10 de julho de 2005

Hofburg, o castelo de Viena


Chancelaria Imperial, Hofburg, Viena

Detalhe da fachada da Chancelaria Imperial (Reichskanzleitrakte), um dos edifícios do complexo do Hofburg


Talvez você estranhe que eu chame o Hofburg de castelo. O monumental conjunto de jardins e palácios no coração de Viena parece destinado apenas a abrigar bailes rodopiantes e o farfalhar de saias no ritmo da valsa. 

Não rima com as fortificações que a gente se acostuma a associar a um castelo.

Mas o Hofburg é um castelo por excelência, se a gente o entende o conceito de castelo como centro de poder, local em torno do qual se organizava a vida política, social e econômica de um determinado território.

Hedenplatz (Praça dos Heróis), Hofburg, Viena
Na minha última visita a Viena (julho/2005), a Hedenplatz (Praça dos Heróis) do Hofburg tinha sido convertida em uma imensa horta para lembrar a escassez enfrentada pelos vienenses durante a II Guerra. A população sobreviveu plantando hortaliças nos elegantes espaços verdes da cidade


Sede do Palácio Imperial austríaco, o complexo do Hofburg foi simplesmente o centro do vastíssimo Império da Casa de Habsburgo, que durou 640 anos.

Bora passear por essa bela atração histórica de Viena?

O que ver no Hofburg, o castelo de Viena




Hofburg, palácio real de Viena

O conjunto de edifícios do Hofburg parece ter sido construído para abrigar bailes com muitas valsas, mas já teve fosso, muralhas e ameias


Só para constar, é bom saber que, sim, o Hofburg já teve seus dias de fossos e muralhas, como prescrevia a cartilha dos castelos, antes que a pólvora tornasse as fortificações de pedra menos inexpugnáveis. A origem do Hofburg, aliás, é exatamente uma fortaleza do Século 13.

O conjunto do Hofburg cresceu e cobriu-se de adornos na mesma medida em que crescia o poder dos Habsburgo, os a Casa d'Áustria. 

A dinastia, com origens no território que hoje pertence à Suíça, foi uma das mais poderosas da Europa. Governou a Áustria, a Hungria, a Boêmia, a Espanha, os Países Baixos, a Borgonha e o Reino de Nápoles (para citar alguns). 

Hofburg, Viena
O Edifício do Neue Burg foi construído na segunda metade do Século 19, durante a reforma urbana do Centro Histórico de Viena. Esse palácio é hoje sede de diversos museus, como a Coleção de Armas, o Museu de Instrumentos Musicais e o Museu de Etnologia

Estátuas do Hofbburg, Viena
A estátua diante do Neue Burg (esq) retrata o Príncipe Eugênio de Saboia, chefe militar do sacro Império Romano durante 53 anos. Hoje, ele é mais famoso por ter mandado construir o Palácio Belverede de Viena, onde está exposto O Beijo e várias outras obras de Gustav Klimt. À esquerda, a estátua equestre do Arquiduque Karl,  um dos comandantes austríacos na guerra contra Napoleão, na Praça dos Heróis (Heldenplatz) do Hofburg

Entre o Século 11 e o Século 19, os Habsburgo revezaram-se com outro punhado de casas nobres europeias no comando do Sacro-Império Romano Germânico.

Tanto poder teria mesmo que se expressar na opulência de seu castelo. O Hofburg é a tradução de 640 anos do reinado Habsburgo na Áustria.

Schweizertor, acesso ao Hofburg, Viena

A Schweizertor, do Século 16, é uma das entradas monumentais do Hofburg. Ela substituiu o portão de acesso à fortaleza do Século 13 e dá acesso à parte mais antiga do castelo de Viena


Reserve pelo menos um dia para explorar os 20 hectares de jardins, palácios e museus do Hofburg. 

Nas minhas duas visitas a Viena, eu me esbaldava pelos jardins, que são abertos ao público e podem ser curtidos à vontade, sem necessidade de pagar ingresso. O Burggarten e o Volksgarten estão para Viena como o Central Park está para Nova York.

Volksgarten e estátua de Mozart em Viena
Decoração em Jugendstil (a art nouveau austríaca) no Volksgarten e a estátua de Mozart no Burggarten

Mas não fique só do lado de fora. Tem muito mais pra ver no Hofburg. 

As atrações mais impressionantes são os Apartamentos Imperiais, a Biblioteca Nacional Austríaca, a Escola Espanhola de Equitação (onde desde o Século 16 os cavalos da raça Lipizzan dão show de balé e adestramento), as salas usadas durante o Congresso de Viena (onde as potências europeias do início do Século 19 decidiram os destinos e as novas fronteiras do continente, após a queda de Napoleão).

Amalienburg, Viena
Esse leão meio com cara de suricato era o símbolo da Dinastia Habsburgo e você vai encontrar várias estátuas e relevos com essa representação no Hofburg. À direita, Amalienburg, do Século 16, um dos palácios do complexo usados como residência pela realeza austríaca


Os museus do Hofburg ostentam a vasta coleção de tesouros sacros e obras de arte acumuladas pelos Habsburgo durante os quase sete séculos de reinado.

Não deixe de visitar a Burgkapelle, capela privativa da corte, construída no século 13.

Biblioteca Nacional da Áustria, no Burghof de Viena

A Hofbibliothek ou Prunksaal, sede da Biblioteca Nacional da Áustria, e a estátua do imperador José II


O Hofburg, hoje, também abriga os gabinetes do presidente da Áustria.

Dois jardins maravilhosos cercam o complexo palaciano, o Volksgarten e o Burggarten. Dó eles já merecem um bom tempinho, pois são cheios de recantos adoráveis para momentos de sossego.







Como chegar ao Hofburg
As estações de Metrô (U-Bahn) mais próximas do Hofburg são Herrengasse e Volkstheater. É mais gostoso, porém, chegar de bonde.

As linhas 1 e 2 do bonde (Tram #1 e Tram #2) fazem todo o percurso da Ringstrasse, o bulevar que cobre exatamente o traçado da antiga muralha de Viena, contornando todo o Centro Antigo (Innere Stadt), entre palacetes do Século 19.

Desça do bonde na parada da Maria-Theresien-Platz e você estará de cara para o gol.

Viena, Maria-Theresien-Platz

A Maria-Theresien-Platz foi nomeada em homenagem à Imperatriz Maria Teresa (bisavó da Imperatriz Leopoldina do Brasil que reinou na Áustria por 20 anos) e marca a divisa entre o complexo do Hofburg e o quarteirão dos museus. À esquerda, Museu de História Natural, que fica de cara para a estátua da soberana


Visita ao Hofburg de Viena - horários e preços

Os Apartamentos Imperiais do Hofburg, o Museu Sissi (dedicado à célebre imperatriz vivida no cinema por Romi Schneider) e a coleção de pratarias da família imperial austríaca podem ser visitados de terça a domingo, das 10h às 17h. 

A entrada combinada para esses museus custa €15, com direito a audioguia.

A Burgkapelle (entrada pelo Schweizerhof) pode ser vista às segundas e terças-feiras, das 10h às 14h, e às sextas-feiras, das 11h às 13h, com entrada gratuita.

Tente assistir a um concerto na Burgkapelle (os famosos Meninos Cantores de Viena, por exemplo, se apresentam lá). 


Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter | Instagram | Facebook 

2 comentários:

  1. Nossa que lugar lindo! As construções e os monumentos são fantásticos, né?
    Bj :)

    www.forevercarol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bonito, sim, Carolyne. Vale muito a pena dedicar um dia para a visita :)

      Excluir