quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Uma bela senhora: a Abadia de Bath

A Abadia de Bath ao cair da tarde
Todo mundo vai a Bath ver as Termas Romanas e os cenários georgianos que povoam descrições literárias e cenas de filmes. Essas atrações valem a viagem, com certeza, mas não são desculpa para a gente deixar de ver preciosidade menos badalada, mas tão espetacular quanto, que é a Abadia de Bath.

Ela é muito mais velha que a Inglaterra. Foi fundada no Século 7º, quando a região pertencia ao velho reino saxão de Hwicce, que, posteriormente, seria incorporado à Mércia, um dos reinos que iriam finalmente formar a Aenglaland, a Terra dos Anjos, três séculos depois. Passou por reformas significativas à medida que a cidade mudava de conquistadores (mércios, saxões e normandos) para ganhar suas feições definitivas no Século 16, já incorporada à Igreja Anglicana.

A impressionante trama do teto da Abadia 
foi esculpida em Pedra de Bath
De tanto contemplar o desfile de reis, dinastias e reinos, essa bela senhora parece ter aprendido quanto é vã a vaidade. Ela não se exibe em locações majestáticas — fica num larguinho acanhado, cercada por um emaranhado de ruas —, não resplandece em dourados e sequer se acotovela com as atrações mais famosas pelas manchetes dos folhetos distribuídos aos turistas.

O resultado é que tem gente que vem a Bath, nem toma conhecimento dessa maravilha e vai embora sem sequer desconfiar do que perdeu.

A Abadia fica bem ao lado das Termas Romanas, muito mais disputadas pelos turistas
Essa fogueira eu pulei, graças ao atendente da guesthouse onde passei minha segunda noite na cidade. "Se tiver que escolher entre Stonehenge e a Abadia, escolha a Abadia", dramatizou ele, quando fiz a lista do que já tinha feito e do que ainda pretendia fazer por lá. Eu não tinha que escolher (tinha ido a Stonehenge na véspera), mas confesso que me apressei em correr para lá. E fiquei extasiada com o que vi.


A entrada principal da Abadia e um detalhe da fachada lateral
Da igreja do Século 7 já não resta nada. O que se sabe é que a Abadia prosperou junto com a fama das águas termais da cidade, ao ponto de Edgard, descendente de Alfredo, o Grande, ter sido coroado rei de toda a Inglaterra aqui, no Século 10, como atesta uma inscrição na fachada Leste da construção.

Com a chegada dos normandos, no Século 11, a construção passou por profundas transformações e as atuais feições da Abadia são resultado de grandes reformas executadas nos Séculos 12 e 16.
A trama das colunas e nervuras do teto
O mais impressionante na Abadia é a trama delicada do teto e das colunas internas, uma renda pacientemente esculpida em Pedra de Bath. Também chamam a atenção os belos vitrais e esculturas sacras.

O edifício estava passando por obras de restauração, mas isso não atrapalhou a visita, que também é um mergulho na história de Bath, escrita em centenas de lápides e placas comemorativas espalhadas pelo piso e pelas paredes  — no dia que peguei o avião de volta ao Brasil, li uma curiosa reportagem na BBC sobre as consequências dos milhares de sepultamentos realizados sob o piso da igreja, que estaria cedendo e precisando de reforço.

A Abadia também impressiona pelos delicados vitrais

Dicas práticas

Abadia de Bath 
(Bath Abbey)- 12, Kingston Buildings. De segunda a sábado, das 9h às 18h. Domingos das 13h às 14:30h e das 16:30h às 17:30h. Antes de ir, cheque os horários dos cultos nesta página. A entrada é gratuita, mas é sugerida uma doação de £2.50 (£1.00 para estudantes), para ajudar na manutenção do edifício.
A praça ao lado da Abadia é um animado ponto de encontro, especialmente nos finais da tarde
Visitas à torre
Para ver Bath do alto, nada melhor que fazer um tour ao alto da torre da Abadia. Eu resolvi não encarar a escadinha em espiral para poupar os joelhos, mas quem estiver em forma pode tentar. As subidas são guiadas e partem de hora em hora (aos sábados, a cada meia hora), mas é bom checar os horários, pois há menos frequências no inverno. Não há subidas aos domingos. O tour custa £6. Menores de 15 anos pagam meia e precisam estar acompanhados de um adulto. Crianças com menos de cinco anos não podem subir.

Também é oferecido um “tour romântico” à torre, visita privada que promete emoções com champanhe, a possibilidade de tocar os sinos da Abadia (eu fico imaginando como deve ser tomar champanhe e depois descer aquela escadinha sem tropeçar, rsss). Custa £100 por casal nas horas normais e £120 em horários especiais. Quem se animar precisa reservar por email.

A torre da Abadia vista vista do Parade Park
Mais sobre Bath

A Inglaterra na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

4 comentários:

  1. Cyntia, não tinha lido esse post. Fiquei encantada, adoro história. Linda!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais uma das muitas surpresas de Bath, Paula. A gente visita a cidade pra ver determinadas coisas e desobre inúmeras outras maravilhas. Adoro aquela fofura :)

      Excluir
  2. Adorei seu post! Vou a Bath em outubro/2017 e suas dicas foram preciosas! Grata!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Raquel! Amei Bath, espero que você aproveite muito a viagem :)

      Excluir