domingo, 13 de janeiro de 2013

Coimbra: dicas práticas

Coimbra - linda de fazer o coração dar uma paradinha
Como chegar
Coimbra está 207 quilômetros ao Norte de Lisboa. De carro, dá para fazer em pouco menos de três horas, pela Rodovia A1 (ótima). Para quem vem do Porto, são 120 km, pela mesma A1, na direção Sul.

De ônibus
De Lisboa, a Rede Expressos tem diversos horários, partindo da Estação Rodoviária de Sete Rios. A empresa também faz o trajeto Porto - Coimbra. As passagens custam cerca de €13, mesmo valor do bilhete para quem vem da capital.


De trem
CP (Comboios de Portugal) tem vários horários ligando Coimbra ao Porto (Estação de Campanha) Os bilhetes custam €21,70 na primeira classe e €16,70 na segunda e a viagem dura cerca de uma hora, até a Estação Ferroviária de Coimbra B, que fica afastada do Centro. Daí, são mais cinco minutinhos até Coimbra A, no coração da cidade.

De Lisboa, os trens partem das estações Oriente ou Entrecampos. As passagens de primeira classe custam €32,80 e as de segunda, €22,80. A viagem no Trem Intercidades dura 1h45min. Há um trem regional mais barato, mas que faz o percurso em quatro horas.

A Sé Velha de Coimbra vista do Paço das Escolas, o edifício principal da Universidade
Onde ficar
Hotel Oslo 
Avenida Fernão de Magalhães nº 25, Centro

Fiquei hooooooras namorando esta vista, no terraço do Hotel Oslo - a lua cheia sobre Coimbra é uma cena inesquecível

Diárias de € 50 no apartamento duplo. Se fosse julgar pelas aparências, jamais escolheria esse hotel, pois o prédio é muito feio e mal cuidado pelo lado de fora (assim como a avenida onde ele está localizado).

Basta transpor a soleira, porém, e a má impressão se desfaz, pois o prédio está todo reformadinho, os quartos têm móveis novos — básicos, mas de bom gosto e confortáveis — e são impecáveis no quesito limpeza, assim como o banheiro.

Quem vê cara não vê coração: os quartos do Oslo são infinitamente melhores do que a fachada do hotel

Gostei especialmente de Lourdes, a senhora que nos recebeu no check in. Super eficiente, desde o primeiro contato, quando liguei de Fátima para corrigir uma informação sobre a reserva.

Com muita simpatia, ela abriu um mapa sobre o balcão da recepção e fez um verdadeiro “city tour” conosco, mostrando todas as principais atrações da cidade e explicando sua relevância histórica e cultural (quando saí para ver Coimbra, era como se já tivesse estado lá).


O Oslo também bate um bolão no quesito localização, a uma quadra da Estação A de trens e a uma curtíssima caminhada do Centro Histórico. Só é bom lembrar que "caminhada" em Coimbra, significa "subida" (e que subidas!), mas, acredite, escalar ladeiras nunca foi tão gostoso... 

Para quem viaja de carro, um detalhe importantíssimo: o hotel tem garagem (gratuita) e manobrista. O WiFi gratuito funcionou muito bem e o café da manhã, incluído na diária, tinha várias opções de bolos e pães e também de frutas (coisa rara em hotéis europeus mais baratos).

A tradicional Ladeira do Quebra Costas
No último andar do edifício funciona um bar/restaurante com uma vista para o Centro Histórico de Coimbra que é de rasgar a roupa. Alguns apartamentos também têm essa vista (nos andares mais altos, mas não era o caso do nosso.

Onde Comer

O Serenata
Largo da Sota, 6/7


Tradicional, acolhedor e pouco turístico, esse restaurante da Baixa tem bons preços e boa comida.

Pedimos  iscas de fígado (que eu não provei, porque fígado deve ser a única coisa sobre a face da terra que eu não como), muito elogiadas, e um bacalhau com natas muito saboroso.

O pudim de laranja da sobremesa também estava bastante interessante. Refeição agradável, a menos de €15 por pessoa.


Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário