversa, criativa e sem maquiagem.

A Feira do Rastro é um imenso mercado onde você vai encontrar de tudo — antiguidades, velharias, artesanato, roupas, livros, artigos de couro marroquinos, lanternas turcas, bandeirolas tibetanas e o que mais você imaginar.

Plaza del Cascorro em Madri
O ponto de referência para achar a Feira do Rastro é a Plaza del Cascorro — mas não se preocupe, pois muito antes de você chegar lá o Rastro já terá lhe encontrado

A muvuca (e bote muvuca nisso) se esparrama entre os bairros de La Latina, Lavapiés e Embajadores, subindo e descendo ladeiras, sempre cercada de botecos abarrotados, restaurantes demencialmente lotados, barraquinhas de sanduíche...

Eu adoro a Feira do Rastro e acho que ir até lá ao menos uma vez na vida faz parte da experiência de descobrir Madri.


Como chegar à Feira do Rastro: o ponto de referência é a Plaza del Cascorro  e a melhor estação de metrô é La Latina (Linha 5), mas as estações Puerta de Toledo (também na 5), Tirso de Molina (Linha 1) e Emabajadores (Linha 3) ficam bem próximas.

Horário: domingos, das 9h às 15 horas.

⭐Roteiro da Plaza de España ao Palácio Real

Ponto de partida sugerido: Metrô Plaza de España (linhas 3 e 10)

Edifício España em Madri
O Edifício España marca o final da Gran Vía em grande estilo
Monumento a Miguel de Cervantes em Madri
Monumento a Miguel de Cervantes em Madri
Cervantes em seu merecido pedestal, na adorável companhia de D. Quixote e Sancho Pança

Taí um roteiro que eu já repeti algumas vezes em Madri — em parte ou inteirinho — e não canso: uma boa caminhada (quase 3 km), passando por algumas atrações bem bacanas.

Experimente começar na Plaza de España, onde acaba a Gran Vía e onde o Edifício España marca o fim do bulevar em grande estilo. Lá também está o monumento a Miguel de Cervantes, com o escritor— a quem sempre presto meus respeitos — acompanhado dos mais imortais dos seus personagens, D. Quixote e Sancho Pança.

Templo de Debod em Madri
O Templo de Debod foi um presente do Egito à Espanha
Madri vista do Parque de la Montaña
A vista do Parque de la Montaña é sensacional. Na imagem, o Palácio Real (à esquerda), a Catedral de La Almudena (centro) e a Real Basílica de San Francisco el Grande

Feitas as devidas fotos, é hora de tocar para o agradável Parque de la Montaña, que além de tudo é um belo mirante. A grande atração, além da vista, é o Templo de Debod, um templo egípcio autêntico, construído em honra do deus Amon no Século 4º a.C (e que pode ser visitado gratuitamente).

A próxima parada são os Jardins de Sabatini, um oásis de sossego à sombra do Palácio Real de Madri. Aproveite para descansar da caminhada e se refrescar.

Jardins de Sabatini em Madri
Eu adoro os Jardins de Sabatini
Estátua de Felipe IV na Plaza de Oriente em Madri
Estátua de Felipe IV na Plaza de Oriente em Madri
A estátua equestre do Rei Felipe IV de Habsburgo se destaca entre tantas esculturas de monarcas que adornam a Plaza de Oriente
Plaza de Oriente em Madri
Plaza de Oriente em Madri
Plaza de Oriente em Madri
Antes ou depois de visitar o Palácio Real (ao fundo), vale a parada na Plaza de Oriente

Se for visitar o Palácio para ver seu rico acervo de arte, mobiliário e tapeçarias, reserve duas horinhas pra isso, pelo menos. O Palácio Real fica aberto ao público de segunda a sábado, das 10h às 18h, e aos domingos e feriados das 10h às 16h. O ingresso custa €14.90.

Antes ou depois do Palácio, dê uma volta pela Plaza de Oriente, outra área muito agradável, onde as estátuas de reis mais antigos que a Espanha vão acompanhar você na caminhada pelas alamedas bem sombreadas por árvores generosas.

Campo del Moro em Madri
O Palácio Real de Madri visto do Campo del Moro. O jardim é lindo e muito sossegado, mas a caminhada até lá desde a Muralha é compridinha (+ de 1 km)

Seguindo pela Calle de Bailén, dobre à esquerda na Calle Mayor para ver os restos da Muralha Árabe de Madri.

Roteiro em Madri

Se estiver animada, desça a Calle de Segóvia para esticar o passeio até o Campo del Moro, outro belo jardim real. Caso contrário, retorne à Calle Mayor e suba até o Mercado de San Miguel (que está a 600 metros daí), para uma merecida caña (bebida) e tapas.


Barrio de las Letras

O Barrio de las Letras é meu favorito em Madri. A origem do título de “Bairro das Letras” vem de longe, do Século 17, quando a área foi morada de escritores do porte de Cervantes, Lope de Vega e Francisco de Quevedo.

Gosto de pensar que esses gênios literários ainda passeiam pelas ruas pacatas do bairro, ruas margeadas por tabernas simpaticíssimas — frequentadas por madrilenhos da gema — e casarões bem preservados.

Placa homenageia a poeta Rosalía de Castro em Madri
Homenagem a Rosalía de Castro (1937-1885), considerada a fundadora da literatura galega moderna, no Barrio de las Letras
Casa da escritora Luisa Carnés em Madri
Placa na Calle Lope de Veja assinala o local de nascimento da escritora e jornalista Luisa Carnés (1905-1964). Autodidata, comunista republicana e feminista, ela trabalhou como chapeleira e garçonete para poder escrever

No meio do caminho entre a Madri dos Áustrias e o Paseo del Prado (a passarela que nos guia aos museus do Prado, Reina Sofia e Thyssen) e a um pulo da Gran Vía, o Barrio de las Letras é ótimo para encerrar o dia em vibe boêmia, mas também merece que você explore com calma os encantos locais.

Monumento a Calderón de la Barca em Madri

Monumento ao dramaturgo Calderón de la Barca (1600 – 1681) na Plaza de Santa Ana. Ao lado de Lope, Calderón foi um gênio do teatro no Século de Ouro das letras espanholas

As casas onde viveram Cervantes e Quevedo estão assinaladas por placas. A Casa de Lope de Vega virou um museu adorável. O Convento das Trinitárias Descalças tem uma forte relação com a história desses escritores. As praças de Santa Ana e del Angel são ótimas para bebericar ao ar livre.

E, para estar à altura do nome, o Barrio de las Letras tem belíssimas livrarias.

Convento das Trinitárias Descalças em Madri
Uma filha de Cervantes e uma filha de Lope foram freiras no Convento das Trinitárias Descalças, pertinho das casas de ambos. O autor do D. Quixote foi sepultado lá, como lembra a placa na fachada do monastério
Mapa do Barrio de las Letras em Madri
O Barrio de las letras fica no meio do caminho entre a Madri dos Áustrias e o Paseo del Prado


Como chegar ao Barrio de las Letras: a estação de metrô mais próxima é Antón Martín (Linha 1). A Estação Sol (linhas 1, 2 e 3) também é bem conveniente.

Roteiro da Madri dos Áustrias

Calle Mayor em Madri
Calle del Arenal em Madri
O roteiro pela Madri dos Áustrias leva você ao chamado "Século de Ouro"

O Centro Histórico de Madri é conhecido como “Madri dos Áustrias”, uma referência à dinastia Habsburgo, de origem austríaca, que reinou na Espanha entre 1516 e 1700, quando a cidade era a capital do “império onde o sol nunca se punha”.

Tanto poder — e tanto dinheiro espoliado das colônias — desse chamado “Século de Ouro” legou a Madri belíssimos palácios, praças, igrejas e mosteiros que ainda hoje enchem os olhos dos visitantes. Caminhar por essa Madri é um programaço, cheio de atrações gratuitas.

Porta do Sol em Madri
Igreja de San Ginés em Madri
Plaza Mayor de Madri
Este passeio passa pela Porta do Sol (no alto), pela Igreja de San Ginés (centro) e pela Plaza Mayor (acima)

Já publiquei aqui na Fragata um post detalhadíssimo sobre esse roteiro. Nesta visita de 2024, repeti o passeio em versão resumida e voltei a me divertir muito.

Meu ponto de partida foi a Porta do Sol, que hoje lembra pouco o Século de Ouro, mas era um fervidíssimo ponto de encontro no tempo dos Áustrias. Daí, seguindo pela Calle del Arenal, a próxima parada é a Igreja de San Ginés, onde tem uma tela de El Greco que vai deixar você apaixonada.

As próximas paradas são a Plaza Mayor, símbolo máximo do poder da realeza espanhola no Século 17 e a Colegiata de San Isidro, igreja dos Jesuítas que serviu como catedral de Madri naquele período. Por fim, uma parada na bela Plaza de La Villa, cercada por belos palácios e onde estão a Casa e a Torre de los Lujanes, apontadas como as construções mais antigas de Madri ainda de pé.


Roteiro pela Madri dos Áustrias
Comece o passeio na Porta do Sol, mas não tenha pressa de ir de um ponto a outro. Você vai descobrir muitas belezas pelo caminho

Como chegar à Porta do Sol: a Estação Sol, com saídas bem no meio da praça, é servida pelas linhas 1, 2 e 3 do metrô e pelos trens de cercanias.

Para ver Madri do alto

Porta do Sol em Madri
A Porta do Sol clicada do Bar Puertasol, no terraço de El Corte Inglés

Pela quantidade de mirantes que oferece aos visitantes, Madri deve se achar muito bonita — e ala tem toda razão. Mas, para estar em sintonia com a alma da cidade, é muito melhor afagar a visão enquanto se mimam outros sentidos, como o paladar e o olfato.

Traduzindo: quando for a um mirante em Madri, escolha um com comes e bebes. Eu recomendo três: o Mercado Gourmet Experience, no Terraço de El Corte Inglés da Plaza de Callao, o Bar Puertasol, no terraço de El Corte Inglés na Porta do Sol, e o Terraço do Círculo de Bellas Artes, na Calle de Alcalá.

Madri vista do terraço Gourmet Experience
Terraço do Círculo de Belas Artes em Madri
No alto, Madri vista do Goumet Experience, na Plaza de Callao. Acima, o terraço do Círculo de Bellas Artes

Nos dois primeiros, você só paga o que consumir. O Goumet Experience tem vários boxes de comidinhas e bebidinhas, bem de acordo com os mercados da moda, a preços bem pagáveis. O Bar Puertasol é ótimo para fazer a happy hour de cara para o maior cartão postal de Madri.

O bar do terraço do Círculo de Bellas Artes, na Calle de Alcalá, cobra ingresso (€ 5,50) e é mais metido a chique. Mas o edifício é lindo, o serviço é bom e a vista para a Gran Vía e a área da Castellana é um escândalo.

Saiba mais sobre o Gourmet Experience > Mercados de Madri

Sobre o Bar Puertasol > Onde comer e beber em Madri

Sobre o Terraço do Círculo de Bellas Artes > Bares e restaurantes em Madri

Como chegar: a Estação Sol (linhas 1, 2 e 3) fica em frente ao acesso ao Bar Puertasol e a 300 metros do Gourmet Experience. Se quiser andar ainda menos para chegar a esse último, desça na Estação Callao, a 100 metros. Para chegar ao Círculo de Bellas Artes, as estações de metrô mais próximas são Banco de España (linha 2) e Gran Vía (linhas 1 e 5).

Museus de Madri

 

Incluí os museus de Madri neste post porque é preciso recomendar e repetir sempre e muito: eles são espetaculares e merecem estar no topo de sua lista de atividades na cidade.

Mas tem dois post atualizadíssimos e bem detalhados sobre eles, então, não vou me alongar aqui.

Os três mais famosos — o Museu do Prado, o Museu Reina Sofia e o Museu Thyssen-Bornemisza estão aqui neste post > Os três grandes Museusde Madri - uma trinca que vale a viagem.

A Maya Desnuda de Goya no Museu do Prado em Madri
A Maja Desnuda, de Goya, no Museu do Prado

Sobre o deslumbrante Museu Sorolla, a deliciosa Casa Museu de Lope de Vega (visita grátis), o Museu de História de Madri (gratuito), o Museu do Romantismo, o Museu Naval de Madri e a Real Academia de Belas Artes de São Fernando eu contei tudinho nesta postagem > 6 Museus em Madri pra ir depois do Prado, do Reina Sofia e do Thyssen.

Então, é só seguir os links, saber tudinho sobre os museus de Madri e se esbaldar com eles quando estiver na cidade. Mas vá mesmo, viu? Sua alma vai agradecer.



A Espanha na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
X (ex-Twitter) | Instagram | Facebook | Blue Sky

Nenhum comentário:

Postar um comentário