quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Antigua, Guatemala - dicas práticas

O Parque Central, a antiga Plaza Mayor da cidade colonial, e a Catedral 
Se você está buscando uma cidade bonita, charmosa e dona de muita história para seu próximo destino de viagem, aposto que vai amar Antigua. A antiga capital da Guatemala colonial tem tudo para conquistar um coração viajante: paisagem, patrimônio histórico, hotéis aconchegantes e restaurantes deliciosos. e tudo isso a apenas 40 km do Aeroporto de La Aurora, a porta de entrada no país.

Neste post, organizei as principais dicas práticas pra ajudar a planejar uma visita à fofíssima Antigua: como chegar, como circular, como agendar passeios bacanas, informações sobre segurança e preços na capital colonial da Guatemala. Agora é com você. Aproveite.


Leia também

O que fazer em Antigua
Hospedagem em Antigua em um hotel/museu
Onde comer em Antigua

Como chegar a Antigua
A antiga capital da Guatemala é o destino turístico mais concorrido do país, o que garante uma vasta oferta de transporte para lá, partindo do Aeroporto de La Aurora.

Táxis, vans e transfers privados fazem ponto na área de desembarque do terminal e não é rara a abordagem dos motoristas, oferendo o serviço.

Opte pela segurança: contrate seu transporte previamente, em agências de viagem, ou nos balcões das empresas certificadas que operam no aeroporto.

Ruínas do Convento de la Merced
O transporte em vans compartilhadas custa entre US$ 10 e US$ 20. As tarifas de táxi ou transfer privativo ficam entre US$ 30 e US$ 40.

Antigua está a cerca de 40 km da Cidade da Guatemala. É pertinho, mas o trajeto do aeroporto ou do Centro da capital até lá pode durar de 40 minutos a duas horas, dependendo do trânsito.

O melhor trajeto é pela autopista moderna e muito bem conservada, onde o trânsito flui melhor.

Os charmosos pátios de Antigua: sempre uma surpresa
Quando viajei do Aeroporto de La Aurora para Antigua, chegando de Tikal, passava das 22 horas. Usei um transfer privado (US$ 40) e levei cerca de 50 minutos para chegar. 

O transporte havia sido previamente contratado com a mesma agência que organizou minha ida a Tikal, a Travel Center Guatemala. A empresa não tem site, só essa página no Facebook. Pode parecer improvisado, mas eles trabalham direitinho. Também dá pra chamar o dono da agência, Saul, pelo Whatsapp 502 5888 8089.

O horizonte é sinuoso, mas as ruas são muito planas
Como circular em Antigua
Em contraste com seu muy sinuoso horizonte, Antigua é muito plana e convidativa para quem gosta de andar a pé. O calçamento de pedras irregulares exige um pouquinho de atenção (lembra Paraty), mas isso é tudo.

Quando cansar da caminhada, a opção é pegar um tuc-tuc, carrinhos montados sobre motos que funcionam como os táxis locais.

Algumas ruas preservam as placas com os nomes antigos
Como se orientar em Antigua
Os poéticos nomes originais das ruas da velha capital colonial foram substituídos por uma nomenclatura bem pragmática, onde ruas e avenidas ganharam números.

O tabuleiro de xadrez traçado a régua das vias de Antigua foi dividido em quatro. Ruas e avenidas acrescentam um “sobrenome” à sua numeração, definido pelos pontos cardeais.


As ruas a Oeste da 4ª Avenida são as calles ponientes (começando pela 1ª, depois 2ª, 3ª e assim por diante). A Leste da 4ª Avenida, elas se chamam calle oriente. As avenidas também mudam de nome: “para cima” (no mapa) do Parque Central, o sobrenome que vem depois da numeração é Avenida Norte. “Para baixo” do parque, Avenida Sul.

As vias que correm na direção Norte-Sul são as avenidas. As que correm de Leste para Oeste são as ruas.


Segurança em Antigua
Circulei a pé por Antigua dia e noite e em momento algum me senti em risco. A cidade é bem policiada e apesar de receber um grande contingente de turistas, consegue manter o astral de lugar onde mora gente—um elemento essencial à segurança.

Não aconselho, porém, que você dê bobeira pelas românticas ruas seculares. Os índices de criminalidade na Guatemala são bem altos e Antigua, ainda que muito mais segura que a capital, não é imune a furtos e roubos.

O maior risco, como acontece na maioria dos pontos de concentração de turistas, são os batedores de carteiras. Assaltos são mais raros, mas não inéditos. Evite ruas escuras e desertas à noite. Na dúvida, vá de tuc-tuc.

Tenha cuidado nas visitas aos morros ao redor da cidade, especialmente ao Cerro de la Cruz. Prefira ir em grupo, com as agências que organizam passeios e providenciam segurança.

Mercado de Artesanato de El Carmén: bom lugar para exercitar a arte da pechincha
Preços
Antigua tem tudo para ser um destino barato — quando a gente chega lá, vê que os custos são bem razoáveis. O que atrapalha é a pouca informação sobre a cidade na internet. A escassez de fontes de pesquisa é inimiga da economia—o pouco que tende a aparecer no google e nos sites específicos geralmente são os empreendimentos mais estruturados e mais caros.

Agora que já fui e já sei quais são as áreas mais legais para ficar na cidade, vejo que é possível encontrar pousadas e hotéis de qualidade a partir dos R$ 150 a diária (para janeiro, boa época) nas ruas mais centrais da parte histórica, onde estão os bons bares, cafés e restaurantes e o agito.

Os balcões floridos são parte do charme de Antigua
É perfeitamente possível comer muito bem em Antigua sem precisar quebrar o porquinho. Minha refeição mais cara na cidade custou R$ 100, mas a média de almoços e jantares foi bem mais em conta, na casa dos R$ 35, sem contar as bebidas alcoólicas.

A cidade tem opções bem decentes a preços ainda menores: lembre-se que Antigua é um concorrido centro de escolas de espanhol que recebe intercambistas do mundo inteiro e tem toda uma gama de serviços voltados para esse público, do restaurante ao hostel.


Passeios em Antigua e arredores
Nas agências da cidade é possível contratar passeios guiados, excursões ou traslados a atrações próximas, como o Mercado de Chichicastenango, realizado às quintas e domingos, a cidade de Panajachel, porta de entrada do Lago Atitlán, ou ao Vulcão Pacaya, por exemplo.

Para ir a Chichicastenango e a Panajachel, usei os shuttles compartilhados da agência Antigua Tours by Elizabeth Bell, cuja dona é uma historiadora muito reputada como guia. A ida e volta a Chichicastenango custou US$ 40. O transfer a Panajachel ficouem US$ 20.

Fiz um tour a pé, privado, pelos principais monumentos históricos de Antigua com um guia providenciado pela Travel Center Guatemala. O serviço custou US$ 30 e foram 3 horas de passeio.

A Guatemala na Fragata Surprise
Roteiro Panamá e Guatemala: 2 semanas na América Central
7 motivos para visitar a Guatemala
Antigua
O que fazer em Antigua
Hospedagem em Antigua em um hotel/museu
Onde comer em Antigua
Cidade da Guatemala
O que fazer na Cidade da Guatemala
Cidade da Guatemala: dicas de hospedagem
Chichicastenango
O célebre mercado indígena de Chichicastenango
Tikal
Roteiro e todas as dicas para organizar a viagem à capital da Civilização Maia
Lago de Atitlán
A paisagem encantadora do maior lago da Guatemala




Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter    Instagram    Facebook    Google+

Um comentário:

  1. Bah, que legal. A Guatemala está no meu roteiro da viagem que deve durar até o Alasca. Brigada pelas dicas.
    Beijos,
    Rafa Ely
    www.melevaembora.com.br

    ResponderExcluir