quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Hospedagem em Foz do Iguaçu:
San Martin Hotel e Spa

Hotel San Martin:
a 400 metros da portaria do Parque das Cataratas
Nesta minha primeira viagem de lazer a Foz do Iguaçu, eu queria aproveitar o feriadão de Carnaval em uma vibe bem relaxada. Não tive dúvidas, portanto, em escolher me hospedar na Avenida das Cataratas, fora da cidade, onde predominam hotéis mais sossegados e mais próximos da natureza.

Fiz uma pesquisinha básica na internet e me decidi pelo San Martin Resort & Spa, que estava oferecendo tarifas razoáveis e tinha todas as características que eu estava buscando: próximo do Parque das Cataratas (400 metros) e do Aeroporto (2,8 km), cercado de verde e reputado como um local tranquilo — não esqueçam que nos dias de Momo, no Brasil, há sempre a possibilidade de irromper um baile de Carnaval nos locais mais insuspeitos.

Os jardins do hotel 


No geral, gostei do San Martin, embora ache que o hotel fica devendo em alguns quesitos, principalmente nas opções de lazer (já que se anuncia como um resort), na cozinha e na proposta geral dos quartos, que não têm qualquer integração com a exuberância do verde que cerca o hotel — na verdade, meu apartamento poderia estar em qualquer hotel mediano de centro de cidade grande —, o que acho um desperdício.

A sala de estar, integrada ao bar, é agradável e confortável
O San Martin não é um hotel novo. Ele já estava de pé nos anos 70, quando a construção da Hidrelétrica de Itaipu atraiu não só um grande contingente de trabalhadores para viver em Foz do Iguaçu, mas também o vai e vem de executivos, burocratas e dirigentes de órgãos públicos. Talvez venha daí a cara circunspecta dos apartamentos do hotel, que surpreendem por não ter uma varandinha voltada para toda aquela área verde.

As áreas comuns internas são
 bem integradas ao verde que cerca o hotel


Apesar de antigo, o San Martin está bem conservado, os ambientes das áreas comuns são sóbrios e elegantes e muito bem integrados o exterior. Os mobiliário desses ambientes é discreto, mas confortável e o piso de tábuas não só reforça o ar classudo, mas revela bom senso: carpete na umidade de Foz do Iguaçu seria mesmo caso para internação :).

O apartamento
Os quartos standard são muito pequenos. Uma coisa que chama a atenção é a falta de varandas nos apartamentos
Além da falta de varanda (que é comum aos quartos de todas as categorias), os apartamentos standard do San Martin são bem espartanos: camas, mesas de cabeceira, uma bancada de trabalho sem cadeira (?!), sobre a qual fica a TV e onde está embutido o frigobar, um banco para apoiar a mala e um armário de bom tamanho, que acomoda o cofre. O quarto tem uma cama de casal e outra de solteiro e espaço mínimo para circulação.

O armário com cofre e o banheiro, que é amplo, mas meio antigão
Dois ângulos da bancada de trabalho: sem cadeira, fica impossível
As camas, travesseiros (vários, o que é ótimo) e os lençóis são de boa qualidade e bem confortáveis.

O banheiro é bem amplo, com boa bancada para organizar as necessaires e uma banheira tamanho M, onde fica o chuveiro. Não experimentei as amenidades de toalete, mas as toalhas espessas eram ótimas.

A TV exibe alguns canais a cabo (poucos) e o WiFi gratuito funciona direitinho no apartamento e nas áreas comuns do hotel.

Lazer 
O maior trunfo do hotel é sua vasta área verde 
Apesar do nome, o San Martin não é um resort — aquela categoria de hospedagem em que é quase dispensável sair do estabelecimento, dado seu nível de conforto, oferta de atividades e variedade de restaurantes e bares.

O hotel fica dentro de uma vasta área verde, bastante agradável, mas muito pouco aproveitada. Tem um parque infantil (que não vi as crianças usando), campo de futebol, quadras de vôlei e de tênis, mas movimento, mesmo, só em torno da piscina.

Tem ainda uma área de mata preservada, que pode ser explorada por uma trilha de cerca de 1,5 km, pavimentada de pedras, que leva até à beira do Rio Iguaçu, onde há um pequeno (mesmo) mirante.

Se for fazer a trilha, não esqueça o repelente e não se assuste com os lagartões nativos que aparecem para fazer companhia aos caminhantes.

O acesso à piscina

A área da piscina é agradável, mas não é grande. Na lotação do feriadão de Carnaval, a quantidade de guarda-sóis não dava conta da demanda. A solução era arrastar a espreguiçadeira para a sombra das árvores, mas deu tudo certo :).

O Spa
Gostei do Spa do San Martin. Apesar de ficar integrado ao corpo do hotel, o lugar é muito sossegado, com arquitetura de muito bom gosto. Cheguei a marcar uma massagem lá, mas cheguei tarde de um passeio e desisti. Usei a jacuzzi, que fica em frente a um pequeno jardim interno, bem relaxante. Enquanto a gente descansa na aguinha bem morna, dá pra pedir bebidas ao serviço de bar. Combina com gin tônica, rsss.

Esses serviços são pagos a parte. Para usar a sauna, a jacuzzi e a piscina fria o preço é de R$ 30, sem limite de tempo. A massagem tem preços variados, dependendo do tempo.

O parque infantil e, ao fundo, o campo de futebol
Uma trilha com cerca de 1,5 km corta uma área de mata pertencente ao hotel
A trilha leva a um pequeno mirante na margem do Rio Iguaçu
Refeições
Este é o quesito onde o San Martin realmente decepciona. O café da manhã é muito fracote, com poucas opções e sem criatividade. São poucas opções de frutas, sucos e frios e os pães e bolos são industrializados. A opção quente é a onipresente combinação de ovos mexidos, salsicha com molho de tomate e linguiça frita que se vê em praticamente todos os hotéis do planeta. 

Um ponto a favor: o café é de verdade, forte e saboroso — eu tenho uma implicância incontornável com aquela aguinha rala que os hotéis mundo afora adotaram para satisfazer o paladar americano.

Os pratos oferecidos no serviço de quarto (que funciona só até às 23 horas) na piscina e no bar também deixam muito a desejar em termos de variedade e sabor, girando em torno das frituras e sanduíches. 

O que eu menos gostei: o café da manhã
O serviço de bar na beira da piscina é a alternativa
quando o restaurante está fechado
San Martin Resort & Spa
Rodovia das Cataratas, km 21 - Parque Nacional - Foz do Iguaçu

Diárias no apartamento single, categoria standard, na casa dos R$300, com café da manhã. O hotel também oferece diárias em regime de meia pensão (café/jantar), na casa dos R$ 380 para o mesmo tipo de apartamento.

Há um serviço de translado gratuito do aeroporto até o hotel (mas não do hotel para o aeroporto) que precisa ser agendado com 48 horas de antecedência.

Mais sobre esta viagem
Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário