sexta-feira, 6 de abril de 2012

Viajar sozinha: Serra Gaúcha

A roda d'água de uma ferraria (esq) e o detalhe da fachada de uma casa de colono nos Caminhos de Pedra, em Bento Gonçalves
Cenário bonito, boa mesa, bom vinho, céu estrelado e amanhecer com canto de passarinhos. Essa é a Serra Gaúcha, pra mim. O destino mais famoso da região é Gramado, com suas paradas natalinas e neve artificial em pleno verão. Eu, porém, recomendo Bento Gonçalves, 120 quilômetros a Oeste.

Bento conquista por seu riquíssimo acervo arquitetônico, herdado da colonização italiana, e pelo capricho com que os descendentes desses imigrantes vêm resgatando tradições e memórias dos primeiros colonos. E é um grande destino para quem viaja sozinha.

A cidade de Bento Gonçalves é bonitinha, arrumadinha, mas, se você ficar restrita a ela, vai achar que perdeu a viagem. O barato, aqui, é cair na estrada.

O roteiro mais conhecido é o dos Caminhos de Pedra, uma viagem no tempo pelo vale onde foram abrigados os primeiros italianos a chegar ao Rio Grande. Talvez você não ouça falar o “talian”, dialeto dos colonos, mas o português estará carregado de sotaque quando lhe derem as boas vindas ao Baracón (Barracão), comunidade pioneira da colonização.

Vinícola Don Giovanni, em Pinto Bandeira, ótima opção de hospedagem na Serra Gaúcha
A cada ano os Caminhos e Pedra vão mais longe, incorporando novas propriedades abertas à visitação. Lá, pode-se saborear os queijos e doces típicos (e ver como são fabricados), visitar tecelagens artesanais, provar o vinho local à sombra das parreiras e babar de paixão diante das belas casas centenárias, construídas em pedra e tábuas.

(Leia sobre a minha viagem mais recente à Serra Gaúcha - prova de que a região só fez melhorar, desde minha primeira visita)

As fofuras da Casa da Ovelha, nos Caminhos de Pedra

Por que é legal para quem está sozinha 
É fácil de chegar, partindo de Porto Alegre. A região é muito segura e a cordialidade local faz todo mundo se sentir em casa. Não é destino para baladeiros, mas para contemplação, sossego e muitas pausas, na companhia de um livrinho e uma taça de vinho. As agências locais oferecem muitos programas interessantes, como os Caminhos de Pedra e o passeio de Maria Fumaça, que destoam do estilão excursão e são perfeitos para quem não quer pegar o carro sozinha por estradinhas desconhecidas.

A Casa da Erva Mate preserva o modo tradicional de processamento da erva, com fornos a lenha e moenda movida pela roda d'água

O que pode ser um percalço 
Se você vive de regime, esqueça a Serra. Capeletti in brodo, galetto al primo canto na brasa, polentas celestiais e compotas de rasgar a roupa, onipresentes às refeições, são tentações em excesso para comedoras de alface.

Preste atenção
Não é só porque você está no paraíso do vinho que  vai meter o pé na jaca, né? Lembre-se de que está viajando sozinha, situação que não combina nadinha com embriaguez (aliás, de porre, não vá sozinha nem à esquina).

Vinícola Perterlongo, em Garibaldi
Como chegar
Bento Gonçalves fica a pouco mais de 40 quilômetros de Caxias do Sul, para onde voam a Gol e a Azul. De Porto Alegre, são 120 quilômetros (atenção aos horários, para não cair nos engarrafamentos monstros em Canoas e São Leopoldo) pela BR-116, RS-240 e RS-122. 

Pra quem viaja sozinha, acho o ônibus a melhor opção. A empresa Unesul  faz a linha Porto Alegre-Bento Gonçalves em diversos horários (consulte o site). A passagem custa cera de R$ 25 e o percurso dura cerca de 2h40. 

Para percorrer os Caminhos de Pedra, contrate um tour numa agência local (são muitas ofertas) ou alugue um carro em Bento, para fazer o roteiro no seu ritmo, parando para tirar todas as fotos que quiser das lindas casas e da paisagem encantadora.
 
A Serra também é ótimo destino de verão. Essa piscina da Vinícola San Giovanni (acompanhada de um espumante da casa), era o refúgio perfeito quando o calorão apertava

Onde ficar
Há boas opções de hospedagem na cidade de Bento Gonçalves, como o Dall'Onder Grande Hotel, mas recomendo andar um pouquinho mais e escolher entre as várias vinícolas da região que aceitam hóspedes, como a Villa Valduga.

Eu fiquei na Vinícola Don Giovanni, no Distrito de Pinto Bandeira, e adorei. O lugar é lindo (nunca vi tantas hortênsias floridas ao mesmo tempo). A casa muito fofa, com quartos aconchegantes, a la Cachinhos Dourados e os Ursinhos. E o restaurante serve risotos de rasgar a roupa. Recomendadíssima!!

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

3 comentários:

  1. A postagem não é nova, espero que ainda esteja valendo! :-) Amei as dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As dicas estão valendo, sim, Della. Voltei à Serra no ano passado e continua muito legal, em qualquer estação. Veja o post> http://www.fragatasurprise.com/2016/01/serra-gaucha.html?m=0

      Excluir
    2. Legal! Vou tentar organizar um roteiro, pesquisando bem já que não quero alugar carro sozinha. Se eu for mesmo, te conto depois!

      Excluir