sábado, 9 de março de 2013

Epidauros: espetacular!

O teatro emoldurado pela paisagem da Argólida, 
esse pedacinho especial do Peloponeso
A 30 km de Náfplio, nos arredores da cidadezinha de Ligourio, fica uma das maiores maravilhas da Grécia. O complexo religioso dedicado a Asclépio (Esculápio), o deus da cura, floresceu a partir do Século IV A.C, célebre pelas curas “milagrosas”, pelas competições esportivas realizadas em honra dos deuses, a cada quatro anos e, principalmente, pelo espetacular Teatro de Epidauros, um prodígio de acústica utilizado até os dias de hoje.
O famoso Teatro de Epidauros era destinado ao entretenimento dos pacientes do Asclepeion, o centro de cura
O sítio arqueológico é delicioso. O vale onde ele se encontra foi tombado e as construções estão proibidas em toda a área, preservando a bela paisagem da Argólida. Todo o conjunto do Asclepeion fica em meio a um bosque de pinheiros.

As árvores refrescam e perfumam as trilhas entre os vestígios de templos, banhos, consultórios, alojamentos, ginásio, estádio e, claro, o teatro, que é a visão mais espetacular desse conjunto.

O sítio arqueológico fica no meio de um bosque de pinheiros


O mais interessante aqui, porém, é entender a concepção de cura praticada nesse santuário, que reunia o místico, a ciência rudimentar, o esporte e a arte.

O Teatro foi construído não só para entreter os pacientes do Asclepeion: o poder da catarse despertada pelas tragédias encenadas aqui, acreditava-se, tinha poderes curativos (conclusão da qual os psicanalistas de hoje não discordariam muito).

O "labirinto de Hades"...
... está sendo parcialmente reconstruído
Misticismo, razão e inconsciente trabalhavam juntos para reorganizar a saúde. Um dos edifícios mais impressionantes (atualmente em restauração) é um altar circular com uma câmara subterrânea, uma espécie de labirinto, que simulava os caminhos de Hades (o deus governante do mundo dos mortos) a serem percorridos — desvendados? — pelos sacerdotes.

Os pacientes, ao chegar, iam aos banhos, ofereciam sacrifícios e eram postos para dormir, para que, em sonhos, vislumbrassem tratamentos e curas — um contato com o divino ou com o próprio inconsciente?

O Templo de Asclépio

Desde o Século VI A.C., esse lugar era dedicado ao culto de Apolo, o sol, deus da morte súbita, das pragas e doenças e da cura, representação da beleza, do equilíbrio e da razão. Asclépio, filho de Apolo, “herdou” o vale e o santuário, onde também era cultuada sua filha Hygeia, deusa da saúde. 

No museu que funciona no sítio arqueológico estão expostas oferendas e ex-votos encontrados nas escavações realizadas no complexo do Asclepeion.

Se você falar bem no meio do palco, dá para ouvir lá da última fileira. Tem um monte de gente que paga esse mico. No dia da minha visita, um inglês declamou Shakespeare. Eu aplaudi
Mas é claro que a construção mais impactante é o teatro. É uma visão que a gente não esquece, surgindo entre as árvores, um espetáculo de 2.300 anos de idade, colossal e básico, ao mesmo tempo. Despido dos adornos que deve ter ostentado no passado, ele preserva o essencial, a acústica impressionante, que permite ao expectador da última fileira ouvir os sussurros ditos no centro do palco.

No dia da minha visita, enquanto eu admirava o lindo teatro emoldurado pelas montanhas da Argólida, sentadinha na sombra, no mais alto degrau da arquibancada milenar, um senhor (inglês, por certo, pelo sotaque) brindou a todos nós com Shakespeare. Meio insólito, mas bonito, mesmo assim.

Vestígios do Katagogeion, o alojamento dos pacientes

Dicas práticas
A entrada do sítio arqueológico
Como chegar 
O Sítio Arqueológico de Epidauros (Asclepeion) fica a 140 km de Atenas e a 40 km de Nafplio. Não confunda com a cidade antiga de Epidauros (Palaia Epidavros) ou com a cidade nova (Nea Epidavros), que ficam próximas

Chegar ao complexo do Asclepeion é bem fácil. A Grécia tem dessa gentilezas: há ônibus diretos para os principais sítios arqueológicos, que deixam os visitantes em frente à bilheteria.

De Atenas, eles partem diariamente do Terminal A, às 9h, com retorno às 18:20. A viagem leva duas horas e meia. Durante o verão, há uma partida às 17:20h, para quem vai assistir às encenações e concertos no Teatro. A passagem custa € 12,50.

O Estádio, destinado a competições esportivas. O esporte, assim como as encenações teatrais, entretinham os pacientes e faziam parte do processo de cura
De Nafplio, os ônibus partem do Terminal da KTEL, na praça principal da cidade, em três horários (10:15h, 12h e 14:30h). Para voltar, são quatro horários: 12h, 13h, 15:45 e 18h. Apesar da curtíssima distância (30 km), a viagem leva uma hora, com uma parada em Argos. 

Para quem vai de carro, a área de estacionamento é bem ampla.


Comodidades
Mesmo  com os maravilhosos bosques de pinheiros, não se descuide do sol: leve chapéu, litros de protetor solar e uma garrafa de água. Convém levar uma fruta ou um sanduichinho, também. Dentro do sítio arqueológico não há bares ou lanchonetes.

Há uma barraquinha, em frente ao portão de entrada, que, no dia da minha visita, vendia apenas refrigerantes e sorvetes. Quem quisesse almoçar teria que caminhar debaixo do solão até Ligourio, a cerca de quatro quilômetros de distância. Eu cheguei em Nafplio às 17h horas, mortinha de fome...

O Museu Arqueológico de Epidauros, que funciona dentro das ruínas, exibe peças escavadas na área...
... como ex-votos e oferendas dos pacientes
Visitação
O sítio arqueológico fica aberto desde as 8h até as 18h, exceto quando há espetáculos à noite. A entrada custa €6.

O sítio é muito bem sinalizado, com plaquinhas explicativas detalhadas. Mesmo assim, procure ler um pouco sobre o local antes da visita, pois isso com certeza vai enriquecer muito a sua experiência. Em todos os sítios arqueológicos que visitei na Grécia, eles têm o carinho de entregar um folhetinho com mapa e informações básicas sobre o local, junto com o ingresso. Também é uma mão na roda.

E não deixe de visitar o museu que funciona próximo à entrada, que é pequenininho, mas é o máximo.

Vestígios do Propileu, o pórtico monumental que dava acesso ao complexo de cura de Epidauros, expostos no museu do sítio arqueológico
Dicas para organizar uma viagem à Grécia


A Grécia na Fragata Surprise

Destinos
Atenas

Dicas gerais




Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.


Navegue com  A Fragata Surprise

Twitter     Instagram    Facebook    Google+

3 comentários:

  1. Isso é que é história!!!! Em qual mês você esteve lá Cyntia? Tive a impressão que o calor esta em cena!!
    Ana Silvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estive lá em no final de setembro, Ana. Fazia um calor inacreditável (perfeito para o banho de mar). Mesmo mais ao norte, em Meteora, o tempo estava bem quente. Voltei da Grécia dia 4 de outubro, e nada do Outono dar as caras...

      Excluir
  2. Me diga uma coisa, o banho de mar é para baiano?? Pergunto isso pq só consigo tomar banho de mar da Bahia pra cima rs
    O resto é muito frio!

    ResponderExcluir