9 de fevereiro de 2021

O que comer e onde comer em Malta

Pratos típicos de Malta
Ensopado de coelho, pasta com frutos do mar, peixe lampuki... Comer em Malta é uma farra

Quando eu penso nas lindas paisagens, no mar irresistível e na história movimentada e empolgante de Malta, já me vem o adjetivo “delicioso” à cabeça. Mas esta palavra inunda mesmo os meus sentidos é quando eu penso na culinária maltesa.

Comer em Malta é um enorme prazer — tão grande que o país nem precisava ter todas aquelas outras delícias que eu listei no parágrafo anterior para ser um baita destino de viagem.

Como todo pedacinho de Mediterrâneo, Malta é um vasto e colorido mosaico de civilizações —contando as que dominaram efetivamente o arquipélago e as muitas outras que tentaram tirar uma casquinha de sua privilegiadíssima posição estratégica entre Oriente, Ocidente e África. 

Doces típicos de Malta no mercado de Marsaxlokk
Doces típicos de Malta no mercado de Marsaxlokk

Conquistadores dificilmente estão preocupados com as consequências culinárias e culturais que traçam ao longo de suas marchas, mas é inevitável que um rastro de temperos e aromas fique pelo caminho das tropas.

Em Malta, o resultado desse movimento é uma fusão de sotaques culinários que lembram a Grécia, a Sicília, o Oriente Médio e até os britânicos — que jamais serão acusados de inventividade na cozinha. Carne de coelho, pastizzi, frutos do mar (com destaque para o peixe lampuki) e as mil formas de rechear o pão ftira são algumas das estrelas do cardápio maltês.

Durante uma adorável semana, comi muito bem em Malta. Veja as dicas de pratos e alguns restaurantes que testei e aprovei:

 

Comer em Malta – que grande atração turística!

O que comer em Malta

Balcão de frutos do mar no Mercado Público de Valeta, Malta
Balcão de frutos do mar no Mercado Público de Valeta. Você escolhe e eles preparam na hora

⭐Frutos do mar

Basta olhar o mapa pra imaginar a fartura de bichinhos do mar na mesa maltesa, né? Eu me esbaldei com os mexilhões, lulas (calamari) e polvos. Você vai encontrar frutos do mar servidos das mais diversas maneiras, como petiscos e entradas ou prato principal. O ensopado de polvo típico de Malta tem grande reputação.

Balcão de frutos do mar no Mercado Público de Valeta, Malta

Um bom lugar para provar frutos do mar é o Mercado Público de Valeta (Is-Suq Tal-Belt), no Centro da capital e pertinho de atrações famosas, como a Co-Catedral de São João e os Upper Barrakka Gardens.

Lampuki

O peixe mais famoso de Malta não chega a ser exótico para nós, brasileiros — ele gosta de águas quentes e também aparece nas nossa Costa, atendendo pelo nome de dourado. Tem carne saborosa e é preparado em diversas receitas, como a famosa Tal-Lampuki (torta de peixe).

Eu provei um belo prato de lampuki assado no bar/restaurante Il Gabbana, no calçadão de Sliema.

Lampuki (dourado), peixe típico de Malta
Lampuki, o peixe mais popular em Malta

Cannoli de Malta, doce típico
Com amêndoas, pistache, chocolate... Os cannoli malteses são uma festa

Kannoli Tal-Irkotta (cannoli)

Tão pertinho da Sicília, Malta importou e adaptou à sua maneira os famosos cannoli da vizinha, para delírio dos fãs. Achei a massa do cannolo maltês mais espessa que a versão siciliana (rende um croc croc mais intenso, que eu amo) e adorei a bossa de acrescentar chocolate e nozes nessa festa. Outro acréscimo feliz é o de frutas carameladas.

Confesso que protagonizei um quase-vexame quando me vi diante das barraquinhas de doces malteses que apinham a beira-mar da vila pesqueira de Marsaxlokk.

Nougat ou torrone de Malta
O torrone maltês, ou nougat, também merece atenção 😉

As guloseimas são tão bonitas e variadas — e a quantidade é tão hipnótica — que quase ofuscaram meu principal objetivo na visita a Marsaxlokk, que era fotografar os lindos luzzijiet (usei a palavra especialmente pra esnobar uma das raras coisas que aprendi em idioma maltês: plural de luzzu, os barcos pesqueiros típicos de Malta, 😁).

Pastizzi

O pastizz (singular de pastizzi) lembra um pastel ou empanada, feito de massa folhada, com variado tipo de recheio (carne, queijo e, mais tradicionalmente, ricota). Simples, né? Pois simples coisa nenhuma.

Pastizzi, petisco típico de Malta
Pastizzi: se tem uma coisa que a perfeição não precisa é de pompa

Esse petisco crocante, servido quentinho em tudo quanto é canto — na rua, nos botecos, nos restaurantes... — é um dos atestados de que Malta, se não existisse, teria que ser inventada. E rápido.

Desde que coloquei meus pés no país, tornei-me irreversivelmente viciada no delicioso despojamento dessa preciosidade maltesa—se eu fosse escrever a frase em português claro, seria obrigada a admitir que eu comia mais de uma dúzia de pastizzi, todo dia. Mas sempre acho que minhas confissões de glutoneria passam longe da elegância.

Ensopado de coelho, prato típico de Malta
Ensopado de coelho: sorry, Pernalonga 

Fenek

Pernalonga, meu velho, desculpaê, mas um grande motivo pra visitar Malta é se esbaldar no talento local para preparar a carne de coelho — sim, fenek é coelho, a carne mais popular na culinária maltesa.

E o bicho fica tão gostoso que não dá pra sentir a menor culpa de traçar aquelas criaturinhas fofinhas, que saltitam para a mesa nas mais diversas receitas e fazem a gente suspirar.

Eu provei duas versões de pratos à base de carne de coelho nos dias que passei em Malta. A primeira, no meu jantar de estreia por lá, no tradicionalíssimo restaurante Ta-Kris, em Sliema, onde me deleitei com uma pasta com ragu de coelho que estava de chorar de deliciosa.

A segunda, foi o coelho ensopado que almocei no restaurante San Giovanni, de cara para a Co-Catedral de São João, em Valeta. 

Torta de amêndoas típica de Malta
Essas tortinhas de amêndoas e nozes transformavam cada pausa para o café numa festa

Torta frangipane e outros docinhos

O capítulo doce da culinária de Malta vai muito além dos cannoli  ainda que as barraquinhas de Marsaxxlok façam deles uma das coisas mais fotogênicas do país. 

Recomendo que você também prove o pudim de pão local (pudina tal-ħobż, que leva chocolate, amêndoas ou nozes e frutas secas) e o imqaret, pastelzinho de tâmaras, e as pasti tal lewz, um biscoito de amêndoas que é descrito como “macaron maltês”.

Mas o que realmente me fazia flutuar de emoção era a tortinha frangipane, recheada de creme de amêndoas, que sempre acompanhava minhas pausas para o café.

Qassatat, comida típica de Malta
Qassatat, mais um delicioso belisco maltês

Qassatat

Taí mais um belisco maravilhoso para aplacar aquelas fominhas que batem no meio de um passeio por Malta — e por um precinho sempre camarada, sempre na casa dos € 2. 

Qassatat é uma espécie de cestinha de massa crocante, tradicionalmente recheada com ricota. Digo tradicionalmente, porque você vai encontrar muitas variações de recheios — como de ervilha e de espinafre, que é um show de bola.

Pelo nome e pelo recheio, dá pra supor que a qassatat seja meio prima da cassata siciliana, né? Mas a versão maltesa é salgada. A melhor que provei foi nesse boxe do Mercado de Valeta que você vê na foto acima.

Ftira, pão típico de Malta

⭐Ftira

O famoso pão maltês vai aparecer muito — e de diversas maneiras — em seu caminho culinário pelo país.

O ftira lembra o pão italiano na cor e crocância da casca, tem certo parentesco com a ciabatta, na consistência do miolo, e é meio primo do bagel, no formato redondo e com um buraco no meio. Mas é gostoso que só ele.

Um bom sanduba de ftira vale por uma refeição — na qual você dificilmente gastará mais do que € 3 ou €4. O sanduíche geralmente vem acompanhado por batatinhas fritas e os recheios são bem variados.

Este que você vê na foto tinha queijo de cabra e espinafre e estava de morrer de bom. Foi devidamente homenageado (termo comportadinho para devorado) na lanchonete do parque público de Rabat, que fica de cara para as muralhas de Mdina. 

Restaurante em Valeta, Malta
No lindo cenário de Malta, você vai encontrar restaurantes charmosos e caseirinhos que servem pratos tentadores. Abaixo, um café tradicional em Valeta

Café em Valeta, Malta

Onde comer em Malta

Tinha ficado na dúvida em publicar as minhas dicas de cafés e restaurantes em Malta, pois a pandemia mudou tudo no mundo e eu temia que vários deles tivessem deixado de funcionar. 

Mas fiz uma checagem bem cuidadosa pela internet e, felizmente, todos os citados aqui no post ainda estão em atividade. Os horários de funcionamento foram atualizados com base nessa pesquisa.

Restaurante Ta'Kris, Malta
Ragù de coelho, a estrela de um ótimo jantar

⭐Ta' Kris

80 Fawwara Lane, Sliema
Diariamente, das 12:30h às 23h

Simples, autêntico e incrivelmente barato, Ta’ Kris é apontado como o melhor entre os restaurantes de cozinha tradicional maltesa na ilha. Jantei lá na minha primeira noite e só não voltei todas as noites porque a curiosidade de provar coisas diferentes não deixou.

Ta’ Kris funciona em uma espécie de bequinho ao qual se chega por uma escadaria, em uma transversal de The Strand, a rua da praia na Orla Sul de Sliema. É perto de tudo e facílimo de achar (tome como referência a estação de ferries de Sliema, que fica bem em frente à rua do restaurante. Na dúvida, procure o letreiro do McDonald’s).

Restaurante Ta'Kris, Malta
O restaurante vive movimentado. É melhor fazer reserva

Adorei meu jantar em Ta’Kris, onde provei uma deliciosa pasta com ragu de coelho, acompanhada por um bom vinho maltês. A conta foi de € 14,95.

Eu cheguei sem fazer reservas e encontrei mesa (vantagens de viajar sozinha 😉), mas a administração do restaurante recomenda que os clientes reservem mesa, especialmente quando o grupo for grande. Tem uma área no site do Ta'Kris para isso.

Mercado de Valeta, Malta
O Mercado de Valeta é um ótimo lugar para provar a variedade da culinária de Malta

Mercado de Valeta (Is-Suq Tal-Belt)
Triq il-Merkanti, s/n. Os restaurantes e a praça de alimentação funcionam diariamente, das 8h às 22h. O mercado de alimentos abre uma hora mais cedo, às 7h.

O Mercado de Valeta segue a receita que vem fazendo sucesso no mundo inteiro: um velho mercado coberto do Século 19 ganha um banho de loja para funcionar como “espaço gourmet” no Século 21.

Mercado de Valeta, Malta

Mercado de Valeta, Malta
A praça de alimentação fica no térreo do mercado

A fórmula deu certo em Malta, também. O velho Is-Suq Tal-Belt, uma bela construção em ferro, bem à moda do velhos mercados europeus, foi reaberto em 2018 e é uma ótima opção para quem quer provar a variada culinária maltesa a preços justo — com direito a beliscar também pratos mexicanos, japoneses e italianos, por exemplo.

O Mercado de Valeta tem dois pavimentos. A grande praça de alimentação, cercada por restaurantes que vendem do pãozinho aos frutos do mar — naquele esquema delicioso de você escolher o seu pescado, para ser preparado na hora —, funciona no térreo.

Mercado de Valeta, Malta
O mercado de gêneros fica no subsolo
Mercado de Valeta, Malta
Nem conto o quanto esses mexilhões estavam gostosos... 😊

Nos boxes variados você vai encontrar doces malteses, pastizzi com vários recheios, qassatat, polvos, lulas, peixes... Minha refeição mais cara no Mercado de Valeta foi um delicioso e imenso prato de mexilhões, a € 12.

No subsolo ficam os mercados de gêneros in natura, com balcões muito fotogênicos, que fazem a gente lamentar não estar em uma hospedagem com cozinha. 


Restaurante Il-Malti, Malta
Almocei muito bem em Il-Malti

⭐Il-Malti
96 The Strand, Sliema
Diariamente, do meio-dia às 23h.

Este restaurante de comida tradicional maltesa me proporcionou uma das melhores refeições dos sete dias que passei no país. Il-Malti fica no trecho fervidão da orla Sul (ix-Xatt) de Sliema e está sempre bem movimentado. Mesmo assim, cheguei sem reserva e consegui almoçar sem ter que esperar por uma mesa.

Queijo de cabra e pasta com frutos do mar, comida típica de Malta
Queijo de cabra frito e pasta com frutos do mar

Licor de Romã, Malta
O licor de romã tem uma cor tão bonita que ele nem precisava ser cheiroso e gostoso. Mas é
 
Pedi Gbejniet Moqlija (queijo de cabra frito e empanado) de entrada e Spagetti bil-Frott tal-Bahar (espaguete com frutos do mar) como prato principal. Ambos estavam notáveis.

Arrematei o ótimo almoço com uma dose do surpreendente — bonito, cheiroso e gostoso — licor de romãs servido na casa.

A conta foi de € 31, graninha muito bem gasta.

Charles Grech Bistro, Malta
Coq au vin no Charles Grech: que farra!

Charles Grech Bistro
59 Sir Adrian Dingli Street, Sliema
Aberto de terça a sábado, das 12h às 16:30h e das 18h às 23h

A Casa Charles Grech existe desde 1881, como empório de bebidas finas, vinhos e charutos e, na origem, tinha por freguesia a fina flor dos colonos britânicos em Malta. 

Mais recentemente, a companhia abriu esse bistrô, na Trik il-Torri, a elegante Orla Leste de Sliema, que honra a tradição da casa. Jantei divinamente lá, na minha última noite maltesa.

Restaurante em Malta: Charles Grech Bistro
Além de servir boa comida, o bistrô é bem elegante e tem atendimento irrepreensível
Restaurante em Malta: Charles Grech Bistro, Sliema


Até tentei fazer a frugalzinha, dispensando a entrada, mas não resisti aos patêzinhos e pães muito gostosos do generoso couvert. Pedi o coq au vin, que estava excelente — porção tão pantagruélica que não dei conta de exterminar.

A conta, com vinho, aperitivo e café, foi de € 32.

The Terrace beach club, Malta
The Terrace: minha primeira manhã em Malta foi assim

Calamares fritos em The Terrace, Malta
Essas lulinhas fritas estavam divinas

The Terrace
Fortina Spa Resort, Tigné Seafront, Sliema

Logo na minha chegada a Malta, antes de poder fazer check-in no hotel, passei uma manhã agradabilíssima neste bar, que faz parte do Beach Club Fortina, pendurado sobre o mar de Sliema.

Bom lugar para bebericar, olhar a paisagem e petiscar calamares fritos super crocantes e saborosos. A conta desta manhã preguiçosa e saborosa foi de € 17.

Cornetto e babà au rum em Malta
Não dá pra negar a vizinhança com a Itália, como provam o cornetto e o babà au rum

Tiffany’s Bistro
18 Tigné Seafront, Sliema
Diariamente, das 7h às 23h.

Na Orla Sul de Sliema, quase em frente à estação dos ferries para Valetta, o Tiffany’s era uma das minhas opções favoritas para o café da manhã, muito por culpa de seu balcão de doces onde nunca faltava babà au rum (€ 3,50), pra lembrar de Nápoles, e cornetto com recheio de pistache, pra matar a saudade da Sicília.

Sorveteria Amorino em Malta
Tem sorvete? Ah, já tô feliz!

Amorino
3 St. Anne Square, Sliema
Diariamente, das 12h às 23h

Eu sou, assumidamente, aloka do sorvete. Imaginem a felicidade de encontrar uma loja da Amorino, com seus ótimos gelatti, tão pertinho do meu hotel. Apesar do nome e do tipo de sorvete, a Amorino é uma casa francesa, como provam os levíssimos macarons que fazem grande companhia às muitas delícias geladas servidas lá

Na Amorino, o sorvete médio (regular cup) custa € 4,70. O macaron sai por € 1,80 a unidade.

Em tempo: eu tinha decidido não postar nada enquanto persistisse a pandemia de Covid-19. Sou uma convicta defensora do isolamento social como arma de combate às infecções e às mortes e viagens não combinam com o cuidado que precisamos ter conosco e com as outras pessoas. 

Com o início (ainda que lento) da vacinação aqui no Brasil, decidi voltar a atualizar a Fragata com as dicas não-perecíveis que trouxe de Malta e da maravilhosa Valência, meu novo amor na Espanha. É verdade que ainda vai demorar um bocadinho para podermos voltar a viajar, mas sonhar e planejar é um jeito muito gostoso de andar pelo mundo.

Restaurante em Malta: Il Gabbana, Sliema
Il Gabbana: ótimo cosmopolitan e mesinhas ao ar livre

Il Gabbana
Trik it-Torri, Calçadão de Sliema

Tive uma noite muito agradável neste charmoso café instalado em um quiosque da Sliema Promenade, na Orla de Torri. Nos meus passeios pela área, sempre via suas mesinhas ao ar livre bastante animadas, especialmente na hora do pôr do sol, e sempre planejava dar um pulo lá.

Finalmente, pintou a ocasião: foi lá que eu e Fran Agnoletto, que escreve o blog Viagens que Sonhamos, marcamos a nossa happy hour que virou jantar. Fran estava em Malta na mesma época que eu, fazendo intercâmbio de inglês — ela publicou dicas ótimas para quem quer estudar no país e passear bastante depois das aulas. Siga o link pra ver.

Restaurante em Malta: Il Gabbana, Sliema
O calçadão de Sliema fica delicioso, ao cair da tarde, e tem muitas opções de bares e restaurantes

Il Gabbana é uma casa é tradicional, funcionando desde 1956, e seu grande trunfo são as mesas ao ar livre, no calçadão, de cara para o mar. O bar serve um cosmopolitan bem decente (€ 7) e o peixe lampuki que pedimos estava bem interessante. Descontadas as bebidas, o jantar ficou na casa dos € 15 por cabeça.

⭐Il Galeone
Triq IxXatt ta Tigne, Sliema
De terça a sábado, almoço das 12:30h às 14:30h e jantar das 19h às 22h. Aos domingos, só almoço, das 12h às 15h.
Restaurante em Malta: Il Galeone Sliema
Fettuccine e tiramisù: bom jantar italiano em Sliema

Este restaurante simples e simpático, com mesas na calçada, fica a dois passos do hotel onde me hospedei em Sliema e acabou sendo escolhido, ao acaso, em uma noite em que eu estava com muita preguiça para pesquisas científicas sobre onde jantar. Pois fiz uma refeição muitíssimo decente em Il Galeone.

Como o nome da casa entrega de cara, o cardápio é italianíssimo. Pedi fettuccine al salmone, bem gostoso, e arrematei o jantar com um tiramisù bem acima da média. Com bebidas e café, a conta ficou em € 19,40.

Mais sobre Malta

Dicas práticas de Malta – como organizar sua viagem

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.


Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook 

2 comentários:

  1. Pensando seriamente em processa-la. Isso não se faz com pessoas que estão confinadas em casa e doidas para viajar. Maldade pura. Mas estás perdoada, em nome da boa gastronomia .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então... foi por isso que parei de postar na pandemia 😂. Mas, agoea que começou a vacinação, a gente já pode esquentar os motores.

      Excluir