terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Onde se hospedar em Florença


A beleza do Duomo de Florença é inesgotável...
Pode rir: quando programei seis noites em Florença, meu principal objetivo era usar a cidade – aquela cidade — como base para fazer alguns passeios a outras localidades menores da Toscana. Em minha defesa, só posso dizer que esta foi a terceira visita ao “berço da Renascença”, e eu acreditava sinceramente que um ou dois dias revendo os principais cenários locais bastariam.

Só que Florença é tão linda que quase não consegui desgrudar dela (dei só uma fugidinha até Luca). Mas foi graças a esse equívoco que acabei marcando um golaço involuntário na escolha da minha hospedagem por lá, pois resolvi abandonar o preconceito e ficar em um hotel exatamente em frente à estação de trens de Santa Maria Novella, o C-Diplomat, para facilitar os passeios bate e volta que eu achava que ia fazer.

A Basílica de Santa Maria Novella, do Século 13, era a minha vizinha famosa mais próxima, a 500 metros do hotel
Acertei na localização — vizinhança segura, pertinho de tudo que interessa e bem servida de restaurantes—, na qualidade do hotel e no preço, pois as diárias do C-Diplomat estavam custando pouco mais que a metade do que estava sendo cobrado por acomodações mais simples na área do Duomo, da Piazza della Signoria ou mais perto do Rio Arno.

A hospedagem


A vista do terraço do meu quarto
Quando eu vi o Hotel C-Diplomat, ainda na calçada da Estação de Santa Maria Novella, dei uma desanimada. O prédio por fora, é muito feio, um edifício dos anos 60 os 70 que está precisando de pintura na fachada. Mas foi só atravessar a rua e entrar no pequeno lobby bem decorado para minha percepção começar a mudar.

O bar e a área de estar do hotel
A decoração moderna e aconchegante da área de estar, o charmoso bar e a recepção calorosa e eficiente levantaram o meu astral na hora. A equipe do C-Diplomat é simpática e bem treinada e tem a maior disposição para ajudar com dicas da cidade.


O hotel tem 78 apartamentos distribuídos por cinco andares. Oferece WiFi gratuito e academia de ginástica e todas as tardes promove no bar do térreo um happy hour à italiana—você paga a bebida (drinks a € 10 cada) e tem acesso livre a um bufê de aperitivos (queijos, frios, salgadinhos) bem generoso.

O apartamento


A cama gostosa e a iluminação bem planejada deixam o quarto muito aconchegante
Como eu tinha reservado uma acomodação para fumantes, fui alojada no 5º andar, onde alguns os quartos têm terraços espaçosos, com vista para uma a colina do outro lado do Arno. Apesar do frio (cheguei a pegar quatro graus negativos em Florença), aproveitei muito a minha “área de fumantes”.

O frigobar e a mesinha de trabalho
O quarto é pequeno, com o espaço exato para alguém circular sem precisar pular por cima dos móveis. A decoração é sóbria e muito aconchegante.

Apesar da exiguidade de metros quadrados, achei o apartamento confortável: a cama era deliciosa, o colchão na densidade exata, ótimos travesseiros e roupa de cama de excelente qualidade. Nas duas laterais da cama, mesinhas de cabeceira, boa iluminação e tomadas.

O terraço
Além disso, o quarto tem um armário espaçoso, cofre, uma mesinha de trabalho, frigobar e equipamento para preparar chá e café. O ar-condicionado/calefação funcionou perfeitamente: bastava ligar e o quarto ficava quentinho e acolhedor.

O banheiro tem uma coisa que adoro: aquecedor de toalhas
O banheiro é grande, novinho em folha e oferece aquecedor de toalhas, secador de cabelos e kit de toalete básico. A ducha é deliciosa.

O café da manhã 


Um dos salões do café da manhã. A preguiçosa aqui acabou não fotografando a comilança...
Incluído na diária e servido em dois amplos salões no térreo do hotel, o café da manhã do C-Diplomat é quase pantagruélico. São diversas estações com pratos quentes (ovos mexidos, feijões...) e uma farta oferta de frios, queijos, bolos, pães, cereais matinais e frutas. Eu fiquei viciada nas panquecas, servidas com maple syrup ou geleia, ao gosto do freguês. 

A boa distribuição das estações nos dois salões evitava filas (o hotel estava lotado, por conta dos feriados de Ano Novo e do Dia de Reis). 

O café é preparado pelo hóspede em quatro máquinas disponíveis e dá para escolher entre o lungo, expresso, capuccino, americano (irc!!) e outras preparações, além das opções de chás ou chocolate quente.



O preço
Essa foi uma das grandes vantagens de escolher a área da Estação de Santa Maria Novella para me hospedar. Apesar da alta estação (eu cheguei no dia de Ano Novo e fui embora depois do Dia de Reis, que é uma festa celebradíssima em Florença), o C-Diplomat estava cobrando diárias muito mais em conta que acomodações bem inferiores, mais próximas das atrações famosas. 

Meu apartamento (para ocupação single ou doble) custou € 100 por noite. Pesquisando para fevereiro, as diárias estão na casa dos € 60.

No Centro Histórico de Florença, o entorno da estação ferroviária é, de longe, onde você encontra os melhores preços de hospedagem sem precisar recorrer a acomodações precárias.

A área de estar do hotel é cheia de cantinhos agradáveis onde a gente pode relaxar com um drink
A vizinhança e a segurança
Restaurantes de diversos padrões (em preço e qualidade), um shopping center de porte (no subsolo da Estação Ferroviária) e policiamento até tarde da noite. Essa é a cara da Via Luigi Alamani, onde fica o Hotel C-Diplomat. Uma área bastante turística, com movimento constante. 

Para quem vai de carro, tem um edifício garagem que serve aos diversos hotéis da área. 

Só jantei uma vez nas redondezas do hotel (bastante bem, por sinal), mas estava a apenas 300 metros do Borgo Ognisanti, uma região cheia de restaurantes deliciosos e nada turísticos.


Palazzo Medici-Ricardi, sempre no meu caminho
Transporte e acesso às atrações
O Centro Histórico de Florença é bem compacto e eu não lembro de jamais ter usado qualquer outro tipo de transporte na cidade que não fossem os meus pezinhos, exceto o ônibus para a Piazzale Michelangelo — mas só porque a subida é muito íngreme.

Apenas 300 metros me separavam da margem do Arno, onde sempre começava minhas caminhadas matinais
Caminhar por aquela cidade é parte fundamental da experiência (você vai se surpreender com o monte de coisas lindas que verá e que passam longe dos guias de viagem).

Explorei a cidade toda a pé e achei a distância do hotel às principais atrações muito confortável. O C-Diplomat fica a 500 metros da Igreja de Santa Maria Novella, a 650 metros da Basílica e do Mercado de San Lorenzo a 900 metros do Duomo, 1,4 km da Piazza della Signoria, Galleria degli Uffizi e de Ponte Vecchio, a 1,3 km da Accademia e a 1,8 km da Basílica de Santa Croce.

Mais sobre esta viagem

Itália e Espanha: Roteiro por Roma, Florença, Bolonha e Madri
Onde se hospedar em Roma -Testaccio: gostoso, barato e perto de tudo
Hospedagem em Roma: vale a pena ficar perto da Estação de Termini

A Itália na Fragata Surprise

Roma
Campânia: Herculano, Nápoles e Pompeia

Costa Amalfitana: Amalfi, Ravello e Sorrento
Emília-Romanha: Bolonha e Ravena
Vêneto: Burano e Veneza



Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário