domingo, 24 de março de 2013

Ilhas gregas: Spétses

Spétses, terra de uma heroína e dona das melhores praias 
das Ilhas Argo-Sarônicas
Confesso que fiz pouquíssimas fotos na Ilha de Spétses, minha segunda escala no cruzeirinho bate e volta às Ilhas Argo-Sarônicas, que fiz a partir de Nafplio (veja o post anterior, sobre a Ilha de Hidra). Aliás, para ser bem sincera, eu fiz praticamente nada em Spétses, a não ser ficar de molho nas águas simplesmente inesquecíveis da praia de Scholi, que teve ascensão instantânea ao topo da lista das minhas preferidas na vida!

O antigo baluarte guardava a entrada do porto de Spétses 
O atracadouro de Spéteses
Spétses não é tão bonita quanto Hidra. Falta-lhe a dramaticidade do relevo, que permitiria ao seu casario neoclássico as mesmas acrobacias de montanha das casinhas multicores de sua prima argo-sarônica.

Mas quem é que quer ver casas encarnando cabritos monteses, quando tem à sua disposição as melhores praias do arquipélago, cantadas em prosa e verso por todos que já tiveram o privilégio de mergulhar em suas águas perfeitas?

Tão maravilhosas que a gente não sabe se boia, se mergulha ou se simplesmente fica bem quietinha, para ver se o tempo passa mais devagar.

Spétses é um convide à preguiça. Depois da praia,
um passeio bem sossegado pelo calçadão à beira mar

Sucumbir ao hedonismo, porém, custou-me uma visita que planejei com certa ansiedade: queria muito ver o museu dedicado à memoria da almirante Laskarina Bouboulina, heroina da Guerra de Independência da Grécia, uma Maria Quitéria grega por quem desenvolvi o maior respeito, desde a primeira vez que li sobre sua história.

Eis a razão de eu ter feito tão poucas fotos em Spétses...
Aquele ser felicíssimo, ali no mar, sou eu :)
A praia de Scholi
Laskarina Bouboulina nasceu numa prisão, em Istambul, onde seu pai, armador da ilha de Hidra, estava encarcerado por sua participação na Revolução do Pelponeso, contra o domínio otomano, no final do Século18. Criada em Spétses como filha adotiva de um capitão mercante, casou e enviuvou de dois homens do mar. Transformou as heranças recebidas em uma das mais formidáveis frotas mercantes da região, logo posta a serviço da luta contra o domínio turco. A estrela era o Agamemnon, que ela comandou pessoalmente no bloqueio ao porto de Nafplio, durante a Guerra de Independência da Grécia.

Ao içar a bandeira grega no mastro de seu navio, ancorado no Porto de Spétses, em 13 de março de 1821, Bouboulina deu a senha para o início da rebelião. Depois do bloqueio a Nafplio, que determinou a rendição das tropas turcas na cidade, Bouboulina partiu para atacar Monenvasia e capturar a inexpugnável fortaleza.
Depois da guerra, Bouboulina seria assassinada por um comerciante de Spétses cuja filha havia fugido com o filho da almirante.

Pensando bem, não fui ao museu, mas creio que homenageei a memória de Bouboulina da melhor maneira, rendendo-me ao mar de Spétses que ela tanto amava. 


Como chegar
Se você está em Atenas, pode optar pelos ferries que fazem a rota regular entre o Porto de Pireu e Spétses. Entre as ilhas do Arquipélago Argo-Sarônico, ela é uma das mais distantes da capital. O trajeto dura cerca de duas horas e meia e a passagem custa €35 (cada perna). Outra alternativa é chegar por terra a Kosta, no Peloponeso, de onde partem ferries, lanchas rápidas e aquatáxis para a ilha.



De Nafplio, os cruzeiros de um dia até Spétses e Hidra, como o que eu fiz, são bem populares. Veja as informações no post anterior.

Para hospedagem em Spétses, consulte as agências locais. Os links estão reunidos na página do escritório de turismo grego, que você acessa aqui.


E já que estamos falando de Ilhas Argo-Sarônicas, segue a dica de como chegar a Poros, uma das mais cobiçadas desse arquipélago. Eu não fui até lá, mas apurei beeeeem direitinho (sou reporter, né, rsss).

De Atenas, os ferries para Poros partem do Porto de Pireu e fazem o trajeto em cerca de uma hora, com passagens a €22,50 (cada perna).

De Nafplio, é preciso ir até Gálatas, a 70 quilômetros (ônibus em dois horários, às 5:30h e às 14:30h, e apenas de segunda a sexta-feira, passagem a €8,20). De lá, os ferries fazem a travessia para Poros em 15 minutos.

Dicas para organizar uma viagem à Grécia


Nenhum comentário:

Postar um comentário