23 de março de 2011

Barcelona: um passeio no Raval

"Gato", escultura de Fernando Botero na Rambla do Raval, Barcelona
O Gato, escultura do colombiano Fernando Botero, na Rambla do Raval
Atualizado em novembro de 2019

O Raval é uma espécie de “patinho feio” entre as regiões mais conhecidas de Barcelona. A área tem fama de barra pesada — e já foi mesmo um dos bairros mais inseguros da Europa — e nem mesmo o processo de revitalização e banho de loja que ganhou, no início deste Século 21, conseguiu afastar o receio dos turistas menos curiosos.

Uma pena, porque o Raval preserva uma autenticidade que está cada dia mais escassa do outro lado das Ramblas, no Bairro Gótico.

Museu Marítimo de Barcelona
Sou arriada dos quatro pneus pelo Museu Marítimo de Barcelona, uma grande atração do Raval

O tal processo de revitalização até conseguiu colocar o bairro na crista da onda entre os alternativos, há cerca de uma década, mas não conseguiu transformá-lo em território hipster.

Eu gosto de passear pelo Raval e, principalmente, gosto de farrear no bairro. Veja minhas dicas pra aproveitar esse cantinho histórico e boêmio de Barcelona:

Um passeio no Raval




Segurança no Raval
Segundo minha amiga Cristina Rosa, historiadora, guia turística e autora do excelente blog Sol de Barcelona — com quem fiz uma happy hour muito legal em um boteco do Raval, agora nas férias de 2019 —, o Raval volta a inspirar cuidados com a segurança, mas nada que o velho e bom olho vivo e bom senso não dê conta.

Necas de caminhar sozinha por aquelas ruelas tortuosas tarde de noite ou dar bobeira com a bolsa. Aproveite o bairro nas horas de movimento e encerre a farra em um horário razoável, que dá tudo certo.

Fiquei hospedada no Raval, num apartamento alugado, no final de 2007. Minhas amigas foram assaltadas na nossa rua, a Carrer de Unió, na noite de Ano Novo — mas eu fui roubada num pub do Bairro Gótico, na mesma noite, de modo que ponho mais a culpa na confusão da festa do que na vizinhança.

Veja essa experiência: Hospedagem em Barcelona: apartamento no Raval

Bar no Raval, Barcelona
Um clássico boteco do Raval, onde fiz uma happy hour muito legal com a super expert em Barcelona, Cristina Rosa

O astral do Raval
Originalmente ocupado por trabalhadores, na época da Revolução Industrial, o Raval foi sendo aos poucos tomado pela prostituição e pela criminalidade, até que um processo de revitalização o recolocou no mapa de lugares interessantes para ver em Barcelona.

A modinha que fez do Raval um point desejadíssimo, há cerca de dez anos, durou pouco. O Raval continua sendo um bairro pobre (para padrões europeus, naturalmente) e concentra uma grande população de imigrantes. Hoje, o maior contingente é de paquistaneses.

Rambla do Raval, Barcelona
A Rambla do Raval repete a receita calçadão/muitos bares da prima mais famosa, mas é muito mais sossegada

Suas ruas estreitas e tortuosas, ladeadas por construções antigas, lembram fisicamente o Bairro Gótico, como um "simétrico desigual" em renda per capita e nos preços da hospedagem, gastronomia e outros serviços.

Tão perto do centro, o Raval mostra uma cara de Barcelona que a gente não vê nas áreas turísticas.

O que fazer no Raval
O Raval é uma área de Barcelona pra quem gosta de história e de boemia. Mas ainda que você não curta uma certa atmosfera meio fin de siècle, vai encontrar o que fazer no Raval além de botequins talhados à medida para existencialistas (risos) e seu legendário Mercado da Boqueria (La Rambla nº 91), certamente a atração mais conhecida do bairro.

Museu Marítimo de Barcelona

⭐ Museu Marítimo de Barcelona (MMB)
Avinguda des Drassanes s/n
Diariamente, das 10h às 20h.
Ingresso: € 10 (com direito a ver o museu e a escuna Santa Eulália). Grátis aos domingos, a partir das 15 horas.

➡️ Pailebot (escuna) Santa Eulàlia
Moll (cais) de Bosch i Alsina, Port Vell
Horário de verão
(abril a novembro): de terça a sexta e aos domingos e feriados, das 10h às 20:30h. Sábados das 14h às 20:30h. Horário de inverno: de terça a sexta e aos domingos e feriados das 10h às 17h. Sábados, das 14h às 17:30h.

Ingresso: € 3.

Eu apenas amo o Museu Marítimo de Barcelona. Tudo nele é lindo: os jardins são um oásis de calma, o edifício é uma adaptação magnífica dos estaleiros medievais da cidade e o acervo é pura festa pra quem gosta de histórias do mar — tipo certas pessoas que escrevem blogs de viagens com nome de embarcação...

Entre embarcações históricas, cartas náuticas e instrumentos de navegação o MMB leva o visitante pela mão pela empolgante história de Barcelona, tão profundamente ligada ao mar.

Além de ver o museu, vale dar uma esticada até Port Vell pra ver a Escuna Santa Eulália, que funciona como barco-museu.

Já falei do Museu Marítimo de Barcelona aqui na Fragata e ele vai ganhar um post todinho dele.


Palau Guëll, Barcelona
Palau Guëll, um dos primeiros trabalhos de fôlego de Gaudí

⭐ Palau Güell
Carrer Nou de la Rambla nº 3 a 5
Horário de verão (de abril a outubro): de terça a domingo, das 10h às 20h. Horário de inverno: das 10h às 17:30h. Fecha dias 25 e 26 de dezembro, 1 e 6 de janeiro e na terceira semana de janeiro.
Ingresso: € 12.


Quer ver a obra de Antoni Gaudí no início de sua carreira? Vá ao Palau Güell, cuja projetada pelo arquiteto foi iniciada em 1886. Na residência da Família Güell i López (a mesma que encomendou o Parque Güell), Gaudí ensaiou e concretizou muitas dos elementos que marcaram sua arte.

Biblioteca da Catalunha (antigo Hospital de la Santa Creu)
O antigo hospital medieval de Barcelona agora abriga a Biblioteca Da Catalunha e exposições

⭐ Biblioteca da Catalunha (antigo Hospital de la Santa Creu)
Carrer de l'Hospital nº 56
De segunda a sexta, das 9h às 20h. Sábados, das 9h às 14h.
Entrada gratuita.


O edifício do Século 15, que abrigou o principal hospital de Barcelona até a construção do modernista Hospital de la Santa Creu e Sant Pau (de Lluís Domenèch e Montaner), está aberto à visitação independente ou pode ser percorrido em uma visita guiada.

A Biblioteca Nacional da Catalunha também promove exposições temporárias de documentos importantes de seu acervo.

⭐Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona (CCCB)
Carrer de Montalegre nº 
De terça a domingo, das 11h às 20h.
Os ingressos para as exposições custam a partir de € 6.


Instalado no edifício da antiga Casa de la Caritat de Barcelona, o Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona (CCCB) promove exposições temporárias, concertos, sessões de cinema e mais um monte de atividades interessantes. Vale a pena ficar de olho na programação no site do CCCB.

⭐ Museu de Arte Contemporânea de Barcelona (MACBA)
Plaça dels Àngels nº 1
Fecha às terças-feiras. Às segundas e de quarta a sexta, abre das 11h às 19:30h. Sábados, das 10h às 20h. Domingos e feriados, das 10h às 15h.

Ingressos: € 11. Gratuito aos sábados

Um museu que tem obras de Alexander Calder e de Joaquín Torres-García já conta com todo carinho desta Fragata. O acervo do tem mais de 5 mil obras, criadas a partir dos anos 50 do Século 20.



Roteiros por Barcelona

Mais passeios e atrações em Barcelona


Gastronomia em Barcelona

Hospedagem em Barcelona - Gràcia e Eixample
Transporte em Barcelona: como chegar e como circular pela cidade

A Espanha na Fragata Surprise
A Europa na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 

Nenhum comentário:

Postar um comentário