quarta-feira, 30 de março de 2011

Carcassonne: um passeio na Cité

A beleza da cidade fortificada vista de Pont Vieux ("Ponte Velha")
A subida da Rue Trivalle não é brincadeira, mas eu estava saltitante ao final do percurso, contemplando a Porte Narbonnaise, principal acesso à Cité de Carcassonne. Hoje, nossa visita à cidade medieval foi completa.

Eu e Simone resolvemos tomar o café da manhã no pequeno parque arborizado, em frente à entrada da cidadela. O remanescente do vasto farnel comprado no Mercat de La Boquería, lá em Barcelona, seria devidamente dizimado diante das muralhas — subir ladeira engorda: o exercício dá uma fome de cão...



Rue Trivalle
(foto: Simone Campos)
Do outro lado da Porte Narbonnaise, mais ladeiras, até chegarmos à praça do Chateau Comtal, um dos pontos altos da visita à Cité, junto com a caminhada pelas muralhas e a Basílica de Saint Nazaire.

No Século XVII, com a consolidação do domínio francês sobre o Rousillon — e a fixação da fronteira franco-espanhola mais ao sul — Carcassonne perdeu importância estratégica. A cidade fortificada passaria a viver um longo período de decadência, até ser redescoberta, no Século XIX, como uma quase-favela onde se amontoavam os operários têxteis, atraídos para a região pela Revolução Industrial.

Cour du Midi, no interior do Chateau Comtal
O “redescobridor” da Cité foi o arquiteto Eugéne Viollet-le-Duc (que teve grande influência sobre o jovem Gaudi), um dos pioneiros na “reabilitação” da memória e do patrimônio medievais, comandante da restauração da cidade amuralhada. Um busto de bronze de Le-Duc recebe os visitantes numa das primeiras salas do Chateau Comtal. A maioria dos visitantes passa batida pela homenagem ao arquiteto. Estão mais interessados em tirar fotos com as gárgulas expostas na sala.

Um passeio pelas muralhas do Chateau
Eu também adoro gárgulas (tem coisa mais gótica?), mas fiz questão de dar um alô a Viollet-le-Duc, nosso "cicerone" na visita ao castelo: um ator interpreta o arquiteto na narração do áudio-guia que nos acompanha pelas diversas salas do museu.

Detalhe da Basílica de Saint Nazaire
O castelo ocupa o lugar de fortificações que remontam à presença galo-romana na área, foi praça forte de Visigodos e Sarracenos e começou a ganhar a forma atual no Século XI, para viver seu apogeu nos cem anos seguintes.

Além de percorrer o castelo, (maravilhoso, claro!), é delicioso caminhar sobre as muralhas do Chateau Comtal, atravessando suas torres e admirando a vista da cidade, dos campos e dos Pirineus, lá no horizonte. Outro programão é dar a volta completa na Cité, pelos três quilômetros do cinturão duplo de muralhas que envolvem a cidadela medieval.

Cité de Carcasonne 
(foto: Simone Campos)

A antiga catedral de Carcassonne, a Basílica de Saint Nazaire, também merece uma visita. Seu aspecto atual data de reformas realizadas nos Séculos XIII e XIV, mas suas origens são do Século X. Tem um lindo pórtico românico, vitrais maravilhosos e um órgão do Século XVII.

Veja mais imagens de Carcassonne na página da Fragata no Facebook

Informações:
A Cité pode ser visitada todos os dias do ano. O Chateau Comtal abre das 10 às 17 horas, de outubro a março. De abril a setembro, o horário de encerramento é esticado até às 18:30h. A Entrada custa 8, 50 €, mas eu recomendo vivamente que você pague mais 4,50 € pelo áudio-guia (o aluguel de dois aparelhos custa 6 €), pois as informações fornecidas nas gravações enriquecem muito a visita. O ingresso ao castelo também dá acesso às suas muralhas, mas fique atento porque, no inverno, essa parte da visita “fecha para o almoço”.

A Basílica de Saint Nazaire tem entrada franca e pode ser visitada de segunda a sábado, das 9h às 11:45 e das 13:45h às 18 (no inverno, só até às 17h). Aos domingos há missa às 11 horas e as visitas são suspensas 15 minutos antes e retomadas às 14 horas.

É importante consultar o site do Escritório de Turismo de Carcassonne para ver outras opções de visita, como uma volta de trenzinho em torno das muralhas e os passeios de carruagem. Ambas as possibilidades só estão disponíveis no verão.

Mais sobre Carcassonne
A França na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário