domingo, 21 de fevereiro de 2016

Brasília: arquitetura e outros encantos

A Catedral de Brasília, uma das grandes criações de Niemeyer
Brasília é dona do maior acervo de arquitetura modernista do País (tombado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco). Em urbanismo, a cidade também bate um bolão: uma vez desvendada por visitantes ou novos moradores, a engenhosidade das superquadras, pensadas como unidades de vizinhança, com todos os equipamentos necessários no dia a dia, é um dos grandes trunfos da cidade.

A Capital Federal pode não ter concretizado a quase utopia urbana projetada por Niemeyer e Lúcio Costa, mas a beleza de suas construções e sua inteligência urbanística resultaram em um conjunto magnífico.

O "forno de pizza", ou Museu Nacional Honestino Guimarães, inaugurado em 2006, foi uma das últimas obras de Oscar Niemeyer na cidade e homenageia o presidente da UNE assassinado pelo regime militar
O túnel do Senado e a Esplanada vista do 10º andar da Câmara dos Deputados
A fama da arquitetura — e roteiros sem imaginação oferecidos aos turistas —acaba por deixar a impressão de que Brasília “é só concreto”, como muita gente diz. Logo ela, uma das cidades mais verdes do país. Verde e de todas as cores, pois a vegetação do Cerrado é de uma exuberância apaixonante

Talvez eu seja um pouquiiiiiinho suspeita pra falar, depois de 16 felizes anos vivendo em Brasília, mas acho que não conhecer a cidade é um desperdício. Como moradora e apaixonada pela cidade, dou minha contribuição pra você desvendar um pouquinho de Brasília. Bora passear comigo e depois me diga se não tenho razão.

A florada dos ipês, o maior espetáculo da Capital Federal...
... marca o período da seca, quando a cidade explode em cores
Começando pelo começo: 
a arquitetura monumental
Vamos começar nosso passeio visitando alguns exemplares da arquitetura monumental que fez a fama da cidade. O Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal (STF)e o Palácio do Planalto estão dispostos em torno da Praça dos Três Poderes, provavelmente o lugar mais fotografado de Brasília.

Sugiro que você não se contente em ver esses edifícios apenas pelo lado de fora, pois entrar na arquitetura de Niemeyer é fundamental para compreender o toque de gênio que ele imprimia em seus trabalhos. O Planalto e o STF têm regras de visitação rígidas (só aos domingos), mas a sede do Legislativo pode ser percorrida em visitas guiadas diariamente.

Saiba mais sobre a visita aos prédios oficiais neste post:
Visitas guiadas aos principais monumentos da Capital Federal

Mural de Di Cavalcanti...
... e o painel de azulejos de Athos Bulcão, no Salão Verde da Câmara dos Deputados
Ainda na Esplanada dos Ministérios, recomendo muito a visita guiada ao Itamaraty (a construção mais bonita de Brasília, na minha opinião). A Catedral e o Museu Nacional, bem próximos, também merecem ser explorados com atenção. Os vitrais da Catedral e seus anjos pairando sobre aquele espaço imenso são de dar um nó na garganta. Concreto, vidro, bronze e mármore postos a serviço da luz.

Cumprido esse ritual básico de adoração à arquitetura de Niemeyer, experimente ver o conjunto da obra do alto da Torre de TV, de onde você vai descortinar toda a extensão da Esplanada dos Ministérios e do Eixo Monumental. Na torre funciona um café e se for época de lua cheia, tente estar lá na hora do nascer da lua — a beleza do céu do Planalto Central não é famosa por acaso.

O Congresso Nacional
E pra não dizer que é só de Niemeyer que se faz a beleza arquitetônica da Capital Federal, não deixe de dar um pulo ao Santuário Dom Bosco (na W3 Sul), com seus vitrais azuis que fazem a gente pensar que está no céu. Outra esticadinha indispensável é até a orla do Lago Paranoá, no Setor de Clubes Esportivos Sul (vá se acostumando com nossos endereços), para ver a Ponte JK descrevendo o saltito de uma pedra quicando sobre as águas. Eu sou louca por ela...

Para saber mais sobre o Santuário Dom Bosco, leia este post:
Brasília: como aproveitar uma conexão

Escultura de Bruno Giorgi no espelho d'água do Itamaraty e (à direita) a sede do STF
O Santuário Dom Bosco...
... e a Ponte JK: nem toda a beleza arquitetônica da cidade saiu da prancheta de Niemeyer
Passeios guiados em Brasília
Se for a sua primeira visita e você tiver pouco tempo na cidade, pode ser interessante dar uma volta por esses pontos mais famosos com um city tour. Eu já experimentei o passeio que sai do Shopping Brasília, em ônibus panorâmicos. O que mais gostei foi de fazer fotos do segundo andar do ônibus, mas achei o roteiro muito quadradinho.

Outro favorito meu: o Palácio da Alvorada e incontestável leveza de suas linhas

Esse city tour limita-se ao Eixo Monumental e à Esplanada dos Ministérios, com uma escapadinha para mostrar o Palácio da Alvorada (lindo demais!) e a Ponte JK. Vale, como eu disse, para ver esses marcos mais famosos, mas, por outro lado, só reforça a ideia — errônea — de que a Capital Federal seria apenas uma coleção de edifícios grandiosos.

