domingo, 17 de setembro de 2017

Bolonha – dicas práticas


Agora que eu já contei pra você que espetáculo de cidade é Bolonha, está na hora de acrescentar aquelas informações essenciais à organização da sua viagem. Como chegar, como circular, onde ficar, onde comer (e comer muito bem, porque Bolonha garante).

Organizei tudo bem bonitinho neste post. Agora, é só fazer a mala e avanti!

Parco della Montagnola, um jardim do ladinho da estação de trens 
Como chegar a Bolonha
Bolonha é a capital da Emília-Romanha, no Norte da Itália, a 375 km de Roma (para quem chega por Fiumicino) e 216 km de Milão (para quem desembarca em Malpensa).

De avião
O Aeroporto Internacional Guglielmo Marconi, a 6 km do Centro, é bem movimentadinho —7,7 milhões de passageiros por ano, equivalente ao de Salvador (BA) — e recebe voos de diversas cidades europeias (pesquisei direitinho porque ia voar de lá para Malta, mas acabei mudando de planos). A KLM, Air France, Air Dolomiti, Iberia e Tap, para citar algumas, têm voos pra lá.

Olha o Aerobus (o ônibus do aeroporto) chegando na estação de trens
Do aeroporto ao centro
Um táxi do aeroporto ao Centro de Bolonha custa cerca de € 20, mas pra quem está sozinha pode compensar mais pegar o Aerobus, que tem partidas a cada 20 minutos e custa € 5. Os bilhetes podem ser comprados a bordo e o ponto final é a Estação Ferroviária Bologna Centrale.

Chegando de trem
Bolonha é um entroncamento ferroviário e está muitíssimo bem conectada com as principais cidades italianas, com diversas frequências diárias. A viagem de Milão até lá dura pouco mais de uma hora nos trens velozes, com bilhetes na casa dos € 25 (comprando com mais antecedência, dá pra pagar um pouco menos)

Estação Central de Bolonha
De Roma (Termini) a Bolonha são apenas duas horinhas, com preços também na casa dos € 25 e alguma economia para compras com antecedência. Tem trens mais baratos, mas são os mais lentos. Não acho que compensem a economia.

Tanto a Trenitalia quanto a Italo fazem a rota para Bolonha. Pesquise nos sites das duas empresas ferroviárias para ver promoções, horários e preços para as datas da sua viagem. Procure pelo destino Bologna Centrale ou pela abreviação Bologna Ctle.


Como cheguei e saí de Bolonha
Cheguei a Bolonha de trem, vindo de Florença. O trem da categoria Frecciarossa, da Trenitalia, faz o percurso em 35 minutos, com partidas a cada 20 minutos e bilhetes na casa dos € 15. Se quiser economizar um pouquinho, há trens mais baratos, com passagens na casa dos € 10, mas fazem o percurso no dobro do tempo.

A bordo do trem da Italo, voltando para Roma


De Bolonha, voltei a Roma para pegar o avião em Fiumicino e desta vez experimentei o trem da Italo, que é bem equivalente em conforto aos da Trenitalia, tem tomadinhas para carregar o celular e WiFi a bordo. Paguei € 28 pela viagem e o trajeto durou 2h15.

Da estação de trens ao centro
Se sua hospedagem é no Centro Histórico, dá para ir caminhando — e em Bolonha a gente nem tem a desculpa da chuva, porque os pórticos protegem as calçadas das intempéries 😊 e ainda vão encantando o pedestre a cada passo.

Os pórticos de Bolonha protegem da chuva e do sol
A distância entre a Piazza Maggiore, coração da cidade antiga, e a estação ferroviária é de 1,6 km. Eu fiz esse percurso a pé, para pegar o trem para Ravena, e é bem tranquilo, plano, sem sobressaltos.
Se bater uma preguicinha de arrastar a mala, o táxi até o Centro Histórico vai custar cerca de € 5 a € 7.

Detalhes bolonheses: é um prazer descobri-los caminhando pela cidade


Como circular em Bolonha
A cidade não é grande, tem cerca de 370 mil habitantes, e o Centro Histórico é bem compacto, limitado por uma espécie de anel rodoviário (bem identificável no mapa), com cerca de 8 km de perímetro e onde a maior distância é de 2,7 km.


Teatro Arena del Sole
Esse monte de números pode ser traduzindo em uma palavra: caminhe. É muito bom andar em Bolonha, com seus lindos pórticos para abrigar do sol e da chuva, com os mil detalhes doidos para serem descobertos e um terreno plano e confortável.

Se você gosta de pedalar, achou seu lugar no mundo: as bicicletas são muito populares em Bolonha e é bem fácil encontrar um lugarzinho para alugar a sua.



Os preços em Bolonha
Para os padrões das cidades italianas mais turísticas, Bolonha é bem mais em conta. Não que seja propriamente barata (na Itália, acho que “barato” não existe), mas é que há poucas arapucas pega-turistas (daquelas que cobram € 5 por um café só porque estão de cara para uma grande atração). 

Um bar em Bolonha nunca será só um bar 
Dá para ter um ótimo jantar com entrada, prato principal e sobremesa, acompanhado de uma taça de vinho e café na casa dos €30, mas também dá para comer muito mais barato, uma piadinha (sanduba escandaloso de bom que é típico da Romanha, feito com um pão parecido com o sírio) com café em um balcão vai custar cerca de € 5 e deixar você muito bem alimentada.


As atrações de Bolonha têm preços bem camaradas, quando não são gratuitas, como as igrejas.

E um maravilhoso bate e volta a Ravena

Basílica de São Petrônio
Os hotéis no Centro histórico têm preços similares aos de Roma, mas em uma cidade universitária, sempre fervilhando de jovens, dá pra pesquisar os hostels e os quartos para alugar em casas particulares (pesquise por affitacamere, que quer dizer “aluguel de quartos”) .

Se você puder gastar um pouquinho, recomendo muitíssimo o Hotel Corona D’Oro, onde me hospedei em janeiro/17. Pense em um lugar bonito, elegante, aconchegante e onde você é tratada com todos os papapricos? Pois é lá. 



A Itália na Fragata Surprise
Roma
Campânia: HerculanoNápoles e Pompeia
Costa Amalfitana: AmalfiRavello e Sorrento
Emília-Romanha: Bolonha e Ravena
Sicília: AgrigentoCastelmolaPalermo e Taormina
Toscana: FiésoleFlorençaLucaSan Gimignano e Siena
Vêneto: Burano e Veneza

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.

Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário