18 de agosto de 2012

Chile: como ir à vinícola Concha y Toro de transporte público


Vinhedo da Vinícola Concha y Toro, Chile
Vinhedo da Concha y Toro: dá para ir de metrô

Ir ao Chile e não visitar uma vinícola é mais ou menos como ir a Salvador e não comer acarajé.

Afinal, o país é quase um sinônimo de vinhos na América do Sul, reputação conquistada principalmente a partir da ressurreição da uva Carménère, que era considerada extinta até rebrotar em terras chilenas, nos anos 90.

Vinícola Concha y Toro, Chile
Se você dispensar a excursão, vai fazer um passeio muito mais econômico

Visitar vinícolas no Chile é um programa gostoso e que nem precisa ser caro. Basta dispensar a excursão e usar o transporte público, pois a várias bodegas bem próximas de Santiago.

É muito  fácil fazer esse passeio por conta própria. Neste post, organizei as dicas de como ir à Vinícola Concha y Toro de transporte público, por conta própria, pra você também organizar seu passeio.

Loja de vinhos e wine bar da Vinícola Concha y Toro, Santiago
A loja e o wine bar da Vinícola Concha y Toro

A Vinícola Concha y Toro é a mais procurada pelos turistas que passam por Santigo do Chile. Além da proximidade com a capital, ela também deve essa popularidade á fama internacional de seu vinho blockbuster, o Casillero del Diablo.


Essa vinícola tradicionalíssima é a principal produtora e exportadora de vinhos da América e Latina e está entre as 10 maiores empresas vinícolas do planeta. 


Entrada da Vinícola Concha y Toro, nos arredores de Santiago do Chile
A entrada da vinícola
A bodega original da Concha y Toro, nos arredores de Santiago, recebe em média 750 visitantes por dia, todos os dias do ano. Ela fica a 25 km do Centro da capital e é acessível de metrô.

Nessa temporada mais recente em Santiago, visitei a Vinícola Concha y Toro por conta própria e recomendo o passeio. Veja como foi:


Como ir à vinícola Concha y Toro de transporte público

Tonéis de vinho guardados na "bodega mal-assombrada" da Vinícola Concha y Toro
A famosa "bodega mal-assombrada" de D. Melchor

O super solícito Joaquín, do Mito Casa Hotel Boutique, onde me hospedei em Santiago, me ajudou a montar o passeio.

Ele fez minha reserva no tour guiado da Concha y Toro dois dias antes da minha visita (gracias por todo, Joaquín!). Reservar com antecedência é essencial e você pode fazer isso pela internet, no site da vinícola.

Vinícola Concha y Toro, Chile
Todo o espaço em torno das instalações da bodega é muito bonito e bem cuidado, o que torna o passeio muito agradável

Marquei minha visita para o meio dia de um domingo e foi super fácil chegar à Concha y Toro de metrô.

Como os trens da Linha Azul do metrô correm pela superfície, assim que se afastam do Centro de Santiago, a viagem da capital até a vinícola dá direito a uma bela vista para as montanhas durante boa parte do percurso.


Percurso de metrô de Santiago à Vinícola Concha y Toro, Chile
Durante o percurso do metrô, a gente faz um aquecimento para a visita, observando outras vinícolas pela janela do vagão

Como é o tour guiado na Vinícola Concha y Toro
A sede da Vinícola Concha y Toro é bem bonita, especialmente o parque que cerca a mansão em estilo vitoriano, do final do Século 19, construída como casa de campo dos fundadores da viña.

O tour pela vinícola, porém, é muito basiquinho — sem contar que os vinhedos, coitadinhos, não ficam nada fotogênicos no inverno, reduzidos a meros galhinhos secos, à espera do calor.


Casa dos fundadores da Vinícola Concha y Toro, em estilo vitoriano
A mansão vitoriana da família Concha y Toro agora abriga escritórios e salas de reunião. Está cercada por  um parque e jardins em estilo inglês. Impossível não pensar em uma cena de Jane Austen

O guia Henrique, muito atencioso, conduz os visitantes pelas diversas instalações da Vinícola Concha y Toro, com direito a paradinhas para degustação de vinhos.

