domingo, 6 de novembro de 2016

O que fazer em Vila Nova de Gaia

Rabelos, embarcações típicas do Douro, ancorados no cais de Vila Nova de Gaia. No alto, à esquerda, o Mosteiro do Pilar
Vila Nova de Gaia, na margem Sul do Rio Douro, sofre da mesma sina que Niterói. As duas cidades são bonitas, têm atrações bacanas, mas acabam sendo consideradas apenas como belvederes voltados para outras beldades mais exuberantes, no caso, o Porto e o Rio de Janeiro.

O resultado é que é muito comum as pessoas visitarem Vila Nova de Gaia de costas, voltadas para o outro lado do rio, onde a Cidade do Porto se apresenta majestosa. A exceção, claro, é a maratona de degustação de vinhos do porto, já que as caves das vinícolas estão concentradas na área do cais de Gaia— apesar no nome da bebida, assim como os olhos e corações dos turistas, também ter escorregado para a outra margem do rio.

A rampa de acesso ao Teleférico de Gaia é um senhor mirante
A vista que Gaia oferece para o Porto é um escândalo, mesmo. Mas vale a pena virar o pescoço “para o lado de cá”em um passeio pela cidade. A gente acaba descobrindo coisas bem interessantes :)

A bordo da gaiolinha envidraçada do Teleférico de Gaia
A ligação da Vila Nova de Gaia com o Porto é umbilical e muito mais antiga do que a parceria no comércio da maior riqueza local, o famoso vinho. A gente costuma dizer que foi o Porto quem batizou Portugal, a partir de seu nome antigo Portus Cale. Pois foi bom descobrir que o Cale em questão é uma contribuição da margem Sul, o pequeno povoado que assim se chamava até o uso e o temo mudarem a palavra para Gaia.

De um povoado essencialmente rural, Gaia entrou de vez no mapa a partir do Século 18, com a chegada das companhias inglesas que produziam e comercializavam o vinho do porto.

Do Cais de Gaia partem passeios de barco pelo Douro

O grande programa em Gaia é bebericar nas caves ou à beira do rio


Além de movimentar a economia local e receber multidões de turistas para sessões de degustação, as caves das companhias vinícolas acrescentam mais uma atração a Gaia, com seus velhos edifícios de pedra formando um conjunto arquitetônico interessante – bem contrastante com o que você vai ver no Porto.

Gostei de explorar as ruas por trás da orla do Douro (e os bequinhos estreitíssimos que as cortam) procurando pequenos detalhes nas fachadas ásperas e marcadas pelo tempo. Só prepare as panturrilhas, porque basta se afastar 100 metros do rio para essas ruas começarem a empinar subidas bem acentuadas. 

As fachadas características das caves de Gaia


As caves organizam visitas guiadas às suas instalações, onde se pode aprender um pouco sobre a história, o processo de fabricação e a importância econômica do vinho do porto. Essas visitas terminam com uma pequena sessão de degustação onde são servidos os três tipos de porto, o branco, o ruby e o tawny. 

Para ver os horários e preços das visitas, acesse o site Caves do Vinho do Porto, que reúne 14 das principais companhias.

O Cais de Gaia é um bom lugar para um almocinho relaxado



Como chegar
Do Porto a Gaia, o melhor jeito de chegar é com o metrô, que atravessa a Ponte Luís. Esse é um dos trajetos de transporte público mais lindos que você vai fazer na vida, portanto, prepare a câmera fotográfica e o coração.

A viagem de metrô custa € 1,20. Pegue a linha D (amarela) e desça na Estação Jardim do Morro, aos pés do Mosteiro do Pilar. Daí, você pode descer a pé para o cais de Gaia.

A travessia entre o Porto e Gaia a bordo do metrô
Se quiser continuar nas alturas e com vista privilegiada para as duas cidades, desça para o Cais de Gaia de teleférico. A estação fica bem em frente à parada de metrô e a passarela que dá acesso a ela é um disputado mirante que também rende fotos fantásticas.

O Teleférico de Gaia: pra ver belezas das alturas


A viagem no teleférico é curtinha: são 600 metros de percurso, cobertos em cinco minutos. O visual lá do alto, porém, é pra toda a vida. Sinceramente, eu poderia passar horas indo e voltando, sem enjoar daquela beleza.

A passagem no Teleférico de Gaia custa  € 8 e o serviço funciona das 10h ás 20 (no inverno, só até as 18h). 



Portugal na Fragata Surprise

Amarante



Coimbra
Coimbra: simpatia prévia e encanto para toda a vida
Onde ouvir o Fado de Coimbra
Coimbra: dicas práticas
Uma visita à Universidade de Coimbra
O Convento de Santa Clara
Museu Nacional Machado de Castro: lindo, surpreendente, imperdível

Évora
O que fazer em Évora
Évora - dicas práticas
Como organizar um bate e volta a Évora a partir de Lisboa

Passeio lindo nos arredores de Évora: o Castelo de Montemor-o-Novo


Fátima
Dicas práticas


Peso da Régua 
Um passeio pelo Rio Douro

Porto
O que fazer no Porto
Dicas práticas
Cidade do Porto: aos pouquinhos, eu vou ficando...
Como aproveitar uma conexão: 8 horas na Cidade do Porto
Cidade do Porto, terra de navegadores
Mercado do Bolhão, no Porto, pra viajar com os cinco sentidos

Porto: café com estilo no Majestic e Guarany

Serra da Estrela
Um passeio por Seia, Piódão e outros encantos

Setúbal
Dicas práticas
Setúbal: boa surpresa portuguesa


Caminho Português a Santiago de Compostela
Valença do Minho
Caminho de Santiago: começando a jornada


Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Facebook  |  Instagram  |  Twitter  |  Google+

2 comentários:

  1. E à noite, ver o Porto a partir de Gaia é simplesmente lindo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Luciana. É uma imagem que chega a fazer o coração dar aquela paradinha dramática :)

      Excluir