domingo, 2 de dezembro de 2012

Salvador:
uma tarde no Solar do Unhão

Solar do Unhão: belo conjunto arquitetônico e o pôr do sol mais bonito de Salvador
O Solar do Unhão é o meu lugar favorito em Salvador. Minha cidade é cheia de encantos, mas é difícil competir com a beleza arrebatadora desse conjunto arquitetônico do Século 17, caprichosamente plantado à margem da Baía de Todos os Santos, um recanto cheio de história para ver o mar, o pôr do sol e belas obras de arte.
Passar uma tarde no Solar do Unhão é uma experiência especialíssima em Salvador — até hoje eu fico surpresa com a quantidade de gente que passa pela cidade sem conhecer essa preciosidade. Anote as dicas pra não perder esse programaço na sua próxima visita:

O pôr do sol visto do trapiche do Unhão

O Unhão fica na Ladeira do Contorno, uma das ligações entre a Cidade Baixa e a Cidade Alta, e basta descer a ladeirinha de pedras irregulares que dá acesso ao solar para começar a voltar no tempo. Lá estão a Capela de Nossa Senhora da Conceição, a casa-grande, armazéns e senzalas de uma antiga casa senhorial.

O primeiro ocupante da área, logo após a fundação de Salvador, foi Garcia D’ávila, o genro de Caramuru que se transformou em um poderoso senhor de terras nos primeiros tempos da colônia e que também foi responsável pela construção do Castelo da Praia do Forte. 

A antiga casa-grande do Unhão, hoje sede do Museu de Arte Moderna da Bahia
Os painéis de azulejos portugueses são do Século 18
Outras famílias se sucederam na ocupação do local, que é um testemunho do poder da economia açucareira no Recôncavo, nos primeiros tempos da colonização portuguesa. No Século 18, o Unhão era quase que um território independente da cidade, com embarcadouro, engenho de açúcar, alambique e aqueduto próprios.

Os trilhos serviam para o transporte de mercadorias do trapiche até os armazéns do Unhão
O Unhão hoje é a sede do Museu de Arte Moderna da Bahia (lar do meu quadro preferido, o Boi na Floresta, de Tarsila do Amaral). Para isso, passou por uma cuidadosa restauração, nos anos 60, comandada pela arquiteta Lina Bo Bardi, que desenhou a maravilhosa escadaria de madeira (inspirada nos encaixes das rodas dos carros de boi) que liga os dois andares da antiga casa-grande.

A Capela de Nossa Senhora da Conceição abriga exposições temporárias e concertos


Nos anos 90, o Unhão ganhou um Parque de Esculturas, um passeio que acompanha os arcos que sustentam a Ladeira do Contorno, debruçado sobre a Praia da Preguiça. Lá estão expostas obras de Mestre Didi, Bel Borba, Waltércio Caldas e Mário Cravo, entre outros artistas muito bacanas.

Aos sábados, o velho terreiro do solar ferve com a imperdível Jam no MAM, a cargo de excelentes jazistas baianos (si, Salvador tem jazz da melhor qualidade!!) como Joatan Nascimento, Ivan Huol e Rowney Scott.

O Parque das Esculturas
O Cetro da Terra, obra de Mestre Didi, 
no Parque das Esculturas do MAM-Ba

A Praia da Preguiça vista do Parque das Esculturas

O Forte de São Marcelo e a Cidade Baixa vistos do Unhão
Além da arquitetura, da história e da arte, o Solar do Unhão talvez seja o lugar mais bonito para se contemplar o pôr do sol em Salvador e a extasiante Baía de Todos os Santos, essa porção mágica de água salgada que os tupinambás chamavam de Kirimurê, cheia de recortes caprichosos e relevo manso como o sotaque da terra.


Dicas práticas

O Solar do Unhão fica na Ladeira do Contorno, muito perto da parte baixa do Elevador Lacerda e o Mercado Modelo.

Não recomendo, porém, que você vá a pé: assaltos a turistas são muito comuns na Ladeira do Contorno. O melhor jeito de chegar é de táxi, pois o estacionamento no local é bem acanhado (e uma parte dele fica fechada, nos dias da Jam no Mam).

Aos sábados, tem jazz no velho terreiro do Unhão

Além dos acervos permanentes do Museu de Arte Moderna da Bahia, são frequentes as mostras temporárias. Já vi maravilhas por lá, como uma exposição de desenhos de Goya, uma coletânea de trabalhos de Jesús Soto e instalações de Yoko Ono.

O Unhão também tem um cinema com programação alternativa e eventualmente sedia shows bem interessantes.

A entrada no Unhão é gratuita. A Jam no Mam é realizada nos sábados, das 18h às 21 horas, e os ingressos custam R$ 7 (meia R$ 3,50).




Mais sobre Salvador
Comilanças






Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário