4 de fevereiro de 2020

Barcelona - um passeio por El Born


El Born, Barcelona
El Born: arquitetura medieval, charme e boemia em Barcelona

Tenho certeza que, ao montar seu roteiro em Barcelona, você colocou no topo da lista passeios pelas Ramblas e pelo Bairro Gótico. Afinal, esses são os dois pedaços mais famosos da Ciutat Vella e merecem mesmo sua atenção.

Mas não deixe de programar um passeio por El Born, vizinho separado do Bairro Gótico pela Via Laietana.

Museu Picasso  e a Basílica de Santa Maria del Mar, atrações do Born, Barcelona
O Museu Picasso, instalado em um lindo conjunto de palácios medievais, e a Basílica de Santa Maria del Mar são duas atrações imperdíveis no Born

Charmoso, boêmio e muito menos clichê, esse pedaço de Barcelona reúne atrações turísticas de primeira linha, bares e restaurantes descolados e uma vibe simpaticíssima.

Entre as atrações do bairro estão a magistral Basílica de Santa Maria del Mar, minha igreja preferida em Barcelona, o Museu Picasso e a Carrer de Montcada, a rua medieval mais preservada da cidade, e outros encantos.

Vamos dar uma voltinha por esse bairro gostoso de Barcelona?

Decoração em motivos náuticos em uma fachada da Via Laietana, Barcelona
Uma lembrança do poderio naval de Barcelona em uma fachada da Via Laietana, avenida aberta na década de 30 e que hoje demarca a fronteira entre o Born e o Bairro Gótico

Passeio por El Born

Antes da gente começar: é Born ou La Ribera?
Dependendo da fonte consultada, você vai ouvir que La Ribera é um trecho do Born ou que o Born é um trecho de La Ribera.

O distrito de Sant Pére-Santa Caterina i La Ribera, ao qual pertence o bairro do Born, é a área que se estende da antiga beira-mar de Barcelona, a Sudeste, até a altura da Plaça de Urquinaona e o Arco do Triunfo, a Noroeste.

Grafiti em uma rua medieval do bairro do Born, Barcelona
Contrastes do Born: na Idade Média, o bairro se dividia entre os palácios dos grandes comerciantes e armadores e as moradias dos trabalhadores do mar. Hoje, sua arquitetura medieval é palco para uma das cenas mais decoladas de Barcelona

O Parque de la Ciutadella (inclusive) e a Via Laietana completam as linhas desse quadrilátero.
Quando digo “antiga beira-mar de Barcelona”, é porque a linha da praia na cidade foi muito modificada, desde a idade média. A Barceloneta, que era um ilha, foi “absorvida” pela terra firme a partir de aterros.

A beira-mar (“La Ribera”) foi “empurrada terra adentro.

No mapa da esquerda, o Distrito de Sant Père - Santa Caterina i La Ribera. À direita, o pedacinho dele que seria oficialmente El Born — mas o nome se generalizou para toda a área

Oficialmente, El Born seria apenas o perímetro compreendido pela Via Laietana, Carrer de la Princesa, o Passeig de Circunvalaciò, na fronteira Sul do Parque de La Ciutadella , e o Passeig d’Isabel II.

O que ver no Born
Como já disse Gertrud Stein, porém, Rose is a rose is a rose is a rose. Ou seja: pode chamar de Born ou de La Ribera, que não serão imprecisões de toponímia que vão estragar nosso passeio 😀. Eu já desisti de entender...

Edifício na Via Laietana, Barcelona
Edifício na Via Laietana

Junto com o Bairro Gótico e o Raval, o Born forma o núcleo da Cidade Velha de Barcelona, testemunha de uma cidade que alcançou o esplendor no Século 13, graças ao seu poderio marítimo e comercial.

E o Born (oficial) detinha o pedaço mais rico dessa potência medieval, local de moradia dos grandes comerciantes e armadores e sede de La Llotja, uma mistura de associação comercial e bolsa de mercadorias.

Já o trecho conhecido como La Ribera era um núcleo significativo de trabalhadores pobres, especialmente os ligados aos ofícios do mar, como marinheiros, estivadores, carpinteiros navais e calafates.

Carrer de Montcada, Barcelona
Ô, ruazinha difícil de fotografar, essa Carrer de Montcada. Muito estreita e margeada por palácios de até cinco pavimentos, ela parece estar sempre à meia luz 😁
⭐Carrer de Montcada
Passeando por Barcelona, meu ponto de entrada no Born, geralmente, é a Carrer de Montcada, apontada como a rua medieval mais preservada de Barcelona.

Com apenas 250 metros de extensão — e quase nunca ultrapassando os 3 metros de largura — a Carrer de Montaca reúne um conjunto impressionante de palácios com origens na Idade Média, o que a faz ser reconhecida como o maior acervo de arquitetura civil medieval de Barcelona.

A Carrer de Montcada começa na altura da capela românica de São Marcos, do Século 12, e segue até o Passeig del Born.

Museu das Culturas do Mundo (Museu de Cultures del Món), na Carrer de Montacada, Barcelona
O Museu das Culturas do Mundo (Museu de Cultures del Món), no nº 12 da Carrer de Montacada. Na vitrine, instalação de uma exposição temporária, em março de 2011

A origem da rua também é do Século 12, a partir da urbanização de um caminho que atravessava uma comunidade de pescadores e marinheiros, uma iniciativa do Senescal de Barcelona (uma espécie de primeiro-ministro) Guillem Ramón de Montcada.

Devidamente pavimentada e urbanizada, a Carrer de Montacada atraiu muitos poderosos da época, que estabeleceram moradia às suas margens. Boa parte dessas construções ainda está de pé e pode ser visitada, pois abrigam museus, galerias de arte e outras instituições.

O mais famoso e visitado é o Palau Berenguer d'Aguilar, que hoje abriga o Museu Picasso (Carrer de Montcada nº 15). O Palácio do Barão de Castellet (antigo nº 17 da rua) e o Palau Meca (antigo nº 19) também foram incorporados à sede do museu.

Fachada e galeria superior do Palau Berenguer d'Aguilar, sede do Museu Picasso
Fachada e galeria superior do Palau Berenguer d'Aguilar, sede do Museu Picasso

O Palau Dalmases (no nº 20), e a Casa Cervelló-Giudice (nº 25) são apontados como outros exemplares notáveis da arquitetura presente na Carrer de Montcada.

O Palácio dos Marqueses de Liló (Carrer de Montacada nº 12) é a sede do Museu das Culturas do Mundo.

pátio interno do Museu Picasso, Barcelona
Detalhes do pátio interno do Museu Picasso

⭐ Museu Picasso 
Carrer Montcada, 15-23
Site > Museo Picasso

Horários: Segundas, das 10h às 17h. De terça a domingo, das 9h às 20:30h. Quintas, até as 21:30h.
Ingresso: € 12. Grátis às quintas-feiras, das 18h às 21:30h, e no primeiro domingo de cada mês. 

Não deixe de reservar um tempinho para ver o Museu Picasso de Barcelona, uma das atrações da Carrer de Montacada.

As Meninas, estudo de Pablo Picasso, no acervo do Museu Picasso de Barcelona, no Bairro Gótico
As Meninas, estudo e recriação de Picasso para a célebre obra de Velázquez, uma das obras mais famosas da pintura espanhola 

As Meninas, de Velázquez (esq) e o estudo de Pablo Picasso para a recriação do quadro
As Meninas, de Velázquez (esq) e a infanta pelos olhos de Pablo Picasso

A coleção do Museu Picasso de Barcelona reúne mais de 4 mil obras do artista, desde seus primeiros passos até a maturidade. O museu dá um banho na montagem didática da exposição, contextualizando as diversas fases do artista.

Museu Picasso, Barcelona


Você vai descobrir que antes de suas magistrais obras cubistas, Picasso dominou espetacularmente o desenho figurativo, como atestam diversos retratos e paisagens expostos no museu — eu ia dizer que ele também era genial como pintor acadêmico, mas a última coisa que eu quero é que o fantasma furioso do artista venha puxar meu pé à noite 😁.

Retrato da Senhora Canals, de 1905, e Homem com Barrete, de 1895, do acervo do Museu Picasso de Barcelona
Retrato da Senhora Canals, de 1905, e Homem com Barrete, de 1895, do acervo do Museu Picasso de Barcelona

A grande atração do Museu Picasso de Barcelona, sem dúvida, é o estudo As Meninas, uma série de pinturas na qual Picasso reinterpreta, recria e brica com a obra homônima de Velázquez, um dos quadros espanhóis mais conhecidos, exposto no Museu do Prado.

A série completa de As Meninas, com 58 trabalhos, foi doada pelo próprio Picasso ao museu de Barcelona. 

Champanheria tradicional de Barcelona El Xampanyet, no Born
El Xampanyet, para uma taça de cava 

⭐El Xampanyet
Carrer de Montacada 22
Aberto de segunda a sábado, das 12h às 15:30 e das 19h às 23h

Como ninguém é de ferro, está na hora de fazer uma pausa para bebericar uma taça de cava, o tradicional espumante catalão.

E o drinque vai ficar mais gostoso saboreado em El Xampanyet, a mais tradicional das casas de cava de Barcelona, fundada em 1929 na Carrer de Montcada.

El Xampanyet é turístico, sim, e vive abarrotado — daqueles que a gente consulta o tarô antes de sair de casa, pra adivinhar se vai encontrar lugar, mas é imperdível, com aquela cara de taberna à moda antiga e barris à vista do freguês.

Igreja de Santa Maria del Mar
Santa Maria del Mar, o edifício mais belo e comovente de Barcelona
⭐ Basílica de Santa Maria del Mar
Plaça de Santa Maria, 1

➡️ Visitas turísticas: segunda a sábado, das 13h às 17h. Domingos, das 14h às 17h. Entrada: € 5.
➡️ A visita guiada, com subida às torres e terraço, também é realizada das 13h às 17h e custa € 10.

Saindo do El Xampanyet, virando à direita, percorra os últimos 100 metros da Carrer de Montcada para chegar ao edifício mais belo e comovente de Barcelona. Ela é considerada o mais importante exemplar do estilo gótico catalão, de uma beleza única.

Basílica de Santa Maria del Mar, El Born, Barcelona
Pedras? Eu acho que Santa Maria del Mar foi construída com a luz e a amplidão

A Igreja de Santa Maria Del Mar, chamada de “a catedral do povo”, foi construída pelos homens do mar da Barcelona medieval, estivadores e pescadores, com a ajuda de outras corporações de ofício, para ser o local de culto dos pobres da cidade, excluídos de frequentar as paróquias dos senhores.

Simples, e arrebatadora, Santa Maria del Mar tem uma beleza que vai além das palavras. Vale visita-la muitas vezes: durante o dia, para percorrer seu lindo interior e subir ao seu terraço. À noite, para ver sua fachada iluminada que parece pairar sobre o mundo, diretamente saída de um sonho.

Altar-mor da Basílica de Santa Maria del mar, Barcelona
A santa dos trabalhadores do mar: em pedra nua, sobre uma coluna Santa Maria carrega o menino e tem uma embarcação a seus pés

Altar-mor da Basílica de Santa Maria del mar, Barcelona

Sim, você percebeu que eu sou muito parcial em relação à Basílica de Santa Maria del Mar. Se você já a conhece, aposto que é também. Se não, tenho certeza que vai ficar, assim que bater os olhos nela.

As obras da Igreja de Santa Maria del Mar foram iniciadas em 1329 e seu contrato de construção determinava que ela pertenceria aos paroquianos do porto e de La Ribera, as pessoas que portaram os recursos e o trabalho necessário para erguer a “catedral do povo”.

Imagem dos bastaixos (estivadores do Porto de Barcelona) nas portas da Basílica de Santa Maria del Mar
O trabalho dos bastaixos imortalizado nas portas da basílica
Interior da Basílica de Santa Maria del Mar, El Born, Barcelona
O altar-mor a Igreja de Santa Maria del Mar visto da galeria superior

Se você viu a série da Netflix A Catedral do Mar — ou leu o livro de Ildefonso Falcones, que inspirou a minissérie — já conhece a história dos bastaixos, os estivadores do Porto de Barcelona, que carregaram as pedras para a construção da igreja desde as pedreiras de Montjuïc.

Esses trabalhadores estão imortalizados na porta da basílica. 

Entre o início da construção e a celebração da primeira missa na Igreja de Santa Maria de Mar passaram-se 54 anos, mas a obra só seria considerada concluídas em 1460, 131 anos após seu início.

Igreja de Santa Maria del Mar, Barcelona
As colunas esguias chamam nosso olhar para o alto

O interior da igreja é arrebatador: colunas muito esguias, talhadas na pedra clara, chamam o olhar para o alto, onde o teto da igreja se encastela a 32 metros de altura, na nave central — todos os estudos arquitetônicos que encontrei sobre Santa Maria del Mar destacam o que a gente já percebe instintivamente, assim que entra na igreja, que é essa ênfase na verticalidade.

fachada da Igreja de Santa Maria del Mar, Barcelona

Decoração interna da Basílica de Santa Maria del Mar
Com poucos adornos, Santa Maria del Mar mostra que a beleza não precisa de volteios

A igreja é feita de pedras, mas suas matérias primas parecem ser a luz, filtrada por seus vitrais, e a amplidão, está última enfatizada pela economia de adornos e volteios.

Ao longo dos séculos, Santa Maria del Mar recebeu diversos acréscimos, como seu altar-mor barroco (um barroco-contido, dá pra dizer, pois casa à perfeição com a objetividade das linhas que caracterizam a igreja).

Fossar de les Moreres
Carrer de Santa Maria
A Fossar de les Moreres (a “Cova das Amoreiras”) é uma forte lembrança do Cerco de Barcelona, durante a Guerra de Sucessão Espanhola, em 1714.

Fossar de les Moreres, um memorial aos mortos na defesa da autonomia catalã, no Século 18
Fossar de les Moreres, um memorial aos mortos na defesa da autonomia catalã, no Século 18.
(A foto da direita é de Böhringer Friedrich/Wikimedia Commons)

O que hoje é uma praça diante da fachada Leste da Igreja de Santa Maria del Mar é também o local do sepultamento de muitos dos defensores de Barcelona durante o conflito, que deixou mais de 8 mil mortos na cidade.

Na Fossar de les Moreres, um singelo memorial — uma espécie de coluna sobre a qual arde uma chama eternal — lembra os combatentes que se escolheram, na disputa pelo trono da Espanha, o lado que se comprometeu a preservar a autonomia da Catalunha, no caso, a Dinastia Habsburgo contra a Dinastia Borbón.

A derrota de Barcelona, no dia 11 de setembro de 1714, é lembrada na maior festa cívica catalã, a Diada Nacional de Catalunya (Dia Nacional da Catalunha).

Mercado de Santa Caterina, El Born, Barcelona
Mercado de Santa Caterina: gostoso e low profile

Mercado de Santa Caterina
Avinguda de Francesc Cambó, 16

Segundas, quartas e sábados, das 7:30h às 15:30h. Terças, quintas e sextas, das 7:30h às 20:30h

Gosto muito do Mercado de Santa Caterina porque ele é low profile: em lugar daquela muvuca inacreditável do Mercado da Boqueria, lá ainda é possível escolher frutas, queijos e frios para um piquenique ou tapear em paz em um balcão sem ser arrastada por um tsunami de gente.

Escrevi sobre o Mercado de Santa Caterina aqui: "Tapear", comer e beber em Barcelona - 15 dicas


A Espanha na Fragata Surprise

A Europa na Fragata Surprise



Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 

Um comentário:

  1. Olá Cyntia, boa tarde!!
    Que maravilha, estás em Barcelona!!
    Lendo tudo. Tenho um projeto para ir em junho...
    Disfrute,
    Abraços,
    Ana Silvia

    ResponderExcluir