5 de novembro de 2010

La Rosa Náutica, o mais turístico dos restaurantes de Lima

Festinha gastronômica com direito a esse visual...
Desembarquei em Lima ávida por um bom ceviche. O prato já não é tão exótico, aqui no Brasil. Até eu sei preparar e os elogios são calorosos. Mas ceviche com muito rocoto, aji e camote, só na capital peruana.

O mais inesquecível deles, comi num restaurante pequeno, caseirinho, na Plaza Bolívar, em Pueblo Libre. Era uma varandinha com três ou quatro mesas, com vista para o Museu Nacional de Arqueologia, Antropologia e História do Peru.

Desta vez, porém, com apenas 12 horas para rever Lima antes do voo para La Paz, ficamos com o mais turístico dos restaurantes da capital peruana, o escandalosamente bem situado La Rosa Náutica, plantado sobre palafitas sobre o mar, em Miraflores. Quando digo turístico, não quero dizer ruim. Pelo contrário, o restaurante continua muito digno e a comida, muito saborosa.

La Rosa Náutica, com vista para as falésias de Miraflores
Mas quem resiste a essa espetacular locação do La Rosa Náutica? Eu também gosto imensamente do visual do restaurante, em estilo Art Nouveau. Ele fica no final de um charmoso píer na Praia de Miraflores, onde funcionam também algumas lojinhas (caras). 

De suas varandas envidraçadas, a sensação é de navegar o Pacífico — com um pouco de imaginação ou a dose certa de pisco sour, dá até para sentir o balanço do mar. No final da tarde, hora do rush para as gaivotas, o cenário está completo.

Eu e Simone curtindo a vista...
... e fettuccine depois do ceviche
Antes que eu começasse a devanear sobre histórias do mar, a fome tratou de recolocar as coisas nos trilhos: viemos pelo ceviche. Que, aliás, estava de responsa e muito bem acompanhado por pisco sour. O prato principal também não fez feio, fettuccine all'alfredo com lagostins. Preço da farra para três: 160 Soles (cerca de US$ 60). Com direito a uma imensa taça de suspiro limenho de sobremesa e um escandaloso pôr do sol no Pacífico.

Encerramento perfeito para esse breve reencontro com Lima. O suficiente para me deixar morrendo de vontade de voltar....


Ceviche

Preparar o prato em casa é bem fácil. A internet está cheia de receitas e dicas. Difícil é encontrar o rocoto (uma pimenta linda e assassina) e o camote, uma batata doce, com cor e consistência de abóbora. Eu driblo o problema usando pimenta branca, moída na hora, e batata-doce convencional.

Pisco Sour
Peruanos e chilenos jamais vão chegar a um acordo sobre a paternidade do pisco-- como de resto, sobre coisa alguma. A favor dos peruanos, diga-se que  a Vila de Pisco, que dá nome a este destilado de uvas, fica na terra deles. O pisco sour é igualmente popular em Santiago e em Lima, feito com suco de limão, claras batidas em neve, açúcar e gotinhas de angostura. O sabor é suave, o que torna o drinque especialmente traiçoeiro...

La Rosa Náutica
Espigón 4, Circuito de Playas, Miraflores, fones (511) 445 0149, (511) 447 0057 e (511) 447 5450.

O lugar é lindo, com um astral de virada do século (do 19 para o 20, naturalmente...) e um delicioso barulho de mar. A comida é correta. Aos sábados e domingos, a tentação é a Parrillada Marin, com peixe espada, lulas, polvo, e langostinos (camarões), com legumes, batatas douradas e chimichurri de rocoto.

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário