domingo, 14 de dezembro de 2014

Um senhor hotel em Dublin

O hotel ocupa um palacete do Século 18
Demorei um bocadinho a fazer a reserva de hotel em Dublin, porque eu tinha poucas referências sobre a melhor região para ficar hospedada na cidade. Vi muitas ofertas na área de Temple Bar (região antiga e boêmia, à beira do Rio Liffey), mas as opções mais simpáticas pareciam ficar fora da cidade, olhadas no mapa. Até que os sites de busca me mostraram o Radisson Blu Saint Helen's e eu me encantei com a ideia de passar seis noites em um antigo palacete georgiano, tombado pelo patrimônio histórico e considerado um dos melhores exemplares desse estilo arquitetônico de toda a Irlanda.

É claro que um cinco estrelas instalado na antiga residência de um visconde (e herói da Batalha de Talavera, ainda por cima) não está muito dentro do meu perfil de consumo, mas já estava considerando alguns remanejamentos orçamentários quando fui avisada pelos anúncios do Facebook, via Tripadvisor, que as diárias do St Helen's estavam em promoção, para quem fizesse reserva para mais de três noites. O preço? Menos de 120 (116, para ser exata), no apartamento duplo. Não pensei duas vezes, é claro.

O acesso aos jardins, na parte posterior do casarão
Detalhe da fachada e um cantinho do jardim
O melhor foi descobrir que era tudo verdade: o lugar é até mais bonito do que aprece nas fotos, o serviço é impecável e nosso quarto era tão confortável que até dava pena de sair (fim de viagem, então... Depois de 20 dias na estrada, a gente vai ficando cada vez preguiçosa). Além disso, a minha principal preocupação, que era o acesso, não se concretizou. O St Helen's fica afastado do Centro, em um subúrbio elegante e bem residencial, com entrada por uma avenida muito bem servida de transporte público. 
A parada do ônibus em frente ao hotel,
em Stilorgran Road, e a entrada da propriedade
A parada dos ônibus que vêm da cidade (e do aeroporto, também) é exatamente em frente aos portões da propriedade. Para ir para o Centro (e para o aeroporto) era só atravessar essa avenida, a Stilorgran Road, por uma passarela (as rampas eram meio chatinhas para arrastar a mala, por conta da inclinação) e lá estava o ponto de ônibus. A viagem durava cerca de 20 minutos. 

Nas duas vezes que precisamos de táxi (saímos antes de 6 da manhã para pegar o transporte para o Giant's Causeway e para os Cliffs oh Moher), usamos os serviços de Paul, indicado pelo hotel super gente boa. A tarifa até o centro era de  €20.

Se houve algum inconveniente na estadia?
Bem, não foi nada prático arrastar
as rodinhas da mala no caminho até o casarão :)
A Saint Helens's House foi construída em meados do Século 18, para servir de moradia a uma família da aristocracia anglo-irlandesa. É realmente um primor de sobriedade georgiana no seu exterior em pedra cor de marfim e linhas retas e clássicas. O ocupante mais ilustre da casa foi Lord Hugh Gough, marechal de campo britânico que iniciou sua carreira de oficial comandando um batalhão na Espanha durante as Guerras Napoleônicas. Sua figura como "Herói de Talavera" (uma das batalhas mais renhidas contra as tropas francesas) está entronizada no belo hall de entrada da casa.

O hall de entrada do hotel, com o retrato de Lord Hugh
O palacete hoje abriga as áreas comuns do hotel, como a sala de estar (com uma baita lareira de mármore), a recepção, os restaurantes e salas de reunião (o hotel recebe muitas convenções e eventos semelhantes). Os quartos ficam em uma ala nova, que não briga com a arquitetura original do edifício principal.

Nosso quarto, muito agradável, tinha vista para a área verde que cerca toda a propriedade. Tinha duas camas de casal, poltronas, mesinha, escrivaninha, armário, frigobar, máquina de café/chá, apetrechos para passar roupa, cofre e TV de tela plana, com boa variedade de canais a cabo, em diversos idiomas. Uma coisa ótima era a quantidade quase infindável de tomadas. Eu e Bruno não precisamos disputar quem ia carregar os equipamentos primeiro :)

Dois ângulos do nosso quarto
Nossa janela tinha vista para um jardim e o banheiro tinha uma banheira "tamanho adulto"
Mesmo com o frio (gente, 14 graus no verão!!) era um prazer caminhar pelos jardins enoooormes, que ficam na frente e na parte de trás da casa. Depois, era só correr para a sala de estar e aproveitar o calorzinho no conforto. O lugar, aliás, é bem concorrido na hora do chá e depois do jantar.

A parte posterior do casarão está voltada para um jardim muito agradável

E, por falar em jantar, gostei demais da comida e do astral do bar L'Orangerie, que funciona na antiga estufa/jardim de inverno da casa (falaremos de comida em outro post). Só não experimentei o restaurante italiano do hotel, o Talavera. O problema eram os horários: ele fechava às 22 horas e eu nunca chegava da rua a tempo.
A sala de estar 
Oo bar L'Orangerie, na antiga estufa de plantas da propriedade
Quem chega sem carro ao St Helen's, como foi o nosso caso, precisa caminhar um bocadinho, dos portões da propriedade até o edifício, pelo jardim da entrada. Para os arrastadores de mala (novamente, nosso caso), há um caminhozinho lateral, menos difícil que a trilha de pedriscos destinada aos carros. Mesmo assim, vale por uma boa malhada. Quem manda querer brincar de Downton Abbey usando transporte público??

A entrada do hotel: para quem arrasta a mala de rodinhas, é melhor pegar esse caminho lateral (à direita), pois o piso de pedriscos do caminho principal é para os fortes :)
Endereço
Radisson Blu St Helen's, Stillorgan Road, Blackrock. Diárias a partir de €103, para reservas diretamente no site do hotel.

Liverpool
Carrick-a-Rede e Giant's Causeway, na Irlanda do Norte

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário