quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Comer na Irlanda:
Lugares que experimentei e curti

Cliffs of Moher: 
a Irlanda cativa o olhar, mas o paladar também não reclama
Se eu lhe disser que a Irlanda é um "país gourmet", nunca mais vou poder colocar a minha mão na Boca da Verdade, que citei no post anterior. Não faço ideia de como era a culinária das populações originais da Ilha Esmeralda, mas os séculos de domínio britânico parecem ter contaminado irremediavelmente a mesa irlandesa com a mesma... digamos, falta de ímpeto que caracteriza a comida inglesa — não me entenda mal, já tive experiências gustativas sublimes na Inglaterra, mas, tirando o hambúrguer de pub, foi sempre graças às artes dos muitos povos que enviaram representantes para lá.

Voltando à cozinha da Irlanda, não dá para dizer que a experiência gastronômica seja o principal motivo para você visitar esse país lindíssimo. Confesso, porém, que até me surpreendi com os sabores da terra. Os pratos simples, rústicos e com inescapável jeitão de comida de avó acabam combinando bem com aquele clima chuvoso, uma espécie de soul food que parece ter sido pensado para ser saboreado diante de uma lareira, meio enroscada em uma manta e cercada de velhos amigos.

Cottage Pie, simples e deliciosa
Logo no meu primeiro almoço em Dublin, descobri um prato do qual fiquei fã incondicional, a Cottage Pie, versão irlandesa (e inglesa, também), do escondidinho de carne moída, uma torta saborosa, com massa de batatas. Simples e dos deuses. Outros pratos que curti foram os Beef Stew, ensopados de carne, muitas vezes com molho de cerveja preta e alguns hambúrgueres capazes de me fazer parar de suspirar de saudade pelos servidos nos pubs de Londres (você já deve ter percebido que eu sou fã, né?)

Confira alguns restaurantes e pratos que testamos e aprovamos nessa nossa passagem pela Irlanda: 
The Bank, um bar bonitão do ladinho de Trinity College
Em Dublin
The Bank on College Green College Green 20, Centro. De segunda a quinta, das 11h à meia noite e meia. às sextas e sábados, fecha à 1:30h. Aos domingos, serve brunch e fecha à meia noite.
Seafood Chowder
Do ladinho de Trinity College, esse bar bonitão funciona em uma antiga sede de banco (daí o nome) com uma vistosa decoração Belle Époque. Tem uma trilha sonora interessante e cardápio tradicional. Foi lá o nosso primeiro almoço em Dublin.

Pedimos a Seafood Chowder (sopa cremosa de mariscos), que estava muito saborosa, e a Cottage Pie. Com bebidas, nossa conta ficou em cerca de €17 por cabeça.

GBK (Gourmet Burger Kitchen)5 South Anne Street, Centro
Essa hamburgueria faz parte de uma cadeia inglesa e é uma ótima pedida para uma refeição despretensiosa em uma pausa nas visitas às atrações do Centro de Dublin.

O atendimento é simpático, os hambúrgueres são generosos e muito saborosos. Eu pedi o Cheddar Burger, Bruno pediu o The Mighty, que era ligeiramente gigantesco. Com as indefectíveis batatinhas fritas para acompanhar e Coca-Cola, pagamos €15 cada um.


O'Shea's Merchant
12 Bridge Street Low
O'Shea's, tradicional, mas distante 
da área mais muvucada de Temple Bar
Escolhi esse pub às margens do Liffey porque fica em um trecho mais afastado do núcleo fervente de Temple Bar (onde é ótimo beber, mas é sempre muito barulhento para uma refeição sossegada). Tem uma cara bem tradicional e jeitão de "bar da vizinhança".

Pedi o Lamb Stew (ensopado de carneiro) com purê de batata, que estava gostosinho. Bruno foi de Fish&Chips que, segundo ele, estava "correto". Mais um lugar para gastar €15 por cabeça, com bebidas.

KC Peaches, comidinha orgânica e saborosa no Centro de Dublin
KC Peaches
Nassau Street 28, Centro
Nos dias de semana, funciona das 8h às 20h. Aos sábados, das 9h às 19h e aos domingos das 11h às 19. Tem mais três casas no Centro. Para ver os endereços e horários das filiais de St Stephen's Green, Dame Street e Pearse Street consulte o site.

Quando a gente cansa da dieta dublinense de carne e batata, nada melhor do que uma boa salada ou uma comidinha integral como as servidas nesse café e wine bar bem descoladinho e simpático.

Bom lugar para um lanche no meio da tarde (tem umas tortas bem gostosas) ou para uma refeição leve. O combinado de sopa e sanduíche cai muito bem com a chuva. Prepare-se para gastar €10, ou até menos.

L'Orangerie, no St.Helen's Radisson Blu
Stillorgan Road, Blackrock County. Diariamente, das 7h às 23 horas. O chá da tarde é servido entre 14h e 18 horas
O bar do L'Orangerie, no hotel St Helen's

Lasanha de pato
Já contei pra vocês sobre o hotel lindão onde me hospedei em Dublin. O Saint Helen's é uma antiga casa senhorial de um visconde e hoje é administrado pela rede Radisson.

O que não contei é que ele tem três restaurantes bem reputados, o Le Panto, o Talavera, de cozinha italiana (o nome espanhol é homenagem à batalha travada durante as guerras napoleônicas. O tal  visconde é considerado um herói desse combate) e o L'Orangerie, meio bar, meio lounge, que funciona na antiga estufa/jardim de inverno da propriedade.

Além de muito bonito, com uma vista espetacular para os belos jardins, e com um astral bem relaxado, a comida do L'Orangerie é ótima. Jantamos lá duas noites e gostei muito de tudo que experimentei.

Meu prato favorito foi a lasanha de pato, mas também adorei o cuscuz com camarões. Bruno elogiou muito o hambúrguer. Refeições para duas pessoas na casa dos €30 (15 por cabeça), com refrigerantes.

Em Doolin 
Doolin é um vilarejo à beira-mar, com vista para os Cliffs of Moher. Apesar de pequenininho, é um famoso centro de música tradicional irlandesa


Gus O'Connor's Pub
Clare Coast, Doolin, condado de Clare
Hambúrguer e Beef Stew
Paramos em Doolin para almoçar, no dia da visita aos Cliffs of MoherO vilarejo é pequeninho, pouco mais que uma rua, mas é famoso em toda a Irlanda como um centro de música tradicional irlandesa que atrai muitos visitantes para seus festivais.

Não satisfeito o lugarzinho tem uma vista para os penhascos que é de sair flutuando.

Apesar de termos sido levados ao Gus O'Connor's Pub pela excursão que pegamos para os Cliffs, o lugar me surpreendeu. Já estava esperando aquela comidinha qualquer nota de lugares pega-turistas, mas tanto a entrada ( Seafood Chowder de novo!!) quanto os pratos estavam bem saborosos.

Eu fui de Beef Stew no molho de Guiness, a famosa cerveja preta irlandesa, um prato gigantesco que, acredito, daria para duas pessoas facinho. Bruno atacou um hambúrguer caseiro e também gostou bastante. Com as bebidas, nossa conta ficou em €20 por cabeça.

Em Limerick

The Tea Room
Bunratty Castle Folk Park
Chocolate com um scone recém saído do forno, 
na Tea House do Bunratty Castle
Quando você for visitar o Bunratty Castle, não pode deixar de fazer uma pausa no Tea Room do Folk Park para tomar um chocolate quente acompanhado de scones recém saídos do forno, os melhores que já provei na vida!. (O scone é um tipo de pão de origem escocesa, que não tem fermento biológico no preparo. Também, é chamado de chamado de quick bread ou "pão rápido").

Já falei sobre o Folk Park aqui no blog, o vilarejo reconstruído em torno do castelo e da casa senhorial de Bunratty e que reproduz uma aldeia irlandesa do século 19. O Tea Room é um dos muitos estabelecimentos recriados no parque. As crianças adoram.

Em Dun Laoghaire


O píer de Dun Laoghaire: a cidade é um refúgio
 à beira mar do ladinho de Dublin
Real Gourmet Burger
Unit 5, The Pavilion, Marine Road, Dun Laoghaire

Pense num hambúrguer de responsa...
A 12 km do centro de Dublin, Dun Laoghaire (pronuncia-se "dan liiri") parece um bairro praieiro da capital irlandesa, com jeitão sossegado, calçadões à beira mar, pios de gaivotas, veleiros e um farol que parece ter saído de uma estampa antiga.

Já não restam vestígios do antigo forte (dún) celta que dá o nome à povoação e a cidade que vemos hoje floresceu a partir do Século 19, com a construção de um porto. Um bom lugar para aproveitar um (raro) dia de sol.

Fomos até lá para aproveitar a manhã de domingo e acabamos descobrindo um hambúrguer inesquecível, forte candidato ao melhor que já provei na vida. O Real Gourmet Burguer funciona em um centro comercial que fica bem em frente ao píer, uma casa pequena e que corre o risco de passar batida (teria passado, não fosse o aplicativo Yelp). Sinceramente? Vale dar uma esticada de Dublin até Dun Laoghaire só para provar o hambúrguer. Com batatas fritas e refrigerantes, almoçamos por €15.

Como chegar a Dun Laoghaire 
Se você está no centro de Dublin, o jeito mais fácil é pegar o DART (trem metropolitano) na estação de Connolly Street, uma viagem de cerca de 30 minutos. Se o dia estiver bonito, considere pegar um barco e descer o Rio Liffey até a Baía de Dublin. Os cruzeiros partem de Sir John Rogerson’s Quay, ao lado da ponte Samuel Beckett. O bilhete só de ida custa €22. A passagem de ida e volta custa €28.

O Rio Liffey, em Dublin
Mais sobre esta viagem
Liverpool
Dublin
Cliffs of Moher
Giant's Causeway

A Europa na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

4 comentários:

  1. Sensacional! Como é bom ver blogs de viagem falando sobre Dublin! Em comparação com outras capitais irlandesas, Dublin é bem carinha em relação a alimentação. Fora isso, a culinária irlandesa não é o primor dos primores, mas a cottage pie e o stew são uma delicia mesmo! Vocês provaram o café da manhã irlandês? Eu amo! E esses scones parecem deliciosos, preciso conhecer o Bunratty!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bárbara, provamos o café da manhã irlandês, mas com algumas restrições. Ainda não aprendi a gostar de feijão de manhã cedo, rsss

      Excluir
  2. Espetáculo!!!
    Na verdade nunca viajei pra fora, tenho grande desejo, e esses dias ganhei um livro do meu marido, e a escritora nasceu na Irlanda, e a pedido do meu filho, estou pesquisando sobre o lugar. Me apaixonei. Parabéns vcs conseguiram passar uma imagem magnifica do lugar.
    Sucesso e otimas viagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Jô. Eu também me apaixonei pela Irlanda muito antes de conhecê-la, por meio dos livros. Ao vivo, o país cumpre tudo o que "promete" :)

      Excluir