21 de maio de 2017

México: visita às pirâmides de Teotihuacán

A Pirâmide do Sol (esq) e a Avenida dos Mortos vistas do topo da Pirâmide da Lua
Eu já me tornei suspeita pra falar do México, um país que arrebatou meu coração como poucos lugares que já visitei, mas duvido que alguém consiga ficar impassível diante do colosso que é Teotihuacán, a antiga cidade que foi centro da mais poderosa civilização de seu tempo nas Américas.

São apenas 50 km de percurso entre o Centro da Cidade do México e o sítio arqueológico, o ingresso custa baratinho e há várias formas de ir até lá.

Traduzindo: não tem desculpa para deixar a visita às Pirâmides de Teotihuacán fora do roteiro. Dá uma olhada nas dicas e comece a se preparar para um dos passeios mais espetaculares que você vai fazer na vida 😊.

A Pirâmide do Sol, maior construção de Teotihuacán
➡️ Um pouquinho da história das Pirâmidesde Teotihuacán
Muito antes de os astecas chegarem ao Vale do México, Teotihuacán era o centro de um império sem rivais na região. No seu apogeu, entre os séculos 3 e 7 da nossa era, a metrópole chegou ter 200 mil habitantes, uma população urbana sem paralelo em qualquer outro ponto do mundo naquele tempo.

Não se sabe que nome seus habitantes deram à cidade. “Teotihuacán” foi como os astecas a chamaram — em língua náhuatl, significa “lugar onde os humanos viram deuses”.

Os historiadores sabem pouco sobre as origens dos teotihuacanos. A povoação teria sido iniciada em 600 a.C. e possivelmente reuniu gente de diversas etnias. No auge de seu poderio, a influência de Teotihuacán teria alcançando regiões bem além do Vale do México.

O Templo da Serpente Emplumada

Os estudiosos também não sabem ao certo o que teria levado Teotihuacán ao declínio. A hipótese mais aceita é que disputas políticas internas tenham provocado uma guerra civil, à destruição da cidade e à dispersão da população.

A única certeza é que Teotihuacán não foi destruída por outra civilização, pois na época não havia qualquer outro povo com capacidade militar de derrotar e conquistar aquele colosso.

Os toltecas e os astecas descobriram e exploraram as ruínas de Teotihuacán e incorporaram diversas de suas tradições e crenças às suas culturas, a partir da tradição oral de comunidades de origem teotihuacana dominadas por eles.

Esse interesse das civilizações que vieram depois, porém, não impediu que a cidade acabasse caindo no esquecimento e fosse totalmente recoberta pela vegetação nativa e plantações. Hoje, apenas 10% de seu perímetro urbano de Teotihuacán estão escavados e trazidos de volta à luz.

A Pirâmide da Lua é uma das construções mais antigas da cidade
➡️O que ver em Teotihuacán
As principais atrações de Teotihuacán são suas duas pirâmides, a do Sol e a da Lua, e a Cidadela, que, segundo historiadores teria sido um edifício ritual por trás do qual está o templo dedicado a Quetzalcóatl.

⭐A Pirâmide do Sol
A Pirâmide do Sol é a maior construção de Teotihuacán (225 m na base e 65 m de altura). Apesar do nome — que recebeu dos astecas — os teotihuacanos a dedicaram a Tlaloc, deus da chuva, associado à fertilidade da terra e à abundância das colheitas. Representa um monte sagrado de onde descem as águas e as riquezas.

A subida às pirâmides não é fácil, mas o sacrifício vale a pena
⭐A Pirâmide da Lua
Com 45 metros de altura e 140 m x 150 m de base, a Pirâmide da Lua está no final da Avenida dos Mortos, como o ponto de chegada de uma caminhada ritual.

A pirâmide fica diante de uma vasta esplanada, a Praça da Lua, que os historiadores acreditam ter sido o centro dos rituais políticos e religiosos de Teotihuacán. É do alto da escadaria da Pirâmide da Lua que se tem a vista mais impressionante de Teotihuacán. 

A Avenida dos Mortos e Pirâmide da Lua ao fundo
⭐A Cidadela e o Templo de Quetzalcóatl
A chamada Cidadela de Teotihuacán é uma pirâmide mais baixa e menos imponente. A subida ao topo desta construção, porém, é essencial para que se possa contemplar a pirâmide que está por trás dela, o Templo de Quetzalcóatl, a serpente emplumada, divindade maior dos teotihuacanos incorporada pelos astecas a seu panteão.

➡️ As "bonecas russas" de Teotihuacán
Um detalhe curioso é que a cada 52 anos, intervalo de tempo que tinha para os teotihuacanos o mesmo significado que os séculos têm para nós, eles recobriam todas as suas construções com outras, de igual feição, mas maior.

O resultado é que os edifícios de Teotihuacán têm uma característica de “bonecas russas”, escondendo por dentro várias réplicas, em tamanho menor, de si mesmos.

A única exceção é a Pirâmide do Sol, que foi construída já com suas dimensões impressionantes, durante o apogeu de Teotihuacán.

Efeito boneca russa: um templo dentro de outro templo

Os monumentos de Teotihuacán estão alinhados de acordo com observações astronômicas e as trajetórias de corpos celestes, especialmente o sol. Os arqueólogos também apontam a clara relação entre as formas das construções e o desenho da Sierra de Patlachique, que rodeia a cidade
➡️ Dicas práticas para uma visita às Pirâmides de Teotihuacán
Teotihuacán está a 50 km ao Norte da Cidade do México.  A zona arqueológica pode ser visitada todos os dias do ano, das 9h às 17 horas.

O ingresso custa 70 pesos (R$ 12). Se você quiser usar câmeras de vídeo durante o passeio, será preciso pagar mais 45 pesos (R$ 7,80) pela permissão. O estacionamento custa 45 pesos para carros de passeio.

Acredita-se que no topo de cada uma dessas construções haveria um templo de madeira, estruturas que não resistiram ao tempo e à destruição da cidade
➡️ Como organizar a visita a Teotihuacán
Prefira ir a Teotihuacán depois de visitar o Museu Nacional de Antropologia, que é uma aula brilhante (e linda) sobre a história das civilizações pré-hispânicas no México.

Depois de ir ao museu, você vai entender melhor o contexto, a linha do tempo e o significado das construções que vai ver na zona arqueológica.

A área visitável de Teotihuacán é enorme, com 264 hectares (2,64 km², cerca de 10% do espaço que se supõe que a malha urbana da cidade tenha ocupado, em seu apogeu).

➡️Prepare-se, então, para caminhar muito. O terreno é plano, mas o sol é inclemente naquele descampado. A garrafinha de água, o protetor solar e um chapéu são itens de sobrevivência neste passeio.

Descendo a escadaria da Cidadela: íngreme como um abismo

➡️ As subidas à Cidadela e às pirâmides de Teotihuacán vão exigir esforço e equilíbrio. O ângulo das escadarias é íngreme e os degraus são altos e estreitos (tem que pisar com o pé meio de lado).

O máximo de apoio que você vai na subida às pirâmides encontrar são cordas que funcionam como corrimãos improvisados.

Suba com muita calma, poupando o fôlego. Na hora de descer, atenção redobrada: a impressão de estar diante de um abismo é inevitável, assim como a vertigem que costuma acompanhar essa sensação. O esforço, porém, vale a pena.

É preciso chegar ao topo da Cidadela para ter acesso ao Templo de Quetzalcóatl, ou "A Serpente Emplumada", a maior divindade teotihuacana
➡️ As etapas da visita às Pirâmides de Teotihuacán
Teotihuacán tem cinco pontos de acesso. O Portão 1 é o mais próximo à Cidadela e ao Templo de Quetzalcóatl. O Portão 2 fica em frente à Pirâmide do Sol. Já o Portão 3 é a entrada mais conveniente para chegar à Pirâmide da Lua, ao Templo dos Caramujos Emplumados e aos vestígios da área residencial aberta à visitação.

Quem vai de carro próprio, como foi meu caso, tem a vantagem de não precisar caminhar muito entre esses trechos da zona arqueológica. Concluída a visita a uma área do sítio, é só sair, pegar o automóvel no estacionamento e seguir para o próximo portão.

A Avenida dos Mortos tem cerca de 3 km e cortava a cidade, da Cidadela à Pirâmide da Lua
É perfeitamente possível fazer todos os deslocamentos a pé no interior da zona arqueológica, mas considere, por exemplo, que da Cidadela até a Pirâmide da Lua são 3 km de caminhada debaixo do sol, pela Avenida dos Mortos.

➡️ Como foi minha visita às Pirâmides de Teotihuacán
Eu fui a Teotihuacán em um tour privado com o historiador Francisco Baca, indicado pelo hotel onde estava hospedada. Foi uma solução excelente.

Francisco (Paco, que é o equivalente a Chico, em espanhol) não só conhece muito, mas também é um apaixonado pelas culturas pré-hispânicas de seu país. Vocês sabem que eu deliro com o tema e viro criança na Disneylândia em sítios arqueológicos. Não poderia ter encontrado um guia melhor.

Francisco Baca, historiador e guia, no topo da Cidadela
O tour oferecido por Paco também tem a vantagem da comodidade: ele me apanhou no hotel na hora que eu escolhi (9h da manhã) no carro dele (com ar condicionado geladinho), dirigiu até as ruínas, acompanhou toda a visita, explicando tudo muito direitinho, e depois me trouxe de volta.

O ritmo e a duração do tour são ao gosto do freguês. Passamos cerca de quatro horas em Teotihuacán, esquadrinhando detalhes que eu certamente não teria visto ou compreendido se estivesse por conta própria. Foi um verdadeiro mergulho na história do lugar.

Pinturas murais no Palácio dos Jaguares
Além do espanhol, Paco também fala inglês. Se você não for fluente nesses idiomas, lembre-se que os mexicanos têm um sotaque muito suave, pronunciando todas as vogais e consoantes, o que torna a compreensão bem mais fácil para quem fala português.

Paco cobra US$ 90 pelo tour, com tudo incluído: transporte, pedágios, estacionamento e ingressos. Se você quiser contratá-lo, faça contato pelo e-mail pacobaca@gmail.com ou pelo telefone 55-3560-9368 (se for ligar do Brasil, lembre-se de acrescentar o código DDI do México, que é 52).

O Palácio de Quetzalpapálotl ("a borboleta emplumada")
➡️ Como ir a Teotihuacán por conta própria
Calcule cerca de duas horas de percurso do seu hotel até a zona arqueológica, considerando o metrô até o terminal de ônibus e mais a viagem até Teotihuacán.

A empresa que faz o transporte para o sítio arqueológico é a Autobuses Teotihuacanos. Ela opera a partir do Terminal Norte da Cidade do México, acessível pela Linha 5 do metrô (amarela, a mesma do Aeroporto, Estação Autobuses del Norte). 

Vestígios de um bairro residencial
A passagem custa 44 pesos (R$ 7). No guichê, explique que você quer ir às ruínas e não ao povoado de San Juan de Teotihuacán.  A chegada é próxima ao Portão 1 do sítio arqueológico.

Veja as dicas do blog Sundaycooks : Como ir a Teotihucán por conta própria.

No site Viaje na Viagem tem dicas sobre como fazer o passeio de táxi.


A esplanada em frente à Pirâmide da Lua
➡️ Excursões a Teotihuacán
A oferta de excursões às Pirãmides de Teotihuacán é variadíssima. Tem passeios de meio dia e dia inteiro, combinados com a Basílica de Guadalupe ou não. 

Você também pode ver Teotihuacán em um passeio de balão (US$ 170), em um tour noturno, para ver o espetáculo de som e luz nas pirâmides (Paco recomendou muito, mas os ingressos esgotam rápido), com jantar ou sem jantar...

Enfim, são muitas modalidades de visita às Pirâmides de Teotihuacán.

Para excursões em grupo, os preços variam dos US$ 30 aos US$ 80, dependendo da quantidade de participantes e dos serviços oferecidos.

Se essa for a sua opção, informe-se no seu hotel sobre empresas sérias que organizem os passeios ou consulte sites como Viator e GetYourGuide (já usei ambos e tive boas experiências).

Mais sobre esta viagem
Miami: como aproveitar uma conexão

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 

8 comentários:

  1. Olá, eu queria saber se é tranquilo eu alugar um carro para ir nas pirâmides, o estacionamento vcs colocaram no texto informando que custa uns 45 pesos. Quanto custa esses pedágios que vcs citam e é comum/tranquilo/fácil ir de carro com um gps? Obrigada :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kézia, o trânsito na Cidade do México é muito pesado. Fui às pirâmides em um feriado, estava mais tranquilo. Se você for em um fim de semana, talvez dê a mesma sorte (só saiba que Teotihuacán recebe muitos visitantes aos domingos). O preço do pedágio é de 70 pesos. A estrada é boa e não creio que você tenha dificuldades de chegar lá com a ajuda do GPS.
      Abs

      Excluir
  2. Ola Cyntia, primeiramente parabéns pela página. Me ajudou e incentivou muito em diversos aspectos.
    Gostaria de saber mais sobre o guia Paco que você recomendou no México (Teotihuacán). Pelo que li aqui me parece uma pessoa honesta e de confiança. Assim, queria confirmar com você o hotel que indicou ele e me tranquilizar sobre o serviço utilizado, uma vez que o contratei para esse passei no dia 01/09/2017 (com base na sua página rs), quando vou ter uma conexão de 11h na Cidade do México antes de ir para Nova Iorque.

    Muito obrigado pela ajuda.

    Abraços, (viajante) Marcelo Rollin e Mariana Castro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marcello e Mariana,
      O guia Paco me foi indicado pelo hotel Maria Condesa, onde eu estava hospedada, e achei o serviço dele excelente, só por isso recomendei aqui — como, aliás, são sempre as indicações da Fragata :)
      Recentemente, um colega de trabalho o contratou e também gostou muito do trabalho.

      Tenho certeza que vai dar tudo certo com vocês. Se puderem dar uma passadinha por aqui pra contar como foi a experiência eu vou adorar.

      Um abraço e aproveite sua escala no querido México :)

      Excluir
  3. Oi, Cyntia!
    Parabens pela sua pagina. Ajudou muito no nosso planejamento de viagem!
    Obrigada pela indicação quanto ao Paco! Fizemos hoje o passeio com ele e foi excelente!
    Ótimo professor, gentil e tem uma conversa agradabilíssima! Além do passeio, colocou-se a disposição para nos ajudar quanto a qualquer duvida que possamos ter enquanto estivermos na Cidade do Mexico. Faço coro a vc e o recomendo a quem quiser conhecer Theotiuacan!
    Abraços,
    Eliane e Roberto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo feedback, Eliane e Roberto. É sempre muito bom saber que as indicações foram úteis. Abs

      Excluir
  4. Olá, Cyntia. MUITO OBRIGADA pelas dicas do seu blog!!!!!

    Visitei hoje as Pirâmides com o Paco. O passeio é imperdível!
    E com o Paco como guia tudo fica mais simples: carro na porta do hotel para pegar e deixar; visita guiada com detalhes muito interessantes das Pirâmides, como por exemplo, que a Pirâmide do Sol foi construída pelos Teotihuacanos para o Deus da chuva. Centenas de anos depois os astecas povoaram o lugar e usaram a estrutrura da pirâmide do sol como um templo para o Deus Sol. Quando os espanhóis chegaram denominaram Pirâmide do Sol.
    Ah, nosso passeio com o Paco incluiu a Basílica de Guadalupe. Mais uma riqueza de história contada por nosso ótimo guia Paco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Geni,
      Eu é que agradeço muitíssimo pelo retorno. É sempre bom saber que as dicas foram úteis :) valeu mesmo. Que bom que você gostou do trabalho de Paco, ele é muito competente e muito bacana. Bjo

      Excluir