segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Os Rolling Stones no Rio:
Podem adiar o meteoro

Os Stones no palco: o mundo ainda vale a pena
Meninas, eu estava lá! Os Rolling Stones arrasaram em seu primeiro show da turnê brasileira de 2016, na noite de sábado, 20 de fevereiro no Estádio do Maracanã, no Rio.

Se você é do time que acha que o mundo deu errado, que a humanidade não tem jeito e está na hora de um novo meteoro dar um freio de arrumação no planeta, pense de novo: a espécie animal capaz de gerar aqueles quatro velhinhos da pá virada merece um crédito de confiança.

Os Stones fazem a vida valer a pena. E se eles estão maravilhosos assim com 53 anos de estrada, imagina como não vai ser a celebração de 60 anos da banda :). Podem adiar o meteoro mais um pouquinho, por favor.

Só pra você ter uma ideia de como foi, tem esse vídeo lá na página da Fragata no Facebook:
Rolling Stones no Rio, Maracanã, 20/02/2016 - Start me up!


Foi, literalmente, um espetáculo. A mágica estava toda lá: repertório recheado de clássicos, a energia e o carisma inigualáveis da banda, a qualidade dos músicos de apoio.

Pra resumir, se você tiver alguma chance de assistir os próximos shows dos Stones (São Paulo, na quarta, 24/02, e sábado, 27/02, e Porto Alegre, quarta, 02/03) simplesmente vá

Keith Richards recebeu uma ovação impressionante
As dicas para curtir essa celebração com conforto e segurança estão em um post anterior (De olho nos Rolling Stones: meu guia de sobrevivência em grandes shows de rock) e esta postagem é só para dar um alô, mostrar algumas fotos e botar pilha pra você ir a uma das próximas apresentações :)

Eles já entraram detonando, com Start me up! "If you start me up I'll never stop", diz a letra. E foi assim mesmo. Eles trouxeram a fagulha e botaram fogo no Maracanã. Depois, sem dó nem piedade, emendaram com It’s Only Rock ‘n’ Roll (But I Like It), cartão de visitas/declaração de princípios que bota roqueiros em marcha desde a década de 70. 



Quando anunciaram Like a Rolling Stone, o Maracanã já estava em órbita. Eu tive o raro privilégio de assisti-los cantando essa obra prima com ninguém menos que o autor da canção, um certo Bob Dylan, no show do Ibirapuera, em 1998. No sábado, a emoção foi igual.

Mas o golpe de misericórdia foi quando Keith Richards, quietinho na sombra, dedilhou os primeiros acordes da introdução de Paint it Black. Eric Clapton que me perdoe, mas vou roubar o texto das pichações que o homenageavam pelos muros de Londres, nos anos 60, porque "Richards is God". E a epifania de sua presença no palco botou muito marmanjo em lágrimas quando ele arrasou em You Got the Silver.

Antes do show, a expectativa
É difícil destacar um ponto alto de um show que me deixou o tempo inteiro com o coração aos pulos, mas me juntar a 66 mil pessoas para uma apoteótica ovação a Keith Richards, quando Mick Jagger apresentou a banda, foi daqueles momentos de lavar a alma. Dá só uma olhada na set list (relação das músicas do show) no fim do post e avalie.

As apresentações dos Rolling Stones no Brasil fazem parte da turnê Olé, giro latino-americano da banda iniciado dia 3 de fevereiro, em Santiago (Chile), e que segue eletrizando o continente até 17 de março, quando eles fazem a última apresentação na Cidade do México. 


Aproveite e fique de olho na página oficial dos Rolling Stones e vote na enquete para escolher uma música que será incluída no repertório de cada show. Para a apresentação no Rio, foram oferecidas cinco opções. Eu votei (claro!) em Like a Rolling Stone, que acabou sendo a vencedora.

Prepare-se para duas horas e meia de show, pra pular e berrar com as canções mais conhecidas da banda e para um irrecorrível nó na garganta.

Pra ir entrando no clima, o Netflix tem duas "pérolas rollingas" em cartaz: uma é Keith Richards - Under the Influence, delicioso documentário sobre esse guitar-hero e personagem síntese do Rock'n'Roll. Com o maior bom humor, é Keith mesmo quem nos conduz por sua trajetória, suas paixões musicais (o blues) e por um pedaço essencial da história do Século 20. A segunda é o fantástico Shine a Light, documentário de Martin Scorcese, que acompanha uma turnê da banda. 

O que os Rolling Stones tocaram no Rio

. Start Me Up (Tatoo You, 1981)
. It’s Only Rock ‘n’ Roll (But I Like It) (It's Only Rock'n'Roll, 1974)
. Tumbling Dice (Exile on Main Street, 1972)
. Out of Control (Bridges to Babylon, 1998)
. Like a Rolling Stone (Bob Dylan, escolhida na enquete online. Gravada pelos Stones no álbum Stripped, 1995)

Uma enquete no site da turnê permitiu ao público escolher uma das canções do show
Eu votei na vencedora
. Doom and Gloom (GRRR, álbum comemorativo dos 50 anos da banda, 2012)
. Angie (Goats Head Soup, 1973)
. Paint It Black (Aftermath, 1966)
. Honky Tonk Women (single, 1969)
. You Got the Silver, vocais de Keith Richards (Let it Bleed, 1969)
. Before They Make Me Run, vocais de Keith Richards (Some Girls, 1978)
. Midnight Rambler (Let it Bleed, 1969)
. Miss You  (Some Girls, 1978)
. Gimme Shelter (Let it Bleed, 1969)
. Brown Sugar (Sticky Fingers, 1971)
. Sympathy for the Devil (Beggar's Banquet, 1968)
. Jumpin’ Jack Flash (single, 1968)
. You Can’t Always Get What You Want, com o Coral da PUC-Rio (Let it Bleed, 1969)
. (I Can’t Get No) Satisfaction (single, 1965)


A música na Fragata Surprise
De olho nos Rolling Stones: meu guia de sobrevivência em grandes shows de rock
Rio de Janeiro: uma noite no Theatro Municipal
Celebração entre amigos: o show de Ringo no Rio
Londres: como é legal assistir a um musical!
Sainte Chapelle sem multidão? Vá a um concerto
Onde ouvir o Fado de Coimbra
Robert Plant ao vivo: The heart remains the same
Paul McCartney ao vivo: It's only (?!) Rock'n'Roll and I loooooove it

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter    Instagram    Facebook    Google+


Nenhum comentário:

Postar um comentário