29 de março de 2015

O Museu da Acrópole de Atenas


O Museu da Acrópole de Atenas visto do alto da Acrópole
O Museu da Acrópole de Atenas (no fundo, ao centro) e o Anfiteatro de Dionísio (em primeiro plano), fotografados do alto da colina sagrada dos gregos

Atualizado em maio de 2019

Ao lado do Museu Nacional de Arqueologia de Atenas e do Museu da Ágora Antiga, o Museu da Acrópole de Atenas forma uma trinca essencial ao visitante que quer mergulhar um pouquinho mais na fantástica arte dos helenos.

Os acervos dessas instituições complementam a narrativa estética que a gente começa a descobrir muito antes de estar cara a cara com os famosos monumentos da Grécia — afinal, quem não começou a sonhar com aqueles sítios fantásticos na primeira aula sobre a Antiguidade, diante de um quadro de giz?

Este post integra uma blogagem coletiva para marcar a Semana dos Museus, (MuseumWeek), pois esse foi o mote perfeito para eu “quitar uma dívida” com os leitores da Fragata.

Falei muito da Grécia aqui no blog, mas não tinha escrito ainda sobre o mega-massa Museu da Acrópole de Atenas, que guarda alguns dos principais achados arqueológicos da colina sagrada dos gregos.

Museu da Acrópole de Atenas

Edifício do Museu da Acrópole de Atenas
As generosas vidraças levam a Acrópole pra dentro do edifício do museu

Desde 2009, o Museu da Acrópole está instalado em uma sede à altura de sua importância.

O edifício moderno é uma celebração às maravilhas da Acrópole, que fica bem em frente e invade o prédio através de suas generosas vidraças, pensadas exatamente para integrar o cenário e as espetaculares construções com o acervo de peças rituais, estátuas e decorações que pertenceram aos templos.

Com a sede nova, a gente pode dizer que o Museu da Acrópole desceu a montanha e atravessou a rua, mas ficou mais perto da Acrópole do que quando funcionava lá no alto, em um prédio construído próximo ao Parthenon.

Sim, porque o Museu da Acrópole existe desde o Século 19.

Museu da Acrópole de Atenas


As novas instalações do Museu da Acrópole têm um espaço de exposições dez vezes maior que o da sede anterior, com o acervo organizado de maneira muito inteligente, pensada para que a experiência do visitante seja uma evocação, como se a gente realmente estivesse subindo a Acrópole para uma visita ritual.

O roteiro da exposição foi todo pensado para essa evocação. Logo na entrada, a galeria térrea exibe peças encontradas nas encostas da Acrópole, objetos de culto ou utensílios da vida cotidiana.

Em alguns trechos, a Galeria das Encostas da Acrópole tem o piso de vidro, através do qual o visitante pode ver escavações arqueológicas realizadas no subsolo do museu.

Escavações arqueológicas no Museu da Acrópole de Atenas
Durante as obras do edifício do Museu da Acrópole de Atenas, escavações revelaram vestígios de construções da Antiguidade

Rampas e escadas levam aos andares superiores (como se estivéssemos realmente subindo para a Acrópole) e o percurso culmina na comovente Galeria do Parthenon, onde colunas de aço dispostas em um espaço retangular sugerem o mais famoso dos edifícios da colina sagrada dos gregos.

Lá estão dispostos 50 metros originais do friso esculpido por Fídias para adornar o templo (a Grécia continua insistindo em repatriar tesouros da Acrópole, com destaque para os 80 metros de friso do Parthenon exibidos no British Museum, e eu dou a maior força!).

O percurso todo no Museu da Acrópole é de arrepiar, especialmente quando a gente vê a Acrópole de verdade, que está lá do outro lado da rua, nos acompanhando, através das vidraças.

Caríatides, estátuas da Acrópole de Atenas
As Cariátides originais podem ser vistas no Museu da Acrópole

No dia em que estive Museu da Acrópole, as Cariátides originais (as famosas colunas com a forma feminina que adornavam o Erectéion da Acrópole), hoje incorporadas ao acervo, estavam em restauração.

Longe de ser uma frustração, isso acabou rendendo um dos momentos mais interessantes da visita, pois o trabalho estava sendo realizado à vista do público e consistia na aplicação de uma técnica ultra sofisticada para a remoção de fungos das Cariátides.

Partenon, na Acrópole de Atenas
Os 50 metros de frisos do Partenon que a Grécia conseguiu que não fossem pilhados por estrangeiros estão expostos no Museu da Acrópole

Outro trabalho bacana de ver no Museu da Acrópole era a oficina de cores, onde pigmentos identificados em estudos arqueológicos eram aplicados a réplicas das estátuas, para que o público tivesse uma ideia da aparência original das peças.

A gente se acostuma com a ideia de que a arte grega clássica se sustentava na brancura do mármore e se surpreende com a exuberância multicor que os helenos aplicavam às peças.

Museu da Acrópole de Atenas
Na entrada do museu, o outdoor convida a acompanhar os trabalhos da oficina que pesquisa a recomposição das cores originais das estátuas e outras peças encontradas na Acrópole

Uma oficina para crianças convidava os pequenos a colorir miniaturas da estátuas e a meninada parecia estar se divertindo tanto que eu quase entrei na festa 😊.

Eu curti tanto a visita, mergulhei tão fundo na viagem pela Acrópole que acabei não fazendo nem uma fotinha do acervo. Mas você pode ver as imagens no site do museu e começar a sonhar com sua visita.

Restaurante do Museu da Acrópole de Atenas
Não é todo dia que a gente pode almoçar com vista para a Acrópole de Atenas

Quando você for ao Museu da Acrópole de Atenas, não deixe de reservar um tempinho para curtir o fantástico terraço do segundo andar (com uma senhora vista para a Acrópole, claro) e aproveite a pausa para provar um dos pratos tradicionais gregos servidos no bom restaurante que funciona lá.

O cardápio muda, de tempos em tempos, mas é sempre composto por receitas típicas das diversas regiões do país. Os preços são bem camaradas, o WiFi gratuito é veloz e o ar condicionado funciona às mil maravilhas.

Dicas para organizar uma viagem à Grécia


Museu da Acrópole de Atenas 

Museu da Acrópole - Atenas
Onde fica: Dionysiou Areopagitou nº 15, Makriyianniem frente à portaria principal da Acrópole

Como chegar: A estação de metrô mais próxima é a Acropolisακρόπολη, no alfabeto grego. As linhas 1, 5 e 15 do tram (bonde) têm paradas quase em frente ao museu.

Horários do Museu da Acrópole
Verão (de abril a outubro): diariamente, a partir das 8 horas. Às segundas, fecha às 16h. Às sextas, às 22 horas. Nos demais dias da semana, as visitas são encerradas às 20 horas.



Inverno (de novembro a março): de segunda a quinta-feira das 9h às 17 horas. Às sextas, das 9h às 22 horas. Sábado e domingo, das 9h às 20 horas.

Fecha 1º de Janeiro, Domingo e segunda-feira de Páscoa, 1º de Maio, 25 e 26 de dezembro.

Ingresso para o Museu da Acrópole: € 5 na temporada de inverno (novembro a março) e € 10 na temporada de verão (abril a outubro).

Grátis dia 25 de Março (Independência da Grécia), 18 de maio (Dia Internacional dos Museus) e 28 de Outubro (Dia do Não, feriado nacional que celebra a recusa do governo grego a permitir que as tropas do ditador fascista Benito Mussolini usassem o território da Grécia como passagem ou base para atacar outros países durante a II Guerra Mundial).


Índice: todos os posts sobre museus e sítios arqueológicos

A blogagem coletiva da MuseumWeek
Este é o segundo ano que a Fragata Surprise participa da blogagem coletiva para marcar a Semana dos Museus. No ano passado, falei dos excelentes museus de Berlim.

Em 2015, o mundo está celebrando essas deliciosas instituições que eu adoro, colorindo as redes sociais com fotos, vídeos, depoimentos e dicas de museus bacanas, desde o dia 23.


A Grécia na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter  |  Instagram  | Facebook

7 comentários:

  1. Muito legal!! Sou louca pra conhecer Atenas... e a Acrópole é lindíssima hein. O Portão de Brandemburgo aqui em Berlim é inspirado nela e eu já fico suspirando com a "imitação"... rss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nicole, eu fiquei doida por Atenas. E não só pelos monumentos, mas pela cidade toda, que tem um astral delicioso. Não entendo como tanta gente diz que a cidade só vale pela Acrópole e outros sítios históricos. Sou fã e recomendo demais :)

      Excluir
  2. Meu sonho é conhecer Atenas...e pelas lindas fotos aqui do post fiquei com mais vontade!

    ResponderExcluir
  3. Post delícia de ler Cyntia (como todos). Estou no time das loucas para conhecer Atenas. Não sou fã de água, então passarei longe das praias (ok, uma passada rápida para fotos e tal) mas a parte histórica da Grécia me seduz. Bjos e Boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Martinha :) Olha, mesmo quem não é fã de água precisa dar uma chance a uma praia grega. Falo isso sendo baiana e tudo, nascida na beira de um litoral espetacular. Mas praia na Grécia é uma experiência única :) Bjo

      Excluir
  4. Lindo post, Cyntia! Adorei.
    Sua emoção transpira das palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Deb. Sou parcialíssima com Atenas. Xodó é xodó, né? Bjo

      Excluir