O "ponto alto" da visita guiada à vinícola é a descida à "bodega maldita", adega que seria guardada por Belzebu em pessoa. Essa, pelo menos, foi a lenda espalhada por Don Melchor Concha y Toro, patriarca da vinícola, para espantar os larápios que roubavam suas garrafas de vinho na calada da noite.


Bodega da vinícola Concha y Toro
Dois momentos da adega Concha y Toro: normalzinha, durante o expediente (esq), e em plena ribalta, encenando a visita de Belzebu, durante o espetáculo de som e luz

Um brevíssimo espetáculo de som e luz conta a história da "bodega mal-assombrada"e arranca alguns gritinhos de susto dos visitantes.


Como organizar a visita à Vinícola Concha y Toro
As agências de Santiago oferecem visitas a diversas vinícolas. Talvez valha a pena contratar o pacote (bate e volta) para ir ao Vale do Colchagua, a cerca de 150 quilômetros de Santiago.

Para ir à Concha y Toro, porém, é bobagem pagar 23 mil pesos pelo passeio.


Vista para as montanhas da Vinícola Concha y Toro, Chile
A Concha y Toro fica no Vale Maipo, com vista para as montanhas

Localizada no Vale do Rio Maipo, encostadinho a Santiago, a melhor maneira de chegar à Vinícola Concha y Toro é de metrô, pela linha azul (ou linha 4). 

Você pode descer nas estações de Plaza de Puente Alto ou Las Mercedes e seguir de táxi. Calcule uma hora e meia para o total da viagem. 

As visitas à vinícola são feitas com hora marcada e, se houver muita procura, os atrasadinhos podem ter dificuldade para ser encaixados em outros horários. Seja pontual!


Centro de visitantes da vinícola Concha y Toro
Centro de visitantes da vinícola

Da Estação Plaza de Puente Alto até a Concha y Toro são menos de dez minutos de táxi e a corrida custa cera de 3 mil pesos. 

Na hora de voltar, não se preocupe se não houver táxis esperando na saída da vinícola: peça aos seguranças da Concha y Toro, que eles chamam pelo rádio.


jardins da vinícola Concha y Toro, Chile
Os jardins da vinícola têm um climão bem romântico

O tour guiado à Concha y Toro precisa ser agendado com pelo menos 24 horas de antecedência, pelo site da vinícola.

Há três tipo de visitas guiadas à Vinícola Concha y Toro, que variam de acordo com a quantidade e qualidade dos vinhos degustados. A mais simples (campeã de audiência) custa 8 mil pesos e dá uma visão bem basicona do funcionamento do lugar.


jardins da vinícola Concha y Toro, Chile


É claro que a Concha y Toro tem uma loja de vinhos bem fornida. Porém, a perspectiva de sair por aí com algumas garrafas castanholando na bolsa não me animou muito às compras.

Achei mais divertido sentar numa mesinha do wine bar da vinícola, ao ar livre, e aproveitar o dia maravilhosamente azul na companhia de umas copitas de vinho e uma excelente empanada de pino.


Depois de fazer o tour e curtir os jardins da vinícola, relaxe no Wine Bar Concha y Toro com uma taça de vinho e uma empanada de pino 😋

➡️ Viña Concha y Toro 
Avenida Virginia Subercaseaux 210, Pirque, Santiago

Visitas: diariamente, das 10h às 17. O Wine Bar e a loja de vinhos funcionam das 9:30 às 18:45h. Telefones:  (+56-2) 4765680, 4765334, 4765269.


➡️Empanadas de Pino
"Pino" significa caldo, o molho que deixa essas empanadas recheadas com carne, cebola, ovos cozidos e azeitonas especialmente suculentas.

Essa é a modalidade mais popular de empanadas chilenas. Deliciosa simplicidade num país que prima pela boa comida. Valem a viagem.

Mais sobre Santiago

O Chile na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter | Instagram | Facebook

Um comentário:

  1. Muito bem descrito e ilustrado. Também fiz este passeio de metro que proporciona ao turista uma aproximação com a população local e a apreciação da paisagem, uma vez que o metro quando afasta do centro é de superfície.

    ResponderExcluir