segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Viajar sozinha:
Istambul sem neuras

Mulheres ocidentais aguardam a abertura
 das visitas no pátio interno da mesquita Azul:
 a convivência com as tradições é tranquila
Confesso: embarquei para Istambul com um pezinho atrás. Por mais que me considere uma intrépida viajante, essa seria a minha primeira visita a um país de maioria muçulmana e estava preocupada com o tratamento que receberia uma mulher viajando sozinha. Desde a chegada, porém, percebi que meu único erro foi programar apenas quatro dias para visitar uma das cidades mais deslumbrantes que já tive a alegria de ver.

Antes de viajar, consultei centenas de blogs e fóruns de viajantes. Recebi muitas informações encorajadoras. Mas também li muita bobagem: uma americana chegou a me aconselhar a comprar spray de pimenta, "totalmente legal na Turquia", para andar tranquila por Istambul.

A Estação do Orient Express: daqui para o Ocidente
Não comprei o tal spray de pimenta, é claro — não consigo me imaginar carregando uma arma, por mais legal que ela seja. Ainda mais nas minhas férias... Nos meus quatro dias na Turquia, sequer me lembrei que poderia ter precisado de semelhante “instrumento”. Meu conselho para todas as mulheres que estão morrendo de vontade de ir a Istambul é o seguinte: vão sem susto. Para contribuir com sua linda viagem, compartilho algumas providências que tornaram a minha estadia mais tranquila.

Contrate um transfer do aeroporto para o Centro de Istambul
O Aeroporto Ataturk fica longe dos bairros onde geralmente se hospedam os turistas. Deixe para desbravar a cidade no dia seguinte. Depois de 12 horas de voo, com seis horas de diferença de fuso, carregando a mala e num idioma totalmente estranho, tentar se virar sozinha não é destemor de viajante independente. É masoquismo, mesmo. 

Vai ser difícil tomar uma Coca Cola em um lugar mais bonito que o Fatih Büfe, um quiosque tradicional em frente à entrada dos Jardins de Gülhane e do Palácio Topkápi
Contratei, com bastante antecedência, a empresa Istambul Diary, que cobra €25 pelo transfer até Sultanahmet, e fiquei bastante satisfeita. O transporte é feito em vans, mas o preço é o mesmo, independentemente do número de passageiros no grupo contratante.

Basta preencher um formulário no site da agência e aguardar a confirmação, que chega em menos de 24 horas. Dois dias antes da minha chegada, eles mandaram um email reiterando a confirmação do serviço.

As cores do Bazar da Especiarias, 
ou Bazar Egípcio
Escolha um lugar "fácil" para se hospedar
Se a sua onda (como é a minha) é ver o patrimônio histórico, escolha um hotel em Sultanahmet. Se você não abre mão de uma baladinha ou de restaurantes descolados, prefira ficar em Taksim.

O transporte público funciona muito bem em Istambul e a cidade é bastante segura, mas a barreira do idioma pode tornar a volta para casa, tarde da noite, um motivo de apreensão (não vai ser tão simples chamar um tele-táxi, por exemplo...). 

Não precisa imitar os costumes locais


Abaya (o vestido longo das muçulmanas) com hijab (véu),
 vestido curto, calças justas... Você vai ver mulheres vestidas de todo jeito em Istambul
Não é de hoje que Istambul é bastante cosmopolita. Depois de ter sido capital do Império Romano, do Império Bizantino e do Império Otomano, parece que a cidade olha para a gente com um arzinho de quem já viu de tudo  — inclusive um batalhão de jovens ocidentais para baixo e para cima com o mínimo possível de roupa.

A República da Turquia, estabelecida por Mustafá Kemal Ataturk, na Década de 1920, foi marcada, desde o início, pelo movimento de ocidentalização dos costumes, o que levou, inclusive, ao banimento do uso do véu.

Um passeio pelo Parque Gülhane: mulheres sem companhia masculina em Istambul é cena corriqueira
Hoje, exteriorização dos costumes islâmicos por uma parte significativa da população e a tensão política entre "seculares" e "religiosos" são fatos bem presentes e visíveis. Por toda parte, porém. você vai encontrar mulheres com os cabelos descobertos, desacompanhadas, ou com véus e até de burca. Ninguém incomoda ninguém.

Portanto, nada de tentar se fantasiar de muçulmana. Além de chamar mais atenção do que gostaria (acredite, existe uma ciência para amarrar aquele lenço), você vai morrer de calor. Relaxe, vista-se com discrição (prefira as bermudas aos shorts, não exagere no decote e evite roupas muito coladas ao corpo) e guarde o véu apenas para as visitas às mesquitas

Decoração do teto de um dos portais da Mesquita azul
Lembre-se: você vai visitar uma metrópole com mais de 14 milhões de habitantes

Estude o mapa da cidade antes de viajar e carregue sempre com você o endereço do hotel, impresso ou anotado em letra bem legível. Ficar perdida é sempre muito chato, se perder em turco deve ser um terror.

A beleza das tradições milenares convive com a agitação de uma metrópole do tamanho de São Paulo (com muito menos engarrafamentos). Na imagem, a Mesquita Nova e o Bazar Egípcio
Ter ao menos uma ideia básica de onde estamos e de aonde estamos indo é fundamental para a sensação de segurança. Nas áreas turísticas, é impressionante a quantidade de pessoas que falam pelo menos o inglês básico, mas também encontrei um bocado gente que não entedia patavina dos meus pedidos de informação.

Como eu já tinha "viajado" um bocado por Istambul pelo GoogleEarth e pelo Stret View, consegui me deslocar "de ouvido" pelas diversas áreas da cidade.

O vai e vem na região da Ponte de Gálata, no fim da tarde

Não se assuste com as atenções que você receberá dos rapazes
Sim, a maioria dos turcos olha mesmo para as mulheres desacompanhadas. Sim, uma quantidade industrial deles vai falar com você (Hello, where are you from? é quase um mantra dos paqueradores).

Mas as abordagens mais explícitas, tentadas pelos mais animados, não passam de convites para um chá. Sempre com cortesia (apesar do olhar safado) e sem contato físico. E os moços são educados: basta uma recusa e eles desencanam.

Viajar sozinha: visita às mesquitas
Museu de Arqueologia de Istambul
Santa Sofia e a Cisterna
Os palácios de Topkápi e Dolmabahçe
Duas dicas de hospedagem

Troia
Uma visita inesquecível aos cenários da Ilíada

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.


Navegue com A Fragata Surprise
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

14 comentários:

  1. Cyntia, seu post tá muito bom! Tô indo ficar 3 dias em Istambul e tava um pouco insegura, mas fiquei mais tranquila com suas dicas aqui. De qualquer forma, é sempre bom estar atenta, em qualquer lugar do mundo, né?!

    ResponderExcluir
  2. Barbara, que bom que o post foi útil! Vá, curta, delire, apaixone-se por Istambul. Tome os cuidadinhos básicos e não tem como errar. Depois, me conte como foi. Bj e boa viagem

    ResponderExcluir
  3. De boa leitura, como sempre. E as imagens, sabes que sou fã do blog primeiro por causa delas, né? Rsrsrs!! Lindas como sempre!! Abraços,

    Paula

    ResponderExcluir
  4. Paula, Istambul é tão, mas tão bonita, que é impossível não fazer fotos bacanas por lá. Abraço e obrigada por acompanhar a Fragata.

    ResponderExcluir
  5. Cyntia!

    Não esqueci de contar como foi não!

    Fui muito assediada pelos turcos, mas não me incomodei não. Inclusive passei o dia com um - que me levou pra almoçar e jantar em restaurantes bem legais. Só que depois o cara tentou "algo mais" e eu não quis! hahaha

    Contei no meu blog como foi: http://www.barbarahernandes.com/2013/03/istambul-frio-e-algumas-coisas.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo, Bárbara, rsss. E a cidade? Amou ou só adorou? :)

      Excluir
    2. AMEI! Pessoas simpáticas, comida boa, lugares lindos... sensacional!

      Excluir
  6. cristiane morales2 de maio de 2013 21:49

    amei as dicas...será que dá pra casar lá tbm com um turco???rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, Cristiane,eu não tentei casar, não, mas do jeito que os rapazes azaram, não deve ser difícil, rsssss.

      Excluir
  7. Oi, Cinthya. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie - Boia

    ResponderExcluir
  8. Meu próximo destino! vou voltar para conferir outros posts. Menina vc já deu a volta ao mundo hein?
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem dera, Jorge. Pra cada lugar que eu vou, descubro mais 20 que eu quero ir :)

      Excluir
  9. O Gülhane Park é fantástico. Como eu quero voltar neste lugar. Espero que não demore 😍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também. Quero muito rever Istambul e explorar a cidade toda com mais tempo :)

      Excluir