domingo, 4 de junho de 2017

Toledo: onde ver as obras de El Greco

Vista e Mapa de Toledo, de El Greco, uma das obras mais importantes no museu-casa dedicado ao artista em sua cidade de adoçao
Sim, Toledo é linda. Mas nem precisava ser. Pra mim, bastaria saber que a cidade foi o lar adotivo de um dos meus amores artísticos, o pintor El Greco, para que eu a colocasse no meu mapa afetivo e nos planos de viagem.

Sua obra está espalhada pelos grandes museus do mundo — acho que encontrei com meu ídolo em todos os museus de primeira linha que já visitei — mas contemplar seu trabalho na cidade onde ele escolheu viver tem um sabor especial.

Veja os quadros, mas aproveite a vista das varandas da casa de El Greco, também
Mais ainda no agradável Museu Casa de El Greco, no antigo bairro da Judería. Veja a seguir todas as dicas para essa visita imperdível e um roteiro bem bacana por outros lugares que conservam as obras do artista em Toledo (tem mapa no final do post).


Museu Casa de El Greco

Paseo del Tránsito, s/n. De terça a sábado das 9:30h à 19:30h. De novembro a fevereiro, fecha às 18 horas. Aos domingos e feriados, ao longo de todo ano, funciona das 10h às 15 horas. Entrada: € 3. Grátis aos sábados, depois das 14 horas e aos domingos. Se for ver o ótimo Museu Sefardita/Sinagoga del Tránsito, que fica bem ao lado, há um bilhete combinado que custa € 5.


A casa de El Greco e, no canto esquerdo, a bela Sinagoga del Tránsito, que tem ingresso combinado com o museu
Você sabem como eu curto um museu-casa e esse é dos mais legais que já visitei. Está instalado em um edifício renascentista com pátios e jardins mudéjares que não é exatamente a casa onde viveu El Greco, mas um imóvel similar e vizinho ao original, restaurado e mobiliado com peças de época, reconstituindo o universo cotidiano do pintor.


Pátio interno do museu, em estilo mudéjar
Só essa aproximação com a realidade doméstica de El Greco já  encanta — minha grande atração pelos museus-casas vem do vislumbre que eles oferecem da dimensão humana e privada de gente excepcional — mas essa visita permite muito mais que conhecer as panelas do gênio.

Nascido em Creta (Grécia), Doménicos Theotokópoulus chegou a Toledo em 1557, com 36 anos, e passou o resto da vida na cidade, onde montou um requisitado ateliê que produzia para igrejas, conventos e palácios da região e de toda a Espanha.

Era assim que se cozinhava no tempo de El Greco: o caldeirão pendurado sobre um braseiro no chão  - e as famílias sentavam em torno do fogo para se aquecerem. Abaixo, utensílios em cerâmica na cozinha da casa-museu


A relativa prosperidade permitiu que ele se instalasse em um confortável solar da antiga Judería, onde misturava a rotina doméstica com o trabalho. Como era comum na época, seus aprendizes e auxiliares também viviam na casa que servia de residência e ateliê do artista.

O acervo do Museu Casa de El Greco reúne, principalmente, as obras do último período do artista. Os destaques são o Altar de São Bernardinomais um Apostolado (conjunto de imagens dos 12 apóstolos, muito em voga no Renascimento e Barroco), com uma das versões do tocante Lágrimas de São Pedro, um tema recorrente na obra do pintor, uma Anunciação muito semelhante à tela que está no MASP, em São Paulo e pela qual tenho xodó especial — ele pintou pelo menos seis quadros com esse tema.


Esta Ascensão de Nossa Senhora  pertence ao acervo do Santuário de la Caridad, na cidade manchega de Illescas, e era uma das obras convidadas em exposição na Casa de El Greco, em janeiro

Guarde um tempinho para aproveitar os belos jardins da Casa de El Greco
Completam o acervo obras do principal discípulo de El Greco, Luis Tristán, e de seu filho Jorge Manuel, que levou adiante o ateliê do pai, após sua morte.

O museu também recebe obras convidadas, trabalhos de El Greco pertencente a outras instituições, igrejas e conventos, além de exposições temporárias de outros artistas. Na capela do antigo solar, preste atenção à bela decoração mudéjar.

O Retábulo (altar) de San Bernardino, na capela do museu
Outros lugares para ver a obra de El Greco em Toledo
1 - Igreja de São Tomé – O Enterro do Senhor de Orgaz

2 - Catedral de Toledo

A grande estrela das obras de El Greco na Catedral é "O Espólio", que domina todos os olhares na majestosa Sacristia — que pode ser facilmente confundida com a sala de um museu de primeira linha, pela qualidade de seu acervo. O quadro é arrebatador, mas o show não para por aí.

A coleção reúne, ainda, um Apostolado completo (quadros retratando os 12 Apóstolos) e São José e o Menino Jesus, entre outras telas, num total de 16 obras de El Greco, além de uma escultura de São Ildefonso, padroeiro de Toledo, produzida por integrantes do ateliê do artista.

As informações práticas sobre a Catedral e O Enterro do Senhor de Orgaz  estão neste post: 
O que ver em Toledo

Jardim da Casa de El Greco
3 - Museu de Santa Cruz
Calle Miguel de Cervantes nº 3. De segunda a sábado, das 10h às 19h. Domingos, das 10h às 14:30h. Entrada: € 5.

Instalado em um antigo asilo do Século 16, esse museu reúne uma pinacoteca de artistas toledanos, achados arqueológicos e peças legadas pelos povos que reinaram em Toledo — romanos, visigodos e mouros. No acervo de Santa Cruz estão algumas obras listadas entre as obras-primas de El Greco, como A Imaculada Conceição e a Sagrada Família.

O museu também mobiliário de época, reconstituindo ambientes da época em que viveu o artista

4 - Mosteiro de Santo Domingo de Silos (“el Antiguo”)
Plaza de Santo Domingo El Antiguo, s/n. De segunda a sábado, das 11h às 13:30h e das 16h às 19h. Domingos, das 16h às 19h. Entrada: € 2.

Foi neste mosteiro do Século 11 — um dos primeiros a ser estabelecido na cidade após a Reconquista Cristã — que El Greco foi sepultado, em 1614. Lá também estão três de suas obras, São João Evangelista, São João Batista e Ressurreição, apontados como os primeiros trabalhos realizados pelo artista em Toledo.

O Apostolado exibido no Museu Casa de El Greco. A Catedral também tem uma coleção completa de retratos dos 12 apóstolos pintados pelo artista

5 - Hospital Tavera

Calle Duque de Lerma nº 2. Diariamente, das 10h às 18:30h. Entrada: € 6. Só visitas guiadas, que duram 45 minutos. Saiba mais aqui.
Mantido pela Casa Ducal de Medinaceli (a mesma da bela Casa de Pilatos, em Sevilha), esse hospital do Século 16 é apontado como um dos edifícios mais representativos do Renascimento Espanhol. O acervo é composto de mobiliário e tapeçarias flamengas, mas o grande destaque é a sua pinacoteca, composta por obras de Tintoretto, Zurbarán e outros grandes mestres.

El Greco, claro, é a grande estrela da coleção. Lá estão versões de A Sagrada Família com Santa Ana, São Francisco em Oração, entre outras obras.



Se você é fã de El Greco, também não pode perder a visita ao Museu do Prado, em Madri, possivelmente a instituição mais rica, em todo o planeta, em obras do artista. São 42 trabalhos, alguns dos mais significativos. As dicas para organizar a visita ao Prado estão neste post:
Madri - três museus que valem a viagem



A Europa na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário