domingo, 16 de janeiro de 2011

Cativante Montevidéu! - post índice

Monumento a Artigas, Plaza Independencia, 
Centro de Montevidéu
Imagine uma metrópole sem barulho, sem tumulto e sem sombra de engarrafamentos. Essa é Montevidéu, a capital do Uruguai, uma das campeãs em qualidade de vida na América Latina. Na contramão das demais capitais sul-americanas, a cidade é um oásis com baixos índices de poluição, de criminalidade ou miséria.

O resultado é uma metrópole desestressada e desestressante: poucas horas depois de chegar a Montevidéu, eu já estava caminhando mais devagar, falando mais baixo e aprendendo a respirar com a calma esquecida no vai e vem da vida e pronta para aproveitar os bons restaurantes, bares charmosos e a temperatura de ar-condicionado em pleno verão.

Montevidéu não tem praias dignas de nota, nem monumentos famosos, mas é um destino de viagem delicioso. Você acha que está merecendo uma pausa? Pois achou o seu lugar. Veja o que você precisa saber para aproveitar sua viagem:


Quantos dias
Em três dias, você explora as principais atrações de Montevidéu. Vale a pena reservar mais um tempo para esticar até Punta del Este (praia) e Colonia del Sacramento (cidade colonial belíssima). Essas duas localidades são perfeitamente visitáveis em um bate e volta, mas eu recomendo que você durma pelo menos uma noite em cada uma delas, para explorá-las melhor.

Em um bate e volta ou numa esticada mais longa, Colonia del Sacramento é uma linda atração a 180 km de Montevidéu
A visita a Colonia del Sacramento também cai como uma luva para quem quer conjugar Montevidéu e Buenos Aires na mesma viagem, já que é de Colonia que partem os barcos rápidos e os ferries que atravessam o Rio da Prata até a capital argentina. 

Dicas gerais

Na Plaza Constitución sempre tem uma feirinha de antiguidades e artesanato
O que fazer em Montevidéu
Caminhar pela Rambla do Rio da Prata, ver o pôr do sol no Parque Rodó, namorar a arquitetura neoclássica da Plaza Independencia e da Avenida 18 de Julio, descobrir cantinhos descolados no tradicional Barrio Sur... Tudo em Montevidéu combina com calma e contemplação.

Comece pelo coração da cidade. A Plaza Independencia, onde está o Monumento a Artigas (herói da Independência uruguaia), é o ponto de partida ideal. Aí estão o Palácio Salvo, de 1928, em estilo eclético, que foi o primeiro arranha-céu da América do Sul.

A Calle Sarandi, com a Puerta de la Ciudadela ao fundo, e a Catedral de Montevidéum vistas do terraço do meu hotel
Depois disso, atravesse a Puerta de la Ciudadela, um fragmento remanescente da antiga muralha que cercava Montevidéu, e ingresse na Ciudad Vieja (Cidade Velha) pela Calle Sarandí, exclusiva para pedestres. 

Além das belas fachadas, livrarias e cafés que você vai encontrar nesta rua, recomendo muitíssimo a visita ao Museu Torres-García, dedicado à obra do artista que foi parceiro de Gaudí e é um dos meus pintores favoritos neste mundo.

Puerta de la Ciudadela, entrada da Cidade Velha, e o Museu Torres-García

Uma quadra para baixo da Calle Sarandi, na esquina de Buenos Aires com Bartolomé Mitre, outra atração imperdível, o belo Teatro Solís, inaugurado em plena Belle Époque (1856), a era que deu ao planeta alguns de seus teatros mais encantadores. Aproveite para fazer a visita guiada, que vale muito a pena (veja os horários aqui).

De volta à Calle Sarandi, você estará a poucos passos da Plaza Constitución, onde está a Catedral de Montevidéu e bem pertinho dos museus Histórico Nacional e o de Arte Pré-colombiana e Indígena (MAPI).

Mercado do Porto
Aproveite para almoçar no tradicionalíssimo Mercado delPuerto. Basta seguir a Calle Sarandí até a esquina com Perez Castellano, virar à direita e caminhar mais quatro quadras.

Duvido que depois do lauto almoço em um dos restaurantes de parrilla (churrasco) do mercado você tenha ânimo para muita agitação. Que tal explorar as belas livrarias antigas da Ciudad Vieja? 

Dependendo do horário, pegue um táxi até o Parque Rodó para ver o pôr do sol, como fazem os uruguaios (eles, sempre com a garrafa térmica com água quente e a cuia de chimarrão).

A Feira de Tristán Narvajas é um barato
Se você estiver em Montevidéu em um domingo, não pode perder a deliciosa Feira de Tristán Narvajas, o mercado de pulgas mais divertido e variado que já encontrei na vida. Dos livros ao legumes, passando por roupas usadas e animais vivos, tem de tudo por lá.

Outro programaço, especialmente no final de semana, é aproveitar as Ramblas do Rio da Prata. Elas começam na Cidade Velha, passam pela região de Pocitos (uma versão de Copacabana dos anos 50, menorzinha e muito mais sossegada) e vão até Carrasco, antigo bairro de mansões, próximo ao aeroporto.

Não perca a visita guiada ao Teatro Solís
Além de caminhar e ver o movimento, vale escolher uma mesa com vista para o rio em um dos muitos bares e restaurantes das Ramblas para relaxar e aproveitar a brisa. Eu já bati muito o ponto no El Viejo y el Mar, naRambla Mahatma Gandhi (área de Punta Carretas). Também gostei muito doRestaurante Hemingway, em uma ponta com bela vista para a cidade, na Rambla México, a meio caminho para Carrasco.

Veja os posts:

O Uruguai na Fragata Surprise
Colónia del Sacramento
Punta del Este

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário