20 de abril de 2018

Trilha sonora para Nova York

O Empire State Building visto de Madison Park
Minhas jornadas começam sempre muito antes do embarque. O planejamento é quase tão prazeroso quanto as viagens. Vejo filmes, leio bastante, não só sobre aspectos práticos do destino, mas também literatura e jornais (pela internet, se eu entender o idioma do local). Mas, para entrar no clima, mesmo, nada melhor que a música.

Sempre monto minhas listinhas de canções que, de alguma maneira, remetem ao local que vou visitar, ou criam um clima que acho parecido com o que vou encontrar. Quando a viagem é para Nova York, a pesquisa é facílima, porque ela talvez seja uma das cidades mais cantadas do mundo, por artistas de todos os gêneros.

Agora que eu finalmente me rendi ao Spotify, já posso compartilhar com vocês minhas  trilhas sonoras de viagem. Comecemos, então, por Nova York. Ouça as músicas que embalaram meu planejamento e minhas caminhadas pela cidade e saiba o motivo de eu ter incluído cada uma delas. Aposto que você vai se inspirar 😊.




Autumn in New York - Billie Holiday
Essa música entrou na lista pelo óbvio — fala de Nova York — mas, principalmente, porque Billie é Billie. Ninguém jamais cantou como essa mulher.

Walk on the Wild Side - Lou Reed
Essa é figurinha fácil em qualquer playlist inspirada em NYC feita por quem tem mais de 50. A partir da história de uma mulher trans, Reed tece uma crônica sobre agente pouco convencional que coloria a vida nova-iorquina na virada dos 60 para os 70. Um clássico.

Rhapsody in Blue (George Gershwin, regência de Leonard Bernstein)
Gershwin é o grande responsável por eu ter aprendido a gostar de música erudita e Rhapsody in Blue, um encontro do clássico com o jazz, é pra mim a mais perfeita descrição em notas musicais do encanto de Nova York. Se não é, devia ser o hino oficial da cidade.

Basta olhar essa paisagem pra Rhapsody in Blue começar a tocar na minha cabeça
(a cidade vista do mirante Top of the Rock, no Rockefeller Center)
Chelsea Hotel #2 - Leonard Cohen
Quando se pensa em antro boêmio, é difícil competir com o mitológico Hotel Chlesea, na Rua 23. Por várias décadas, o lugar foi morada ou pouso oficial nova-iorquino de uma lista infindável de farristas brilhantes, do poeta Dylan Thomas a Sid Vicious, dos Sex Pistols. A coisa lá era realmente do balacobaco.

Toda vez que vou a Nova York, faço questão de passar em frente ao Chelsea para prestar meus respeitos — e trato de brindar a eles em algum bar próximo. Nesta canção, Cohen descreve, sem muitos pudores, o fugaz romance (ou os amassos) que teve com Janis Joplin, quando ambos viviam no hotel.

Take the A Train - Duke Ellington
O trem A do metro de Nova York, homenageado nesta que é uma das composições mais famosas de Ellington, era uma das principais opções de transporte para quem vivia no Harlem, bairro onde tradicionalmente se concentrava a população negra da cidade. A linha foi inaugurada na década de 30. 

Chelsea Morning - Joni Mitchell
Mais uma canção inspirada nas histórias do Chelsea Hotel. Joni Mitchel viveu lá, no final dos anos 60.

O legendário Chelsea Hotel
The 59th Street Bridge Song - Simon & Garfunkel
Se eu tivesse que escolher apenas uma canção para simbolizar Nova York, seria essa. Adoro a alegria suave que ela me inspira. É uma homenagem à Queensboro Bridge, acesso a Manhattan para a dupla de jovens artistas que vinha do Queens, onde morava, para tentar a sorte na cena musical de Manhattan.

Pra mim, é a cara dos passeios sem compromisso, descobrindo a velha Nova York dos anos 80 (quando eu sempre acabava cantarolando essa música). “Life, I love you, all is groovy” virou meu mantra.

Ah, e a vista de Manhattan da Queensboro Bridge, à noite, periga ser a mais escandalosamente bela da cidade.

Rockaway Beach – Ramones
Por mim, entravam várias canções dos Ramones nesta lista. Acabei deixando só esta, uma homenagem de Dee Dee Ramone à praia do Queens que ele frequentava.

The Only Living Boy in New York - Simon & Garfunkel
Esta canção faz parte da minha vida desde infância, quando comprei um compacto duplo (gente, tinha isso, antigamente, um disquinho de vinil com quatro músicas) onde ela aparecia. Vou falar baixinho pra os Beatles não ouvirem, mas acho que é a minha música preferida sobre todas as outras. 

Simon escreveu  canção como uma despedida para Garfunkel, que estava se afastando da dupla para tentar carreira como ator, no cinema. O título pode ser traduzido como “o único cara que restou em Nova York” e dá uma ideia da solidão que o autor deve ter sentido ao perder o parceiro.

"Ilha de alegria": ô, tarefa fácil
Manhattan - Ella Fitzgerald/ Manhattan - Dinah Washington
Vou logo avisado que prefiro a gravação de Dinah Washington. Mas não prefiro tanto assim que tenha conseguido deixar de fora a de Ella. Ainda não experimentei fazer um roteiro por todos os lugares citados na canção, mas a parte de "turn Manhattan into an isle of joy" (transformar Manhattan numa ilha de alegria) é fácil demais. Basta estar lá 😊.

Big Apple Dreaming - Alice Cooper
Santo Spotify que me fez resgatar essa canção perdida na bruma da memória. Eu era fã incondicional de Alice Cooper e, nos meus 12 aninhos de idade, penei com o luto pelo fim da banda — apenas três anos após o choque da separação dos Beatles. A alegria dessa música, incluída em Muscle of Love, o último LP do grupo, era meu consolo.

Harlem Shuffle - Rolling Stones
Eu demorei pra gostar dessa música, um dos hits do álbum Dirty Work, de 1986 — achei o LP inteiro muito “disco”. Mas também, depois que gostei, ela grudou. A gravação original, de 1963, é da dupla de Rhythm and blues Bob & Earl.

Toda vez que vejo a muvuca em torno de Starwberry Fields, o singelo memorial a Lennon no Central Park, fico imaginando o que ele pensaria disso
New York City - John Lennon and Plastic Ono Band
Ah, essa música sempre foi a minha favorita do álbum que considero o melhor lançado por Lennon depois da separação dos Betles, Some Tome in New York City, um “jornal cantado” sobre a cidade que ele tinha acabado de adotar como lar — se você ainda não ouviu preciosidades como Angela (dedicada a Angela Davis) ou o hino feminista Women is the N of the World, corra para escutar.

New York City - Norah Jones
Descobri essa música quando estava montando minha playlist pré-viagem. Norah Jones é sempre ótima e a canção é massa.

A Heart in New York - Simon & Garfunkel
Meu sonho de consumo é escutar essa declaração de amor a Nova York voando sobre a cidade. A versão de estúdio, só com com Garfunkel (já em carreira solo), é muito legal, mas essa gravação ao vivo no legendário concerto de reencontro da dupla no Central Park, em 1981, me deixa com um nó na garganta, toda vez que escuto — e foi a trilha sonora da minha melhor viagem a NYC, há exatos 30 anos.

O arquiteto Frank Lloyd Wright desenhou o Museu Guggenheim e ganhou uma canção de Paul Simon
New Coat of Paint - Tom Waits
Não se refere diretamente a Nova York, mas veio para a lista porque 1- eu sou louca por Tom Waits e ele entra em todas as minhas playlists e 2- ela faz parte do álbum The Heart of Staurday Night, dedicado a Jack Kerouak, um dos mais célebres moradores do Chelsea Hotel (ele escreveu On the Road lá).

Let's Get Lost - Chet Baker
Mesmo caso da canção acima: entrou na lista porque não vou nem à esquina sem Chet Baker.

Angel of Harlem - U2
Rattle and Hum está longe de ser meu disco preferido do U2, mas essa canção, homenagem a Billie Holiday, é muito bacana.

So long, Frank Lloyd Wright - Simon & Garfunkel
A linda canção feita para o arquiteto que desenhou as curvas do Guggenheim Museum não poderia faltar, né?

Ah, você estranhou não encontrar New York, New York na lista? Eu não esqueci. Apenas não curto 😊.

Piece of cake: é simples e rápido fazer o visto americano em Brasília
Miami: como aproveitar uma conexão
Orlando: o super hambúrguer do Johnny Rockets

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

2 comentários:

  1. Muito legal. É uma boa idéia que ajuda a entrar no clima.
    Kenneth

    ResponderExcluir