terça-feira, 9 de novembro de 2010

De Copacabana a Puno:
A travessia da fronteira Bolívia-Peru

De Yunguyo a Puno: cadê a luz do Altiplano?
Parece que a natureza sabe que cruzamos a fronteira: a paisagem muda completamente a partir de Yunguyo, a primeira cidade peruana na nossa rota. O Titicaca já não é tão azul e o terreno às suas margens é plano, de um marrom acinzentado, desmentido, aqui e ali, por uma pastagem amarelada.

O tempo também mudou e o céu está pesando toneladas. Lá fora, tudo parece ser cinza-chumbo: o céu, o lago, a estrada e as nuvens. Parece que aquela luz dourada ficou toda lá na Bolívia.

Povoados cor de adobe
Até Puno, atravessamos povoados da cor do adobe, nesse “estilo construtivo” bem peruano: as casa nunca são totalmente concluídas. Explicam-nos que as taxas tipo IPTU só incidem sobre os imóveis prontos...

Cenas do caminho: a moradora fiando a lã das alpacas...

e o transporte local
A estação rodoviária de Puno é um pequeno pandemônio e mal deu tempo de nos despedirmos de Paulo, que vai seguir para Cusco. Uma enviada da Stop Tours nos encontra no desembarque, com os bilhetes para nossa visita às Ilhas Flutuantes dos Uros.

Vi pouco de Puno e o que vi não me comoveu: uma cidade grande, à beira de uma baía do Titicaca, com um trânsito infernal. Nossa passagem por lá foi mesmo para visitar as Ilhas Flutuantes dos Uros, que eu contei como foi aqui neste post:

Antropologia McDonnald's: as Ilhas Flutuantes dos Uros

Onde nos hospedamos em Puno

O hotel que escolhemos, porém, é um pequeno oásis na confusão da cidade. Chama-se Camino Real Turístico e fica a algumas quadras do lago. O apartamento triplo (US$ 53 a diária, com café da manhã) é quase um latifúndio: um quarto com cama de casal e banheiro, conjugado a outro, com duas camas de casal e banheiro enorme.

A funcionária Sonia é extremamente competente. Recebeu nossa bagagem e instalou-a no apartamento, enquanto saíamos correndo para pegar a lancha para as Ilhas Flutuantes. Quando voltamos, só tivemos o trabalho de preencher o check-in. E, finalmente, pude tomar um banho muito quente, muito longo e sem a menor preocupação em transformar o banheiro numa lagoa.

O cansaço era tanto que não quis nem ouvir falar em sair para comer. O hotel não tem restaurante, mas sugeriu a Pizzeria Del Buho, que faz entregas. Nada muito fresco, mas decente e rápido: pizza de pepperoni com coca cola para todo mundo, por 19 soles.

Hotel Camino Real Turístico- Jirón Deza 328. Foi reservado pelo booking.com. Oferece acesso gratuito à internet (15 minutos por hóspede, por dia). O grande defeito é que é proibido fumar em todo o hotel — e isso não é avisado antes.

Confira todas as dicas, planejamento e roteiro desta viagem:
Peru e Bolívia: Roteiro de La Paz a Machu Picchu

O Peru na Fragata Surprise
Andahuaylillas, Raqchi e Pucará
Cusco
Lima
Machu Picchu
Puno
Vale do Urubamba (Ollantaytambo, Pisac, Chinchero)

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário