sábado, 11 de fevereiro de 2017

Hospedagem em Madri – o animado bairro de Chueca

A vista de Madri no terraço do hotel
Minha viagem de janeiro terminou de um jeito muito gostoso: tive uma semana para curtir a querida Madri, que pra mim é sinônimo de alto astral. Desta vez, fiquei hospedada em Chueca, bairro descolado e animadíssimo. Uma área de bons restaurantes, cafés e comércio bacana que, ainda por cima, fica pertinho do Centro Histórico e das principais atrações (fiz muitos passeios a pé).

Minha estadia foi em um um hotel bem bacaninha, o Sidorme Fuencarral 52. Gostei muito das acomodações, da localização e da vizinhança. Veja como foi a minha semana no bairro de Chueca:


O hotel está instalado em um edifício de 1830
Outras experiências de hospedagem em Madri

A hospedagem
A rede hoteleira espanhola Sidorme se define como "econochic". Pela minha experiência no Hotel Fuencarral 52, posso dizer que ela entrega o que promete: conforto, instalações modernas muito bem cuidadas e charme despojado. Tudo isso a preços bem econômicos.

O hotel está instalado em um edifício de 1830, na Calle Fuencarral, a rua principal do bairro de Chueca, exatamente na esquina (com a Hernán Cortez) onde ela se torna exclusiva para pedestres. Inaugurado em fevereiro de 2015, seu interior foi completamente reformado e tem decoração moderna e clean.

O cantinho do café e, abaixo, o terraço


Tem recepção 24 horas e elevador. São cinco andares e 44 apartamentos. Oferece Wi-Fi gratuito (que funcionou perfeitamente). No quinto andar há um terraço com mesinhas e sofás e o coffee-corner, um espaço com máquinas de café, chá e sucos e cestas de frutas.

Esse serviço é gratuito e funciona 24 horas. Também a máquinas para venda de sanduíches, salgadinhos de pacote e refrigerantes.


As máquinas de café e de suco, assim como as frutas, dicam à disposição dos hóspedes 24 horas
O apartamento

O meu quarto era amplo, com um balcão debruçado sobre a rua Fuencarral, ótimo para apreciar o vai e vem do bairro nas minhas pausas para relaxar. A porta da sacada é a prova de som e, com ela fechada, o burburinho de Chueca ficava mesmo do lado de fora.

O quarto é básico, mas a cama é muito confortável

Arara e prateleiras, em vez de armário. À direita, a sacolinha do desjejum
O mobiliário do apartamento é básico: cama de casas, arara e prateleiras, cofre, mesa de trabalho e frigobar. Tem ar condicionado, telefone e TV de tela plana com canais a cabo.

O banheiro é dividido em dois ambientes. A área da pia é separada do espaço onde estão o vaso e o boxe. Tem secador de cabelos, toalhas de boa qualidade e kit de toalete básico: xampu, touca, sabonete e gel de banho. A ducha é uma delícia.

A ducha, poderosa, e a pia

Mesinha de trabalho, com luminária
O café da manhã
Todos os dias, de manhã cedinho, uma sacolinha com um croissant, um suco de caixinha e uma fruta é deixada do lado de fora do apartamento, pendurada na maçaneta da porta. ´

É uma refeição muito espartana, mas como sou chata pra comer de manhã, isso não me incomodou. Acostumei, também, a subir até o coffe-corner, antes de sair, para tomar uma xícara de café.

Cesta de frutas no coffee-corner
O preço

Em janeiro, paguei uma média de € 84 por diária no Fuencarral 52. Digo uma média porque fiquei sete noites e o valor das diárias variava de acordo com o dia da semana.

Achei o preço muito bom, considerando a relação custo/benefício. Já encontrei acomodações bem mais baratas na cidade (em hostais, não em hotéis). Esta foi a sexta vez que me hospedei em Madri e, seguramente, foi a minha melhor experiência.

O bairro de Chueca é uma ótima opção em Madri
A vizinhança 

Um dos motivos para eu ter gostado tanto desta hospedagem foi a localização. Chueca é um bairro gostoso, que ficou famoso como o berço da Movida Madrileña — um pé de vento fresco sobre a nuvem de conservadorismo que pairou sobre a Espanha durante a ditadura franquista.

O movimento deixou as ruas para virar verbete da cultura do Século 20, mas a inventividade e a boemia continuam frequentando assiduamente a vizinhança.

A vista do meu balcão e uma fachada da Calle Fuencarral
O comércio é bem eclético: tem desde as marcas famosas e caras até lojas alternativas. A oferta de bares e restaurantes é enorme. Só pra você ter uma ideia, o hotel está a 350 metros do ótimo e descolado Mercado de San Antón e a 70 metros do novo Mercado de San Ildefonso.

Pertíssimo de tudo o que interessa em Madri, Chueca está suficientemente afastado do núcleo turístico convencional para permitir que a gente encontre restaurantes bons e baratos. Ali do ladinho fica Malasaña, outro bairro descoladíssimo, cheio de brechós, tabernas simpáticas e casas noturnas com música de qualidade.

A oferta de serviços em Cheuca é ampla, e o movimento nas ruas vai até tardão da noite (ou não seria um bairro madrilenho, né?).

Tem lavanderia pertinho do hotel
No nº 84 da Calle de Hortaleza (primeira paralela à Fuencarral, no sentido Leste), a há uma lavanderia self service, a Limpiamatic, onde lavei e sequei uma mala inteirinha de roupas por € 8, já com o sabão líquido e o amaciante incluídos. E nem precisa se preocupar em levar moedas, porque lá tem uma máquina para trocar notas de até € 20.

A Paróquia de San Antón está fazendo um trabalho bacana para acolher as vítimas da crise econômica. Abaixo, a máquina que fornece alimentos gratuitos e o cartaz na fachada da igreja oferecendo WiFi café e TV. Bichinhos de estimação também podem entrar


A lavanderia fica exatamente em frente à Igreja de San Antón, que está fazendo um trabalho muito legal de integração da comunidade e de acolhimento a pessoas sem teto ou empobrecidas pela crise espanhola. A igreja fica aberta 24 horas e convida os paroquianos para tomar café, usar o WiFi, ver TV, bater papo, tomar sopa (doada por moradores). Quem quiser, é só chegar — os animais de estimação também são bem vindos.

Fiquei encantada com a iniciativa da paróquia e deixei uma doação para ajudar nos trabalhos. Se passar por lá, aproveite para conhecer.

Opções de transporte e acesso às atrações


Museu de História de Madri
A Estação Tribunal do Metrô está a 400 metros do Hotel. Ela é um cruzamento da Linha 1 (que também passa pela Porta do Sol e pelas estações de trem de Atocha e de Chamartin, onde embarquei para Toledo e Segóvia) com a Linha 10, que passa por Nuevos Ministérios, de onde parte a linha de metrô para o Aeroporto de Barajas — que, aviso, está com funcionamento suspenso para reformas até abril.

A Estação Tribunal fica bem em frente ao bom Museu de História de Madri, que é gratuito e merece muito a sua visita. Outra atração muito bacaninha do bairro é o bonito Museu do Romantismo, a 350 metros do hotel.

Chueca, porém, é suficientemente perto das principais atrações de Madri para que você possa fazer muita coisa a pé, se gostar de andar. Eu fui caminhando de lá à Plaza de Espanha (1,2 km), ao Barrio de las Letras (1,5 km), à Porta do Sol (1,2 km) e ao Paseo de los Recoletos (1 km).

Outro ângulo do quarto, já com as roupas nos cabides e a mala acomodada
Chegando do aeroporto
Em condições normais, é só pegar o metrô no Aeroporto de Barajas (são duas estações, a do Terminal 4 e a que serve aos terminais 1, 2 e 3) seguir até à Estação Nuevos Ministérios e fazer a baldeação para a Linha 10. As tarifas do metrô de Madri variam entre € 1,50 e € 2, a depender da distância percorrida. Para o aeroporto, há mais um suplemento de € 3.

Até 18 de abril, porém, a Linha 8, que vai até o aeroporto, está fora de funcionamento para reformas. O trem de cercanias e três linhas de ônibus vão substituir o metrô neste período. Esses ônibus conectam as estações Mar de Cristal (Linha 4) e Colombia (Linha 9) a Barajas.

Se você estiver viajando com mais alguém, considere pegar um táxi. A Corrida de Barajas a Chueca tem preço tabelado de € 30.

Segurança
Como já disse, o movimento no bairro vai até tarde o que me dava a maior tranquilidade para caminhar à noite por lá. Como sempre, é bom ficar ligada nas aglomerações, para evitar os batedores de carteira.

Mais sobre Madri
Dicas gerais
Como aproveitar uma conexão em Madri
Excelente destino pra quem viaja sozinha
O Mercado de San Miguel e outros lugares para comer bem no Centro Histórico
Comida madrilenha: callos e outras delícias
A noite de Madri: farra para todas as idades
Dica de hospedagem próxima ao aeroporto de Barajas
Passeios e atrações
Madri desencanada: Chueca e Malasaña
Domingo em Madri: o Rastro e o Retiro
Roteiro em Madri: da Praça de Espanha ao Palácio Real
Passeio pelo Barrio de las Letras
Um passeio pelo Século de Ouro (e todas as atrações são grátis!)
Roteiros literários: a Madri dos Áustrias 
Três museus que valem a viagem
Do Natal à Festa de Reis: o animadíssimo fim de ano em Madri
Ano Novo em Madri: como é a festa na Porta do Sol

A Espanha na Fragata Surprise
Andaluzia: CádisCórdobaGranadaRonda e Sevilha
Castela e La Mancha: Toledo
Catalunha: BarcelonaGirona Tarragona
Galícia: Santiago de CompostelaCaminho de Santiago e cidades da rota


2 comentários:

  1. Cara Cyntia

    Descobri seu blog por meio do site VnV do Ricardo Freire. Ele indicava um post seu sobre Portugal. Desde então virei sua fã. O seu site traz informações claras e relevantes sobre hospedagem e roteiros que ajudam muito a quem está planejando uma viagem. Além da aula fantástica de história e arte dos lugares visitados. E as fotos são lindas! E também não tem propaganda chata. Pra mim é uma fonte de inspiração pois tenho vontade de viajar sozinha mas ainda não criei coragem. Enquanto isso vou viajando por aqui. Ontem estava em Pompéia e hoje em Madri! Parabéns e um forte Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, fico super feliz! Mas vou ficar mais ainda se puder contribuir pra que você desperte essa coragem e vá viajar. Pegar a estrada sozinha é uma aventura libertadora e muito menos complicada do que a gente pensa, antes de tentar.

      Abraço e obrigada :)

      Excluir