domingo, 11 de novembro de 2012

Grécia: o melhor de Nafplio

Bastou uma caminhada pelo calçadão à beira mar, em Nafplio, pra que eu caísse de paixão. Aquele castelinho de bonecas que você vê lá no fundo é o Bourtzi, uma das logomarcas da cidade

Geralmente, não levo muito a sério essas listinhas de "o melhor daqui e dali". Pra mim, cada lugar do mundo tem pelo menos um encanto. O olhar do viajante é o maior criador de maravilhas.

Resolvi postar essa relação aqui apenas para prevenir os leitores: não caiam no conto de "conhecer Nafplio" numa excursão pelo Peloponeso. Os roteiros das agências de turismo dedicam cerca de duas horas à cidade, no meio da gincana resfolegante pelos sítios arqueológicos da península (ArgosCorinto, Micenas, Epidauros, só para citar os mais próximos da cidade).

A Fortaleza da Palamidi (no alto à direita), herança da dominação veneziana, parece pairar sobre a cidade. Ela está a 200 metros de altura e é avistada de praticamente todos os pontos do Centro Histórico

Faço também outro alerta: você vai se apaixonar por Nafplio. E muito. Mesmo que não visite nenhum dos seus highlights. Mesmo que fique só nas caminhadinhas preguiçosas por suas ruas floridas ou passe horas  hipnotizado pelo azul do Egeu, numa mesa de um café à beira mar. Se não conseguir ir embora, não diga que eu não avisei.

Plateia Syntagma, a praça principal da cidade, calçada com mármores centenários (milenares, quem sabe?)

Ah, em tempo: há algumas maneiras de transliterar o nome da cidade (em grego Ναύπλιο). Entre as mais usadas estão Náuplion, Náuplia e Nafplion e, assim como Náfplio, todas estão corretas. Eu escolhi Nafplio porque é exatamente assim que soa a palavra, quando pronunciada pelos gregos: fplio.

Um cantinho sossegado da Plateia Syntagma. Ao fundo, uma mesquita do Século 18 que serviu de sede ao Parlamento Grego, logo após a independência, e, lá no alto, as muralhas da Acronafplia. À direita, um dos antigos acessos à Acronafplia (que a gente alcança depois de subir muitas escadas)

Minha lista do melhor da cidade 
Depois você faz a sua e me conta :)

1 - A combinação rara de História, patrimônio e paisagem

O calçadão à beira mar, margeado por bares, cafés e restaurantes que convidam a horinhas de deliciosa preguiça

Não é em qualquer lugar do mundo que a gente encontra construções tão bonitas e tão cênicas quanto as fortalezas de Palamidi, pairando a mais de 200 metros sobre a cidade (tão impressionante que ganhou um post só para ela), a Acronafplia ou o Bourtzi.

Pois Nafplio consegue reunir as três. Isso atesta sua importância militar estratégica, desde a Antiguidade, e evidencia como é especial o pedaço do planeta sobre o qual se assenta a cidade — uma península em formato de cabeça de águia, defendida por vertiginosos rochedos, no ponto mais recôndito de um golfo que, de tão estreito, quase parece um fiorde. Essa locação privilegiada confere uma dramaticidade muito especial às construções militares de Nafplio.

A "cabeça da águia" vista da Fortaleza de Palamidi. Observe as muralhas da Acronafplia (no centro) e o Bourtzi lindinho, todo compenetrado, tomando conta da entrada do porto
A vista dos antigos postos de vigia da fortaleza é sempre um escândalo

Acronafplia, debruçada sobre o mar, a 100 metros de altura (na "cabeça da águia"), registra ocupação humana desde o Século 7 a.C, um sítio que já abrigou construções religiosas de uma acrópole.

Depois, o local foi, sucessivamente, praça forte bizantina, franca e veneziana (as principais construções ainda de pé são desse último período, entre os Séculos 14 e 16). Só a subida até lá, por escadarias e ladeiras, já vale a visita.

Muralhas da Acronafplia

Ao longo de sua história, a Acronafplia sofreu muitos cercos e assaltos. Talvez o mais devastador tenha sido construção do medonho Hotel Xenia Palace, dentro de suas muralhas, na década de 70. O edifício permanece lá, como um monumento à falta de consciência sobre a preservação da memória e do patrimônio. Mas não invalida a vista do Egeu, de Nafplio e das montanhas da Argólida que se tem lá do alto.

O hotel "invasor" dentro das muralhas da fortaleza

Em tempo: "Acronafplia", numa tradução bem livre, significa "o ponto mais alto de Nafplio". "Acro" (ἄκρος), como em "acrópole", quer dizer "ponto culminante".

Receita para um fim de tarde perfeito: admirar o Bourtzi emoldurado pelas montanhas da Argólida, do alto das muralhas da Acronafplia

Comparado com suas irmãs nas alturas, o Bourtzi, erguido sobre um banco de areia, na entrada do porto, parece um castelinho de bonecas. Mas como esse bichinho sabe ser bonito e como compõe o visual da cidade, ao ponto de ter se tornado a logomarca de Nafplio (experimente googlar imagens da cidade e você vai ver que eu tenho razão).

Do calçadão do porto, barquinhos transportam os turistas  pela curta distância até o forte. Prefira ir no final da tarde, quando o sol estará no ângulo perfeito para a contemplação de Nafplio e das fortalezas.

O fim da tarde também é uma boa hora para pegar um barco
 e visitar o castelinho e ver o sol cair sobre a cidade

A história de Nafplio vem de muito mais longe que a presença das potências medievais que lhe legaram as três espetaculares fortalezas. Na Antiguidade, a área servia de porto à poderosa Argos. Um pouco desse passado pode ser conferido no Museu de Arqueologia da cidade. Apesar do acervo pequeno, ele surpreende pela qualidade das peças em exibição, traçando um interessante painel das ocupações humanas na área.


2 - O casario neoclássico, o perfume e as cores das ruas



O casario neoclássico de Náfplio é um encanto a mais em uma cidade que esbanja motivos pra a gente não querer ir embora nunca mais

É impossível não se apaixonar pelos balcões floridos de Nafplio e pelos imensos bougainvilles que sombreiam as ruas. Quem caminha pelo Centro Histórico não consegue evitar a sensação que está sendo seguido por uma profusão de sorrisos.



As fachadas "sorridentes" de Nafplio. Esse acabamento no telhado é tipicamente grego e você também vai vê-lo nos bairros mais tradicionais de Atenas

São as janelas da cidade que sorriem em todas as cores, na pintura das paredes e nas flores que completam o quadro. Aqui e ali, cúpulas bizantinas e traços otomanos, longe de quebrar o conjunto harmônico, temperam a arquitetura neoclássica, compondo uma marca peculiar e intransferível de Nafplio.

As ruas e escadarias de Nafplio: acho que a única sensação possível é a completa felicidade

E as ruas de Nafplio, ah, que espetáculo! Aquele emaranhado de becos, escadarias e ladeiras se entorta, volteia e parece que a única intenção é cercar o visitante de cores e simpatia.

Já disse que cheguei a Nafplio para ficar três dias, acabei ficando cinco, pelo simples prazer de andar à toa por aquele traçado ao mesmo tempo inextricável e completamente solar. Acho que nas ruas de Nafplio o único sentimento possível é a mais absoluta felicidade.

Os traços otomanos surgem aqui e ali e contribuem para o encanto da cidade

3 - O conjunto de parques públicos, no Centro da cidade

Preguiça felina. O famoso Leão da Bavária e o gatinho anônimo aproveitam a brisa para um cochilo.
O Leão da Bavária foi esculpido na rocha, encomenda do Rei Ludwig da Baviera (pai do primeiro rei grego, Otto, após o país se libertar dos turcos), em homenagem aos soldados bávaros mortos em uma epidemia de tifo que devastou a Argólida, no Século 19. A área onde fica a imensa escultura é um parque bem simpático, fora do centrinho

A combinação de balneário elegante, preciosidades históricas e a proximidade com alguns dos principais sítios arqueológicos da Grécia poderia ter feito de Nafplio uma muvuca turística insuportável. A cidade, porém, mantém aquela adorável atmosfera de lugar onde mora gente.

A antiga estação ferroviária de Nafplio agora abriga um simpático café, frequentado, principalmente, pelos moradores da cidade
Parque Kolokotronis, uma área verde gostosa, colada ao Centro Histórico. O nome é uma homenagem ao maior herói da Independência Grega, Theodoros Kolokotronis

A prova disso é a grande área verde que começa em Plateia Elefteria (Praça da Liberdade, onde fica a Prefeitura). Os espaços mudam de nome (Parque Kolokotronis, Parque Staikopoulos, Praça Kapodistrias...), mas é tudo uma coisa só: uma gostosa reunião de cafés, jardins, parquinho infantil e veredas sombreadas por árvores seculares, onde os moradores da cidade se divertem, principalmente nos finais de tarde.

Meu programa preferido era começar o dia no café que funciona na antiga estação ferroviária, cercada de gente da cidade que lia o jornal e comentava as novidades.

O pequeno Messi avança para marcar um golaço, sem fazer a mínima cerimônia com o calçamento histórico de Plateia Syntagma. Ao fundo, o Museu Arqueológico (ótimo programa), instalado em um edifício veneziano do Século 18

4 - A base perfeita para visitar sítios arqueológicos imperdíveis

O Castelo de Larissa, em Argos, o sítio arqueológico de Micenas...
... e o Teatro de Epidauros: três maravilhas pertinho de Nafplio

De Nafplio, partem ônibus diários diretamente para os sítios arqueológicos de Epidauros e de Micenas. É um conforto e tanto. É só descer em frente a bilheteria e visitar essas duas maravilhas da Argólida. E ainda dá tempo de voltar a Nafplio para um mergulho na Praia de Arvanitia, aos pés de Acronafplia. 

Para vistar os vestígios da antiga Corinto, dá um pouquinho mais de trabalho: é preciso ir até o Istmo e pegar outro transporte.

... e Nafplio ainda tem esse praião aí. O mar de Arvanitia é pura Grécia

A apenas quatro quilômetros do Centro de Nafplio está o sítio arqueológico de Tirinto, que foi uma importante cidade da civilização micênica. As ruínas estão abertas à visitação e é muito fácil chegar até lá de ônibus (saindo do posto da KTEL, em frente à Prefeitura). A melhor maneira, porém, é ir a pé, acompanhando os trilhos do trem. Segundo a mitologia, era em Tirinto que Hércules descansava entre seus 12 trabalhos.

Se quiser ilhas, o Arquipélago Argo-Sarônico é do ladinho de Nafplio. Eu fiz um bate e volta massa a Hidra (esq) e Spétses
Outra visita bacana e muito fácil de fazer (tem ônibus para lá a cada 30 minutos) é a Argos, a 11 quilômetros de distância de Nafplio. A mitológica cidade de Perseu, o matador da Medusa, é uma das mais antigas ocupações do planeta, com seis mil anos de presença humana ininterrupta. Argos tem vestígios arqueológicos bem preservados. O Castelo de Larissa, construção veneziana, é uma das principais atrações da cidade.

Nafplio também é uma base excelente para quem quer visitar Hidra e Spétses, duas ilhas fofas do Arquipélago Argo-Sarônico.


Mais sobre Nafplio

A Grécia na Fragata Surprise:
Atenas




O campanário da Catedral de Agios Giorgios (São Jorge),
 com a Fortaleza de Palamidi ao fundo

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Linda, mesmo, Moacir. Nafplio eh uma paixão

      Excluir
  2. Oi, Cyntia. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir
  3. Oi Cyntia, seus posts sobre Nafplio serviram de inspiração pra mim! Conheci aquela fofura de cidade só por causa deles. Indiquei dois deles no meu blog (Papodeturista.com). Espero que não tenha problema. Bjim

    ResponderExcluir