29 de março de 2017

Domingo em Madri - a Feira do Rastro e o Parque do Retiro

Barcos a remo no Parque do retiro, em Madri
Domingão madrilenho: que tal passear de barquinho no Parque do Retiro?
Domingo é chato? Em Madri, de jeito nenhum. Domingo em Madri tem a Feira do Rastro e o Parque do Retiro - que está disponível a semana inteira, verdade, mas fica muito mais interessante com a presença massiva de madrilenhos aproveitando seus encantos.

Mesmo viajando, costumo sucumbir à preguiça dominical, mas nem me atrevo a fazer isso em Madri, para não perder esses dois programas que adoro.

Feira do Rastro, Madri
Tem de tudo no mercado. Se sua ideia é fazer compras, pesquise com paciência
Sempre começo cedo, garimpando quinquilharias na Feira de El Rastro. Depois, basta uma curta viagem de metrô e lá estou eu no Parque do Retiro, para fazer companhia aos madrilenhos que espairecem no espaço verde mais famosos da cidade. 

O rastro e o Retiro são duas atrações de Madri  ao ar livre, gratuitas e divertidas que todo mundo devia experimentar.

Agora em janeiro, apesar do frio, fiz questão de repetir o passeio de domingo à Feira do Rastro e ao Parque do Retiro e voltei a me deleitar. Depois, foi só emendar com um almoço tardio no Mercado de San Antón e estava pronta a minha receita de perfeito domingão em Madri.

Veja as dicas do post e aproveite:

Músicos de rua na Feira do Rastro, em Madri
E tem música em El Rastro!
⭐Feira de El Rastro

Como chegar a El Rastro: a melhor estação de metrô é La Latina (Linha 5), mas Puerta de Toledo (também na 5), Tirso de Molina (Linha 1) e Emabajadores (Linha 3) ficam bem próximas.

Saindo do metrô La Latina, tome a Calle de las Maldonadas na Plaza de la Cebada; Na quadra seguinte você estará na Plaza del Cascorro, onde começa a feira.

Da Plaza Mayor, dá para ir a pé: desça a Calle de Toledo até a Calle de Las Maldonadas.

Horário: das 9h às 15 horas

Roupas e acessórios na Feira do Rastro, bairro de La Latina, Madri
Quinquilharias, artesanato, roupas novas e usadas, tem de tudo na Feira de El Rastro
A Feira de El Rastro é um centenário mercado de rua, armado todos os domingos e feriados no Bairro de La Latina. Chega a reunir 100 mil caçadores de pechinchas e quinquilharias, nos dias mais concorridos.

Tem de tudo na Feira do Rastro: das meias soquete a € 1 o pacote (as que comprei em 2006, na minha primeira visita, ainda estão vivas) a câmeras fotográficas, passando por cartazes de cinema, artesanato marroquino em couro (ótimas bolsas e carteiras) e lanternas tibetanas.


Barraca de roupas na Feira do Rastro, Madri

Ainda lembro da cara de preocupação da senhorinha a quem perguntei o caminho para El Rastro, na primeira vez que fui lá: “Segure muito bem essa bolsa”, insistia ela.

Não foi um conselho ocioso. Naquela muvuca da Feira do Rastro, é bom mesmo tomar cuidado com a bolsa.

Se você estiver com mais alguém, preste atenção pra não se perder de sua companhia ao se espremer contra a multidão para atravessar um trecho de rua mais, digamos, povoado. Mas vá sem medo, porque o clima de El Rastro é cordial

Da primeira visita — da qual guardo não só as meias, mas um kafieh palestino que já aqueceu muito o meu pescoço — até minha passagem mais recente pela Feira do Rastro, agora em janeiro, pouca coisa mudou.

O que significa dizer que o mercado continua divertidíssimo e uma ótima chance de encontrar tranqueiras antiguinhas pra decorar a estante ou até mesmo peças de artesanato de qualidade.

Feira do Rastro em La Latina, Madri
Todos os domingos e feriados, El Rastro ocupa vários quarteirões do bairro de La Latina. Os bares e restaurantes do entorno ficam abarrotados de gente
A origem da Feira de El Rastro é antiga. No Século 15 já havia um mercado de ruas na Ribera de Curtidores, uma ladeira íngreme que que se despenha rumo à margem do Rio Manzanares desde a Plaza del Cascorro

O que começou como um comércio de roupas baratas para a população empobrecida foi crescendo, com a chegada das barracas de víveres (carnes, principalmente) e a instalação de curtumes.

O primeiro matadouro de Madri funcionava ali. Dizem que foi ele quem batizou a feira, a partir dos rastros de sangue deixado pelas carroças que levavam as carcaças dos animais abatidos.

Curte feiras e mercados? Dá uma olhada no monte de lugares legais mundo afora já comentados na Fragata: Feiras e Mercados - Índice

Barraca de artesanato na Feira do Rastro, Madri

O Bairro de La Latina — assim batizado em alusão a Beatriz Galindo, erudita do Século 15 que foi professora e meio conselheira de Isabel de Castela, a Rainha Católica — é o bairro mais antigo de Madri, com origem na povoação moura que deu origem à cidade.

Com a fixação da capital em Madri por Filipe II, no Século 16, La Latina se tornou o endereço do povo pobre da cidade, espremido nos cortiços que caracterizaram a  área ao longo dos tempos.

Fisicamente muito próximo de esplendores como o Alcázar (antigo Palácio Real) e a Plaza Mayor, mas um mundo a parte. Hoje, La Latina é reduto de boemia. 

Há muitos restaurantes, cafés e tabernas na região da Feira do Rastro, mas costumam estar tão lotados quanto as ruas, nos dias da feira. Para sua sorte, o que não falta em La Latina são lugares interessantes para comer.

Alameda no Parque do Retiro, em Madri
Alameda do Parque do Retiro, área de lazer queridinha dos madrilenhos
⭐Parque do Retiro

Como chegar: a melhor estação de metrô é Retiro, na linha 2.

Horário: diariamente, das 6h às 24h, de maio a outubro, De novembro a abril, só até as 22 horas.

Lazer no Parque do Retiro, em Madri
O bom do Parque do Retiro é deitar e rolar na grama 
Meia garrafa de vinho, jamón, pão e queijo e uma canga pra me esticar. Se não chover, tá feita a minha farra domingueira em Madri, no agradabilíssimo Parque do Retiro.

O Retiro — bonito, seguro, grátis e fácil de chegar — é uma aposta sem erro para quem procura um programa relaxado nos fins de semana ou feriados na capital espanhola.

Fonte no Parque do Retiro, em Madri
O Retiro nasceu chique, exclusivo da corte, mas foi aberto ao público no Século 18
Apesar do meu approach quase farofeiro — e nada inusual naquele cenário — é bom registrar que o Parque do Retiro nasceu chique e ainda mantém a pose aristocrática, às vésperas de completar 400 anos de idade.

No Século 17, a vasta área verde foi povoada por fontes, estátuas e pavilhões para deleite do rei Filipe IV de Habsburgo e sua corte, uma espécie de “quintal” majestático do Palácio do Bom Retiro.

Músicos se apresentam no Parque do Retiro, em Madri
Músicos ajudam a criar o clima
O “Bom Retiro” que batizou o parque eram os aposentos destinados aos reis Habsburgo no Mosteiro dos Jerónimos de Madrid, que aí se recolhiam para orações e reflexão.

Como só um Quarto Real não seria suficiente, Filipe IV encomendou um conjunto de palácios, bosques e jardins para o local de seu retiro — a meditação, claro, foi substituída por folguedos mais cortesões.

Palácio de Cristal, Parque do Retiro, Madri
O Palácio de Cristal
A residência de recreio real deu o nome ao parque, mas não sobreviveu para contar a história: o Palácio do Bom Retiro foi demolido no Século 19.

Mas a área verde já tinha se consagrado como área de lazer. Primeiro, como espaço real privado, exclusivo da corte. Depois, como parque público: o Retiro foi aberto à população em geral no Século 18.

Palácio Velázquez, Parque do Retiro, Madri
Palácio Velázquez e, abaixo, o interior do Palácio de Cristal

Palácio de Cristal, Parque do Retiro, Madri

Hoje, o Parque do Retiro, com seu 1,18 milhão de metros quadrados (118 hectares), reúne alguns monumentos famosos, como o Palácio de Cristal e o Palácio Velázquez — hoje incorporados como espaços de exposição do Centro de Artes Reina Sofia — e o Real Observatório Astronômico.

Talvez o programa mais popular do Parque do Retiro seja remar um barquinho no lago artificial que fica aos pés do monumento ao rei Alfonso XII.

Mas bom mesmo é me esticar na grama para aproveitar o sol (no inverno) ou a sombra (no verão) e caminhar distraída pelas alamedas do parque antes de começar meu piquenique.

Palácio de Cristal, Parque do Retiro, Madri

Bosque del Recuerdo, homenagem às vítimas do atentado da Estação de Atocha, no Parque do Retiro em Madri
Bosque del Recuerdo (Bosque da Lembrança ou da Memória), construído em 2004 em homenagem às vítimas do atentado terrorista à Estação de Atocha. Estão plantados 170 ciprestes e 22 oliveiras para lembrar os 192 mortos
A Espanha na Fragata Surprise - post-índice

Mais dicas de Madri
Andaluzia: CádisCórdobaGranadaRonda e Sevilha
Castela e La Mancha: Toledo

Castela e Leão: SegóviaCatalunha: BarcelonaGirona Tarragona
Comunidade Valenciana: Valência
Galícia: Santiago de CompostelaCaminho de Santiago e cidades da rota




A Europa na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.

Navegue com a Fragata Surprise 

Nenhum comentário:

Postar um comentário