Minha avaliação e as informações sobre esse tour está neste post:
Brasília para turistas: como é o city tour "hop-on hop-off"


O melhor de Brasília: 

O melhor de Brasília você vai descobrir explorando as quadras do Plano Piloto, compreendendo a ideia da "cidade parque", com todos os prédios residenciais integrados à área verde que os cerca e a lógica da unidade de vizinhança.

Para ver esse lado da cidade, recomendo muito o passeio guiado (a pé) organizado pela Experimente Brasília, uma agência que propõe roteiros inteligentes e fora do convencional. O passeio pela quadra modelo (a 308 Sul) do Plano Piloto dá uma ideia bem clara da cidade pensada por Niemeyer e Lúcio Costa.

O passeio pela quadra modelo começa na Igrejinha de Niemeyer, um ícone da cidade
Jardins de Burle Marx e fachadas Bauhaus na 308 Sul
Você vai caminhar por jardins de Burle Marx, à sombra de fachadas modernistas, desvendando a inteligência de elementos como o cobogó e os pilotis que deixam o espaço livre para o olhar, ao mesmo tempo que integram os edifícios ao verde.

Para saber mais sobre este roteiro, leia este post:
Um passeio para entender e se apaixonar por Brasília


Outro jeito gostoso de ver a cidade é da água. Veja as dicas neste post:
Passeio de barco no Lago Paranoá

Jardim da 308 Sul e a doação de livros nos pontos de ônibus da Asa Norte
Outros ângulos de Brasília
O que mais me encanta em Brasília é ver a cidade mudando a cada estação. Essas fotos foram feitas do mesmíssimo lugar, a parada onde pego o ônibus de manhã para ir trabalhar
A utopia de Niemeyer e sua turma pode ter sido interrompida, mas de vez em quando ela ressurge em iniciativas generosas, na santa teimosia de quem se recusa a abandonar os espaços públicos (e sucumbir à lógica dos playgrounds) — ultimamente não está fácil, devido à aplicação de uma lei do silêncio restritiva e seletiva, mas a tacanhice não vai vencer.

O estacionamento de bicicleta improvisado na cerca do Palácio do Planalto e o DJ na kombi em um evento na Rua 8
Vibro com os as centenas de quilômetros de ciclovias que se estendem pela cidade (só no Plano Piloto são quase 70 km para os camelos). Sou fã da ideia lançada pelo açougue e centro cultural (isso mesmo!) T-Bone (na comercial da 312 Norte), que incentiva a circulação de livros: já leu? Deixe no ponto de ônibus para que alguém o recolha e se deleite. A proposta às vezes fraqueja, mas vez por outra, indo para o trabalho e dou de cara com as doações de alguém na parada do ônibus.

Bicicletas por toda parte na Asa Norte
Adoro os piqueniques comunitários que começaram a ser organizados nas grandes áreas verdes do Eixão, não perco os happenings gastronômicos do Chef nos Eixos, que chegam a reunir 30 mil pessoas em torno de centenas de food trucks com comidinhas inventivas e cervejas artesanais. Não abro mão de minhas passadinhas pela Rua 8 (a comercial da 408 Norte, que vai ganhar um post só pra ela), cheia de bares animadíssimos frequentados pela meninada da UnB, a Universidade de Brasília.

Para ficar em dia com todas essas iniciativas legais, acompanho o Quadrado um blog bonito e inteligente feito pelas jornalistas Daniela Cadena Henrique e Carol Nogueira.

A beleza da cidade na singeleza do cotidiano ou no espetáculo da garça do Senado levantando voo
Melhor época
Pra ver a cidade do auge da exuberância, junho e julho são os melhores meses, época da florada dos ipês. O período da seca começa geralmente em abril e até meados de agosto o clima fica mais fresquinho, especialmente à noite. De dezembro a fevereiro costuma ser a temporada de chuvas (com alguns torós bíblicos e muita trovoada). Tradicionalmente, o pior mês é setembro, com um calor de derreter catedrais e uma secura de deserto. 

Como o planeta anda louco, o calorão está começando cada vez mais cedo (meados de agosto) e se estendendo cada vez mais (este ano, a chuva não deu as caras em dezembro).
O céu de Brasília gosta de assumir ares dramáticos lindíssimos
Um bom motivo para você colocar Brasília na sua agenda de viagens é que ela funciona meio que no contrafluxo. Os trabalhos do Congresso, as reuniões nos diversos órgãos de governo e outras atividades da política trazem muita gente pra cá nos dias úteis, especialmente entre terça e quinta-feira. As diárias dos hotéis ficam mais caras, assim como os voos para a cidade, no início da semana.

De quinta a domingo, o movimento arrefece, é muito mais fácil conseguir promoções de passagem e hospedagem, mas a cidade não morre (somos mais de 1,5 milhão de habitantes, afinal). O mesmo vale para os períodos clássicos de férias (julho e janeiro). Quer um lugar mais legal para visitar do que uma cidade que fica mais barata justamente quando você está de folga e pode viajar?

Já expliquei essa dinâmica aqui no blog. O post é esse:
Hotel bom e barato em Brasília? Existe, mas depende da época


A primeira florada é a do ipê roxo
Como eu disse lá no começo, eu sou suspeita mesmo pra falar de Brasília, a cidade que me encanta todo dia com sucessão de pequenas e grandes belezas que coloca diariamente no meu caminho. Acho que o fato de andar a pé e de ônibus ajuda a ver essas sutis maravilhas cotidianas. Mas aposto que você também pode encontrar muito desse encanto. Bora descobrir Brasília?

Onde assistir os jogos do seu time em Brasília



Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário