10 de dezembro de 2017

Guatemala - onde comer em Antigua


Do tradicional  ao contemporâneo, as opções são muitas e excelentes
A muy sedutora tradição do chocolate — aprendida com os ancestrais maias — um dos melhores cafés produzidos no planeta e uma culinária rica, cheirosa e condimentada fazem de qualquer temporada em Antígua uma festa para o paladar. A cidade é o destino turístico mais concorrido da Guatemala e sua ótima oferta de restaurantes e cafés não decepciona.

Tem alternativas para todos os bolsos. Desde os restaurantes chiques para os endinheirados guatemaltecos que passam férias e feriados na cidade, opções de qualidade a bons preços para quem quer comer bem sem ter que quebrar o porquinho e até grandes pedidas para orçamentos apertados — afinal, Antígua é um popularíssimo centro de intercâmbio para estudantes de espanhol e essa moçada, que vem de todas as partes do mundo, também quer boa comida a preços honestos.

Passei três dias inteiros em Antígua (quatro noites) e me esbaldei nas delícias locais. Veja minhas dicas de pratos, restaurantes, cafés e docerias na cidade.

Epicure
3ª Avenida Norte (entre 2ª e 3ª calles Oriente). De segunda a sábado, das 10h às 21h. Domingos, das 10h às 19. Site> Epicure Antigua

O jardim é um tempero relaxante nas refeições
Bem em frente ao Mercado de Artesanato del Carmén, esse misto de mercearia e bistrô foi responsável por uma das minhas melhores refeições em Antigua, ainda que eu estivesse buscando apenas um lugar sossegado para um despretensioso desjejum tardio.

A origem do Epicure é bem interessante: o casal proprietário montou a loja/restaurante para vender os produtos que cultiva em uma fazenda de Tecpan, a 50 km de Antigua, onde desenvolve um projeto social com a comunidade local.

Grande café da manhã
A mercearia é bem cotada na cidade e confesso que fiquei com um olho bem comprido na direção das prateleiras de guloseimas, mas não experimentei.

O restaurante, porém, eu aprovei com louvor. Instalado em um agradabilíssimo e sossegado jardim, serve pratos leves, preparados com ingredientes produzidos na fazenda dos donos e oferece também opções sem glúten, sem lactose e veganas. Os sucos de frutas são deliciosos.
As saladas e sanduiches (como o gostosão da foto acima) custam em média 80 quetzales (R$ 35). Os pratos de carne ou porco ficam entre 130 (R$ 58) e 180 (R$ 80) quetzales. Recomendo vivamente.


Guat-Ik Bistro
4ª Avenida Norte (entre 3ª e 4ª calles Oriente). Fechado às terças-feiras. No restante da semana, funciona das 12h às 22h. Site> Guat-Ik

Guat-Ik: bonito, charmoso e gostoso
Amei este restaurante charmoso, colorido e super contemporâneo, onde fiz talvez a melhor refeição em Antigua. A casa é relativamente nova, mas já está cotadíssima – com toda justiça. Localizada no miolo mais fervido do Centro Histórico, tem um atendimento impecável.

O menu do Guat-ik Bistro faz uma releitura da cozinha tradicional guatemalteca com toques de outras terras, procurando utilizar o máximo de ingredientes produzidos por agricultores locais. resultado é ótimo.

A saladinha e o tapado: sedução à primeira vista
Os pratos seduzem primeiro o olhar, depois o olfato e, na primeira garfada, já cumprem direitinho o que prometeram das etapas anteriores. Eu pedi uma salada e, na sequência, o prato mais famoso da casa, o tapado, releitura de uma receita tradicional da região de Livingstone (na Costa Atlântica da Guatemala): ensopado de frutos do mar com leite de coco e gengibre, camote, batata e banana, servido na casca do coco — delicioso!

O Guat-Ik não é barato, mas também não assusta. O tapado custa 160 quetzales (R$ 70) e minha conta, com entrada e refrigerantes, ficou em 220 quetzales (R$ 100), que achei muito bem pagos.


7 Caldos
3ª Calle Oriente, ao lado do Hotel Museo Casa Santo Domingo. De segunda a quinta, das 7h à meia-noite. Sextas e sábados, até 1h da manhã. Aos domingos, das 8h às 18h. Veja o menu > 7 Caldos

Gallina criolla: eu precisaria ser três para dar conta dessa porção
Bom, bonito e barato, o 7 Caldos fica bem ao lado o hotel onde me hospedei e funciona direto, do café da manhã ao jantar, com um cardápio bem variado. O destaque é a comida guatemalteca tradicional e caseira e alguns hits que nos acostumamos a associar à culinária mexicana, como os tacos — também presentes nas mesas da Guatemala.

A especialidade da casa, como o nome já confirma, são os caldos, perfeitos para as noites frescas de Antigua (depois do pôr do sol, a temperatura cai bastante, ainda mais quando chove).

Outra estrela do cardápio é o pepián, molho cheio de personalidade, temperadíssimo com várias pimentas, pepitas (sementes de abóbora torradas e moídas) e gergelim — e cuja base, pasme, é o chuchu. É servido sobre arroz branco, como acompanhamento para frango ou carne.


Tive um jantar pantagruélico no 7 Caldos, acalentada por uma maravilhosa gallina criolla — sopa deliciosa, acompanhada de frango assado na brasa, arroz, salada, abacate e pimenta. Comfort food em porções industriais, que exigiriam três Cyntias pra dar conta de tudo.

Lugar agradável, acolhedor e com preços muito em conta. Gastei 60 quetzales (R$ 26).


El Pinche 
4ª Avenida Sur, esquina com 3ª Calle Oriente. De segunda a quarta, das 7h às 22h. Quintas, sextas e sábados, das 7h às 23h. Aos domingos, das 7h às 21h.

Decoração bem humorada e ótimos preços
Essa casa de tacos mexicanos é perfeita pra uma refeição rápida, barata e gostosa. Fica no meio da área mais fervida do Centro Histórico, o que o torna ainda mais atraente quando bate aquela fominha no meio de um passeio.

A decoração de El Pinche é bem humorada, o atendimento é ágil e informal e os preços são camaradíssimos. 

Temperinhos diversos (esq), os tacos e a cestinha com molhos de pimenta
Preste a atenção às opções de molhos de pimenta que chegam à mesa em uma cestinha, cada recipiente classificado com notas de 1 a 8, que é pra a gente saber com que alquimia está lidando — a paleta de cores vai do verde “ardido suportável” ao vermelho “ai, meu deus, estou em chamas!

Os tacos com carne feita na chapa estavam ótimos. Paguei cerca de 50 quetzales (R$ 22) por um almocinho gostoso e sem frescura.

Y tu piña también
1ª Avenida Sur 10B, esquina com 6ª Calle. De segunda a sexta, das 7h às 16h. Sábados e domingos, até as 18h.


Pertinho da Igreja de San Francisco, esse café meio hippie é um achado. Seu público é bem jovem, o cardápio é caseiríssimo e os preços combinam bem com o orçamento apertado da moçadinha que lota as escolas de espanhol de Antigua em temporadas de intercâmbio.

O forte da casa é o café da manhã — diversos menus, a partir de 35 quetzales (R$ 15) — servido até a hora em que a casa fecha. Outras opções são as pizzas, saladas e sanduíches.

A decoração propositalmente detonada, o clima de casa de amigos e a trilha sonora de primeiríssima compõem um astral muito agradável.

Amei o muffin e o café forte e saboroso. Uma pausa que custou 15 quetzales (R$ 6,70).


ChocoMuseo
4ª Calle Oriente, entre 2ª e 3ª avenidas Norte. Diariamente, das 10h às 19:30. Site> ChocoMuseo


Aproveite o pátio sossegado, prepare seu próprio chocolate e conecte-se com os deuses
Conhecer a história do chocolate, alimento sagrado para os povos originais da Guatemala e de toda a Mesoamérica, aprender a torrar e moer as sementes de cacau ou exercitar receitas de trufas são algumas das atividades oferecidas pelo ChocoMuseo aos visitantes.

Na loja do ChocoMuseu, pode-se comprar cacau em pó, grão, nibs, ou pasta, para preparar a bebida em casa. Também estão à venda barras de chocolate nas diversas porcentagens de cacau e outros produtos, como licores, geleias e sabonetes.

O programa mais legal, porém, é sentar no agradável pátio colonial dessa loja/oficina (chamar o lugar de museu é exagero de marketing) e preparar sua própria xícara de chocolate à moda ancestral, consagrada por maias e astecas: dissolver a pasta de cacau no leite ou na água quentes (a versão com água é mais autêntica e igualmente saborosa), adoçar com mel, temperar com chili (pimenta) a gosto e relaxar.

Fat Cat Coffee House
4a Calle Oriente, nº 14 A (entre a 2ª e a 3ª avenidas). De segunda a sexta, da 7h às 20. Sábados e domingos, até as 21h. Site> Fat Cat Guatemala

Fata Cat: viciei-me
O café guatemalteco bate um bolão e essa casa é apontada como um dos melhores lugares de Antigua para provar a rubiácea do jeito que ela merece: sem frescuras ou adendos , a variação de sabores ficando apenas por conta das diversas procedências dos grãos, do tipo de torra e quantidade de água na infusão.

Eu sou louca por café de verdade e fiquei viciada no Fat Cat — o aroma que escapa de suas janelas  já me puxava pelos cabelos, a quarteirões de distância — e super recomendo a experiência.

Além do velho e bom café, forte e cheiroso, a casa serve drinques — à base de café, claro!—que custam entre 25 e 40 quetzales (R$ 11 – R$ 18) e comidinhas para acompanhar (entre 35 e 55 quetzales, ou de RS 15 a R$ 24). Um programão.


Chocolarti
Paseo de los Museos, Hotel Museu Casa Santo Domingo, 3ª Calle Oriente 28 A. Diariamente, das 9h às 18h.

Não parece uma joalheria?
Essa casa especializada em chocolates finos parece uma joalheira — e, em certo sentido, é mesmo. Os delicados bombons produzidos com o excelente cacau guatemalteco são pequenas pepitas de felicidade com recheios de frutas, amêndoas, avelãs...
A fábrica da Chocolarti está instalada na área histórica/arqueológica do Hotel Museu Casa Santo Domingo, onde fiquei hospedada — imaginem o a farra que eu fiz — o chamado Passeio dos Museus. É um ótimo lugar pra tomar um bom café com chocolatinhos perfeitos (difícil é escolher). As trufas e bombons custam a partir de 7 quetzales (R$ 3).

Além dos bombons, há barras de chocolate nas mais diversas gradações de cacau e outros mimos. Também tem uma loja no Aeroporto de La Aurora, na Cidade da Guatemala, onde comprei um suprimento de chocolates para trazer pra casa.

Trufas de passas ao rum, laranja e cerejas

Doña Maria Gordillo – Dulces Típicos
4ª Calle Oriente (entre a 2ª e a 3ª avenidas)


Vocês não imaginam as maravilhas que aguardam o freguês atrás das vidraças desse balcão...
Se você quer evitar uma adição química difícil de curar, é melhor ficar longe desta casa de doces. Eu não tive esse cuidado e até agora suspiro de saudades das pequenas tentações que acenam para os incautos das prateleiras envidraçadas do balcão de madeira quase centenário que é apenas um dos muitos charmes da loja.

A casa é especializada nas receitas tradicionais da doçaria colonial, todas saídas do caderninho de Dona Maria Gordillo, uma doceira legendária em Antigua (já falecida). Frutas cristalizadas, doces de gema, queijadas, marzipã... Todas as maravilhas herdadas dos espanhóis (que herdaram muitas delas dos árabes) muito bem aclimatadas à sombra dos vulcões e adaptadas aos ingredientes e saberes locais.

Doce de gema com mel e canela, marzipã e queijada: eu queria ter trazido a loja comigo
Uma loja linda, decorada com muitas imagens de corujas (para dar sorte) e mobiliários antigo e atendimento simpático. Fui lá todos os dias da minha estada em Antigua e chegava a ficam meio envergonhada do tanto que eu comia. Docinhos a partir de 6 quetzales (R$ 2,60).

A Guatemala na Fragata Surprise
Roteiro Panamá e Guatemala: 2 semanas na América Central
7 motivos para visitar a Guatemala
Antigua
Dicas práticas de Antigua
O que fazer em Antigua
Hospedagem em Antigua em um hotel/museu
Cidade da Guatemala
O que fazer na Cidade da Guatemala
Cidade da Guatemala: dicas de hospedagem
Chichicastenango
O célebre mercado indígena de Chichicastenango
Tikal
Roteiro e todas as dicas para organizar a viagem à capital da Civilização Maia
Lago de Atitlán
A paisagem encantadora do maior lago da Guatemala



Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter    Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário