sábado, 6 de agosto de 2016

Peso da Régua - um passeio pelo Rio Douro

O barco zarpando de Peso da Régua rumo a Pinhão
Está procurando um passeio lindo pra fazer em Portugal? Pois então você precisa passar algumas horinhas navegando pelo Alto Douro. De março a outubro, esse é um jeito muito gostoso e relaxado de ver a belíssima paisagem da primeira região vinícola demarcada em todo o mundo, feita de montanhas muito verdes riscadas por terraços de cultivo de uvas e pontuada por belos solares com alguns séculos de história.

Nesta passagem por Portugal, em junho, eu fiz o cruzeiro entre as cidades de Peso da Régua e Pinhão, trecho que é considerado o coração do Douro Vinhateiro e é classificado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Adorei a experiência e recomendo muito. Organizei todas as dicas aqui neste post, pra facilitar a sua viagem.

Os terraços de cultivo das vinhas - chamados de socalcos - são paisagem tombada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade
Pequeninha (são seis mil habitantes da área urbana, e outros 11 mil nos distritos e zona rural), Peso da Régua entrou no mapa por ser o centro geográfico do território onde crescem as melhores uvas para a produção do vinho do porto — se você olhar no mapa o curso do Rio Douro, desde a fronteira Portugal/Espanha até sua foz no Atlântico, vai ver que a fica bem no meio do caminho.


No Século 18, quando o vinho do porto começou a se consolidar como um grande filão nas exportações portuguesas, o Marquês de Pombal decidiu criar a Companhia Geral das Vinhas do Alto Douro, que detinha o monopólio do comércio do vinho, e delimitar a área de produção, para evitar que colheitas de outras plagas, de menor qualidade, fossem confundidas com as uvas de lá. 

Peso da Régua, ou apenas Régua, como dizem os locais, passou a ser uma espécie de capital informal da primeira região vinícola demarcada em todo o mundo.

A antiga sede da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, em Régua, é hoje um museu dedicado à preservação da memória da atividade econômica e das tradições das comunidades da área
Régua tem um patrimônio arquitetônico interessante, que vale a caminhada
A Companhia Geral já não existe mais (sua sede agora é o Museu do Douro), mas a atividade econômica continua de vento em popa. Régua se mantém como "capital" da região produtora. Em paralelo a isso — e totalmente por causa disso — o turismo não para de crescer na cidade.

Os cruzeiros pelo rio são a atração mais procurada. Eles partem do cais turístico da cidade, de março a outubro, e são puro cinema: é só encontrar seu lugarzinho ao sol (meeeesmo) no convés e se deleitar com o desfile das margens do Douro. Você vai ver vinhedos escalando as montanhas, organizados em terraços de cultivo (os socalcos). 

Os passeios de barco partem do cais turístico de Régua entre março e outubro

A paisagem é uma harmonia que ondula no ritmo do sobe e desce das encostas e só é quebrada pelo aparecimento de algum velho solar de uma quinta produtora de vinho, de uma ponte com traços modernos ou pela curiosidade de "subir de elevador" em uma eclusa.

Se você tiver tempo e estiver de carro, vale explorar essa paisagem também por terra, parando nas vinícolas para sessões de degustação e para ver de perto as belas casas senhoriais dessas propriedades. A maioria recebe visitas, com agendamento prévio. As duas mais famosas no trecho entre Régua e Pinhão são a Quinta do Vallado e a Quinta dos Seixos.

Navegando entre Régua e Pinhão, dá para admirar os antigos solares das vinícolas. Muitas dessas propriedades recebem visitas e são uma boa pedida para quem está de carro e tem mais tempo na região
Em Régua, não deixe de dar um passeio a pé pelo centrinho e pela beira-rio para ver um pouco do bonito conjunto arquitetônico dos séculos 18 e 19 que a cidade preserva - morri de pena de não ter tido mais tempo para explorá-lo.

Como chegar a Peso da Régua

De carro - Peso da Régua está 120 km do Porto, a maior parte do trajeto pela moderníssima e impecável rodovia A4, a estrada que segue até Vila Real (e já famosa por conta do longo túnel sob as montanhas, o maior da Península Ibérica, inaugurado em maio de 2016).

Rodovia A4, entre Amarante e Peso da Régua
Nós fomos a Régua em um bate e volta saindo de Amarante. Na ida, pegamos o tapete moderníssimo da A4, um trajeto de 60 km que vencemos em menos de uma hora (com direito à travessia do túnel interminável, com quase 6 km).

Na volta, pegamos a N101, com seus 40 km de incontáveis curvas inacreditavelmente fechadas – já contei aqui no blog que, de puro instinto, eu liguei a seta antes de entrar em várias delas, mas são muito piores do que simplesmente virar uma esquina.

A partida de Régua

Dizem que a paisagem da N101 é um espetáculo, mas eu vi muito pouco dela, porque já estava escurecendo quando saímos de Régua. Percorrê-la à noite foi mais ou menos como dar uma volta de quase duas horas em um trem fantasma, andando a menos de 40 km por hora e raramente conseguindo engatar a terceira marcha — e permanentemente à beira do abismo. Como estou aqui escrevendo este post, você pode perceber que acabou tudo bem :)

Estação ferroviária de Peso  da Régua
De trem - Da lindona Estação São Bento, no Porto, partem os trens da Linha do Douro em diversos horários. A viagem até Régua leva cerca de 2h20min no trenzinho regional que compensa a lentidão com a beleza da paisagem na janelinha, já que ele margeia o rio ao longo de todo o trajeto.


Como é o cruzeiro de Peso da Régua a Pinhão
São várias as modalidades de cruzeiros oferecidas na região, algumas incluem almoço e ida e volta no barco. A mais comum é a que combina a ida de barco de Régua a Pinhão e o retorno no trem regional. Por conta do horário, escolhemos esta, que custa € 24 por pessoa.

Pegamos o barco das 16 horas (é preciso estar às 15:45h no cais) operado pela empresa Rota do Douro. A navegação leva cerca de uma hora e meia, passando pela Barragem do Bagaúste, onde o desnível do rio é vencido pela elevação da embarcação em uma eclusa.


A passagem da eclusa, na Barragem de Bagaúste
A chegada a Pinhão é por volta das 17:30h e é preciso seguir direto para a estação de trens da vila (onde é servido um cálice de vinho do porto é servido aos passageiros, acompanhado de pastéis de nata ). O embarque no trem regional é às 18 horas e a viagem de volta a Régua demora cerca de 45 minutos.

O barco no qual viajamos é bem robusto, com dois conveses abertos aos passageiros. Em um deles há um salão climatizado, com mesas e bancos estofados. Na parte de fora e no convés superior há poucas cadeiras e quase nenhuma sombra (capriche no kit protetor solar/óculos escuros/chapéu), especialmente no verão, porque o sol naquelas bandas não fica devendo nada a uma beira de praia baiana.

O barco tem um bar que serve vinho do porto (claro!), refrigerantes e salgadinhos de pacote.


Onde comer em Peso da Régua
A cidade de Régua (e seu entorno ) está ficando famosinha pelos bons restaurantes. Infelizmente, o horário do nosso cruzeiro era meio inconveniente para uma experiência gastronômica, pois a maioria dos restaurantes ainda não estava aberta para o jantar. 

Como ainda não tínhamos almoçado, arriscamos uma casa de cara simpática, Tapas & Companhia, que, como diz o nome, é especializada em refeições ligeiras. Gostei muito do lugar e super recomendo. Minhas impressões sobre ele estão neste post:


Um encanto à parte desse passeio é a estação de trens de Pinhão, antiguinha e decorada com painéis de azulejo que descrevem as diversas etapas da produção de vinhos


Mais opções para ver a paisagem do Douro
Cruzeiro das 6 Pontes – (50 minutos) navega pelo Douro na altura do Porto e de Gaia e vai até perto da foz do rio. Já tinha feito esse passeio em 2011 e contei como foi neste post: Como aproveitar uma conexão: 8 horas na Cidade do Porto. Gostei tanto que repeti, nessa nova passagem por lá.


Outros cruzeiros – as empresas de navegação oferecem cruzeiros pelo Alto Douro com durações que variam de um dia, partindo do Porto ou Gaia, até uma semana a bordo, com paradas nas vilas, cidades e vinícolas do trajeto.

Do caso dos cruzeiros bate e volta, os barcos sobem o Douro até Régua ou Pinhão e o retorno é no trem regional, cujo trajeto margeia o rio. 

Há muitas ofertas na internet e vale uma boa pesquisa antes de escolher.

Estação ferroviária de Pinhão

Comboio Histórico – de junho a setembro, a CP, empresa de trens de Portugal, oferece um passeio entre Régua e o Rio Tua, afluente do Douro, pelos trilhos que margeiam o curso d’água. A composição histórica é puxada por uma locomotiva a vapor e tem cinco vagões antigos.

O bilhete de ida e volta custa € 37,50. A empresa tem pacotes combinados que incluem o transporte, também de trem, entre diversas cidades e Régua para o embarque no passeio histórico. Neste verão, os passeios estão sendo realizados aos sábados e domingos (também às quartas-feiras, durante o mês de agosto). Para mais informações, consulte o site.


Portugal na Fragata Surprise
Roteiros
20 dias em Portugal - roteiro de carro
Roteiro de carro redondinho: de Lisboa a Santiago de Compostela

Dicas gerais
De carro em Portugal: como organizar sua viagem
Portugal: 8 razões pra voltar (sempre e muito)
Dicas práticas: de carro entre Lisboa e Santiago de Compostela
Os viajantes, as crises e a vida real
Perdida na tradução: o Português de Portugal

Comer/beber/petiscar
Muito além do Bacalhau: o que comer - e onde comer - em Portugal
A mesa portuguesa ou Pantagruela rides again
Lisboa: Mercado da Ribeira - reunião de delícias portuguesas
Doces portugueses: tentações com origem divina
Surpresa: hambúrguer português bate um bolão. Três lugares para praticar o sacrilégio
A fantástica fábrica de pastéis de Belém
Mercado do Bolhão, no Porto, pra viajar com os cinco sentidos
Porto: café com estilo no Majestic e Guarany

Hospedagem

Onde me hospedei em Portugal (Aveiro, Porto, Coimbra, Évora e Lisboa)
Amarante: o charme da hospedagem rural
Hospedagem em Alcobaça: Solar Cerca do Mosteiro
Lisboa: duas dicas de hospedagem
Hospedagem na Cidade do Porto: Hotel Aliados

Destinos
Lisboa

Fim de ano na Europa: vale a pena? Como foi meu Natal em Lisboa
Museu Nacional de Arqueologia: bom passeio em Belém
Mirantes de Lisboa: 7 lugares pra ver a cidade do alto e se apaixonar
Tesouro de Portugal: o Convento do Carmo, em Lisboa
Lisboa: como aproveitar uma conexão (dicas práticas e passeios)
Minhas melhores memórias de Lisboa
A fantástica fábrica de pastéis de Belém
Lisboa: Mercado da Ribeira - reunião de delícias portuguesas
Bertrand, a livraria mais antiga do planeta

Alcobaça
O que ver no Mosteiro de Alcobaça

Hospedagem impecável: Solar Cerca do Mosteiro

Amarante

Um lugar para encontrar o coração de Portugal
O charme da hospedagem rural

Aveiro
Capital da Arte Nova

Batalha

O que ver no Mosteiro da Batalha

Braga
O que ver em Braga em um bate e volta a partir do Porto

Coimbra 
Coimbra: simpatia prévia e encanto para toda a vida
Onde ouvir o Fado de Coimbra
Coimbra: dicas práticas
Uma visita à Universidade de Coimbra
O Convento de Santa Clara
Museu Nacional Machado de Castro: lindo, surpreendente, imperdível

Évora
O que fazer em Évora
Évora - dicas práticas
Como organizar um bate e volta a Évora a partir de Lisboa

Passeio lindo nos arredores de Évora: o Castelo de Montemor-o-Novo

Fátima
Dicas práticas

Óbidos
Paixão instantânea

Porto

Dicas práticas
O que fazer no Porto
Lello, a livraria mais bonita do mundo
Cidade do Porto: aos pouquinhos, eu vou ficando...
Como aproveitar uma conexão: 8 horas na Cidade do Porto
Cidade do Porto, terra de navegadores
Mercado do Bolhão, no Porto, pra viajar com os cinco sentidos
Porto: café com estilo no Majestic e Guarany

Serra da Estrela
Um passeio por Seia, Piódão e outros encantos


Setúbal
Dicas práticas
Setúbal: boa surpresa portuguesa


Vila Nova de Gaia
O que fazer em Vila Nova de Gaia


Caminho Português a Santiago de Compostela
Valença do Minho
Caminho de Santiago: começando a jornada



Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

14 comentários:

  1. Saudades de Portugal, fortalecidas por seus posts, claro. BjO!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma hora dessas a gente precisa combinar uma reunião da Mochilinha Gaúcha com a Fragata Surprise em Portugal, Paula.
      Bjo

      Excluir
  2. Maravilhoso post, as fotos são lindas se aprecia a qualidade da câmera :-) e magia do lugar, parabéns! Portugal sempre me passa uma sensação de paz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Márcia. Portugal tem mesmo muita coisa linda pra se ver.

      Excluir
  3. Oi, Cyntia. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir
  4. O Douro é uma das minhas regiões preferidas aqui em Portugal. Uma sugestão que posso dar aos seus leitores é experimentar subir um pouco mais o rio, "depois" do Pinhão. Precisa de tempo, mas a região do Douro Internacional é belíssima. Grande abraço desde Portugal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu a dica, Filipe. Vou experimentar na próxima visita :)

      Excluir
  5. Comprei o passeio de barco de Régua até Pinhão para o dia 31 de maio, quarta-feira, quero voltar de comboio para Régua, gostaria de comprar o ingresso do comboio com antecedência, é necessário? e onde comprar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adelaide, se vc comprou o passeio turistico, é bem provável que o bilhete do trem já esteja incluído. Foi o nosso caso: os 24 euros da passagem incluíam a ida no barco e a volta no comboio regional.
      Verifique se essa foi a midalidade que vc comprou. Caso contrário, vc pode tentar comprar pela internet (site da CP, a companhia de trens) ou mesmo nas estações de trem - do Porto, de Regua, de Pinhão...
      Acho que vc vai amar o passeio :)

      Excluir
  6. Obrigada, Cyntia. Chegarei com um dia de antecedência em Peso da Régua, então lá tomarei as providencias quanto ao bilhete de trem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blz. Não deixe de verificar se não está incluído :)

      Excluir
  7. Pode se comprar passagem de barco de Régua a Pinhão no mesmo dia?

    ResponderExcluir