quarta-feira, 16 de julho de 2014

Dicas para organizar uma visita à Alhambra

Pátio do Quarto Dourado, no Palácio Real (Comares)
Acho que você vai concordar comigo: um post sobre a Alhambra deveria ter o mínimo de palavras. O complexo de fortificações e palácios que abrigou as cortes dos reis mouros de Granada é para ser visto e não contado. Então, o que vou tentar fazer neste post é mostrar algumas imagens (só para abrir seu apetite, rss) e explicar como foi a organização da minha visita por lá.

Sim, porque uma visita à Alhambra precisa de organização prévia. Ela é o monumento mais concorrido de toda a Espanha (2,3 milhões de visitantes, só em 2013), a venda de ingressos é limitada e a área total do complexo tem cerca de 140 mil metros quadrados – cobertos de coisas lindas e, ainda por cima, com uma vista escandalosa para a cidade, para o bairro do Albaicín, na montanha em frente, e para a Sierra Nevada.

Reserve um dia para a visita. A Alhambra é enorme
 e seu maior encanto são os detalhes
Chegar lá sem o mínimo de preparação pode significar uma visita menos prazerosa, pela ansiedade de "não estar vendo tudo" ou de não compreender a totalidade do significado de toda aquela beleza.

Mas nada de agonia. Bastam algumas providências simples e o mergulho na Alhambra vira puro deleite. Confira:  


Palácio do imperador Carlos V, uma das construções mais recentes no complexo da Alhambra
Compre ingressos com antecedência
Como já falei acima, a Alhambra é o monumento mais visitado da Espanha. Pesquisando para a viagem, li relatos de viajantes bastante experientes que não conseguiram visitá-la porque deixaram a compra dos ingressos para a última hora. 

Quando comecei a montar o roteiro pela Andaluzia, fiz diversas simulações de trajeto, de modo a passar por Granada depois dos feriados do final do ano (que na Espanha compreendem o Natal, o Ano Novo e o Dia de Reis, em 6 de janeiro, dia em que as crianças recebem presentes, não de Papai Noel, mas dos Reis Magos), exatamente para garantir que haveria ingressos disponíveis e apostando que encontraria um pouco menos de muvuca na Alhambra.

Quando cheguei lá (com o ingresso devidamente comprado), vi que ainda havia entradas disponíveis. Mas não arrisque, especialmente se você for fazer sua visita na alta estação (verão ou feriados). 


Pátio de Arrayanes, no Palácio de Comares



Para comprar os ingressos, acesse a página da Alhambra na internet. Depois de concluir o processo, você receberá um código de confirmação e deverá usar o mesmo cartão de crédito com que efetuou o pagamento para retirar as entradas, em máquinas automáticas disponíveis no Centro de Visitantes da Alhambra.

O processo é muito simples, a máquina reconhece o cartão, você digita o código e recolhe a entrada impressa. Coisa de 15 segundos (não peguei fila para ter acesso à máquina, mas se você for na alta estação, coloque essa possibilidade no seu planejamento).

O monumental pátio circular do Palácio de Carlos V, 
considerado uma obra prima da arquitetura 
renascentista espanhola. É um acréscimo do Século 16
 ao complexo da Alhambra, construído para abrigar a corte do chefe do Sacro Império, que também era rei da Espanha
Há várias modalidades de visitas à Alhambra
Eu escolhi a visita geral diurna, que dá acesso aos três Palácios Násridas — visitei apenas Comares e los Leones, pois o de Partal estava fechado para restauração — aos jardins, ao Generalife (palácio de verão) e à Alcazaba (fortaleza). O ingresso para esta modalidade custa € 15,40.

Tem uma categoria de ingresso, mais barata, que deixa de fora os Palácios Násridas, mas é um pecado ir até Granada e não ver justamente o que há de mais bonito por lá.

A visita noturna aos Palácios Násridas ou aos jardins deve ser deslumbrante, mas não quis arriscar, no frio de janeiro. Granada fica nas franjas da Sierra Nevada. Diferente de Sevilha e de Córdoba, onde o inverno andaluz chega a oferecer temperaturas de 17 ou 18 graus, faz um frio danado por lá. Eu peguei algo como 2 graus, todas as quatro noites que estive na cidade.

A Praça de Armas da Alcazaba 
O acesso aos Palácios Násridas é feito pelo Mexuar, antiga sala de reuniões do conselho de ministros do governo mouro de Granada
O acesso ao Mexuar é feito por um caminho tão estreitinho que a gente não imagina o espetáculo que vai encontrar no interior dos palácios
Os Palácios Násridas (Nazaríesem espanhol, última dinastia muçulmana na Península Ibérica), são a principal atração do complexo, considerados os exemplares mais refinados da arte islâmica no Ocidente, com sua suntuosa decoração interior.

Naturalmente, o número de visitantes diários a esses palácios é limitado e é preciso marcar a hora da visita no momento da compra do ingresso. 

O Quarto Dourado do Palácio de Comares
Decoração requintada em gesso, mosaicos, arcos em ferraduras, colunas... Os interiores dos palácios násridas deixam a gente tonta com tantos detalhes
E não esqueça de olhar para cima:
os tetos dos diversos ambientes dos palácios são preciosos
Na visita ao conjunto dos palácios násridas entram 300 pessoas a cada meia hora (mas o tempo da visita é ilimitado, o que significa que ninguém vai expulsar você, se demorar muito lá dentro, mas também quer dizer que você pode ter que compartilhar sua contemplação com bem mais que 300 pessoas).

Não vou mentir pra você: vai ter gente pra caramba
E não tem choro nem vela: se você marcar seu acesso para as 15 horas, por exemplo, só vai poder entrar nesse horário, nem antes, nem depois.

Não atrase, portanto. Planeje direitinho seu itinerário pela Alhambra para chegar à fila dos palácios uns 15 minutos antes da hora marcada. Calcule no mínimo duas horas para esta parte da visita, para namorar todos os detalhes com calma.

Palácio de Comares
Estude o mapa da Alhambra e planeje o roteiro
Lembre-se que o lugar era uma cidadela com vida praticamente autônoma em relação a Granada. Enorme, portanto, e com muito para ser visto. Além dos Palácios Násridas, são imperdíveis a subida às torres da AlcazabaTorre de la Vela e à Torre de Homenaje), o Passeio das Torres, o Generalife e o pátio do Palácio de Carlos V. Comece dando uma olhada no mapa publicado no site oficial da Alhambra.

A Alcazaba
Torre de Homenaje (esquerda), na Alcazaba. Ao fundo, o antigo bairro mouro do Albaicín
A Alcazaba é a parte mais antiga da Alhambra e data do Século 9. Além de fortaleza militar, também serviu como morada para as cortes dos primeiros governantes mouros da cidade, antes da construção dos Palácios Násridas.

O campanário no topo da Torre de la Vela servia para acordar a cidade
Granada vista do topo da Torre de la Vela
Não deixe de subir pelo menos a Torre de la Vela, para ver a Sierra Nevada e a cidade lá de cima. É de levitar, de tão bonito.

Reserve no mínimo uma hora para a Alcazaba (especialmente se seu fôlego e panturrilhas estiverem enferrujados, por conta das escadas para o alto das torres). 

O Passeio das Torres
O Passeio das Torres liga os Palácios Násridas ao Generalife, palácio de verão da corte moura

O Passeio das Torres é um longo caminho entre os Palácios Násridas e o Generalife que atravessa jardins margeados por torres (usadas como aposentos, além da função militar), bastiões e muralhas. Algumas torres podem ser vistas por dentro. É uma caminhada deliciosa e merece ser feita com calma. Reserve uma hora para ela.

No caminho para o Generalife, algumas torres estão abertas à visitação. Ao longe, o bairro do Albaicín
O Generalife
Patio de los Aljibes, no Generalife
Generalife é um encanto de palácio, famoso pelo Patio de los Aljibes (pátio das fontes) e por seus jardins. 

Vindo pelo caminhos das torres, você vai encontrar um grande jardim moderno, com um anfiteatro, logo antes de chegar ao palácio de verão. É um bom local para uma pausa de uns 20 minutos, que ninguém é de ferro. 

Para ver o Generalife, reserve uma hora, no mínimo.

Galeria de acesso ao Generalife
Jardins do Generalife
O Palácio de Carlos V

Pátio do Palácio de Carlos V
Esse palácio foi construído no Século 16 pelo neto de Isabel de Castela, o primeiro rei Habsburgo da Espanha (que também acumulava o título de Imperador do Sacro Império Romano).

Para ver apenas o impressionante pátio central, não é preciso pagar ingresso e, portanto, não é obrigatório ver o palácio no mesmo dia em que você visitar o restante da Alhambra.

Uma boa ideia é programar uma visita exclusiva, para ver o acervo do Museu de Belas Artes de Granada, que funciona lá (a entrada custa € 1,5).

 Meu roteiro na Alhambra
O Pátio de Los Leones, a imagem mais conhecida da Alhambra


Marquei a entrada nos Palácios Násridas para as 14:30h. Cheguei ao Centro de Visitantes da Alhambra às nove e pouco da manhã, retirei meu ingresso e desci a pé até o Palácio de Carlos V, parando para ver muralhas, jardins e detalhes.

Igreja de Santa Maria de la Alhambra
Visitei o pátio do palácio e a Igreja de Santa Maria de la Alhambra, construída pelos Reis Católicos, no Século 16.

Depois, visitei a Alcazaba e almocei na lanchonete, fazendo hora para entrar nos Palácios, onde fiquei cerca de duas horas e meia. De lá, antes que escurecesse, atravessei o Passeio das Torres a caminho do Generalife, onde encerrei a visita.

A janela de Lindaraja, no Palácio dos Leões: a família real costumava usar esta sala para apreciar o jardim
Se puder, tente chegar a pé à Alhambra
Eu estava hospedada na mesma Cuesta da Sabica onde também está localizado o complexo, e a descida da ladeira pelo antigo caminho mouro já foi criando o clima.

Para quem vem da cidade, chegar a pé exige certo preparo físico para subir a Sabica ou a Cuesta del Rey Chico (uma ladeira que começa no Paseo de los Tristes), acessos à Alhambra que são bem íngremes. Mas vale a pena. Os dois caminhos datam da época násrida e margeiam antigas muralhas e torres, atravessam velhos portões e são bastante arborizados.

Se não quiser subir uma dessas ladeiras, as linhas de ônibus 30 e 32, que partem do centro da cidade, deixam você "na porta".


Reserve um dia inteiro para a visita
A Alhambra merece ser vista com calma, com muitas pausas para descansar o corpo e o olhos. Não canso de repetir aqui no blog que beleza também satura. Tentar ver tudo com pressa será cansativo e pouco prazeroso. Eu fiquei lá das 9h às 18h e teria ficado mais :)

Palácio de los Leones
Banhos e jardins dos palácios násridas
Procure conhecer um pouco da história de Granada e da Alhambra, antes da visita
Outra coisa que eu vivo repetindo aqui no blog: contexto é fundamental. Compreender o significado de cada lugar que visitamos amplia enormemente o prazer da contemplação. Não precisa concluir um doutorado, mas é bacana ter uma noção básica sobre a presença moura na Península Ibérica e sobre a história de Granada. Sempre digo que as referências que já levamos conosco são um tempero essencial de cada viagem.

Frisos em gesso, com intrincada decoração, e
 e mosaicos alicatados (compostos de pedaços de azulejos)

O Generalife
Horários
A Alhambra pode ser visitada todos os dias do ano, exceto 25 de dezembro e 1º de janeiro, a partir das 8h30. No inverno, fecha às 18 horas (leve isso em conta na hora de marcar sua visita aos Palácios Násridas, se você for sair de lá para o Passeio das Torres, até o Generalife). No verão, fecha às 20 horas. As visitas noturnas são realizadas das 20h às 21:30, no inverno, e até as 22:30h, no verão.
Como chegar e como circular na cidade
Onde Ficar

O que fazer na cidade 
O Mosteiro de São Jerónimo 
Quer ver lindezas de graça? Vá à Universidade de Granada
A casa-museu do poeta Federico Garcia Lorca
Carrera del Darro, "a rua mais bonita do mundo
Um passeio ao antigo bairro mouro do Albaicín

Palácio de Carlos V
A Espanha na Fragata Surprise
Andaluzia: Cádiz, CórdobaRonda e Sevilha
Castela e La Mancha: Toledo
Catalunha: BarcelonaGirona Tarragona
Galícia: Santiago de CompostelaCaminho de Santiago e cidades da rota

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

12 comentários:

  1. oi Cyntia, muuuito legal este post! fotos incriveis!! Estou indo pra espanha agora em dezebro e janeiro. Devo visitar Alhambra no começinho de janeiro/2015. Seu post me ajudou muito a me organizar. mas tenho uma dúvida: vi varias pessoas dizendo que se o seu ingresso é para o turno da manha, vc nao poderia faicar o resto da tarde.. nao entendi como vc falou que visitou o generalife a tarde..Hellpp!!! queria fazer exatamente esse seu percurso. Estou num grupo com 2 idosos e uma criança de 9 anos. Voce acha que eles conseguem seguir o ritmo? =)

    Muito obrigada,
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana,
      O horário no ingresso diz respeito à entrada nos Palácios Násridas ("Nazaries", em espanhol). As demais dependências da Alhambra podem ser vistas no seu ritmo, no horário que você quiser. Eu optei por agendar a entrada nos palácios no meio da tarde para ter a manhã livre e ver o Palácio de Carlos V, a Alcazaba e outros espaços com calma. Quando comprar o seu ingresso, leve em consideração que dos palácios até o Generalife é uma boa caminhada pelo Passeio das Torres, e que há uma subida (que você faz suavemente, por uma série de jardins). Agende a visita aos palácios para 14 horas, para vê-los com calma, mas ainda com tempo de chegar ao Generalife antes do encerramento das visitas. Acho que a visita é bem tranquila para idosos e crianças, do ponto de vista físico. Para que as crianças mantenham o nível de interesse e concentração em uma visita tão longa, acho que você pode contar a história do lugar antes, criar uma curiosidade. Nas livrarias e casas de souvenir de Granada, vi livros para o público infantil sobre a Alhambra, tipo historinha, com muitas ilustrações, etc -- embora eu não entenda muito de crianças, rsss

      Excluir

    2. Cyntia, olá!
      Também fiquei com a mesma dúvida que a Ana.
      Li em outros blogs que os visitantes só podem entrar no Conjunto no turno definido no ingresso.
      Eu gostaria de fazer um roteiro semelhante ao seu. Você term certeza que posso entrar a qualquer hora no Conjunto?

      Excluir
    3. Marina, o horário definido no ingresso refere-se apenas à visita aos Palácios Násridas (Nazaries). Minha entrada nos palácios, por exemplo, estava marcada para as 14:30. A essa hora, eu já tinha visitado o Palácio de Carlos V, a igreja e a Alcazaba (subi a Torre de la Vela e a Torre del Homenage). Eu também fiquei com essa dúvida. mas foi tudo tranquilo.

      Excluir
  2. Olá Cyntia Campo, cheguei até seu blog procurando pela Andaluzia. Vamos conhecer o sul da Espanha agora em setembro/16, saindo de Salvador/BA. Nosso roteiro vai de Madri à Barcelona de carro pelo litoral, passando por Toledo, Sevilha, Cadiz, Córdoba, Málaga, Granada, Cartagena, Sevilha e Barcelona, muitas cidades em 25 dias. Estou amando suas dicas! Minha principal dúvida é Alhambra, principalmente pela grandeza, pois vou ficar apenas um dia em Granada. Um pecado, eu sei, mas não deu para esticar mais as férias ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marta, a Alhambra é a principal atração de Granada e é realmente imperdível. Se você quer tempo para passear por Granada (que merece demais), uma alternativa pode ser a visita noturna à Alhambra.

      Excluir
  3. Cynthia, estou tentando comprar os ingressos pelo ticketmaster.es e da MSG de erro. Como você comprou o seu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neid, comprei no Ticketmaster, pelo link que informo aqui no post. Qual o erro que está dando pra você? Lembre-se que é preciso liberar o cartão de crédito para compras no exterior. Pode ser esse o problema

      Excluir
  4. Há um erro no site. Escrevi ao patronato-alhambra.es e me responderam que as flechas ainda não estavam abertas para novembro, mas não procede. Já vi gente que está conseguindo via VPN mas não sou micreira, não sei fuçar nisso. Em contato com a concierge do meu cartão (master black) ela consegue. Apenas o dia 15/11 está excluso, parece que há um feriado e a possibilidade de ser uma dia free, sem cobrança de ingressos. Eu prefiro não ir neste dia. Obrigada pelas sugestões, seguirei muitas, serão 20 dias de Andaluzia.

    ResponderExcluir
  5. Olá Cyntia.Gostaria desta informação e parabéns ao seu site.
    Roberto Ramalho, 4/06/2017.
    No chamado Palácio de Alhambra. Comprei ingresso para entrada em Nasríes às 12:00. Quero conhecer este Palácio, o de Carlos V e Alcazaba e não quero ir ao Generalif. É possível conhecer estes palácios e não ir ao Generalif, depois de ter entrado no Nasríes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que sim, Roberto. Quando sair do Palácio del Partal, que é o último do complexo dos palácios Násridas, você terá que voltar, na direção Oeste para chegar ao Palácio de Carlos V, em vez de seguir a Alameda das Torres -- mas você tem certeza meeeeeesmo que não quer ver o Generalife? É tão lindo... :)

      Excluir