21 de junho de 2011

Comer em Montevidéu: o diário de Pantagruel no Prata

Mercado do Porto de Montevidéu, Uruguai
Mercado del Puerto: quase tão disputado quanto as arquibancadas do Estádio Centenário de Montevidéu
Neste segundo capítulo da saga do meu amigo Glauco Eggers na final da Taça Libertadores da América, ficamos sabendo que a devoção santista não exige abstinências. 

Pelo contrário, há registros de empolgadas libações no Mercado del Puerto de Montevidéu, onde, diariamente, o bravo torcedor caía na salada — na morcela salgada, bem entendido. Fora os infinitos cortes de carne que ele provou só pra dar as dicas aqui na Fragata. Desprendimento é uma coisa linda, né?

Vejam a seguir o trepidante relato gastronômico do dedicado alvinegro. Pena que ele não explica por que se limitou a beber água, na sexta-feira...

Comer em Montevidéu: quarta-feira de arrepiar no Mercado del Puerto

por Glauco Eggers 

Um cyberamigo queria saber sobre os efeitos das cinzas do Vulcão Puyehue em Montevidéu. Um companheiro da lista santista respondeu: “Nenhum. Mas, Glauco talvez não saiba: ele vive cercado pelas cinzas das churrasqueiras”.

Realmente, eu almocei quatro dias seguidos no Mercado del Puerto, templo da parrilla — até pedi informações sobre outros lugares para comer, mas todos os locais afirmavam que lá era a melhor opção.
 
Portão do Mercado do Porto de Montevidéu
Os portões do Mercado: 
"Deixai toda dieta, vós que aqui entrais"
Não tenho elementos de comparação para ser tão categórico como os montevideanos. Mas atesto que come-se muito bem no Mercado. Sobre os preços, julguem vocês mesmos.
 Terça-feira, 14 de junho: chorizo, a primeira morcilla da viagem (morcilla salada, por supuesto), assado de tira (costela) — jugoso, por favor! — cebola e pimentão na brasa, uma cerveja Patrícia de 1 litro e café. A conta: 700 pesos uruguaios (menos de R$ 70). Com algumas exceções, o acompanhamento dos pratos é à parte, mas a quantidade é generosa.
Até entendo as razões de mercado, mas é triste constatar que, apesar de sermos uma população de bebedores de cerveja, nenhuma de nossas marcas predominantes se aproxima da qualidade da Cerveja Patrícia.
Churrasqueiro no Mercado do Porto, Montevidéu
O churrasqueiro santista: a tremidinha na imagem foi resultado da emoção
(Foto: Glauco Eggers + alguns litros de Patrícia)
Quarta-feira: Nunca antes na história desse país, isto é, do Mercado del Puerto, um episódio tão empolgante. O Dia d’O Jogo. Por horas seguidas, entravam e saiam santistas. O alarido só era interrompido para entoarmos nosso Hino e outros cantos.
Em 15 de junho de 2011, o Mercado del Puerto foi santista. Até um dos churrasqueiros vestia o manto.
 Ah, sim, o cardápio: Costillas de cerdo a la riojana (quer dizer, acompanhada de ovo, batatas fritas, pimentão assado e bacon) Preço: 380 Pesos Uruguaios. A conta final subiu, em decorrência das várias Patrícias. Nessa refeição faltou a morcilla. Eu pedi, mas não veio — perdoável, em face do momento estupendo.

Torcida Santista no Mercado do Porto de Montevidéu

Santistas fazem a festa no Mercado del Puerto
(Foto: Julyana Travaglia / Globoesporte.com)
Sou aficionado por morcilla, essa lingüiça feita do sangue e gordura do porco. Os demais ingredientes variam e elas são, tradicionalmente, saladas (salgadas). Devoro-as, religiosamente, sempre que as encontro.
No Uruguai, fazem também a morcilla dulce (doce), com passas de uva, ou mel ou pedacinhos de laranja. Provei, numa visita anterior a Montevidéu. Uma heresia! Lembrei de Obelix, consternado com a moda bretã de cozinhar o javali no molho de hortelã: “Coitado do bichinho”.

Quinta-feira: frutos do mar. Pulpo a la gallega e calamares salteados al aji, acompanhados de um tannat. Pelas condições geográficas e climáticas, esse tipo de uva adequou-se muito bem ao Uruguai. Conta: 1.000 pesos uruguaios.

Sexta-feira: miúdos. Morcilla, rinõn (rim), molleja (timo), chinchulín (tripas) , e morrón (pimentão) relleno. O recheio do pimentão é composto de ovo, bacon e presunto. Não me agradou, prefiro apenas o pimentão, na brasa. Água para acompanhar. Conta: 450 pesos uruguaios.
Torcida Santista no Mercado do Porto de Montevidéu
A torcida em festa no mercado: a fumaça é das churrasqueiras
(Foto: Glauco Eggers)
Dicas práticas
O Mercado Del Puerto não é mais um mercado, mas um espaço que abriga 14 estabelecimentos gastronômicos. A história do lugar pode ser consultada em sua página na net.
Câmbio: A taxa de câmbio normalmente encontrada foi a de R$ 1 por 10,80 Pesos Uruguaios. A melhor foi de R$ 1 por 10,90 Pesos. No aeroporto ou rodoviária, faça apenas o câmbio necessário para pagar o táxi, cujas tarifas são baratas em Montevidéu.
Curte feiras e mercados? Dá uma olhada no monte de lugares legais mundo afora já comentados na Fragata: 


Mais sobre Montevidéu

Dicas gerais
Meu roteiro por Montevidéu, Punta, Colonia e Buenos Aires
Dicas práticas – como chegar, circular e onde ficar
Salva por um Chivito – o clássico sanduba da Banda Oriental
“Jugosa, por favor!” Comer bem em Montevidéu
Livros, discos...as melhores compras em Montevidéu e Buenos Aires

Passeios
O charme de uma cidade cativante
Feira de Tristán Narvaja, o Bazar "del Oriente"
Museu Torres-Garcia – descubra um artista maravilhoso
O charme retrô de Montevidéu
Passeio pela Cidade Velha de Montevidéu
Santos campeão da Libertadores: a festa do vulcão

O Uruguai na Fragata Surprise
Colónia del Sacramento
Montevidéu
Punta del Este

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter | Instagram | Facebook

Um comentário: