28 de janeiro de 2018

Porto Alegre: o café do Origem

Vinho? Não, é o café servido na taça do Origem Coffee Co.
Por Bruno Santana

Com alguma sorte, ao longo das últimas semanas, eu consegui transcrever em palavras um pouco da minha irrefreável e incorrigível paixão pela boa mesa. Uma parte muito importante desse caso de amor, entretanto, eu deixei guardado como uma carta na manga até agora: o café. Oh, o café.

Sim, é bem verdade que se pusermos um chef e um barista frente a frente, ambos dirão que a arte da culinária e a da preparação da santa bebida não poderiam estar em campos mais distintos — o primeiro é sentimento, enquanto o segundo é ciência. Mas na boca desse que vos escreve, as duas experiências estão intrinsecamente ligadas e a busca por um bom café é tão nobre, tão excitante e tão recompensadora quanto a busca por um bom prato de comida.

O que me leva ao Origem Coffee Co. (ou somente Origem, para os íntimos), cafeteria porto-alegrense com a qual tive um breve caso de amor na minha passagem pela capital gaúcha — afinal, em meio aos quilos e quilos de carne assada, era preciso encontrar um espaço para digerir tudo com um café. Que fosse o melhor possível, então, certo?


Admitidamente, a localização e ambientação do Origem não representam a sua parte mais animadora: ele fica num quiosque no Shopping Iguatemi, portanto dentro das possibilidades assépticas e sem personalidade de um shopping center. Mas ao menos eles tentam — uma grande prateleira com todos os tipos de parafernália para café já deixam claro a proposta do lugar, enquanto a grande mesa comunal ao centro convida os apreciadores a fazerem parte de uma experiência coletiva (mas não se preocupe, também há mesas individuais para os mais reservados).

Ao abrir o cardápio, entretanto, qualquer pé atrás que você possa ter com o Origem vai por água abaixo — especialmente se você for um(a) geek do café, como eu. Temos aqui no mínimo dez tipos diferentes de preparação da iguaria, dos mais comuns, como o espresso ou o café de filtro, aos mais avançados, como o Aeropress e o interessantíssimo café vietnamita.

Há também drinks com café e, como não poderia deixar de ser, um leque de opções com a bebida do momento — o cold brew, técnica da infusão do pó em água gelada por horas a fio que produz uma bebida leve, refrescante e com acidez quase nula.

Dos lindos grãozinhos à minha taça, escolhi a técnica de extração que envolvesse a maior parafernália e a preparação mais teatral possível: o café de sifão
Como um amante de engenhocas e coisas dramáticas, claro que escolhi a técnica de extração que envolvesse a maior parafernália e a preparação mais teatral possível: o café de sifão, feito numa cafeteira com três câmaras e um aquecedor próprio que puxa a bebida após a infusão num sistema baseado na diferença de pressão (sim, é complicado — talvez este vídeo possa esclarecer melhor o processo). Dizem que o método produz um café cristalino, pouco ácido e muito forte e eu, da minha parte, concordo plenamente: foi um dos melhores cafés que já tomei na vida. E olha que eu tomo muito café.

Aqui, é importante notar o nível de treinamento e conhecimento dos atendentes da casa: eles te ajudam a escolher o seu método de extração favorito e, na hora da preparação, perguntam se você quer ser guiado pelo processo. Com a resposta positiva (sério, quem responderia 'não' a essa pergunta?), todo o passo-a-passo do método é explicado em tempo real nos mínimos detalhes, criando uma experiência francamente fascinante.

(Uma dica que vale para todos os lugares, mas especialmente aqui: não bote açúcar no café. A não ser que você queira atrair olhares mais julgadores que os de um italiano vendo seus comensais usarem colheres para comer spaghetti.)

Depois da bela odisseia com o sifão, ainda tentei superar meus preconceitos com café gelado e experimentei um Shakerato — um drink feito com espresso, gelo e açúcar batidos numa coqueteleira até formar uma bebida sedosa, com uma espuma deliciosamente espessa e sabor apurado. Aprovadíssimo.

Pelo café no sifão paguei R$20, enquanto o Shakerato saiu por R$13. É verdade, os preços cobrados pelo Origem não são dos mais camaradas, mas, pensando bem, qual café que você conhece cobra preços camaradas? E são realmente muito poucos os que oferecem uma experiência tal qual a proposta aqui. Portanto, aos amantes de café na capital gaúcha, a visita é mais do que recomendada — na verdade, é quase obrigatória.

Origem Coffee Co.
Shopping Iguatemi - Av. João Wallig, 1800 - Passo da Areia, Porto Alegre
De segunda a sábado das 10h às 22h, domingos das 14h às 20h.

Mais sobre Porto Alegre
3 churrascarias maravilhosas - nas faixas de preço que cabem no seu bolso
O pôr do sol e o Mercado, dois clássicos que valem a viagem
Porto Alegre - dicas práticas
De barco, a pé e do alto: três opções divertidas para explorar Porto Alegre


Comes&Bebes - o índice de todas as dicas gastronômicas da Fragata



Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.

Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter    Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário