2 de maio de 2015

Quadra 308 Sul de Brasília: um passeio para entender e se apaixonar pela cidade

Jardim projetado por Burle Marx na Quadra 308 Sul de Brasília
Quadra 308 Sul, coração do Centro Histórico de Brasília: os jardins são de Burle Marx, o edifício é Bauhaus
Depois do futebol e do vôlei, o mais popular esporte nacional é detestar Brasília — e ele é praticado, em larguíssima maioria, por gente que nunca pôs os pés da cidade ou, no máximo, passou correndo por aqui e fez um tour convencionalão por alguns monumentos.

Mas eu aposto que essa antipatia não sobrevive nem 10 minutos depois de um passeio na Quadra 308 Sul de Brasília, o modelo concebido por Oscar Niemeyer e Lúcio Costa como padrão de unidade de vizinhança no genial projeto urbanístico da cidade.

Prédio sobre pilotis, Quadra 308 Sul de Brasília
Os blocos (edifícios) do Plano Piloto estão imersos no verde das superquadras
Nesse passeio, descobre-se (ou confirma-se) que Brasília é uma das maiores expressões do gênio brasileiro, junto com o futebol (aquele jogado até a Copa de 82), Noel Rosa, Chico, a Bossa Nova, a Tropicália, o Cinema Novo, a turma da Semana de 22, O Pasquim, Nélson Rodrigues e Machado de Assis — os não citados que me perdoem, vocês estão em meu coração.

Fiz o passeio Quadra 308 Sul de Brasília no último final de semana, um roteiro didático e lúdico oferecido pela agência Experimente Brasília, e amei. Tive a companhia dos blogueiros de viagem participantes do #EncontroBSB, o que tornou o programa ainda mais divertido.

Jardim na quadra modelo de Brasília
Imagine morar dentro de um parque...
Ele é uma aula deliciosa sobre a brilhante concepção de cidade que mobilizou os imensos talentos de Oscar Niemeyer, Lúcio Costa, Roberto Burle Marx, Athos Bulcão e Alfredo Ceschiatti — só para citar os mais presentes na minha paisagem cotidiana — e encantou o mundo, naquele tempo tão cheio de sol e otimismo que foi o alvorecer dos anos 60.

Veja como é o passeio e coloque-o na agenda. Você vai ver que entender e gostar de Brasília é muito fácil:
Cobogós e fachadas Bauhaus na Quadra 308 Sul de Brasília
A inteligência do cobogó, fachadas Bauhaus e muito, muito verde
Passeio pela Quadra 308 Sul de Brasília
Chamado de Superquadra Experience, o passeio pela Quadra 308 Sul é uma baita experiência turística — e também, por óbvio, arquitetônica e histórica.

É impossível gostar de Brasília vendo somente (e, geralmente, apenas pelo lado de fora) os seus mais destacados exemplares de arquitetura monumental, que são lindos, mas precisam ser compreendidos no contexto maior.

Equipamentos de lazer na Quadra 308 Sul de Brasília
O que é funcional também pode ser lúdico: os cogumelos de concreto servem como mesas e banquinhos, mas também como equipamento para a brincadeira. Abaixo, à direita, os caracóis de Burle Marx também são para brincar
Para perceber a genialidade do projeto de Brasília, é preciso se conectar com a lógica da cidade. E isso os roteiros turísticos convencionais não oferecem.

Uma das primeiras coisas que fiz quando voltei a morar na Capital Federal, em 2011, foi experimentar o city tour que é oferecido por aqui e terminei o passeio convicta de que ele passa longe de mostrar o que temos de melhor).

Igreja de Nossa Senhora da Conceição, a Igrejinha de Niemeyer, na Quadra 308 Sul de Brasília
A Igrejinha da 308, uma das obras-primas de Niemeyer, é o ponto de partida da Superquadra Experience
Para se encantar com a cidade modernista, é essencial conhecer a inteligência urbanística que Lúcio Costa imprimiu no Plano Piloto e perceber a qualidade de vida que nós, felizardos que vivemos nessa Brasília inicial, conseguimos ter no cotidiano.

Se isso hoje é um privilégio, não é culpa de Seu Oscar, meu comunista preferido, e de seu time de gênios: o projeto original previa uma cidade muito mais igualitária que a que temos hoje...

Azulejos de Athos Bulcão na Igrejinha de Niemeyer, na Quadra 308 Sul de Brasília
As pombinhas de Athos Bulcão revestem as paredes da Igrejinha
O roteiro oferecido pela Experimente Brasília pela Quadra 308 Sul é acompanhado por historiadores que conhecem muito bem o tema e a cidade.

O passeio começa e termina na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, “Igrejinha da 308”, para os íntimos, inaugurada em 1958 (antes mesmo da inauguração de Brasília, em 21 de abril de 1960.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição, a Igrejinha de Niemeyer, na Quadra 308 Sul de Brasília
A Igrejinha foi inaugurada dois anos antes de Brasília
A Igrejinha da 308 é uma obra prima de leveza. Dizem que para desenhar a cobertura do templo, Niemeyer se inspirou nas cornettes usadas pelas freiras (sabe aquele chapeuzinho da Noviça Voadora, papel que lançou Sally Field ao estrelato? Ou será que sou só eu que tem memória para seriados de TV dos anos 70?).

Altar da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, a Igrejinha de Niemeyer, na Quadra 308 Sul de Brasília
O interior da Igrejinha 
O fato é que a Igrejinha parece mesmo determinada a levantar voo. Suas paredes externas, recobertas com as pombinhas nos azulejos de Athos Bulcão, só reforçam essa impressão.

A Superquadra 308 Sul é o coração do Centro Histórico de Brasília. Foi lá que a cidade começou de fato como experiência urbana — lembre-se que cidade é lugar onde mora gente, não uma reunião de monumentos.

Escolas da Quadra 308 Sul de Brasília
A Escola Classe e o Jardim de Infância da 308 Sul
A Quadra 308 Sul foi a primeira a ser inaugurada no Plano Piloto. Ela é dotada de todos os equipamentos entendidos como necessários a uma unidade de vizinhança, conceito urbanístico que busca estimular a convivência entre os moradores.

Lá estão as escolas (o Jardim de Infância, a Escola Classe, para aulas regulares, e a Escola Parque, para atividades extracurriculares, no contra turno), a Biblioteca, o posto de saúde, a rua de comércio, o parque infantil, o Clube Vizinhança e muito, muito verde.

Pilotis da Quadra 308 Sul de Brasília
Os pilotis dão leveza aos blocos e deixam livres o olhar e o passo de quem caminha pelas quadras do Plano Piloto. Essas áreas são públicas
Os prédios de todo o Plano Piloto de Brasília, em geral, são sustentados por colunas, os famosos pilotis, para não obstruírem a circulação nem a visão de quem caminha pelas quadras. Isso integra as construções ao espaço verde ao redor.

Os pilotis do Plano Piloto são áreas públicas, não podem ser cercados — embora eu desconfie que esse seja um dos dois maiores sonhos de consumo dos caretas de Brasília. O outro é trocar os inteligentíssimos cobogós, estruturas de cimento armado que favorecem a iluminação e a ventilação naturais, por esquadrias de alumínio e vidros fumê.

Cobogós em um bloco da Quadra 308 Sul de Brasília
Os cobogós garantem a luz e a ventilação dos apartamentos
Apesar de algumas intervenções, os edifícios residenciais da Quadra 308 Sul (que em Brasília a gente chama de Blocos, sempre identificados por uma letra do alfabeto) estão de acordo com o projeto original.

São nove prédios, com fachadas de franca inspiração Bauhaus, que têm o privilégio de estar rodeados por jardins desenhados por Burle Marx.

Espelho d'água em jardim projetado por Burle Marx na Quadra 308 Sul de Brasília
O paisagismo da Quadra 308 Sul é todinho de Burle Marx
Além de misturar plantas nativas do cerrado com espécies de outras regiões e até de outros países (repare os papiros egípcios no espelho d'água), Burle Marx gostava de convidar todo mundo para brincar, como demonstram os caracóis e cogumelos de cimento que adornam os jardins da quadra.

A Quadra 308 Sul é o núcleo central do conjunto tombado pelo Patrimônio Histórico, que compreende ainda as superquadras 307, 107, 108 e parte da 508, onde está outro equipamento previsto por Niemeyer, o hoje Espaço Cultural Renato Russo.

Papiros no espelho d'água em jardim de Burle Marx na Quadra 308 Sul de Brasília
Burle Marx adorava misturar plantas nativas com espécies exóticas, como os papiros
O edifício original do Espaço Cultural Renato Russo, construído nos anos 70, abriga um teatro, sala de cinema, biblioteca e gibiteca e já foi palco de grande eventos culturais.

Uma das características do Espaço Cultural é sua relação com artistas do grafite e tem sua fachada recoberta por alguns (já) clássicos expoentes da Street Art brasiliense, que também adornam muros e paredes de outros imóveis da área. Só por isso, já vale uma caminhada por lá.

Espaço Cultural Renato Russo, na 508 Sul, Brasília
Espaço Cultural Renato Russo, na 508 Sul, tem forte relação com a Street Art em Brasília
Grafites no Espaço Cultural Renato Russo, na 508 Sul, Brasília

Depois de duas horas de caminhada com a Superquadra Experience, aposto que você vai ficar morrendo de vontade de morar em Brasília.

O passeio é tão bacana que até eu, que moro e circulo todos os dias pelo Plano Piloto, me emocionei com a esse encontro com a minha cidade adotiva. Da próxima vez que você vier pra cá, experimente e depois me conte 😃

Grafites no Espaço Cultural Renato Russo, na 508 Sul, Brasília
Grafites no Espaço Cultural Renato Russo
Por falar nisso, você já acompanha minhas andanças diárias pelo cotidiano de Braília, no Instagram da Fragata? Segue lá e procura a hashtag #vidadedepedestre.

Superquadra Experience
O passeio é oferecido em roteiros regulares (para ver datas e horários, consulte o site), que custam a partir de R$ 70 por pessoa.

Também é possível contratar um tour privativo. Eu fiz o passeio como convidada da agência Experimente Brasília, que foi uma das patrocinadoras do #Encontro BSB. Como sempre, as opiniões expressas no post refletem a minha experiência durante a atividade.

#EncontroBSB
Brasília, 24 a 26 de abril de 2015

Organização: Camilla Kafino (blog Ensaios de Viagem)
Apoio: Camila Torres ( blog Colecionando Ímãs) e Diego Paiva (blog Nós no Mundo).
Patrocínio: Melhores Destinos e Experimente Brasília

Confira mais detalhes do evento no blog de Camila Kafino, a organizadora 




Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter | Instagram | Facebook

8 comentários:

  1. Me lembrou o movimento Jane's Walk - embora esse seja gratuito e voluntário. Aliás, imagino que você conheça a inspiradora desse movimento, sua colega de profissão Jane Jacobs, autora de uma das principais obras de urbanismo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouvi falar dos Jane's Walks, Patrick, queria que rolasse em mais cidades. Mas preciso ler mais a respeito :) Bjo

      Excluir
  2. Esse passeio foi meu momento favorito de todo o encontro. Foi aí que eu realmente descobri Brasília e entendi porque os locais tanto amam essa cidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro viver em Brasília, cercada de verde, conhecer os comerciantes da minha quadra, ter uma academia de ginástica pública em baixo da minha janela, acordar com passarinhos... Que bom que você curtiu e entendeu minha cidade adotiva, Nathalia. Eu tenho o maior xodó por Brasília :)
      Bjo

      Excluir
  3. Ah, meu comentário não saiu!! Cyntia, essa cidade é um tesouro mesmo. Tanta história, tantos detalhes e tanta beleza... tudo ainda por ser descoberto. Que prazer ter você participando desse evento e se encantando também com Brasília. Vamos combinar de nos apresentar mais segredinhos da Capital, que tal?
    um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como moradora e fã de Brasília, sempre procuro mostrar as coisas boas da cidade. Além do blog, tem o Instagram da Fragata (instagram.com/fragatasurprise), com dicas diárias de coisas bacanas da cidade, e a página do blog no Facebook (facebook.com/fragatasurprise). Passa lá pra ver, que sempre tem novidade :)

      Excluir
  4. Que passeio lindo. Eu ia adorar fazer. Tenho que ir para Brasília. Cada vez mais me apaixono por esta cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá na hora de vir a Brasília, Cris. Vamos passear um bocado. Bjo

      Excluir