18 de dezembro de 2021

Valeta, Malta: visita à Casa Rocca Piccola

Jardim da Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta
O ponto de partida da visita à Casa Rocca Piccola é o belo pátio ajardinado, com direito a fonte, flores e até passarinhos

Uma das atrações mais visitadas de Valeta é a Casa Rocca Piccola, um palácio do Século 16 que ainda é a residência da Família Piro, nobres malteses que chegaram à ilha procedentes de Rodes, junto com os cruzados, em 1530.

A Casa Rocca Piccola é contemporânea da construção de Valeta (final do Século 16). Após o grande cerco de Malta pelos otomanos (1565), os cruzados decidiram transferir sua capital de Birgù (La Vittoriosa) e construir uma nova cidade, Valeta, e muitas das famílias proeminentes mudaram para o novo centro do poder maltês.

Biblioteca da Casa Rocca Piccola
Muitos livros, obras de arte e mobiliário constroem a sensação de um passeio pelo cotidiano e pela história de uma casa nobre maltesa
 
Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta

Do Século 16 até os dias de hoje, a Casa Rocca Piccola passou por inúmeras reformas, incorporando novas edificações, desmembrando outras — a nobreza também faz puxadinhos, ainda que mais ornamentados 😊.

Uma visita a essa casa-museu é a oportunidade de ver um amplo mosaico de obras de arte, mobiliário e objetos decorativos que passeiam por seis séculos da História de Malta.

Veja como é a vista à Casa Rocca Piccola, um passeio que eu curti muito e super recomendo:

Visita à Casa Rocca Piccola

Sala de jantar da Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta
A sala de jantar pronta para o banquete e iluminada pelas generosas janelas que debruçam para o jardim

Um pouquinho da história da Casa Rocca Piccola

Segundo registros históricos, Cosimo de Piro, fundador da família proprietária da Casa Rocca Piccola, chegou a Malta em 1530, junto com os cruzados da Ordem dos Cavaleiros de São João.

Não custa lembrar que a transferência dos cruzados para Malta foi consequência da queda de Rodes, o antigo lar e praça forte da ordem, conquistada pelos Otomanos em 1522.

Saiba mais:
Rodes, a cidade dos Cavaleiros Cruzados
Rodes Otomana – o legado turco na Ilha dos cruzados

Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta


Mas não foram Cosimo nem seus descendentes que construíram o palácio. Essa iniciativa coube a Pietro La Rocca, almirante da esquadra da Ordem de Malta, em 1580.

Desde então, a Casa Rocca Piccola foi residência de várias famílias poderosas, até chegar aos descendentes de Cosimo de Piro.
 
Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta


Alguns historiadores apontam que Cosimo teria sido escravo dos cruzados. O que se sabe com certeza é que ele e seus descendentes ascenderam muito rapidamente na sociedade maltesa, alcançando um baronato. Ao longo dos séculos, os barões de Piro mantiveram vínculos estreitos com a igreja católica e com a Inquisição.

Desde sua construção, a Casa Rocca Piccola foi uma expressão do luxo e poder dos nobres malteses que a ocuparam. No Século 16, quando os jardins eram um luxo quase inacessível — a maioria das casas de Valeta sequer tinham autorização para mantê-los, por conta da dificuldade de abastecimento de água — o palácio já tinha um jardim famoso e chegou a ter 50 aposentos.

Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta
Dá vontade de se enroscar no sofá com um livrinho 😉

Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta
Os detalhes decorativos renderiam horas de bisbilhotice


O que ver na Casa Rocca Piccola

A Casa Rocca Piccola ocupa quase um quarteirão da aristocrática Rua da República, bem pertinho da Co-Catedral de São João (a maior atração do centro Histórico de Valeta e um dos grandes monumentos malteses). Apesar do tamanho, a fachada é discreta. As atrações, mesmo, estão da porta para dentro.

Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta
Acima, a biblioteca. Abaixo, o hall superior da escadaria e o teto de uma das salas da Casa Rocca Piccola

Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta


O acervo da casa Rocca Piccola reúne muitas obras de arte, uma biblioteca (daquelas que inspiram a se enroscar no sofá com um livrinho) e os arquivos da Família Piro, recheados de documentos históricos que ajudam a contar a história de Malta (contratos comerciais e de casamento, testamentos, processos judiciais) e têm sido fonte para pesquisadores da Universidade de Malta e da Universidade de Oxford.

Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta
Um dormitório da Casa Rocca Piccola: acima, um oratório, abaixo, a cama com dossel

Dormitório da Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta


Tem também a maior coleção privada de trajes antigos de Malta, abarcando um período que vai do Século 18 ao Século 20, e a maior coleção privada da tradicional arte da renda maltesa.

O mais interessante, porém, é ver os ambientes domésticos do palácio. Salas íntimas, salão de refeições, biblioteca, dormitórios e oratório, com seu mobiliário, peças sacras, louças, cristais e prataria, como se estivéssemos circulando pelo cotidiano da casa.

Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta
Diversos aposentos da casa têm vista para o pátio ajardinado da entrada

O roteiro da visita guiada é bem organizado, com informações que ajudam a compreender um pouco da história maltesa — mais precisamente, da classe dominante estabelecida no país a partir do domínio dos Cruzados no arquipélago.

No subsolo do palácio, preste atenção ao abrigo antiaéreo, onde os moradores se protegeram dos pesados bombardeios sofridos por Malta durante a II Guerra Mundial. 

A Casa Rocca Piccola rende uma visita muito fotogênica e agradável. Vale a pena colocar essa atração em seu roteiro em Malta.  

Ingresso para a Casa Rocca Piccola, Valeta, Malta


Dicas práticas da Casa Rocca Piccola
Endereço: 74 Republic Street, Valletta

Horários: As visitas guiadas, sempre em inglês, duram 45 minutos e são realizadas a cada hora, de segunda a sábado, entre as 10h e as 17h. 

Para quem não compreende o inglês, são oferecidos folhetos explicativos em diversos idiomas, inclusive português.

Ingressos: € 9

O restaurante La Giara, de cozinha mediterrânea, funciona nas dependências do palácio. Também é possível se hospedar na Casa Rocca Piccola, onde 5 quartos funcionam em esquema bed&breakfast. Para mais informações, siga o link.

 

Mais sobre Malta

Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook 

Nenhum comentário:

Postar um comentário