11 de setembro de 2019

Roteiro Oscar Niemeyer - onde ver a obra do arquiteto no Brasil


Palácio do Itamaraty, Brasília
O Palácio do Itamaraty é meu edifício favorito em Brasília
Vocês já sabem que eu sou muito fã da arquitetura de Oscar Niemeyer. Pra mim, o cara é um gênio da raça. Como moradora de Brasília há quase duas décadas, eu vivo dentro da obra dele e adoro.

Moro numa quadra pensada por ele. Trabalho e trabalhei em alguns dos edifícios desenhados por Niemeyer e tenho o prazer ser recebida pelos traços geniais do arquiteto, a cada novo expediente.

Memorial JK e o Museu Nacional Honestino Guimarães, em Brasília
O Memorial JK (esq) e o Museu Nacional Honestino Guimarães, em Brasília
Mas Oscar Niemeyer fez muito mais do que desenhar Brasília. Pela minha última contagem, cerca de 60 cidades do Brasil e do mundo têm a felicidade de exibir obras de Niemeyer, como Trípoli (Líbano), Nova York (a sede da NU), Haifa (Israel), Havana (Cuba), Londres e Paris.

Catedral de Brasília
Catedral de Brasília: traços de Niemeyer, anjos de Ceschiatti e vitrais de Marianne Peretti
No Brasil, a obra de Oscar Niemeyer está em pelo menos 40 cidades.

Algumas dessas obras são muito conhecidas — o conjunto do Parque Ibirapuera e o Memorial da América Latina, em São Paulo, o Museu de Arte Contemporânea de Niterói e o Museu do Olho de Curitiba e o Campanário do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida.

STF, Palácio do Planalto e Praça dos Três Poderes, Brasília
Dois ângulos da Praça dos Três Poderes, em Brasília: à esquerda, em primeiro plano, o Supremo Tribunal Federal, com o Palácio do Planalto, ao fundo
Quando o arquiteto morreu, em 5 de dezembro de 2012, eu escrevi este post listando algumas de suas obras.

Mas achei pouco e resolvi atualizar as informações, organizando um roteiro Oscar Niemeyer por várias cidades do Brasil.

Brise-soleis dos anexos da Câmara dos Deputados
Brise-soleis são estruturas que funcionam como persianas e são um xodó da arquitetura modernista. Essas pertencem ao Anexo IV (esq) e no Anexo II da Câmara dos Deputados

Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte
Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte
Este Roteiro Oscar Niemeyer é minha homenagem a esse cara brilhante, comunista, arquiteto e humanista que em 105 anos de vida muito produtiva preencheu o meu caminho com maravilhas.

Espero que você também possa se deleitar com a obra do gênio em suas viagens pelo Brasil. Como já é praxe na Fragata, tem mapa no final do post.

Congresso Nacional, Brasília
O Congresso Nacional e os edifícios dos ministérios, em Brasília

Roteiro Oscar Niemeyer

João Pessoa - Estação Cabo Branco
Avenida João Cirilo da Silva, Altiplano Cabo Branco
De segunda a sexta, das 9h às 18h. Sábados e domingos, das 10h às 19h

Plantada sobre a espetacular falésia que se debruça sobre o mar de João Pessoa, a Estação Cabo Branco é um centro de ciência, cultura e artes inaugurado em 2008.

Estação Cabo Branco, João Pessoa, Paraíba
Estação Cabo Branco, em João Pessoa
(Foto: Cacio Murilo/MTUR)
O conjunto da Estação Cabo Branco tem cinco edifícios, com destaque para a Torre com um terraço panorâmico e vista para o mar.

A programação da estação é bem variada com apresentações teatrais, música, sessões de cinema e exposições temporárias. Saiba mais: Estação Cabo Branco.


⭐Niterói - Museu de Arte Contemporânea (MAC)
Mirante da Boa Viagem, s/nº - Boa Viagem
O MAC abre de terça a domingo, das 10h às 18h. O pátio do museu pode ser visitado diariamente, das 8h às 18h.

Se jurarem pra mim que todos os discos voadores são tão lindos quanto esse que saiu da prancheta de Niemeyer, eu topo ser abduzida a qualquer tempo.

Museu de Arte Contemporânea de Niterói
Um dos meus favoritos de Niemeyer: o disquinho voador do Museu de Arte Contemporânea de Niterói
O Museu de Arte Contemporânea de Niterói foi inaugurado em 1996, no Mirante da Boa Viagem, com uma vista de derreter corações de pedra para a Baía de Guanabara, graças ao desenho do mestre, que só falta derramar o visitante naquelas águas pelas generosas janelas do edifício.

Minha querida amiga Cristina Xavier (de cuja janela eu fiz essa foto) esconjura o disco voador de Niemeyer porque a construção ocupou um espaço que era ponto de encontro dos jovens dos bairros do Ingá e Icaraí. Entendo a bronca, mas meu coração está com o MAC.

Saiba mais: Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Iate Clube da Pampulha e Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte
O Iate Clube e o antigo Cassino, hoje Museu de Arte: a Pampulha é um tesouro modernista

Belo Horizonte - Conjunto Arquitetônico da Pampulha

➡️ Museu de Arte da Pampulha: Avenida Otacílio Negrão de Lima nº 16585. De terça a domingo, das 9h às 18h. Entrada gratuita.

➡️ Casa do Baile: Avenida Otacílio Negrão de Lima nº 751. De terça a domingo, das 9h às 18h. Entrada gratuita.

➡️ Igreja de São Francisco: Avenida Otacílio Negrão de Lima nº 3000. De terça a sábado, das 9h às 17h. Domingos, das 11h às 14h. Missas, todos os domingos, às 10h. A igrejinha está passando por uma restauração e voltará a abrir no final de 2019.

Jardins do Museu de Arte da Pampulha e a Igreja de São Francisco, em Belo Horizonte
Os jardins do Museu de Arte da Pampulha e a Igrejinha de São Francisco
Eu sou louca pela Pampulha, o primeiro bairro modernista do Brasil, inaugurado em 1943. Lá, Oscar Niemeyer plantou alguns de seus edifícios mais inspirados e fez um baita ensaio geral para Brasília.

Do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, eu sou particularmente fã do antigo Cassino, hoje Museu de Arte da Pampulha, onde os traços são mero pretexto para convidar a luz a rodopiar na amplidão daqueles salões — ela não se faz de rogada e ainda tira para dançar todo o verde que há em volta do edifício.

Casa do Baile, Pampulha, Belo Horizonte
Com Niemeyer, as curvas viram poesia, como na marquise da Casa do Baile 
Também adoro a poesia da marquise em curvas da Casa do Baile e a singeleza provocativa de Igreja de São Francisco.

Saiba mais: Pampulha: quando o futuro não era careta


Edifício Niemeyer, Praça da Liberdade, Belo Horizonte
As curvas do Edifício Niemeyer e o coreto da Praça da Liberdade
⭐Belo Horizonte - Edifício Niemeyer
Praça da Liberdade nº 330, Savassi

Quase duas décadas depois da inauguração da Pampulha, chegou a vez de Niemeyer plantar seus traços modernistas na Praça da Liberdade, o coração do Centro Histórico de Belo Horizonte.

As curvas em concreto armado do Edifício Niemeyer, inaugurado em 1960, formam um lindo contraponto ao conjunto eclético/neoclássico da praça, construído na época da fundação da cidade, entre 1895 e 1897.

A Praça da Liberdade reúne os principais edifícios oficiais de Belo Horizonte, como o Palácio da Liberdade, sede do governo de Minas Gerais, e diversas secretarias de estado — hoje esses órgãos públicos funcionam na Cidade Administrativa, no caminho para o Aeroporto de Confins, cujo plano também foi traçado por Niemeyer.

Edifício Niemeyer, na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte
O Edifício Niemeyer emoldurado pelas palmeiras imperiais da Praça da Liberdade
O Edifício Niemeyer é um prédio residencial com 22 apartamentos e não está aberto à visitação. Mas suas marquises onduladas, repetindo o movimento do horizonte mineiro e suas montanhas, podem ser contempladas à vontade em um passeio pela Praça da Liberdade, uma atração deliciosa de Belo Horizonte.

A Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, de 1954, também foi projetada por Oscar Niemeyer. Ela fica no nº 21 da Praça da Liberdade.

Palácio Gustavo Capanema, Rio de Janeiro
Palácio Capanema, marco inaugural da arquitetura modernista no Brasil
Rio de Janeiro - Palácio Gustavo Capanema
Rua da Imprensa nº 16, Centro
Metrô Cinelândia

Se fizermos uma pesquisa para apontar a construção mais citada nesta Fragata, tenho certeza que o Palácio Capanema ganha de lavada. É que eu sou encantadíssima por esta obra, regida pelo arquiteto francês Le Corbusier e tocada por vários virtuoses da prancheta nacional.

Além de Oscar Niemeyer, trabalharam no projeto seu grande parceiro Lucio Costa — o gênio urbanístico de Brasília — Carlos Leão, Affonso Eduardo Reidy (que dividiu o projeto do Aterro do Flamengo com Lota Macedo Soares), Ernani Vasconcellos e Jorge Machado Moreira (responsável pelo projeto do Campus do Fundão da UFRJ).

O Palácio Capanema é considerado o primeiro exemplar da arquitetura modernista no Brasil e foi construído para abrigar o então Ministério da Educação e Saúde. Começou a ser projetado em 1937 e foi inaugurado em 1943.

Saiba mais: 
Rio de Janeiro - meus postais afetivos                     
Rio de Janeiro - o que fazer na Cinelândia

Oscar Niemeyer em São Paulo


Edifício Copan, São Paulo
Ah, essas curvas do Copan...
(Foto: Rogério Casimiro/MTUR)
⭐Edifício Copan
Avenida Ipiranga nº 200, Centro. Metrô República.
É possível fazer uma visita guiada ao terraço do edifício, de segunda a sexta, às 10:30 e às 15:30h. 

Inaugurado em 1966, o Edifício Copan é a marca mais vigorosa de Oscar Niemeyer na paisagem de São Paulo.

Os números são grandiosos: o Copan é até hoje a maior estrutura urbana de concreto armado do País. Tem 115 metros de altura, 32 andares e 120 mil metros quadrados de área construída, 1.160 apartamentos e mais de 5 mil moradores.

Mas os números não são nada perto da poesia daquelas linhas que coleiam no meio do fuzuê do Centrão de São Paulo.

Edifício Copan, São Paulo
Copan: recado de um tempo otimista
(Foto: Rogério Casimiro/MTUR)
O Edifício Copan foi projetado nos anos 50, aquele tempo tão otimista e cheio de possibilidades da Bossa Nova, do Cinema Novo e do sonho de Brasília. E ele permanece como um recado daquela época: há um Brasil próspero e feliz nos esperando na esquina — ainda que quando ele se aproxime a tacanhice o enxote e abrace o horror.

O Copan também já viveu seus dias de densa escuridão: a certa altura dos anos 70 e 80, a degradação do edifício era tanta que era até perigoso circular em seus corredores. 

Mas ele deu a volta no baixo astral e continua a me encantar, cada vez que passo por ele. Só não tive a chance de fazer o tour ao seu terraço, mas tá super na minha lista.

Edifício Triângulo, São Paulo
Edifício Triângulo, "nosso Flatiron Building" 😊
(Foto: Ericcampi/ Wikimedia Commons)
⭐Edifício Triângulo
Rua José Bonifácio nº 24, Sé
Metrô Sé

O Edifício Triângulo foi inaugurado em 1955, a poucos passos de outro ícone arquitetônico de São Paulo, o Edifício Guinle — um primor Art Nouveau que é considerado o primeiro arranha-céu da pauliceia.

Ver essa obra de Niemeyer, um dos primeiros exemplares do modernismo no Centro de São Paulo, dá um aperto no coração, pois o bichinho está muito maltratado, mas eu curto o contraste de sua fachada em quina, totalmente envidraçada, cercada pelos traços neoclássicos ao redor.

Edifício Triângulo, São Paulo
Painel de Di Cavalcanti na entrada do Edifício Triângulo. À direita, um detalhe da fachada em contraste com um vizinho neoclássico
Dependendo do ângulo que se olhe, o edifício lembra um irmão caçula e bem menorzinho do Flatiron Building de Nova York.

O Edifício Triângulo tem 18 andares e originalmente tinha a fachada protegida por brise-soleils, aquelas persianas que são um xodó da arquitetura modernista.

A entrada do edifício exibe um painel de Di Cavalcanti que está bastante danificado, mas continua muito bonitão.

Saiba mais sobre o Edifício Triângulo: São Paulo - um passeio no Centrão

Marquise do Ibirapuera, São Paulo
A Marquise do Ibirapuera conecta os espaços culturais projetados por Niemeyer para o parque
(Foto: Daderot/ Wikimedia Commons)
⭐Conjunto do Ibirapuera
Avenida Pedro Álvares Cabral, Vila Mariana

O Parque do Ibirapuera foi inaugurado em 1954. Com 1,5 milhão de metros quadrados, essa “praia dos paulistanos” já nasceu com uma série de equipamentos culturais projetados por Oscar Niemeyer, lindamente conectados por uma sinuosa marquise que acabou virando a marca mais forte do parque, um ponto de encontro que ferve de possibilidades.

É essa marquise que leva a gente pela mão para ver as outras obras do arquiteto no Ibirapuera.

Oca do Ibirapuera, São Paulo
A Oca, minha construção favorita no Ibirapuera
(Fotos de Marcel Onofrio (esq) e Sailko, na Wikimedia Commons)
Eu gosto especialmente da Oca, como é chamado o Palácio das Exposições, pelo jeito que ela brinca com a gente: parece pequena por fora, mas é um mundo por dentro, com quatro pavimentos ligados por rampas, destinados a mostras artísticas.

As demais construções projetadas por Niemeyer no Ibirapuera são o Pavilhão das Culturas Brasileiras, o Pavilhão Manoel de Nóbrega, sede do Museu Afro Brasil, o Pavilhão da Bienal de São Paulo, o Auditório Oscar Niemeyer, com seu penacho esvoaçante feito de concreto armado, e o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo.
 
Memorial da América Latina, São Paulo
A Praça Cívica do Memorial da América Latina
(Foto: JanManu/ Wikimedia Commons)

⭐Memorial da América Latina
Avenida Auro Soares de Moura Andrade nº 664, Barra Funda
Metrô Barra Funda


O Memorial da América Latina é resultado do encontro de dois gênios da raça. Esse centro cultural e político foi concebido por ninguém menos que Darcy Ribeiro para funcionar como espaço de celebração da rica, diversa e instigante cultura do nosso continente.

Da cabeça de Darcy para a prancheta de Niemeyer, o memorial saltou para a realidade em 1989.

Frequentadora assídua de São Paulo, eu acompanhei a construção a cada temporada na cidade. Quando eu finalmente passei a ter um CEP paulistano, entre 91 e 95, frequentei muito o espaço, que promove shows, palestras, exposições de artes plásticas, sessões de cinema e mil outras atividades bacanas, geralmente com entrada gratuita.

Mas o motivo do meu xodó especial pelo Memorial da América Latina é sua função. Em um país que tem tanta dificuldade de se enxergar em meio a seus vizinhos, é muito bacana ter um centro cultural que nos cutuca a todo tempo lembrando nossa identidade latino-americana.

O Memorial da América Latina é um complexo enorme — são mais de 80 mil metros quadrados — e diverso. Tem um espaço cerimonial (o Salão de Atos), uma Biblioteca Latino-Americana, com 30 mil títulos, um centro de estudos, a Galeria Marta Traba, o Pavilhão da Criatividade, o Anexo dos Congressistas, o edifício do Parlamento Latino-Americano.

No palco do Auditório Simón Bolívar já se apresentaram artistas do quilate de Tom Jobim, Astor Piazzola, Mercedes Sosa e Paco de Lucia.


Obras de Oscar Niemeyer em Brasília
Da prancheta de Niemeyer para meu cotidiano brasiliense: a Catedral, o Salão Verde da Câmara e um jardim escondido entre dois anexos de ministérios, na Via N2
Oscar Niemeyer em Brasília
E chegamos a Brasília, a cidade criada por Oscar Niemeyer, Lucio Costa e e mais uma turma muito boa de traço.

Circular por Brasília é estar permanentemente imersa na obra de Niemeyer. Dos pontos de ônibus ovais do entorno do Parque da cidade às poltronas e pufes desenhados pelo arquiteto para compor o mobiliário do Congresso Nacional.

Poltrona Niemeyer, no Salão Verde da Câmara dos Deputados
A Poltrona Niemeyer é muito confortável. Quando visitarem o Congresso, experimentem...
Os afazeres mais prosaicos da minha vida têm os traços de Niemeyer como cenário — e eu adoro isso.

Quando você vier a Brasília ver a obra de Oscar Niemeyer, comece pela arquitetura monumental. O Congresso Nacional, a Praça dos Três Poderes, os palácios do Planalto e da Alvorada, a Esplanada dos Ministérios e a Catedral são os edifícios mais visitados, e merecem.

Acessos aos Congresso Nacional
A Praça dos Três Poderes vista da rampa de acesso às torres do Congresso. À direita, a entrada do Anexo II da Câmara
Recomendo a leitura desses dois posts, que têm um monte de dicas pra a organização do roteiro Niemeyer em Brasília:

Atrações em Brasília: arquitetura e outros encantos
City Tour em Brasília

Mas não deixe de visitar esses cinco outros exemplos do maior gênio da arquitetura brasileira: 


Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima, Brasília
A Igrejinha de Niemeyer é muito fofa
⭐Igrejinha Nossa Senhora de Fátima
Entrequadra Sul 307/308, Asa Sul

Já falei um bocadinho sobre a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima (também conhecida como Igrejinha da 308 Sul) aqui na Fragata.

Adoro a singeleza dessa construção, a primeira de Niemeyer a ser inaugurada em Brasília (em 1958).

Ela é famosa pelas pombinhas brejeiras dos azulejos de Athos Bulcão que recobrem sua fachada e por sua cobertura, ao mesmo tempo ousada e simples, uma das grandes sacadas de Niemeyer.

Saiba mais sobre a Igrejinha da 308 Sul seguindo o link.


Superquadra 308 Sul, a quadra modelo de Brasília
Superquadra 308 Sul: jardins de Burle Marx, edifícios inspirados na Bauhaus e todos os equipamentos necessários à vida cotidiana
⭐Superquadra 308 Sul
SQS 38, Asa Sul, Plano Piloto

Se você quiser entender Brasília — e por que viver no Plano Piloto é tão bom — precisa visitar a quadra modelo projetada por Niemeyer.

As superquadras do Plano Piloto foram pensadas a partir do conceito de unidade de vizinhança e deveriam conter todos os equipamentos urbanos necessários ao cotidiano — poucos deslocamentos para realizar tarefas do dia a dia resultam em mais tempo livre e mais qualidade de vida, né? — e tudo isso organizado no meio de um parque.

O projeto urbanístico de Brasília ficou no meio do caminho, atropelado pelo golpe militar de 64 e pelo descaso com a ideia de cidade pensada por Niemeyer e sua turma. Mas ainda assim, viver em uma quadra do Plano Piloto é bom demais.


Palácio do Itamaraty, Brasília
Itamaraty: arquitetura de Niemeyer, Jardins de Burle Marx e Meteoro, a famosa escultura de Bruno Giorgi
⭐Palácio do Itamaraty
Esplanada dos Ministério, Zona Cívico-Administrativa, Bloco H

Pra mim, o Palácio do Itamaraty é o edifício mais bonito de Brasília. A sede do Ministério das Relações Exteriores tem um projeto arquitetônico leve, arejado e encantador, além de estar recheadíssimo de grandes obras de arte de grandes artistas.

O time de artistas que contribui para a beleza do Palácio do Itamaraty é fantástico: Athos Bulcão, Alfredo Volpi, Bruno Giorgi, Frans Krajcberg, Iberê Camargo e Tomie Ohtake, só pra citar alguns.

Eu tenho a sorte de namorar um pouquinho da fachada em arcos do palácio todos os dias, a bordo do ônibus que me leva para o trabalho, e já fiz a visita guiada ao interior do Itamaraty duas vezes.

Adoro os jardins — o externo e os internos, como o famoso Jardim Suspenso, no terceiro andar. Também amo o Salão de Recepções, logo na entrada do Palácio do Itamaraty, que um dos maiores vãos livres internos da América Latina (2.200 m² sem nem uma coluninha de sustentação). 

E tem uma escadaria em espiral que é simplesmente um escândalo de linda.

Infelizmente, as visitas ao Palácio do Itamaraty estão suspensas. Torço muto que sejam logo reabertas.




Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter | Instagram | Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário