quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Ideias para viagens para 2017
(parte 1 - janeiro a junho)

Ilha de Páscoa: perfeita para fevereiro
2017 chegou com a promessa de mais 30 dias de férias e 10 feriadões — ou nove, se você emendar a folga da Páscoa com o dia de Tiradentes, um break de 10 dias que valem por umas férias. Quem gosta de viajar já está cheio de planos para aproveitar pelo menos algumas dessas datas, desconectar do dia a dia e ver lugares maravilhosos.

Com um bom planejamento, reservas feitas com antecedência e roteiros racionais sempre é possível encontrar uma viagem gostosa e que cabe no orçamento.

Pra ajudar na tarefa, reuni alguns destinos que visitei e amei em um calendário de sugestões, mês a mês, pra você aproveitar ao máximo as possibilidades de 2017. Neste post estão as ideias para o primeiro semestres. No próximo, você vai ver as dicas de julho a dezembro. Tem viagens mais caras, outras que são (comparativamente) uma pechincha.

Leia, inspire-se e siga os links para ver as dicas em detalhes. Feliz 2017, com muitas viagens pra você 😊.

Janeiro - que tal uma Europa mais barata e menos gelada?


O Generalife, um dos palácios da Alhambra de Granada (esq) e o Templo de Concórdia, em Agrigento, Sicília
Cada vez mais estou fã de aproveitar a baixa estação na Europa para curtir destinos menos gelados, mais ao Sul no Velho Continente. Os preços ficam excelentes, as filas quase que desaparecem e o inverno nem chega a meter medo. Este janeiro, por exemplo, vou passear pela Itália (Roma, onde estou agora, Florença Bolonha) e encerar as férias em Madri — cidade onde sempre procuro dar ao menos uma passadinha, nessas escapadas. Também já aproveitei o período pra curtir BarcelonaPortugal...

A beleza de Palermo, na Sicília
Duas viagens que fiz nesse período e recomendo muitíssimo foram para a Andaluzia (virada de 2013/14) e para a Sicília (2014/15). Claro que não dá para ir à praia, mas as belezas das duas regiões continuam todas lá, muito mais agradáveis sem o calorão e as multidões. E os preços ficam especialmente atraentes.

Na Andaluzia, fiquei 20 dias (mas dá para organizar um roteiro mais curto). Visitei (e amei!!) Sevilha, Cádiz, Ronda, Granada e Córdoba.

Na Sicília, minha viagem foi de oito dias, tempo suficiente para visitar e meu coração se derreter por Taormina, Agrigento e Palermo.


Casas penduradas à beira do famoso Desfiladeiro del Tajo, em Ronda, na Andaluzia

Dá uma olhada nos roteiros (que têm links para todas as etapas das viagens)

20 dias na Andaluzia – roteiro de uma viagem inesquecível
Roteiro pela Sicília - com paradinhas em Nápoles e Roma



Fevereiro - a Ilha de Páscoa está no auge

Uma das minhas viagens favoritas na vida: ficar cara a cara com os moai da Ilha de Páscoa é emocionante
Fevereiro é o grande mês na Ilha de Páscoa, época da realização do Tapati Rapa Nui, o festival que celebra as tradições do povo local, com competições esportivas, muitas danças e a recriação de rituais ancestrais, como o do Tangata Manu, ou Homem-Pássaro, uma espécie de triatlo místico que decidia a tribo que iria governar a ilha ao longo do ano seguinte.

A Ilha de Páscoa é um destino caro. Ela está a três mil quilômetros da Costa do Chile e, além disso, praticamente tudo que é consumido por lá precisa ser trazido do Continente de navio ou de avião — água potável, alimentos, produtos de higiene.

Em janeiro e fevereiro, uma viagem à Ilha de Pàscoa tem o bônus de um delicioso banho de mar
Poucas vezes na vida, porém, você verá um cenário tão espetacular, habitado por um povo belo e fascinante, que se esforça para manter viva a memória de seus ancestrais. Um lugar simplesmente mágico.

Meu roteiro na Ilha de Páscoa foi de cinco dias inteiros, sem contar a ida e a volta, que consumiram, cada uma, 36 horas. Quando viajei, dei sorte de encontrar uma passagem por R$ 1.500, portanto, vale muito a pena pesquisar diversas datas e ficar de olho nas promoções.

Olha só quanta coisa bacana tem para ver por lá:
O que fazer na Ilha de Páscoa



Março - bora pra Cartagena?

Cartagena preserva 7 km de sua muralha do Século 16. Cercada por ela, uma cidade colorida, vibrante e florida
Taí uma boa hora para visitar essa linda cidade colonial do Caribe Colombiano. Faz calor em Cartagena o ano inteiro — prepare-se para temperaturas sempre na casa dos 30 graus —, mas em março a chance da chuva atrapalhar seu passeio por lá é próxima de zero.

Estive em Cartagena no Carnaval de 2007 (um carnaval que caiu em março) e fiquei hipnotizada pela luminosidade e pelo ceuzão azul, moldura perfeita para as muralhas, as fachadas coloridas e sempre adornadas por muitas flores.

As cores de Cartagena
Com a certeza do sol, você também pode organizar uma escapada às Ilhas do Rosário, que ficam bem pertinho. É a melhor pedida para aproveitar o mar azul e cristalino do Caribe, já que as praias de Cartagena não são grande coisa.

Aproveite que em 2017 a Páscoa — feriado que costuma bombar em todo Caribe — cai no meio de abril, o que torna março ainda mais atraente para a visita, já que os preços ainda estarão sob controle. A Colômbia é um destino barato para brasileiros e está cada vez mais fácil de chegar lá, com a ampliação da oferta de voos.

Com uma semaninha dá pra curtir bastante as belezas de Cartagena e Ilhas do Rosário. Siga os links pra ver as dicas aqui no blog.

Abril - a melhor época no Pantanal começou

Pantanal: tá na hora de descobrir essa maravilha do Brasil
Acabou a temporada das chuvas, as águas começam a baixar e fica muito mais fácil avistar a vasta e diversa fauna do Pantanal, um dos mais fascinantes destinos brasileiros. Pra vocês terem uma ideia, eu desafiei a meteorologia e fui pra lá em fevereiro, período nada recomendável, e mesmo assim vi tanto bicho que virei paparazza de jacarés, aves e capivaras. Imaginem da "temporada ideal"...

Jacarés, os reis do pedaço

João-Pinto, passarinho típico da área, e um carcará
Outros bons motivos para esperar as chuvas passarem para ir ao Pantanal é que a quantidade de mosquitos diminui consideravelmente e a Rodovia Transpantaneira fica muito mais transitável. Indo em abril, você também evita a altíssima temporada de junho e julho.

A bela paisagem do Pantanal
Em quatro ou cinco dias hospedada em um hotel da Transpantaneira você vai fazer ótimos passeios de voadeiras pelos rios, ver belos crepúsculos e se fartar nos safaris fotográficos—se avistar uma onça, me conte, pois foi único bicho que ficou faltando no meu álbum de figurinhas 😊.

Veja os posts sobre esse destino maravilhoso:

Maio - tempo de se apaixonar pelo Equador

Caminhada na base do Vulcão Cotopaxi, a 4.500 metros de altitude
Maio é o comecinho da boa temporada no Equador. Daqui até setembro, aquela exuberante combinação de montanhas altíssimas com a baixa latitude fica menos passional, o que significa menos chuvas.

Visitei o Equador no comecinho de maio de 2013 e voltei completamente encantada por um país que alia lindas paisagens com a capacidade de tratar com muito respeito a sua cultura ancestral — o termo “preservar tradições” não se aplica, porque essas tradições são simplesmente o jeito de viver que permanece contemporâneo e cotidiano, e não algo que seja entesourado em um museu.

A Igreja de São Francisco, no Centro Histórico de Quito

O horizonte de Quito: as montanhas e a imagem da virgem alada (pequenininha, na foto) são as visões mais frequentes
Quito, a capital e base dessa minha primeira visita, é dona do maior conjunto arquitetônico colonial das Américas, uma cidade que desafia a vertigem das encostas que a cercam e não para de crescer, mas onde ainda se vê os hábitos dos povos da cordilheira convivendo placidamente com o trânsito e o burburinho da metrópole.

O tradicional mercado de Otavalo, um bate e volta fácil par quem esta em Quito
O país tem encantos até dizer chega, mas nem é preciso se afastar muito de Quito para visitar um autêntico mercado andino, como Otavalo, e perder literalmente o fôlego caminhando na base de um vulcão, a 4.500 metros de altitude, como eu fiz no Cotopaxi.

Tive apenas cinco dias para ver o Equador, um país que renderia uma viagem muito mais longa. Mas foi o suficiente pra me apaixonar e ter certeza de que um reencontro não vai demorar muito.

Deu vontade de arrumar as malas? Esse post ajuda a organizar os primeiros passos:
Equador - dicas práticas

Junho - Portugal celebra os santos do mês

Desfile de marchas na Festa de São Gonçalo, em Amarante
O calor ainda está ameno, mas no Algarve já dá praia. As grandes cidades já estão fervendo de animação, as áreas mais rurais já estão lindas, cobertas pela luz dourada daquelas latitudes. E os preços — aqueles mesmos que são tentadores o ano inteiro — ainda não deram aquela tradicional “infladinha” de verão. Quer mais motivos pra ir a Portugal em junho?

Pois eu conto: esse é o mês em que se celebram santos de grande devoção por todo país. Tem a festa de São Gonçalo em Amarante, o Santo Antônio, em Lisboa, o São João do Porto e de Évora. E tudo é um pretexto pra comer e beber muito bem, ficar até mais tarde na rua e celebrar muito a vida — afinal, a chegada do verão é motivo de festa naquelas paragens desde o tempo dos celtas.

Procissão de São Gonçalo, encerramento da festa em Amarante
Passei o junho de 2016 em Portugal e simplesmente adorei. É uma grande opção, seja para férias mais longas, seja para uma escapadinha mais breve. Vá e depois me diga se eu não tenho razão.

Tem muitas dicas de Portugal aqui na Fragata. Siga o link pra ver o índice.

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário